Conversa de Mangá: Katekyo H. Reborn 378

Mais tarde um pouco essa semana mas… Suprise Attack já está na web!

Lido no Batoto! Spoilers após o continue!

Vejo o capítulo da semana dividido em dois pontos.

O primeiro foi relacionado à Vindice cair de pau em todo mundo – sem pudores – recentemente,  e não ser punida. Vejam que os aplicadores da lei conhecem regras tão bem que provavelmente descobriram brechas nas da batalha representativa. Então, tecnicamente, qualquer participante pode “deixar” de ser um integrante da batalha ao tirar o relógio? Se for isso não abre brechas para troca de relógios? Como alguém incapacitado que ainda possuir o seu relógio passar pra outro combatente? Seria interessante, até porque ainda teríamos o Hibari com altas chances de passar pro lado Reborn da coisa. Não que ele não possa chegar descendo o cacete sem motivo algum de uma hora pra outra.

O segundo, foi o que eu mais gostei. Foi interessante esse desenvolvimento de quanto Reborn leva a sério ser tutor do Tsuna, a ponto de planejar cada passo visando o crescimento individual de Tsuna como “Vongola Decimo”. Apesar de eu ter achado meio forçado Reborn “gastar” o seu tempo adulto pra dar uns tiros e falar umas coisas pro Tsuna. O lado do Iemitsu também foi bacana de se saber, mas este foi BEM mais tímido.

Ah sim, um comentário final… Vindice atacou covardemente um inocente neste capítulo… será que teremos brevemente toda a cidade (o que inclui Kyoko, Haru, I-Pin e cia) como possíveis reféns?