JogandoReflexões & Opiniões

Primeiras Impressões Sega Superstars Tennis (X360)

Quer saber como ficou o game? Clique em “more”


Parece plágio né? A Nintendo já faz games de esporte com Mario há tanto tempo, sem mencionar a reunião de franquias em Smash Bros já a 3 gerações. Até que demorou até a Sega começar a investir em algo parecido ao invés de dar contra a parede com os jogos solos em 3D do Sonic. Porém, para nós, gamers, só o que interessa é se o game ficou legal e se vale a pena experimentar.

Recebi o meu ontem e após testar algumas coisa, acho que já posso tirar uma impressão inicial. O que logo se percebe é o esforço da Sega em evitar comparações com o “Mario Power Tennis” da Nintendo, já que ambos tem as mesmas idéias, mas com mascotes diferentes. E a proposta da Sega realmente consegue ser diferente, o que não quer dizer que seja melhor. Mas eu chego lá.

Outra coisa que fica claro ao começar o game é a falta de franquias que a Sega tem para este tipo de reunião. Vide Smash Brawl onde tem mais de 30 personagens e ainda, segundo os fãs, poderiam ter muito mais. Em SST a Sega precisou até ir buscar Alex Kidd, personagem que está no limbo há quase 2 décadas (o último game dele saiu em 1990, salvo equívoco). Sem mencionar os mascotes que morreram e graças ao Wii ganharam um renascimento: Nights e Amigo, franquias que surgiram e morreram no Dreamcast e só agora no Wii retornaram. Alias é até estranho o modo como a Sega trata suas franquias, deixando-as no limbo por tanto tempo. Pesquisando na net consegui a imagem onde mostra todos os personagens.

Vou deixar em forma de link para não estragar a surpresa de quem não quiser ver os secretos:
http://img214.imageshack.us/img214/543/14370001ip0.jpg

Lendo em foruns americanos peguei alguns fãs reclamando da falta de alguns personagens como Knuckles (e colocaram a Amy) e Silver. Billy Hatcher é outro esquecido pela Sega que encaixaria perfeitamente no clima do game. Pessoal mais nostalgico reclamou da ausência de Vectorman, Ristar e Toe Jam and Earl. Você se lembra destes? XD Até Virtual Fighter faltou, pelo menos um personagem da franquia. Entre outros que eu não me lembro ou desconheço por nome.

No fim, o Hall da Sega se limitou a 16 personagens.

Começando o game!

Deixando para lá estas questões de plágio e falta de personagens, o game agrada os fãs do estilo.

O modo principal, chamado de Planet Superstars é bem criativo. Em Mario Power Tennis, por exemplo, o single player se resumia a escolher um personagem e vencer com ele um torneio. Em SST não é assim. Entrando no modo single, o jogador entra numa espécie de tabuleiro com o nome das franquias existentes no game como Sonic, Samba de Amigo, Nights, Monkey Ball etc.

Ao escolher uma franquia, aparece uma tela mostrando o objetivo do game. Eu testei apenas Sonic, Samba e Curien Mansion. A primeira fase de Samba é uma partida simples. Na Curien é preciso derrubar 15 zumbis.

Mas o que eu joguei pra valer foram as fases do Sonic. Foram mais de 10 fases, intercalando partidas simples, campeonatos, mini-games diversos. A cada vitória novas coisas vão sendo destravadas, como personagens, quadras, músicas etc.

Isso torna o game diferente, pois evita a repetição exagerada. Os mini-games do Sonic por exemplo, não ficaram ruim. A maioria se resume a pegar argolas enquanto foge de bombas, mas as regras muda a cada partida e algumas são bem dificeis.

Eu realmente apreciei essa dinâmica do modo principal.

Partidas!

Outro detalhe importante é mencionar como ficaram as partidas. É possivel jogar partidas simples, torneios e em duplas.

Os comandos respondem bem nas partidas, apesar de eu ter tido a impressão que os personagens poderiam ser mais velozes. Não há muita diversificação nos botões, A rebate a bola com velocidade, X com mais calma. Com o direcional na hora da batida você escolhe para onde vai rebatar na quadra adversária.

Os personagens também suas distinções como agilidade, velocidade, força etc. Sonic por exemplo é velocidade.

Quando são partidas em duplas, o jogo fica mais dificil. Pois geralmente a disputa fica entre os jogadores que estão à frente da quadra e na distração do que está ao fundo. No modo single player também há partidas em duplas, aí é a CPU que auxilia o player 1.

O game também traz powers-up. Mas não menos criativos e menos eficientes que os de Mario Power Tennis, novamente comparando. Embaixo de cada personagem, há uma estrela, quando ela se encher e começar a brilhar, o power up pode ser ativado apertando RT ou LT. Cada personagem tem o seu, mas em geral o power serve para mudar a trajetória da bola.

Achei a do Sonic bem fraquinha, ele vira Supersonic e a bola faz umas curvas loucas na quadra adversária, mas nada que não dê para pegar na maior parte das vezes. Já a do Shadow eu gostei, ele vira Supershadow, a bola chegando perto da rede some e reaparece mais ao fundo da quadra. O legal é se o adversário acerta, pois aí ele some e se teletransporta para outro lugar da quadra, fazendo fica desorientado, aí basta rebater rápido a bola. XD

Modo Online!

As versões do PS3 e X360 ganharam partidas online. (No Wii e PS2 não tem isso). Cheguei a criar um tópico ontem no forum NGM sobre a análise desse jogo na Gamespot, onde eles diziam que “ninguém estava jogando online”. Uma afirmação um tanto quanto polêmica e problemática. Sem mencionar que é óbvio que o público de um jogo de Tennis é muito menos do que os consagrados Shooters.

Por isso fui testar o modo online. Entrei em quick match e em menos de 2 minutos a Live já tinha localizado um jogador e em menos de 30 segundos depois já estava jogando. Então acho um tanto quanto errado uma afirmação assim vindo de um site tão popular lá fora.

Joguei por 10 minutos uma partida. 5 Sets, foi pau a pau. Mas ganhei a partida. XD Em nenhum momento houve lag.

Concluindo: Eu achei o jogo excelente. Claro que não tem aquela simpatia e carisma que os games da Nintendo têm nesse gênero, mas é clara a iniciativa da Sega e no esforço para deixar o game divertido e diria que ela acertou na sua primeira tentativa.

Os gráficos no 360 ficaram excelentes. Nota-se que poderia ficar melhores e mais ricos em detalhes, mas é um multiplataforma e no fim os consoles mais poderosos receberam melhor polimento, mas não mais detalhes.

O som merece um bom elogio, pois a Sega sempre acertou nas músicas de seus games. Algumas aqui ganharam um novo remix e outras não. As do Sonic ficaram otimas e a do Samba de Amigo é hilária, meio portunhol. XD

Os controles respondem legais e com tanto modo de jogo e diversidade, o replay ficou bem alto. Soma-se a jogabilidade online nas versões mais potentes e o game fica melhor ainda.

No fim não sei se recomendaria aos jogadores de Nintendo Wii o game, pois é provável que eles venham a ganhar um Mario Tennis Wii futuramente, sem falar que no Wii não tem multi online (falha grave), mas aos jogadores dos outros consoles não Nintendo, com certeza vale a pena experimentar.

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios