Jogando

Depois de 3 horas de Banjo-Kazooie Nuts & Bolts, admito que a Rare ainda consegue me impressionar…

A verdade é que Banjo-Kazooie Nuts & Bolts não foi recebido por todo mundo de braços abertos. Gamers reclamaram do exagero dos veículos e dos mini-games e a crítica deu notas entre 7 e 8 para o game. Mas sou fã da Rare desde Donkey Kong Country. E por tabela, sou fã dos 2 Banjo-Kazooie do Nintendo 64. Curiosamente adorei o demo do novo Banjo que saiu na Live em Outubro. Hoje, depois de 2 meses de espera, finalmente consegui adquirir um Banjo-Kazooie Nuts & Bolts.

Preciso admitir que a Rare é uma empresa que ainda consegue fazer com que eu me sinta admirado com os games que ela produz. Claro que BK3 não é um Gears of War 2, mas o game tem um charme e simpatia únicos. Não é realmente um game nota 10, pois já vi e notei defeitos e problemas, em contraponto é uma daquelas jóias únicas, que o jogador não acha em qualquer produção.

Showdown Town, a cidade principal, que interliga os mundos é incrivelmente e assustadoramente recheada de detalhes. Rua, morros, vielas, personagens, notas musicais, caixas do Mumbo e portas para todas as fases do game. Em 3 horas de game, é bem provável que tenha perdido apenas 20 minutos nos challenges, tanto que reuni apenas 5 Jiggies. As 2h40m restantes foram brincando de exploração e na oficina do Mumbo. Tem coisa demais para visitar, explorar e descobrir como chegar em tal ponto.

O primeiro mundo não é o mesmo que testei no demo. Nutty Acres foi um dos primeiros mundos revelados pela Rare quando anunciou Banjo, com aqueles parafusos e mecanismos gigantes no meio de um mar [imagem acima]. Lindo. É de ficar de boca aberta com o tamanho deles numa TV de LCD. Há versões do cenário de dia e de noite.

Preciso dizer que certos elementos clássicos da franquia continuam como a linguá solta de Kazooie, que continua tão ácida e mal-educada como sempre. Toda piadinha sarcástica dela tem um pingo de graça. O primeiro encontro de Kazooie com Trophy Thomas, uma onça com cabelo azul, ela zua com o penteado do cara e ainda pergunta se ele está no game correto. XD

A análise vai demorar um pouco, mas eu precisava criar um post dizendo que estou extremamente satisfeito com o que vi em Banjo-Kazooie Nuts & Bolts. A Rare não mentiu quando disse que o elemento exploração estaria no game e que apesar dos novidades, o sentimento clássico que todo fã tem pela franquia, continua lá em dezenas e até centenas de elementos.

Bem, é isso. Futuramente trago a análise detalhada do game. 🙂

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.