Lendo

Personagem Amadeu é a peça nostálgica da edição! [Pateta Férias nº03] [MdQ]

Hora de falar sobre mais uma revistinha de Férias da Disney. Vale ressaltar que atualmente entre as publicações regulares da linha Disney, não há uma revista do Pateta com histórias inéditas, sobrando ao personagem participações na revista do Mickey. Histórias próprias do personagem são esporádicas assim. Então quando surge uma revista extra ou de férias com o Pateta voando solo, o máximo que se pode esperar, são republicações tiradas direto da revista do camundongo. Não há nada de errado nisso, mas as vezes é possível perceber que as verdadeiras histórias com o Pateta, ficam um pouco de fora da linha brasileira, porque apesar das participações na revista do Mickey, o rato é quase sempre o maior destaque de sua própria revista. Felizmente nesta edição de Férias, você verá o Mickey apenas na última das três histórias que compõem a revista.

As histórias são:

Férias com Economia
História produzida em 1978 (Inducks)
Roteiro de Massimo Marconi
e desenhos de Giulio Chierchini
18 Páginas
HQ publicada nas seguintes revistas:
* Edição Extra 120 (1981)
* Disney Especial 141 (1994)
* Novo Disney Especial 4 (2002)

Rota Gastronômica
História produzida em 2000 (Inducks)
Roteiro de Peter Härdfeldt
e desenhos de Jorge David Redo
03 Páginas
HQ publicada originalmente em Mickey 626 (2000)

Haja Pateta!
História produzida em 2001 (Inducks)
Roteiro de Sarah Kinney
e desenhos de Noel Van Horn
10 Páginas
HQ publicada originalmente em Mickey 684 (2002)

Após o continue, minha opinião sobre cada uma destas histórias e um pouco sobre o Amadeu, um personagem que não aparece com certa frequência no Universo Disney nos últimos anos. 😉

Extra: Quem é Amadeu?

As edições de Férias ou Extra da linha Disney visa atrair novos leitores, por isso custam apenas R$ 1,50 e tem apenas 36 páginas. O problema é quando uma destas edições trazem um personagem incomum e pouco conhecido do público e nem ao menos dedicam um paragrafozinho em algum lugar para explicar quem é o dito cujo que ninguém nunca viu. No caso desta edição, seria o corvo Amadeu.

Amadeu é um personagem criado em 1949 nas antigas tiras dominicais de jornal do Mickey (veja aqui). Alias a figura do corvo nos desenhos animados antigos é algo recorrente, os Looney Tunes também tem um personagem assim. Ao longo dos anos Amadeu foi criando forma e personalidade.

Não sei dizer qual era asua personalidade originalmente, porque só conheci o personagem através de histórias publicadas nas revistas Disney lá na década de 80/90. O Amadeu que conheci já usava camisa e boné e sempre interagia em maior parte em histórias solo do Pateta, sendo um amigão do atrapalhado personagem. O Amadeu me lembra um pouco o lado maroto do Zé Carioca, é um personagem que não leva desaforo, brincalhão e vive se atrapalhando em enredos ao lado do Pateta. É um personagem divertido e que combina com o Pateta, quando o mesmo não está resolvendo mistérios com o Mickey. As histórias que eram publicadas por aqui tempos atrás em geral eram de cotidiano.

Segundo minha pesquisa do Inducks, o Amadeu é muito mais famoso na França, o que explica porque ele sumiu das atuais publicações Disney (as histórias atuais vem da Itália ou Dinamarca). Até o final da década de 90 e o começo desta, ele ainda ganhava algumas histórias francesas, mas nos últimos anos, não encontrei nada no Inducks. Porém ocasionalmente o personagem aparece nas histórias italianas, as vezes atuando ao lado do Pateta (Pippo & Gancio guardie del corpo floreali) e as vezes participando dos histórias do Mickey (Topolino e il mistero pop). Este ano mesmo, segundo o Inducks, o Amadeu aparece na história (inédita no Brasil) Topolino e la leggenda del Topo Nero, onde vários personagens do universo do Mickey participam de uma aventura de piratas!

Para terminar, a imagem acima do Amadeu é uma ilustração do ano de 2000 pelo traço do italiano Giorgio Cavazzano. Note que o traço é bem mais bonito do que a da história de 1978 que comento logo abaixo.

* Férias Com Economia: Uma curiosidade nesta história italiana é que originalmente ela tem 33 páginas. Por que a edição brasileira tem apenas 18? Enquadramento. A original tem três linhas de quadro por página, na edição nacional os quadros foram encaixados para dar 4 quadros por linha. Não é algo tão anormal assim, antigamente se fazia isso para economizar páginas e caber mais histórias na revista. Não vejo problema algum quando são histórias assim, sem grande destaque. A menos que seja um clássico ou uma grande aventura, aí faço questão da publicação na forma como foi concebida. Apesar desta história estar sendo publicada pela 4ª vez no Brasil, todas foram em 18 páginas.

Quanto a história, não é a melhor história do Pateta e Amadeu que já li. Há outras mil vezes melhores e mais divertidas, mas com a temática “Férias” carimbado na capa, faz sentido a publicação dela. Mas um Pateta chorão e pão-duro não é algo que seja habitual de sua personalidade, apesar de que as trapalhadas estão lá, escondidas nesse jeito atípico do personagem. Quem sofre em questão ao é Amadeu, que acaba seguindo o Pateta nessa rota, se fosse o Mickey isso não iria rolar, o camundongo se impõem bem mais que o Amadeu. A piadinha final com o trailer também não é de todo ruim.

* Rota Gastronômica: História curta de apenas 03 páginas. Obviamente inserida para fechar a cota da revista, mas muito melhor que história tapa buraco da Tio Patinhas Férias 4. Engraçada de uma certo ponto de vista. Eu mesmo sou péssimo para memorizar nomes de ruas, e assim como o Pateta, tenho o hábito de memorizar ruas, bairros e locais através de pontos-chaves, como supermercados, locadoras, pizzarias etc. Sinceramente, quem tem saco pra ficar decorando nome de ruas? Eu também daria um péssimo taxista. XD

* Haja Pateta!: A história mais divertida e engraçada da revista, apesar de ter apenas 10 páginas. O Dr. Sabetudo, que é uma espécia de Prof. Pardal do universo do Mickey, inventa uma máquina de replicação. No começo eles estão replicando maças, até que o Pateta tem a idéia de criar uma réplica de si mesmo. Aí a confusão está armada. Inicialmente os Patetas se dão bem, mas depois começa a rixa. História bem humorada, e mostra como o Mickey realmente se preocupa com a sua amizade com o Pateta. No final, tudo se resolve.

Pateta Férias #3 não é ruim, mas é uma revista que tem um potencial para ser muito mais. O Pateta tem grandes séries clássicas por aqui. Lembram do Pateta “Jaime Scond”? (aqui), tem ainda a clássica “Pateta Faz História”, tem o primo Indiana Pateta, tem algumas histórias esportivas do Pateta, da clássica fase da Transportadora Zum com o Mickey e entre outros clássicos que não vou lembrar de cabeça. 🙂

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.