JapãoLendo

Calcinhas e estudantes apaixonados no novo mangá da Panini! [100% Morango – Vol. 01] [MdQ]

Admito que 99% das razões que vão me levar a colecionar este mangá se dá ao fato dele ser uma publicação da Shonen Jump no Japão. A mesma Jump de Naruto, Bleach, One Piece, D.Gray-Man, Hunter X Hunter e tantos outros mangás famosos pelo mundo inteiro. Sei também que a Jump tem seus mangás de segundo escalão, que não são tão imperdíveis e memorávies quanto os que acabei de mencionar. Mas não tem problema. Fiquei curioso, comprei o primeiro volume e vou admitir, foi melhor do que eu esperava. Mas aguenta aí que antes de falar da trama ou dos personagens, preciso passar alguns dados técnicos aos iniciantes!

100% Morango na verdade se chama Ichigo 100% no Japão. Não sei porque a Panini resolveu traduzir o nome, que dizer, até posso imaginar, afinal nos EUA o mangá também saiu como 100% Strawberry que, para quem não sabe inglês, é morango na língua do Tio Sam. Digo isso, porque se o público alvo é o masculino nesse tipo de mangá (e vai por mim, é sim) é estranho você ir na banca e perguntar ao jornaleiro se chegou uma nova edição do “100% Morango”.  Particularmente, preferia muito mais que tivesse optado pela não tradução. Ichigo 100% é um nome bacana. talvez tenha sido uma imposição contratual.

Antes que me esqueça, 100% Morango foi criado por Mizuki Kawashita, uma mulher (porque é fácil confundir nomes japoneses), que foi publicado na Jump entre 2002 à 2005, ou seja, é um mangá que já foi concluido por lá, recebendo ao todo, 19 volumes. O bom é que ele não é tão cumprido, então daqui 1 ano e meio ele já acaba por aqui, isso é claro se a Panini mantiver a publicação como mensal.

Enfim, deixando para lá esse detalhe do nome oficial (apesar de que ainda acho que coisas assim refletem em vendas de uma forma ou de outra), preciso comentar sobre o que realmente interessa, que é o conteúdo do primeiro volume e as minhas impressões iniciais. Após o continue!

Calcinha de Morango

O mangá, ou pelo menos o primeiro volume, basicamente trata sobre relacionamento juvenil. O amadurecimento, aquela fase onde tudo é novidade. A primeira namorada, o primeiro beijo, a expectativa para pegar em regiões até então inexploradas, como cultivar a relação, como agir, o que fazer, e mais uma tempestade de pensamentos e questionamentos naturais dessa idade. Até aí tudo bem, quem já passou por isso sabe como é esse sentimento de “estar crescendo” e vai achar meio engraçado e até nostalgico alguns momentos da história. Quem ainda está passando vai ter uma maior curiosidade para ver o que os personagens estão fazendo e quais serão as reações de tais ações. E quem não passou por nada disso ainda, vai achar curioso no mínimo e se perguntará onde está a fantasia e onde está a realidade na trama.

Claro que o por ser um mangá, há sim uma certa tara explícita, que é comum nesse gênero de mangás com colegiais. 100% Morango em específico já começa pela calcinha das garotas, em específico a de Morango, que é meio que parte principal para dar pontapé à história, mesmo que depois mais ao final do volume, perta um pouco a importância, em pró do amadurecimento da história.

Tudo começa com o estudante Manaka Junpei, que sonha em ser um grande diretor de filmes. Apesar da ambição, Junpei não passa de um estudante, com seus desejos e frustações. Logo no capítulo de abertura do mangá , uma garota despenca, literalmente, na sua frente, trajando uma calcinha de morango, uma linda garota que ele jamais havia visto na escola. Pronto, de uma forma ou de outra, Junpei gamou na garota, mesmo que num primeiro momento, não tenha se tocado disso.

Os primeiros capítulos trabalham em cima disso. Quem é a garota de calcinha de morango? Junpei e seus dois amigos, Ookusa e Komiyama, que diga-se de passagem tem alguns momentos engraçados nesse volume, acabam concluindo que a garota é Tsukasa Nishino, a garota mais popular da escola. A trama gira e Junpei por eventos que talvez nem ele mesmo saiba explicar, acaba tornando-se namorado de Nishimo! Rá! Mas ele é muito pastel e nem sabe como agir ao lado da garota, o que gera momentos bem engraçados, como a pequena trama do celular.

Achei hilário esse momento do mangá, com o cara na rua que Junpei acha que é amante de Nishino e na escola quando Komiyama ajuda Junpei e ficar com a mochila de Nishimo para pegar o celular dela e verificar o número do celular que ele havia perdido. Acabei sendo surpreendido também quando ele salta do segundo andar da escoal e cai no lago, ficou engraçado essa cena, nem imaginava que ele estaria tão alto assim quando resolveu pular da janela. Muito comédia o quanto banana Junpei fica nestes momentos. Adolescencia é mesmo algo engraçado as vezes. A gente fica bobão mesmo.

Pode parecer estranho a príncipio ler um mangá assim, sem lutas, fantasia, personagens absurdos e etc. Mas é um gênero diferente de mangá. Não adianta eu chegar aqui e comparar 100% Morango com Bleach, One Piece ou similares. São coisas totalmente distintas. A idéia deste mangá não é salvar o mundo, é mais como uma comédia romântica, levando um pouco a comparação aos gêneros de filmes.

A trama continua andando, Junpei ainda meio desconfortável com o relacionamento, ao mesmo tempo que se revelar intimamente ser o tarado que todo homem realmente é dentro de sua mente. Nisso um triangûlo amoroso surge e uma nova calcinha de morango é vista. Pronto, e agora? Junpei fica com a menina mais bonita da escola ou com a garota que ele se dá bem, mas não é tão bonita quanto Nishimo (na verdade é, mas ele não sabe)? É engraçado algumas situações, os personagens também são trabalhados num ritmo legal e há muitas situações em que a história pode ir e vir para não deixar a mesmisse bater.

Digo que para um primeiro volume, eu gostei. Ri, me diverti e acabei ficando na expectativa pelo próximo volume. Então posso dizer que mangá deu certo pra mim, certo? Mas fica o alerta, se você é do tipo que só gosta de Naruto e Cavaleiros do Zodíaco, 100% Morango provavelmente é uma zona de extremo desconforto pra ti.

Só para terminar, preciso elogiar o traço da autora. Bem detalhista, sabendo expressar bem os sentimentos e caretas dos personagens. Também é generosa nas cenas mais picantes, com calcinhas aparecendo, angulos que favorecem as garotas etc. Típica tara japonesa por colegiais. Pra mim, isso não é problema algum. Acho legal a maturidade com que os japoneses são em relação a essa liberdade nos mangás. Obvimente este é um mangá para jovens e não para crianças, então porque não haveria de haver esse teor levemente sexual? Soaria até estranho senão fosse assim.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.