JogandoReflexões & Opiniões

Tirando a poeira do console, para jogar limpo!

Não sei se todos vocês sabem, mas trabalhei durante muito em lojas onde não apenas se vendia videogames, mas também consertava-os.

Naquela época, os gamers estavam deslumbrados com os encantos da geração 32/64/128-bit. Bem, nem todos, para ser sincero. Muita gente ainda mantinha seu velho videogame na ativa, ou simplesmente se recusava a descartar o companheiro fiel de tantas aventuras, ou não tinha uma condição financeira que possibilitasse a compra de um novo console.

E vou dizer a vocês, era muito comum em nosso dia-a-dia os clientes trazerem seus videogames para manutenção, e seu estado de conservação causarem no mínimo, asco nos pobres técnicos da assistência Já vi consoles, controles e acessórios totalmente imundos! Também trabalhávamos com a compra e venda de objetos usados, e quando eu ia comprar por exemplo, um console do cliente, eu ofertava a ele um valor menor depedendo do estado de conservação.

A maioria desses itens vinham repletos de “queijinho“. Esse é um termo carinhoso pelo qual chamávamos eles quando eles tinham um certo “cheirinho”, uma quantidade insana de poeira e gordura incrustada nas fendas, mantas de contato, botões, direcionais, tampas, gabinetes e etc. Portanto, era imperativo que antes do conserto, o objeto tinha que passar por uma rigorosa limpeza. Afinal,se fosse preciso soldar algo, que fosse um cristal ou um contato, mas soldar fungos não resolvia nada! Já passaram por minhas mãos consoles enxarcados de xarope de tosse, iogurte, refrigerantes, e até urina de cachorro, cruzes! Claro que os maiores responsáveis por tamanha sujeira eram crianças, mas tinham gente adulta que abusava da sorte, ah, isso tinha.

Era engraçado devolver o produto ao cliente após o conserto. A maioria olhava com um jeitão desconfiado, se indagando se não havíamos trocado o item. Pudera, o cliente nos trazia um controle quase preto de N64, com botões amarronzados, e saía da loja com um controle cinza e de botões coloridos! Recebíamos um Game Boy com a tela “quase fumê” e o cliente saía com um portátil de tela cristalina no bolso…

Essa situação toda me incentivou a cuidar muito bem dos meus itens gamer. Mantenho meus consoles sempre cobertos com plástico ou panos para evitar o acúmulo de poeira, e uma vez ao mês pelo menos desmonto os controles e limpo eles do mesmo jeitinho que fazia na assistência. O mesmo se aplica aos acessórios e cartuchos. E pelo menos uma vez ao ano, abro os consoles e passo um aspirador neles na parte interna. E é óbvio que quando vou jogar lavo bem as mãos! Sou extremamente cuidadoso mesmo, sei que às vezes até exagero, mas me dá uma enorme satisfação abrir a caixa do meu NES e ver o bichinho com jeitão de novo, e não achar que esqueci um provolone por engano dentro da caixa.

E vocês meus amigos, cuidam bem das suas coisinhas gamer? Já foram jogar na casa de um amigo e não conseguia soltar um hadouken em virtude do “sebo” no direcional? Tem alguma dica bacana sobre conservação de videogames? Acredito que a maioria é como eu, gosta de jogar limpo, não é verdade?

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Mauri Link

Um gamer inveterado desde a primeira geração de consoles, aficcionado por histórias em quadrinhos, nerd de carteirinha, e super-herói nas horas vagas!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios