Dando Nota!Jogando

Análise | Call of Duty: Modern Warfare

Disponível para PC, PS4, Xbox One

CALL OF DUTY: MODERN WARFARE chegou e com ela nossa tradição gamer continua. Nos últimos dias estivemos puxando bastante o gatilho e combatido terroristas por todos os cantos do planeta. E olha, isso foi divertido!

Pela primeira vez na série, temos cross-play entre videogames e PC, uma nova engine gráfica, mudanças ousadas e o retorno de muita coisa favorita dos fãs! Nos últimos dez anos a fórmula não deu saltos evolutivos, mas agora parece que as mudanças são um caminho sem volta para essa franquia  que vem dominando a indústria nos últimos anos!

MENOS EXPLOSIVO, MAIS EMOCIONANTE!

Call of Duty 4: Modern Warfare é um daqueles títulos da geração passada que mais se destacam. Desde então, ano após ano a franquia só cresceu e atingiu uma alta popularidade entre os jogadores de videogame. e o Modern Warfare original trouxe uma história de combate ao terrorismo em várias partes do planeta, personagens marcantes e cenas de ação espetaculares.

O novo Modern Warfare consegue honrar esse legado, embora seu escopo seja um pouco diferente. É uma história mais focada e intimista, que aposta mais em chamar a atenção do jogador para que ele reflita sobre as coisas ruins que uma guerra gera nas pessoas e no mundo. Não é só sobre atirar em quem aparecer pela frente, mas também se importar pelos motivos que te fazem atirar nelas.

UM NOVO COMEÇO, E NOVAS EMOÇÕES!

Tendo terminado a campanha, tenho a impressão que como um videogame o primeiro Modern Warfare me satisfez mais, mas vamos ser justos e considerar que eu também era diferente naquela época. O novo Modern Warfare, portanto, acerta em também tentar ser diferente. Não é exatamente um reboot, e sim uma nova história com elementos conhecidos. É como os filmes Star Trek dirigidos pelo J. J. Abrahms.

As missões da Campanha tentam variar sempre de cenário e situações, incluindo seções inteiras onde nem é preciso atirar, e sim, escapar do perigo na pele de uma pessoa indefesa em vez de você ser sempre o soldado que atira. Algumas pessoas se sentiram incomodadas com o que acontece nessas seções, o que não foi o meu caso. Mas dá pra entender isso, pois é algo muito particular.

A Campanha é bem curtinha como era de se esperar, devo ter levado umas seis horas para terminar tudo. Mas é possível começar de novo e fazer escolhas diferentes durante a história. Não altera de maneira significativa a história, é verdade, mas aqueles que gostam de ver tudo vão querer fazer isso.

MELHORIAS COM QUALIDADE MANTIDA!

Como sempre, tecnicamente, o novo CoD é impressionante. Finalmente utilizando uma nova engine, o jogo consegue um frescor, em especial para veteranos como eu. Realmente desde o primeiro Modern Warfare não sentia isso. A qualidade da ambientação é excelente, em especial em ambientes noturnos.

O time da Infinity Ward e os estúdios parceiros entregam um pacote completo, incluindo cenas animadas belíssimas e integradas ao jogo, lembrando até os jogos da série Uncharted. Cada tiro é gratificante de ser ouvido, as músicas são empolgantes, e exceto um momento onde fui tirar uma screenshot e o jogo congelou, não tive nenhum problema com bugs.

MULTIPLAYER VICIANTE COMO SEMPRE!

TDM 10v10 é basicamente como nos jogos anteriores, porém com quatro soldados a mais para cada time. No geral continua divertido, meu único desconforto são oa mapas maiores que fazem com que seja preciso um bom tempo até voltar a encontrar inimigos, diminuindo o ritmo ágil que o modo de jogo mantinha tradicionalmente. Só que isso tem um lado positivo também. Se antes eu não me preocupava tanto em morrer pois estava logo de volta no meio da ação, agora fico me obrigando a ser mais tático e não morrer tanto, e tento fazer cada tiro valer a pena. É um efeito interessante e ainda estou me acostumando.

Ground War é outro modo que foi severamente anabolizado. Sempre foi o modo que permitia a disputa entre o número máximo de players, mas agora com até 64 jogadores, deu até um gostinho de Battlefield nesse CoD. Com cinco pontos para dominar, e podendo escolher onde ocorre o respawn, incluse em veículos e junto de companheiros ou nos pontos de controle, eu já consigo consigo me ver aproveitando melhor esse modo do que nos jogos anteriores.

Já o Gunfight é o exato oposto de Ground War, é apenas 2v2 em mapas mais curtos e é garantia de adrenalinha e sangue frio para pensar rápido e atirar mais rápido ainda. Inclusive é muito mais legal a opção de começar sem arma nenhuma e ter que caçar uma no começo da partida.

E temos a volta do Spec Ops, agora meio que tendo a função de “continuar” o arco de história da Campanha, o que achei bem inteligente por parte da produtora, agora já não parece mais só um modo desvinculado do jogo. São quatro jogadores que devem se ajudar a cumprir objetivos específicos. Gostei bastante do desenho geral do modo, mas realmente algo que precisa ser retrabalhado são as investidas dos inimigos.

Basicamente, são hordas de oponentes que aparecem praticamente sem parar, e isso acabou dando ao modo uma curva de dificuldade muito acentuada, acabou virando praticamente um modo de sobrevivência, com um foco exagerado em matar os inimigos do que em executar as ações. Talvez balancear o número de inimigos possa resolver isso no futuro, mas deixou na minha boca um gostinho bem frustrante. Não importa o quanto me esforce ou tente jogar diferente, chega uma hora que tudo fica muito difícil. Por isso, preferi jogar no modo clássico do Spec Ops, onde existem ondas de inimigos mais bem balanceadas, ainda que assim a experiencia não seja tão legal como antigamente, que era mais focada em partes da narrativa.

O modo Realismo também ficou bem interessante, nivelando os jogadores e ocultando o HUD. Desafiador e tenso na medida certa, juntamente com o modo Night Vision, mas a Infinity Ward ainda está trabalhando neles, visto a remoção inesperada. Eu partIcularmente gostaria de ver mais mapas desses modos, acredito que existe potencial para se tornarem padrão nos futuros CoDs.

A VONTADE DE PUXAR O GATILHO CONTINUA!

Mas seja qual for o modo, o novo Modern Warfare honra a já lendária franquia, dando ao jogador muita variedade, em especial na evolução do personagem e das armas. É realmente uma tentação ficar horas criando personalizações de soldados para serem usados no multiplayer, e não é difícil deixar seu soldado do jeito que você gosta de jogar. Eu por exemplo peguei uma M4A1 e coloquei um grenade launcher com mira refletora e me diverti como há tempos não fazia online.

A GUERRA ESTÁ TE CHAMANDO!

Bem, a essa altura é certo que a nova saga Modern Warfare vai continuar, as pistas estão espalhadas por todo o jogo, e algumas delas já estão deixando os fãs veteranos ansiosos pela continuação, que deve sair já nos próximos videogames, o que deve permitir um salto de qualidade ainda maior.

Então, não posso deixar de fazer uma recomendação final e lhe digo, vá lá atender ao chamado do dever!

Dando uma nota

Um recomeço no mundo de Modern Warfare com novos e velhos amigos! - 9
Uma nova engine gráfica que esbanja qualidade cinematográfica - 10
Um pacote completo com modos de jogos variado - 8.5
Probleminhas com balanceamento, como todo CoD - 7.5
Conteúdo sem micro-transações ou loot boxes - 10

9

Recomendadíssimo!

Uma nova visão sobre a já clássica e lendária série Modern Warfare, com tudo para agradar novatos e veteranos.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Mauri Link

Um gamer inveterado desde a primeira geração de consoles, aficcionado por histórias em quadrinhos, nerd de carteirinha, e super-herói nas horas vagas!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.