AssistindoCinemaPapo Pipoca

Cinema: Homem de Ferro – Eu Fui!

Não perdi a estréia do filme quarta-feria, entretanto só pude fazer o review hoje.

Warning! Warning!
Risco de Spoiler! Se você é alérgico, não continue!

Que Homem de Ferro nada, Tony Stark é quem comanda!

Tony Stark é um protagonista estranho. Um típico milionário que só sabe olhar para seu próprio umbigo e que se acha estar fazendo o bem ao construir armas de destruição em massa.

Isso até o momento em que ele é capturado por terroristas. Para sobreviver, nasce o primeiro rascunho do que viria a ser no futuro o Homem de Ferro. Com isso também, Tony passa a uma nova perspectiva de vida. Esta é a premissa do filme.

Não há mensagem clara no filme. Uma moralzinha. É um filme de entretenimento puro. Como se fosse uma HQ mesmo. E de maneira alguma isso é ruim. Alias é essa coisa de passar moralzinha que deixou as continuações do Homem Aranha enfadonhas e cansativas.

O humor do filme é outra aperitivo sensacional. Tony Stark, mesmo com a sua pomba de fodão ganha a carisma do público. Ele não é um daqueles personagens esnobes e orgulhosos na qual você não tem simpatia.

Mas e o Homem de Ferro? Aqui temos uma rara exceção de um personagem que não veste uma máscara. Quero dizer, Clark Kent se transforma quando vira Superman, Batman é outra pessoa como Bruce Wayne. Peter Parker e Homem Aranha tem suas distinções. As personalidades mudam. Tony Stark não tem essa distinção. Ele é o que é. Não há uma máscara, uma alteração de identidade. Continua sendo Tony, mas com uma armadura.

Impagável o momento em que ele está fugindo de 2 jatos e resolve ligar para seu amigo militar. Huhuahauh Também não espere ver a armadura a todo o momento do filme. O Homem de Ferro aparece em 2 cenas no filme, exatamente nessa parte dos jatos, onde Tony estréia a armadura e no fim, em seu climax, quando temos a luta contra o Monge de Ferro.

Primeiro filme tem isso, origem do começo ao fim. Alias outro momento impagável são as tentativas frustadas de desenvolver os dispositivos de võo da armadura. Só é um pouco estranho o fato dele conversar com seus robôs toda hora.

Os coadjuvantes também tem seus momentos. Assim como a pequena referencia a S.H.I.E.L.D. entre outros momentos que só nerds fã dos quadrinhos vão encontrar.

Além de tudo isso, o filme é recheado com belos efeitos e explosões. Vale a pena conferir no cinema.

Defeitos? Eu diria que há apenas 3. O primeiro é que o filme entrega o jogo logo nos 5 primeiros minutos iniciais de quem é o vilão por trás de tudo. Não atrapalha, mas quando a revelação é feita você diz “Dã, é óbvio”.

O segundo é que ficou meio no ar a tecnologia usada por Tony para desenvolver a armadura. Aquela coisa gigantesca na fábrica Stark, em que é explicado em determinado momento que se trata de um projeto do passado na qual ele nunca conseguiu avançar e que dentro de uma caverna, ele fez um protótipo do tamanho de um lata de refrigerante, acabou sendo estranho. O que era aquilo? Uma nova fonte de energia? Alias bem bizarro mesmo ele conseguir reduzir aquele trambolho numa coisa pequena em poucos dias.

O terceiro problema não é bem um problema, mas o climax no fim, com a luta entre home de ferro e monge de ferro não é lá grande coisa agora que eu assisti Transformers, que alias, tem efeitos bem mais insanos. É legal, mas fica aquela sensação de Deja Vu, ainda mais a luta no meio do trânsito.

No fim, temos um filme que vale a pena assistir, vai valer a pena ter o DVD e os nerds fãs do personagem vão se estasiar com o filme. Quem não conhece o personagem? Vai curtir e se divertir com o filme.

Vejam! Eu recomendo. E já espero uma continuação, ainda mais com a última fala do desgraçado do Tony no fim do filme. XD Impossível não sair deste momento, com um sorriso no rosto e pensar “maldito”. XD

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.