Reflexão | One Piece além do Anime

WARNING! WARNING! SPOILERS! NÃO ULTRAPASSE NÃO QUISER SABER O QUE ACONTECE NO MANGÁ DE ONE PIECE!

Antes de começar, quero avisar que os fatos narrados não são imparciais! É a minha visão de como está o enredo de One Piece. Existem outros lugares onde você pode ler guias de episódios e etc. A proposta do texto é um pouco diferente. Vale lembrar que se você não acompanha pela internet o mangá japonês e não quer saber o que está acontecendo atualmente no enredo, não leia.

Os eventos comentados aqui começam após o fim de Thriller Bark, a saga que mostrou Ruffy derrotando Moria, outro Shichibukai e após a entrada de um novo companheiro, o esqueleto músico Brook. Também peço adiantado desculpa por algum termo ou palavra do universo de One Piece que eu possa vir a escrever errado. Caso notem essa falha peço que me avisem aí nos comentários que conserto o quanto antes.

Os episódios atuais do Anime entraram em modo filler. Eu gosto dos fillers de One Piece. São histórias curtas e muitas vezes engraçadas e sem aquela enrolação que os fillers de animes tentem a ser. Acredito que logo eles devem acabar e o enredo volta ao original do mangá. O anime também não está distante do mangá, há apenas 3 sagas completas (Tobiuo Riders, Sharbondy e Ilha das Amazonas) e , claro, a saga atual Impel Down. Para a sorte de quem gosta de One Piece, o enredo criado por Eiichiro Oda é dinâmico e dificilmente tem furos ou problemas de ritmo. O anime acaba tento esse mesmo tratamento e segue um bom ritmo em 70% das vezes.

Após o “mais”, começo a destrinchar as próximas sagas de One Piece:

Oda aqui acaba pregando uma peça nos fãs de One Piece. Todo mundo já sabe, desde da saga Water 7 que a próxima ilha na grande rota é da dos Tritões. Mas depois de Water 7, Robin acabou arrastando toda a gangue para Enies Lobby, aí eles voltaram para Water 7 e, quando finalmente iriam para a esperada ilha, o navio-ilha Thriller Bark engole Sunny.

Mas Thriller Bark acabou e o mangá recomeça novamente a preparar os fãs para a Ilha dos Homens-Peixe. Aqui Oda repete algo que ele fez em Skypie, só que o inverso. Ao chegar na grande montanha Red Line, que marca o meio da grande rota, a log-pose passa a apontar para baixo.

O grande barato é que que chegamos num ponto onde o autor deixa claro que a saga de One Piece ainda está longe de acabar. Foram necessários 10 anos para que Ruffy chegasse ao meio da grande rota, sendo que o autor faz questão de manter a surpresa sobre as novidades do novo mundo, como ele chama o ponto adiante da Red Line.

Voltado ao problema da tripulação, a resposta vem diante da inclusão de uma nova personagem. A sereia Camie e a estrela-do-mar Pappag vão se juntar a Ruffy até a próxima saga, assim como aconteceu com a princesa Vivi de Arabasta. Interessante que Oda usa recursos semelhantes, mas ainda assim parece novos.

Camie guiará a tripulação para a Ilha, mas antes eles decidem ajudar-lá contra uma gangue que assola a região e que capturou um amigo dela. A grande sacada é que o amigo de Camie é um velho conhecido dos fãs: Hacchan, o Homem-Polvo que Zoro derrotou lá no comecinho da história, na saga de Arlong.

Não preciso, mas falo assim mesmo que toda essa situação com uma sereia de verdade, Hacchan que agora cozinha bolinhos, e Ruffy tendo que ajudá-lo gera piadas hilárias, naquele ritmo One Piece de ser. Camie é muito tapada e isso gera piadas visuais otimas.

A saga Tobiou Riders, a gangue que terroriza a pequena Sereia, não é uma saga grande, mas é divertida e serve de ponte para Sharbondy, já que Ruffy chegou num ponto da grande rota que ele não saberia para onde seguir.

O grande vilão, Durval, é uma hilária surpresa, mostrando mais uma vez que Oda sabe mexer com maestria com eventos de várias épocas do mangá. Log imita o que aconteceu em Skypie, uma personagem e um bicho de estimação como Arabasta, Hacchan da saga de Arlong e Durval é a copia exata do cartaz de procurado de Sanji. É para chorar de rir. Mas isso prova que é difícil aos navegantes de primeira viajem se acostumarem com One Piece, o que não deixa de ser algo ruim.

A batalha contra os Tobiuo Riders, que utilizam motos-peixes-voadores é perfeita, como já é costume na série, mostrando sempre o quanto cada personagem da tribulação de Ruffy cresceu e evoluiu ao longo da história e sempre muito bem coreografada com belos quadros. Nem Sunny faz feio, mostrando mais algumas armas que Franky não havia revelado ainda.

Durval também se mostra um azarado, já que por ser a cópia exata do cartaz de produrado do Sanji, sofre com a perseguição do Governo. Sanji num acesso de fúria soca tanto o personagem na cara, acaba reajustando todos os ossos e músculos da face do cara, no maior estilo “impossível disso acontecer, mas em One Piece pode”, deixando Durval, bem… hã… lindo, segundo o personagem. Probelam resolvido, todos amiguinhos hora de resolver o problema de se chegar a Ilha dos Homens-Peixe. Começa a viagem a Sharbondy…

O Arquipélago de Sharbondy é importante para a história futura de One Piece e por isso eu tive que dividi-lo em 4 partes e mesmo assim vou omitir muita coisa como personagens novos da pirataria e do governo mundial. Certamente eles são incluidos aqui e terão importancia num futuro. O interessante é ver como o autor trabalha bem com dezenas e mais dezenas de personagens ao mesmo tempo. Para o leitor é difícil assimilar todos num primeiro contato, mas dificílmente irá esquece-los.

A justificativa para que o grupo passar pelo Arquipélago, que é gigante com dezenas de lugares para piratas e membros do governo mundial é porque o as árvores do local geram um resina especial que precisa ser passada por todo o navio para que eles possam navegar embaixo d’água! Tem gente que deve achar viagem demais do autor fica inventando estas coisas, mas vale lembrar que Carl Barks já fazia estas coisas com Tio Patinhas lá na década de 60.

Sharbondy acaba sendo um pit-stop gigante, com tudo que você precisa antes de seguir viagem. Tem de tudo no arquipélago. Preciso explicar rapidinho que na parte de cima da Red Line, fica Marejoa, a terra sagrada, onde está o Governo Mundial e os nobres do mundo. Sendo que Marejoa fica bem próxima a Sharbondy. Falo isso porque a inclusão da classe da nobreza, quase como se fossem reis, é de suma importância nesse ponto da história. A partir daqui eu chamo esse pessoal nobre de Tenryuubito, pois é assim que são chamados no mangá.

Dada as devidas explicações, continuo abaixo.

Não acontece nessa ordem, mas preferi comentar primeiro este trecho da saga e depois continuar com ela. Existe apenas uma pessoa em Sharbondy que sabe manejar a resina para que possa ser passado em Sunny. Essa pessoa se chama Silvers Rayleigh. Qual a sua importancia? Ora o cara foi tripulante do Navio de Rogers, o Rei dos Piratas!

Essa parte da história me dá calafrios. Muita coisa é revelada assim de sopetão. As caras e bocas de Ruffy ilustram bem a cara do leitor ao ler que O cara com cabeça de flor que está cuidando da baleia de Brook foi do navio de Roger por 3 anos e que segurou a vida do capitão até que eles terminassem a grande rota. Saber da doença de Roger faz mais lógica ainda para explicar porque o grande pirata se entregou. Roger não foi capturado, ele estava na beira da morte e resolveu ao morrer criar uma nova era dos piratas, o que com certeza já fazíamos idéia. A tripulação de Roger existe até hoje, mas se dissiparam 1 ano antes de Roger se entregar. Um outro choque é saber que Shanks e Buggy foram aprendizes no navio de Roger. Tudo isso é solto de forma tão rápida para os leitores que dá para quase infartar com tantas peças do quebra-cabeça sendo jogados no ar.

Rayleigh ainda menciona algo como “Roger podia ouvir as voz de todas as coisas” para explicar a Robin como ele saberia descifrar o mistério dos Poneglyph e que sim, Roger descobriu a verdade da história que ninguém sabe. Claro que ele não revela e ainda deixa no ar que talvez Robin ao chegar ao fim do mistério, teria uma conclusão diferente do que eles tiveram. Usoop arrisca perguntar sobre One Piece, mas Ruffy impede qualquer menção sobre isso. Ele não quer saber se existe ou não, pois ele verá com seus próprios olhos. Maldito Ruffy. XD

Com certeza essa não é a parte mais emocionante da saga de Sharbondy, mas é a mais reveladora. Agora sim, vamos ao começo de todo o fim…

Ao pisarem em Sharbondy, Camie e Hacchan impõem uma única condição a todos. Nunca, mas nunca, deveriam confrontar um Tenryuubito. Nem eles vissem um destes tais nobre matarem alguem a sangue-frio na frente deles. Jamais deveriam intervir. Conforme eu comentei mais acima, isso desencadearia o caos no arquipélago e eles nunca ganhariam uma batalha como essa.

Pronto, Ruffy e Zoro passam por momentos na quais quase socam um Tenryuubito, mas são contidos. Agonizante, mas assim é One Piece. Porém durante um passeio pelo arquipélogo algo ruim acontece. Camie é sequestrada e oferecida a venda num leilão de escravos. Começa um trecho sufocante na saga, onde todos correm para a casa de leilão, mas sabendo que não podem derrubar o lugar ou isso atriria a marinha. Como salvar Camie?

Nami & cia resolvem comprar Camie de volta pelo leilão, afinal, eles tinham muito dinheiro que pegaram de Moria em Thriller Bark. isso até que um Tenryuubito intervere na negociação e por uma quantia absurda resolve comprar Camie. Solução? Você vê no quadro acima. Ruffy soca um nobre, não antes de Hacchi, ser baleado pelo tal.

É preciso fazer um parágrafo e dizer que Oda cria um cenário fantástico para a situação do Leilão de Escravos. Mostrando a crueldade de toda a situação. Chega a ser repugnante. O roteiro pedia que Ruffy socasse um nobre, mas de maneira alguma podia imaginar todo o caos de proporções gigantes isso iria instaurar em Sharbondy e as conseguências que desencadeariam.

Oda além de manipular dezenas de personagens de forma inteligente, sabe instaurar o caos e impedir que o leitor adivinhe pela lógica o que vem a seguir. Os piratas apresentados no começo da saga acabam tendo que lutar contra a marinha, já que não importa que apenas Ruffy tenha confrontado, TODOS agora são inimigos e devem ser mortos ou capturados. Não há solução pacífica.

Vemos coroneis, almirantes e todos os tipos de poderes inimagináveis em batalhas atrás de batalhas no que dura bons capítulos no mangá. Alguns piratas e um urso (?) até lutam ao lado de Ruffy em detemrinado momento. A trupe de Sunny até consegue escapar por alguns momentos após o leilão para ter a conversa acima com Raylegh. Mas Sunny ainda vai levar alguns dias para ficar pronto, só resta ficar escondido? E isso é possível? Começa a batalha impossível…

Kuma, o andróide ou seja lá o que ele for, Shichibukai, resurge junto com Sentoumaru, Guarda-Costa do Dr. Vegapunk, o Dr. que criou Kuma. A batalha que segue é angustiante. Não há como nem um tiquinho de chances de vitória.

Ruffy até consegue derrubar e destruir 1 Kuma, mas somente até que um outro e depois mais um, e esse sim é mesmo que aparece em Thriller Bark, aparece no meio da já degastante batalha. 2 Kumas não é um bom sinal.

Zoro é um dos primeiros a cair, já que está totalmente machucado devido aos eventos finais de Thriller Bark. Um almirante cheio de pose e incrivelmente forte ainda chega para aumentar mais ainda a tensão e chances de derrota são vão aumentando. Raylegh surge no último segundo para salvar a vida de Zoro.

E agora Ruffy? O que fazer quando não há chances de vitória? A decisão é tomada, todos devem fugir em grupos de três. Mas fugir não é algo fácil contra 3 poderosíssimos oponentes, nem a ajuda de Raylegh é suficiente. Kuma avança de forma violenta. Sentoumaru não dá uma brecha para Ruffy ajudar seus amigos. Chooper toma uma perigosa decisão e engole 3 Rumble Balls. Você sabe o que isso significa… você o viu fazer em Enies Lobby.

O caos é aterrorizante. E é o Kuma de Thriller Bark que resolve por um fim na luta. Assim como ele fez com Perona em Thriller, Zoro desaparece no ar. Para onde ele foi? Isso me faz chegar no capítulo 513 do mangá. Esse eu não esqueço tão cedo. O capítulo onde sonhos são destruidos…

Logo após Zoro sumir, Kuma começa a perseguir um a um da tripulação de Ruffy e o pequeno capitão não consegue avançar, impedir e lutar e acaba vendo um a um de seus amigos desaparecerem no ar.

Nesse ponto o leitor com certeza já deve ter imaginado que Kuma não está matando-os, mas ainda não dá para saber o que ele está fazendo, para onde todos estão indo. Isso torna tudo ainda mais agonizante. Oda consegue sufocar o leitor até os últimos segundos do capitulo 513. Quando um já estavado Ruffy cai no chão e aos choro diz que não conseguiu salvar um único companheiro.

Oda ainda atormenta o leitor escrevendo no último quadro do capítulo: “Grand Line, Arquipélago Sharbondy, Bosque 12… Neste dia a tripulação comandada por Monkey D. Ruffy… Os “Piratas do Chapéu-de-Palha” foram… completamente derrotados…”

A saga Sharbondy acaba. Adeus sonhos de conhecer a Ilha dos Homens-Peixes. É hora de virar o roteiro de One Piece dos avessos.

Sharbondy foi uma saga eletrizante, mexeu com enredos e espectativas dos leitores. A saga seguinte, na Ilha das Amazonas é bem morna em comparação, servindo apenas de ponte para a próxima Impel Down. Mas calma que eu chego lá.

O mangá mostrará apenas Ruffy a partir deste ponto. Kuma não matou ninguém só o jogou voando pelo ar para bem longe, com seu poder de repelir. Ruffy voo por 3 dias numa velocidade absurda até cair numa ilha no meio de Calm Belt, aquela faixa oceanica onde não há vendo e é o lar dos Reis dos Mares.

E o resto da tripulação? Calma que só no fim da saga isso é revelado. Ruffy acorda nessa ilha e lembra-se de que com o Vivre Card todos podem se encontrar novamente, basta apenas ele seguir o pequeno papel. O problema é que ele não faz idéia do quão longe está de Sharbondy.

Ele cai justamente numa ilha onde apenas mulheres vivem. Isso vai dar a chance de Oda fazer um monte de piadinhas sobre o penis e os testiculos do homem, mas tudo bem, elas são engraçadas as vezes.

Resumidamente, Ruffy acaba virando inimigo das Amazonas e acaba tendo que lutar numa arena com 2 Amazonas-Cobras, numa referência também a Medusa, o ser que transformava as pessoas em pedra. Tal poder não afeta Ruffy. O personagem é puro demais em seu coração e não tem desejo algum pelas Amazonas, o que lhe deixa imute ao poder.

O mais interessante é que em determinado momento da luta Ruffy grita com uma convicção e alguns personagens revelam-se impressionados por ele conseguir utilizar o Haki Haoushoku, algo como a “Essência do Rei”. Um poder que pelo visto ele terá que aprender ao entrar no novo mundo ou dependendo do rumo como Impel Down terá.

Na ilha Ruffy conhece a imperatriz Boa Hancock, uma Shichibukai também. Apesar da rivalidade no início da saga. Hancock acaba se apaixonando por Ruffy. Agora pausa na saga das Amazonas para outra explicação.

Em paralelo Oda mostra onde cada um da tripulação foi parar. Nami está numa ilha-do-céu, Franky está numa Ilha de Inverno na Grand Line, Sanji está também na Grand Line, mas numa ilha cheia de travestis [hilário], Usoop caiu num Arquipélago de nome Boin, também na Grand Line, uma ilha cheia de insetos e plantas carnivoras gigantes. Brook caiu na terra da pobreza, uma ilha também na Grand Line. Robin saiu fora da Grand Line, caiu em East Blue, no país da grande ponte, Tequila Wolf. Chooper também saiu da Grand Line e foi parar em South Blue, uma ilha chamada Reino Torino, onde passáros enorme dominam os homens. Por fim, Zoro caiu ainda na Grand Line, na mesma ilha onde está Perona, que cuidou de seus ferimentos. O mais preocupante é ver Nami numa ilha do céu e 2 integrantes fora da Grand Line. Como Oda vai reunir todos novamente?

Voltando a saga das Amazonas, Ruffy depois de derrotar as irmãs-cobras de Hancock acaba descobrindo que em 7 dias, Ace, seu irmão, será executado. E agora ele precisa tomar uma decisão. Se reunir novamente com seus companheiros ou salvar Ace que está a um passo da morte. Também lhe é contado que a guerra dos Piratas de Barba Branca contra o Governo Mundial é iminente já que eles jamais deixariam Ace ser executado sem luta.

Ruffy decide com a ajuda de Hancock, já que ela é um(a) Shichibukai e tem acesso a prisão onde Ace está, ir ajudar o irmão e pede para sí proprio que seus amigos estejam bem e que esperem por ele. Assim começa a saga que promete ser tão fenomenal quanto Enies lobby. Impel Down a maior prisão submarina do mundo será invadida por Monkey D. Ruffy!!!

Impel Down acabou de começar no mangá, mas os leitores já sentiram o gostinho do quão sensacional e promissora ela será. Em relação a segurança e pessoas fortes na marinha não há nem comparação o quanto mais fortes eles são do que em Enies Lobby.

O roteiro de Oda para colocar Ruffy as portas de Impel Down é ágil, e sem enrolações. Não demora muito e Ruffy chega escondido nas vestes de Hancock nas portas da prisão. Todos os shichibukais foram chamados para proteger em caso de ataque. Falta 33 horas para a execução pública de Ace.

Li até o capítulo 527. Até o momento Ruffy conseguiu passar até certo ponto sem que ninguém percebesse sua presença. Hancock ajudou muito ele nesse ponto, mas ela teve que deixa-lo seguir sozinho. Tudo ia bem até Ruffy topar de frente com Buggy! Sim, ele voltou! Buggy está tentando fugir da prisão onde foi capturado recentemente. Ruffy e Buggy estavam no nível 1 da prisão e Ace está no nível 5, então eles precisam continuar descendo. Buggy se alia a Ruffy porque quer um colar que está em seu braço, pois este é um artefado que o levará a um tesouro que ele procura por toda a sua vida. Claro que ele pensa em trair Ruffy, mas ele é imbecil demais para fazer algo certo. XD

O capítulo 527 termina mostrando Number 3, da saga de Arabasta reclamando do barulho dos cães infernais. Ruffy e Buggy chegam ao nível 2!

Há muitos rumores de que Oda irá segurar Impel Down por 1 ano. Mas não há nada concreto a respeito disso. Também há rumores de que Crocodile aparecerá, pois ele também está supostamente preso em Impel Down. Mas não deixa de ser meio óbvio que vários inimigos que Ruffy derrotou aparecerão por aqui. Resta tentar advinhar quem vai se aliar a ele, e quem será seu inimigo e como eles fugirão de Impel Down.

E quanto aos restante da tripulação de Ruffy? Eles vão para Impel Down assim que o mundo noticiar o que Ruffy está tentando fazer? Shanks irá se aliar ao Barba Branca e irão para a prisão quebrar tudo por lá? E o que vai acontecer com Sunny que ficou ancorado em Sharbondy sobre os cuidados do Durval?

Oda sabe manipular maravilhosamente o enredo de One Piece. Invadir uma prisão pode soar repetição, mas as condições parecem muito diferentes de Enies Lobby. E o enredo está rápido, como se não tivesse a intenção de segurar a enrolação para preparar os leitores para o novo mundo. Eu estou ansioso para ver onde tudo isso vai dar, mas admito que estou extremamente satisfeito com o roteiro de One Piece e que dificilmente há alguma coisa pelo qual os fãs deve se queixar.

A reaproveitação de elementos acontece mesmo numa série com mais de 10 anos de existência. Mas ainda assim há novidades, novos personagens e o retorno de velhos. Isso é importante para dar vivacidade ao universo criado, por mais fictício que ele seja. Permite que personagens que apareceram lá no início da série retornem e mostrem que também cresceram, a série migrou de Ilha com o pirata vilão para um confronto revolucionário contra o governo existênte na série, que cada vez mais mostra como uma versão também de vilão. Os poderes gerados pelas frutas do diabo também continuam tão criativos ou até mais do que os do início do arco. Há também uma certa ousadia ao riscar do roteiro todos os protagonistas, deixando apenas Ruffy brilhar com vilões conhecidos, criando uma nova dinâmica. É impossível não comparar o arco de Impel Down com o que vem acontecendo no mangá de Naruto atualmente. Fique sossegado, pois eu não contarei, isso fica para um artigo futuro, mas preciso dizer para quem sabe do que estou falando, que me sinto bem mais ansioso pela desfecho de Impel Down e pelo ritmo que o autor vem propondo ao roteiro do que o que vem acontecendo com Naruto, que apesar de bacana e com certeza ser uma das melhores sagas do ninja, continua com um roteiro arrastado onde o autor trabalho a dinâmica entre personagens e secundários de forma mais arcaica, mostrando um por vez.

One Piece vai bem. Eiichiro Oda vai bem. Só faltou mesmo acabar esse bendita promessa de nos mostrar a Ilha dos Homens-Peixes… Pow Oda, deixou novamente todo mundo lambendo os dedos de novo. Vamos ficar esperando até quando por essa ilha? XD

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
More from Thiago Machuca

Blu-ray | + Animações por 19 reais!

Opa, vou retornar a dica que dei aqui no blog semana passada....
Read More