JogandoReflexões & Opiniões

Demonstração de Sonic Free Riders dá uma noção das possibilidades do Kinect! [X360] [E3 2010] [Reflexão]

Apesar de não ter sido mencionado na conferência da Microsoft, a Sega está produzindo uma versão de Sonic Riders para o Kinect. É uma franquia spin-off do Sonic que não deve ser levado muito à sério, o game tem muitos problemas e está longe de ser um game de corrida empolgante, já teve versões no Gamecube, Playstation 2 e Wii. Já tive a oportunidade de testar essa série e pra mim sempre pareceu faltar carísmata e um jogabilidade mais sólida. Enfim, vamos deixar de lado um pouco a qualidade questionável da série para comentar como a versão Free Riders irá funcionar no Kinect. Para isso preciso que vocês assistam o vídeo abaixo que mostra em bons detalhes como o Kinect funciona em vários aspectos.

Segundo o rapaz do vídeo, que acredito que seja um da equipe de desenvolvimento do game, já que fala de detalhes sobre a produção, o jogo ainda não está completo e trata-se mesmo de um beta. As telas de seleção de personagens e pranchas estão incompletas, não há todos os personagens disponíveis, e até mesmo os itens das pistas ainda serão desenvolvidos, estando neste momento apenas alguns itens beta mesmo. Ou seja, o game está longe de ser uma versão próxima da final. É de se pensar que com o lançamento programado para novembro de 2010, a Sega esteja um pouco atrasada com o game, mas isso é conversa para uma outra oportunidade.

O que me pareceu interessante no vídeo é a forma como o Kinect é utilizado. No menu de seleção é possível notar que ao estender o braço, o mesmo funciona semelhante ao pointer do Wiimote, um ícone aparece na tela, como o pointer do mouse num monitor de PC e com apenas um movimento ou gesto é possível selecionar o que se deseja. Isso foi algo mostrado também na demonstração de Child of Eden. Era algo que o Kinect não fazia ano passado com tanta facilidade. O legal é que os gesto desse “aponte e selecione” não são bruscos e são feitos com muita leveza, sem precisar agitar o braço feito um maluco. Parece natural.

Quanto o gameplay começa outras novidades interessantes surgem, o jogador no vídeo selecionou Knuckles e explicou que no caso desse personagem, há a possibilidade de socar os adversários apenas fazendo isso em frente ao Kinect, enquanto a curvatura do corpo controla a prancha, como se você realmente estivesse nela. E parece até funcionar bem, ela não fica muito perdido nas curvas, mesmo que as pistas sejam bem largas, facilitando o trajeto. Legal que há um momento que enquanto ele está curvando o corpo para ir a uma direção, ao mesmo tempo ele levanta um dos braços e Knuckles faz o mesmo, pegando algumas argolas que estavam longe do personagem. Em outro momento ele usa um gesto de uma partida de boliche e uma bola gigante é arremessada na pista, o mesmo acontece ao lançar um míssel. O Kinect também acaba reconhecendo quando ele se agacha, dando um “boost” nas rampas. A única coisa que não funcionou direito na minha opinião foi o giro em 360º que ele dava durante os saltos, não vi isso funcionar direito um única vez sequer. Durante o percurso da pista, havia um trecho de água onde era preciso “nadar” no ar, e ainda assim não saiu tão ridículo quanto poderia parecer se fosse necessário novamente gestos forçados ou bruscos, novamente uso a palavra “natural”, parece natural e Knuckles nadou perfeitamente imitando o jogador. Também gostei bastante do turbo, quando ele arrasca o pé no chão e o personagem ativa a habilidade, muito maneiro a forma como todos estes movimentos interagem ao mesmo tempo. Foram quantos movimentos até aqui que mencionei que estavam acontecendo em tempo real e não foi necessário apertar um único botão sequer?

Havia um certo mesmo de que o Kinect fosse limitado, não permitindo muitas funções sem a capacidade de apertar botões, mas o corpo humano é capaz de realizar muitos gestos e fiquei animado pela forma como a sega soube aplicar isso no game. Não que o jogo seja legal, porque é uma série meio duvidosa pra mim, mas gostei de ver como o Kinect é realmente aplicado aqui, numa forma muito mais complexa do que o Wiimote em Wii Sports. Há nota-se que o lado do Knuckles no game também é influenciado pelo lado em que o jogador está em frente ao Kinect, o rapaz mudou de lado umas duas vezes durante a partida e o personagem na tela fazia o mesmo.

Ok, Também acho que botões podem fazer falta em alguns tipos de jogos, mas em outros parece que basta apenas um pouco de criatividade para se achar a solução adequada para tal. Claro que o Kinect já se mostrou interessante em jogos de corrida. Falta ainda ele se mostrar bom em outros gêneros, como adventure, plataforma e shooters. É aguardar e ver o que mais é possível com o pequeno acessário.

Obs: Não fiz esse post para dizer que o Kinect é melhor que isso ou aquilo dos outros consoles. Cada um tem suas vantagens e desvantagens, um não é melhor que o outro. São tecnologias que serão desenvolvidas pelos próximos anos e que ainda vão atingir seu próprio potencial. O meu objetivo aqui no post foi apenas mostrar um pouco mais do Kinect, que infelizmente nem a Microsoft soube mostrar direito em sua conferência. Então peço sem “ismos” nos comentários. Não vamos discutir “se o meu é maior que o seu” neste post em particular. A idéia aqui é outra.

Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.