Conversa de MangáJapão

Conversa de Mangá: Bleach 412 – Deicide 14

Bleach: Capítulo 412 foi disponibilizado dia 15 de Junho: “Deicide 14”.

Se você não sabe o que é o projeto Conversa de Mangá, clique aqui. Depois do “continue”, a gente conversa mais:

Aviso: Continue apenas se você já leu o capítulo 412 de Bleach. Atualmente acompanho o mangá pelo site Mangá Stream, e a qualidade da scan é absurdamente fantástica! Basta não ter medo de inglês. Mas, em todo caso, a StrawHat Scans tem a tradução em Português. 😉

 

Bleach 412

Deicide 14

 

Eu li o capítulo de Bleach duas vezes esta semana. A primeira lida não durou 03 minutos (eu cronometrei), aí achei que tinha lido rápido demais. Resolvi ler novamente alguns minutos antes de escrever o CdM desta semana. Admito que ler pela segunda vez me passou uma impressão bem melhor do que a primeira. Não sei explicar o porque, mas pela segunda vez não me pareceu tão rápido.

É como comentei semana passada, o problema com a situação atual da história é que ela não me anima muito com os personagens que o autor colocou na trama. A Matsumoto realmente não serviu para nada. Kanonji idem. Eu esperava um certo impacto nesse momento, o que não aconteceu. Felizmente, lendo o capítulo desta semana, captei alguns elementos interessantes para comentar por aqui.

Acho que o mais importante deste capítulo tenha sido o confronto e a relação que Matsumoto tem com Gin. Como venho dizendo à meses e outros leitores idem, Gin tem algum segredo obscuro. Não faz sentido a sua aliança com Aizen, não enquanto não for mostrado com maior detalhes sobre o seu passado. Os dizeres de Gin em relação ao Kira foi meio suspeito, o que ele quis dizer com isso? Tem também o fato de Aizen chamá-lo de “garoto engraçado”, como que se esperasse o que Gin esteja tramando. E pra mim está claro que ele não matou a Matsumoto. O que aconteceu? Se for para palpitar, acredito que aquilo que Aizen viu, tenha sido apenas o Gikai (é assim que se escreve?) da Matsumoto. Não me recordo, mas é comum os personagens quando vão para o mundo real, usarem o Gikai, não sei se em algum momento foi mencionado eles estarem usando, no animê teve uma referencia à liberação de poder umas semanas atrás numa conversa entre o Son Foi e seu tenente, mas não me recordo se estavam falando de gikai ou não. E nada impede também que estes “corpos” do mundo real irem para a Soul Society, eu acho. O fato de Gin também não estar ali perto do corpo de Matsumoto quando Aizen dá uma olhada, significa alguma coisa. Para onde ele foi? Sei não ficou um certo suspense ali, mas não acho que Aizen seja surpreendido com isso.

Mas o melhor mesmo foi ver Keiko com uma espada shinigami. Só que foi meio estranho ele mencionar que o shinigami Afro estar ali caido e estes personagens humanos estarem todos acordados. O shinigami Afro (esqueci o nome dele) deveria ser mais fortinho caceta. No começo do mangá, o Ichigo vira um shinigami quando a Rukia enfia a espada dela no personagem. Não entendo como funciona essa transferencia, mas será que o Tite pretende transformar algum personagem ali em shinigami envolvendo a zanpaktou do shinigami caido? Fiquei curioso e interessado nisso. Também achei bizarríssimo o Keiko ter mencionada que achou o Mizuiro e não ter mostrado o personagem. Será que isso significa alguma coisa?

Fora isso, algumas piadinhas bacanas, todas envolvendo o Kanonji. E Aizen dizendo que tem tempo de sobra. Tem mesmo? As coisas estão se apertando em Karakura. Os garotos vão tentar algum movimento, Gin sumiu, Matsumoto pode ou não estar morta, ainda acho que Kanonji pode resistir a alguma coisa e Ichigo está quase lá, pelo menos é o dá a entender na última página do capítulo. O que Aizen está esperando?

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios