Kingdom Hearts: Dream Drop Distance apagará a má impressão deixada pelo seu predecessor? [3DS]

A Dakini falou de praticamente todos os FF aqui, mas faltou o KH né? Então vamos a ele. Que a Square-Enix anda fazendo umas burradas aí, e perdendo um pouco de sua qualidade todo mundo sabe, e com a franquia KH isto veio acontecendo. Já comentei aqui no blog como eu odiei o 358/2 Days, o primeiro lançado para o DS, pelos aspectos e missões repetitivas demais. O sistema de controles que apesar de fazerem um bom trabalho por serem simples, e transportarem para o DS a jogabilidade aproximada com as versões de console, não deram a mim a mesma sensação de liberdade que as outras versões proporcionavam. E todos estes erros poderiam ser até relevados, se o maior atrativo da série estivesse presente: a Disney.

A h.a.n.d., produtora do 358/2, conseguiu um mundo morto, só com os tais dos heartless, e sem praticamente nenhum personagem Disney. Isto foi deprimente. Pelo que tenho lido por aí, é melhor nem comentar sobre o Re:Coded, que é um port de celular para o DS, e que aparenta ter os mesmo problemas do predecessor dos portáteis. Porém, Birth By Sleep é uma história completamente diferente, e um KH de fato.

Dark becomes light, light falls to dark.

Do trailer liberado de 3D, nota-se que o jogo tem uma fluidez bem maior que os outros jogos da série para o DS, que eu particularmente achava “lerdão” (não me passavam a sensação de velocidade que achei que deveriam em alguns ataques, e movimentos). Os movimentos dos personagens me lembraram muito a movimentação do Dissidia, inclusive aquele sistema de “Ski” nos corrimões, e aqueles giros no poste de luz, que são parecidissímos com o jogo de luta da série Final Fantasy. Sobre os comandos em si, pelo que eu vi da disposição dos menus, me parece que estão iguais aos do jogo para o PSP, e consequentemente da versão de “mesa”. O jogo também vai possuir um sistema de troca de personagens mais frequente que o BBS.

[nggallery id=416]

Na parte do trailer que aparece a história eu não consegui pescar muito. Estranhei do Sora aparecer com a roupa do KH II, e depois do KH I, que aparece ser a que usará durante o jogo. Xemnas faz uma aparição no final, então o jogo deve se situar antes do segundo de PS2, mas provavelmente após o Chain Of Memories, e o Re:Coded, talvez fechando a trilogia. Me intrigou o cara que intercala com Xemnas que aparece com o símbolo dos heartless no peito. Alguém aí sabe quem ele é? Os produtores andaram dizendo que a história seria um prólogo para o tão aguardado Kingdom Hearts III, que parece que só vai ser anunciado quando a série completar 10 anos.

Nada foi dito sobre uma data de lançamento. Mas o site oficial pode ser visto aqui. Na lateral do site está escrito a quote contida neste post.

Isso também pode lhe interessar

14 Comentários

  1. 358/2 Days é realmente chato. Mas no fim achei legalzinho. RE:Coded foi o que odiei.
    O melhor KH dos portáteis é o Birth By Sleep FATO. Esse foi o melhor KH que já joguei, pela primeira vez gostei dos personagens do Nomura e combate viciante como os de PS2.
    O título desse novo KH é muito estranho sendo que é mais um filler da série, fazem logo KH3 =/

    1. Eu acho que este vai acabar tendo uma importância maior em termos de storyline pra série. Nomura já falou um monte de vezes que vai ser o “começo do fim”…
      Vamos ver no que dá…

  2. O cara que intercala com o Xemnas no final é o “Ansem”, oras, o vilão do primeiro jogo e “sombra” que persegue o Riku por um bom tempo em vários e vários jogos da série. Não lembra dele? Heartless do Xehanort, aprendiz do verdadeiro Ansem…

  3. “…cara que intercala com Xemnas que aparece com o símbolo dos heartless no peito. Alguém aí sabe quem ele é?”

    parece q alguem não jogou kingdom hearts 1 nem o CoM heuheuheuehu

    realmente o 358/2 days é mt ruim!!!
    o Re:Coded eu axei até bacana pq o finalsinho dele da um prelúdio para o 3 ^^

    1. Eu não joguei inteiro não =X
      Pra falar a verdade jogava bem aleatoreamente o 1 e o 2, pegava umas missõezinhas aqui e ali, porque PS2 mesmo nunca tive XD

  4. É um trailer um pouco confuso.

    Esse 3D deve se focar no Mark of Mastery, coisa que foi dita no final secreto do Re Coded. Mas não sei porque eles estão com a roupa do KH1, pois deveriam estar grandes (só pensando… deve ter algo a ver com as memórias do Sora e Riku).

  5. Como assim, o 358/2 Days não teve NENHUM personagem da Disney? A Sininho, o Pete (como é o nome dele em Português, mesmo?), o Lumière e outros são o quê, então?? Fora que o sistema de missões (que realmente É repetitivo, isso não tem como negar) faz sentido em termos de história: a Organization age secretamente, então seria absurdo o Roxas sair encontrando vários personagens durante as missões… e os personagens genéricos de cada mundo não fazem diferença.
    Quanto ao Coded: não cheguei a jogar o original, mas o Re:Coded DEFINITIVAMENTE é mais do que um simples port – acredito que um jogo daquele tamanho jamais caberia num celular. E o próprio nome “Re:Coded” indica isso, assim como o Re:Chain of Memories, que foi um REMAKE do CoM original (GBA) pro Playstation 2.
    Finalizando, sobre o Dream Drop Distance: ainda é muito cedo pra saber de detalhes e razões pra algumas coisas estarem como está (Sora e Riku c/as roupas do primeiro KH; aquela imagem mostrando um Twilight Thorn em Traverse Town; etc., etc.), mas cada jogo novo da série sempre traz respostas pra algumas perguntas, e muitas outras perguntas que só Deus sabe quando serão respondidas… mas enfim, já estou na expectativa desde que soube q ia sair um KH pro 3DS!!

    1. “e sem praticamente nenhum personagem Disney.” Não disse que não tinha nenhum… Tudo bem, entendo que a organization se faz não ser notada pelos habitantes do mundo em que visita, e não estou questionando isto. Eu achei o jogo chato exatamente por se focar nessa coisa de Organization e se esquecer do mais legal pra mim em KH: a interatividade com pérolas disney.
      Eu não comentei sobre Re:Coded porque não joguei, mas sinceramente a expectativa tá jogada no lixo…

      1. OK, concordo com o seu ponto de que a interatividade com os filmes/personagens da Disney é um aspecto legal de Kingdom Hearts, mas há de se convir que desde o primeiro jogo a história principal é a do Sora, e os mundos da Disney são mais um “pano de fundo” da trama… tanto é que a história dos filmes é adaptada pra se encaixar no contexto, misturando os Heartless/Nobodies/Unversed.
        Já sobre o foco ser a Organization, eu achei bastante interessante e inteligente da parte do Nomura e toda a equipe eles terem ampliado a “mitologia” da série. Porque no Chain of Memories você fica sabendo da existência do Roxas, da Organization e da trama interna; no II você entende o objetivo da Org.; mas e antes disso, eles ficavam fazendo o quê?? Tá certo que não explicou TUDO sobre a Organization, como eu (e acho que muito mais gente) gostaria, mas eu espero que o que ficou de fora seja abordado com mais profundidade em futuros títulos – ou pelo menos, que tenha sido explicado diretinho nas Ultimanias.
        O Re:Coded, pra mim, foi bastante relevante também… apesar de ainda haver algumas coisas que eu não entendi completamente (como sempre, em se tratando de Kingdom Hearts), a história se desenvolveu de uma forma um tanto quanto surpreendente e ligou alguns pontos que ainda estavam soltos e que certamente ajudarão a compreender coisas que descobriremos em próximos episódios da série. O Coded, embora tenha sido exclusivo pra celulares, foi bastante significativo no geral (já que a história é importante), e na minha opinião o remake foi excelentemente aproveitado. Recomendo que você jogue e veja por si próprio.

  6. Eu gosto do 358/2 Days. Claro, senti falta dos personagens disney, mas foi a decisão correta não explorá-los muito: o jogo trata da Organization, eles não interagem com os habitantes dos mundos a menos que seja necessário. Eles chegam, fazem o que tem que fazer e vão embora. Fazer muito diferente seria contrariar a própria mitologia da série. Mas eu concordo que a jogabilidade era meio lenta.
    Re:Coded eu ainda não joguei, mas ele é de fato um remake do Coded dos celulares, totalmente (que agora sabemos significar Dream Drop Distance), ele se passa de fato após o KH2. No trailer é mostrado uma cena do final de Re:Coded, com Yen Sid pedindo à Mickey que traga Sora e Riku até ele para aplicar-lhes o teste para que se tornem Keyblade Masters. Não da pra gente simplesmente adivinhar porque eles estão com a aparencia mais jovem nas cenas de gameplay. Provavelmente são memorias, ou o tal sonho do titulo. Deve ter algo a ver com o teste que o Yen Sid vai propor. esse Ansem Seeker of Darknesse e Xemnas mostrados devem ser falsos, parte do teste. Yen Sid ja disse que ambos estão destruidos – e que isso permitirá o retorno do Mestre Xehanort.
    Creio que KH3D vai ser pro KHIII o que o Chain of Memories foi pro KHII: mais que uma introdução ou explicação (como o Coded e o 358/2 Days), vai ser uma parte fundamental
    Btw, nesse video temos um novo mundo confirmado: Notredame. Aparece por alguns segundos, mas dá pra ver que é a catedral.

    1. Corrigindo o começo do segundo paragrafo do que disse…

      Re:Coded eu ainda não joguei, mas ele é de fato um remake do Coded dos celulares, totalmente refeito. Já o 3D (que agora sabemos significar Dream Drop Distance)[…]

  7. Pera aí, todo mundo sabe pq o 358/2 Days não tinha personagens da Disney interagindo tanto no jogo, ele foi feito pra explicar uma parte da história e foi quase pedido dos fãs. Eu achei que esse site era competente o suficiente pra saber quem é o Xehanort’s Heartless “Ansem”( O cara com o símbolo dos Heartless no peito). Agora, tenho que admitir que Re:Coded foi chato, foi mta enrolação com o Data Sora e esse jogo na cronologia não durou uma semana. Mas gente, alguém tem notícias da Aqua no BBS: Volume Two, pq tipo, eu considero o BBS o melhor da franquia, depois deles o KHIIFM+ e o 358/2 Days ( Sim, os que tem uma ligação com a Aqua)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.