Conversa de MangáJapão

Conversa de Mangá: One Piece 633 – Amigo ou Inimigo

One Piece: Capítulo 633 foi disponibilizado dia 27 de julho: “Amigo ou Inimigo”.

Se você não sabe o que é o projeto Conversa de Mangá, clique aqui. Depois do “continue”, a gente conversa mais:

Aviso: Continue apenas se você já leu o capítulo 633 de One Piece. Atualmente, acompanho o mangá pelo site Manga Stream, e a qualidade da scan é absurdamente fantástica! Basta não ter medo de inglês. Mas, em todo caso, a PieceProject tem a tradução em português. 😉

CdM Leitores? Se nada mais me atrasar, terei novidades até a próxima semana!

One Piece 633
Amigo ou Inimigo

Pessoal, vocês me perdoem, mas esta semana achei o capítulo de One Piece muito sem graça. Não como um todo, mas de todas as entradas que os Mugiwaras fizeram em toda a história do mangá, esta foi a mais fraca, sem graça e broxante de todas. Achei bem ridículo. Mas vamos por partes.

O capítulo começa legal. A princesa explicando como já sabia que Hody matou a rainha e todo o sentimento guardado pela promessa da mãe foi tocante. Claro que é uma situação que ninguém está completamente errado. Ela fez, sim, certo em honrar a promessa da mãe e de não conviver com o ódio. Situações assim criam trevas nos corações das vítimas (no mundo dos mangás principalmente), a rainha sempre pregou a paz e o perdão, um sentimento nobre que conseguiu passar a sua filha. Mas o Hody não está errado ao dizer que tudo isso está acontecendo por estupidez da menina que escolheu ficar quieta. Ambos os atos, contar ou não contar, perdoar ou não, odiar ou não, tudo isso traria consequências ruins de qualquer maneira. Isso me lembra uma cena lá do começo do mangá Hunter x Hunter, na prova da velhinha. “Se você tivesse que escolher salvar uma única vida, quem escolheria: seu filho ou sua filha? sua mãe ou sua esposa?”. Não há resposta correta. Acredito que o Oda soube muito bem caracterizar essa reflexão num contexto ainda mais completo. Shirohoshi teve que fazer uma escolha dentre duas opções horríveis. Complicado, não? É essa maturidade que gosto de One Piece. Você trairia a promessa e convicção que sua mãe lhe tentou passar em seu leito de morte e ficaria calado? Sinceramente, acho que não teria a coragem e o altruísmo que a Shirahoshi teve. Fica a minha admiração pela personagem.

Tirando esse pedaço do capítulo, o restante não me agradou. Achei meio bocó os habitantes da ilha levantarem novamente a questão da profecia e pasmem, começarem a clamar pela destruição da ilha pelo Ruffy. Os piratinhas sempre ganham a simpatia de muitas pessoas pelas ilhas que passam, mas fiquei com a impressão de exagero dos habitantes chamarem pelo Ruffy. Ainda que entenda que numa situação de desespero, as pessoas apelam para qualquer coisa, me recordei de Arabasta, onde em condições distintas, a população até hoje não deve saber do que os Mugiwaras fizeram pelo reino. Colocar eles a vista, assim, me parece um recurso fácil, uma saída pouco elegante. Oda não é deste estilo.

É diferente de quando a vila da Nami assistiu a queda do Arlong. O leitor já tinha sido apresentado aos habitantes, havia um sentimento grande deles para com a Nami. Se fez um vínculo entre coadjuvantes e leitor e os protagonistas. Hoje, neste ponto da saga dos Tritões, eu não tenho vínculo algum com os habitantes, sendo pra mim, meros coadjuvantes. Se morrerem, não faria diferença. Ao contrário de Arabasta, em que torcia para que o Reino não caísse em ruínas e, para tal, Oda fez um belíssimo percurso dentro do país, simpatizando os habitantes com os leitores (Arabasta é longa por conta disso, do turismo dentro do reino). Aqui achei apressado, como se o autor quisesse forçar a simpatia do leitor com a “torcida” das batalhas. Foi tudo meio rápido demais.

Outro elemento que achei sem graça foi quanto a questão da chegada do grupo. Tudo bem que falta explicar o que realmente eles planejaram e como tudo aconteceu de bastidores, mas odiei ter acertado que tudo não passava de um plano deles. Jinbei e Shirahoshi não estavam em perigo em momento algum? Fala sério. Também me desanimou a entrada do grupo no local. Ruffy dentro do Megalo, Nami e outros invisíveis, até mesmo o Sunny lá em cima, estilo balão. Fácil demais. Até mesmo o pessoal do grupo preso no palácio do Netuno já estão soltos e reunidos. Para piorar mais ainda, achei de extrema breguisse as palavras de encerramento do Ruffy no fim do capítulo: “Amigos ou Inimigos? Vocês decidem”. Para tudo! Nossa, pra um personagem que tem tanto impacto, falar um treco destes? Argh! Achei de mal gosto total.

Também não gostei da impressão que ficou com os rápidos golpes contra o Hody. Ruffy quase que nocauteou o vilão. Sunny chegou quase que explodindo tudo. Quer dizer, o autor gastou tantas páginas e capítulos com os vilões e deixou rolar um “chuta bunda” assim? Eu sei que não acabou, que as batalhas estão só começando, mas não deu a sensação de que está tudo fácil demais? O Zoro quase fez sushi do Hody. O Ruffy deu aquele baita soco. Pow, tem como o vilão ficar ainda mais insano e maluco para poder lutar no nível atual dos mocinhos? Será mesmo que a tensão da saga irá se resumir ao barco gigantesco do Decker em direção a ilha? Colocando em perspectiva de outras sagas passadas de One Piece, eu esperava mais simpatia da minha parte, como leitor, para com a saga. Fico com a impressão que os vilões são fracos, os habitantes não são tão memoráveis assim, Netuno é um molenga, e os outros coadjuvantes mais simpáticos, não foram bem trabalhados, como os ministros do reino, as sereias, até mesmo a Keimi e o Hacchi tiveram pouco destaque, sendo que estavam melhor em Sabaody antes do salto temporal, sem mencionar que os personagens fantásticos, estão mortos, como a rainha Otohime e o Tiger. Antes se o autor tivesse dado um jeito de trazer o Arlong de volta a ilha, ainda que não fosse páreo para o Ruffy, afinal, nem sempre uma batalha se vence na força. Outras dificuldades surgem ao longo do caminho. E toda aquela coisa de estarem em baixo d’água, serem usuários de Akuma no Mi, nada disso parece preocupante mais.

One Piece estava mais empolgante antes deles chegarem a Ilha Tritão. O que aconteceu? Fecho por aqui um dos raros CdMs de OP, onde estou reclamão, rabugento e xarope. Estranho…

Obs: Jinbei combinou no quadro acima como se fosse um membro oficial da tribulação, não? Shirahoshi não achei o mesmo. E agora? Qual dos dois entra para o grupo? Ou será que não vai ser desta vez que conheceremos o décimo nakama?

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios