Jogando

Boxart Nacional de Bulletstorm! [Galeria de Fotos] Extra: Você sabe o que é Online Pass?

O mercado nacional de games brasileiro vem melhorando nos últimos anos. Bem devargazinho e a conta-gotas. A melhora é mais perceptível nos últimos 24 meses, entre 2009-2010-2011. O mérito são de muitos: Microsoft e Sony que finalmente resolveram sair das sombras e lançar seus consoles oficialmente no Brasil, os gamers que passaram a dar um pouco mais de atenção e prioridade aos jogos originais (devido a jogabilidade online e ao poderoso Blu-Ray), aos lojistas de grande porte que andam apostando mais nestes produtos (lembre como era há 2 anos atrás a demanda de lojas online como Submarino e Americanas na área de games, só havia meia dúzia de games e olhe lá, agora temos Submarino, Americanas, Ponto Frio, Wallmart, Casas Bahias, Saraiva e a lista continua…) e as organizações na web, que ficaram mais organizadas e focadas em criar um compromisso de melhorar o mercado nacional de games, cito o Jogo Justo que acabou criando a Acigames como a principal organização da atualidade.

Ainda falta muito, é verdade, mas esta ano estamos vendo consoles em queda, redes online sendo implementadas oficialmente por aqui, os videogames estão ganhando mais destaque na TV (seja ainda polemizado ou não) e games que você acharia por mais de R$ 250 em tempos obscuros (como a geração passada) hoje em dia caíram um pouco de preço e o melhor de tudo, com o crescimento das lojas virtuais online é possível achar jogos recentes em promoção de tempos em tempos. Falta muito, mas estou realmente contente que não estamos mais em decadência, muito pelo contrário, as coisas parecem que vão melhorar conforme o tempo passar. Uma tendência mundial que se reflete positivamente no Brasil? Pode até ser. Mas isso não é algo ruim, principalmente para os gamers brasileiros!

Toda essa introdução marota só para dizer que semana passada tive a oportunidade de comprar, aqui mesmo na República das Bananas, o nem tão velho assim, Bulletstorm por apenas 66 dilmas! Versão nacional do game. Capinha, manuais e até mesmo propagandinha dentro da caixa tudo em nosso idioma. Só a mídia mesmo que parece ter sido prensada lá fora (pois tem o selo de classificação americano). Obviamente foi uma promoção, na loja Saraiva.com, onde o jogo está sendo vendido a R$ 99 (interessou? entre aqui). Peguei um cupomzinho de desconto aqui, usei o sistema do buscapé para buscar o game (já usaram? sempre há desconto nesse sistema de busca de produtos), paguei com Cartão de Crédito da Saraiva e do preço ofertado, acabou caindo para R$ 66. Como moro no sudeste, ainda ganhei frete grátis. E a Saraiva ainda está com outros games bacanas em promoção por R$ 99, como Dragon Age II e Fight Night Champion (veja aqui o saldão). Fora o desconto progressivo, de até 15% para mais de 3 games e mais 8% se o pagamento for com o Cartão Saraiva. Massa!

Enfim, dado a dica, achei que seria bacana mostrar aqui no blog o avanço do mercado nacional de games brasileiro. Para tal, resolvi tirar as devidas fotinhos do Bulletstorm Nacional. Fotos em resolução bacana, para que você veja a caixinha original do game em nosso idioma. “Kill with Skill“? Que nada! Por aqui é  “Eliminando com Habilidade“! Rá! Achei bacana o slogan do jogo em nosso idioma. XD – Segue:



Na fotos acima dá para ver a chamada (tudo em PT-BR) para o Beta de Gears of War 3 (que já rolou), o slogan do jogo traduzido para nosso idioma, os dados da caixinha, a mídia (única coisa em inglês, além do game em si é claro) e até algumas páginas do manual, inteirinho em português, com explicações sobre controles, modos de games, dados da história e dos personagens. Manual em preto e branco, mas isso também rola lá fora, não é algo só daqui não.


Acima a capa do manual (em cores) e três propagandas que vem dentro da caixinha do game. Uma de Dead Space 2, Dragon Age II e Crysis 2. Todas em português! Um acabamento e atenção ao nosso mercado que dificilmente veríamos se fosse (alguns-não-muitos) anos atrás.

Só uma coisa deu errado! O maldito Online Pass!

O que é Online Pass?

Resumidamente é algo que algumas distribuidoras americanas de games, como a própria EA, criaram para não serem muito prejudicadas pelo mercado de games usados, que é comum em qualquer parte do mundo. Tem muita gente que fecha um game e logo em seguida o vende, passando para outra pessoa, que deixa de comprar original, apesar de que quem vendeu acaba usando o dinheiro do jogo usado para comprar outro original. Não quero entrar no mérito de venda de usados, porque sou a favor de ter o direito de vender meu original a quem eu quiser.

Enfim, alguns games agora são vendidos com um recurso chamado Online Pass, que é um código que vem dentro da caixinha do game. Você ativa o código em seu console e com isso, o jogo habilita 100% o uso dele. No caso de Bulletstorm, para brincar no multiplayer, é necessário cadastrar o Online Pass que vem com o game original. Se algum dia você vender o game usado, quem comprar seu jogo, terá que comprar um novo Online Pass (vendido pelo próprio console), que custa em torno de U$ 10. Esta é uma forma que alguns estúdios acharam para lucrar em cima do mercado de usados, já que existem muitos gamers que não se importam em comprar o game lacrado, o mercado de usados acaba sendo algo meio grande em qualquer parte do mundo, e isso reflete nas vendas dos games pelos estúdios. Não é uma má ideia, e nem sou contra, apesar de achar que o sistema ainda não é perfeito (locadoras por exemplo, deve ser complicado isso, ter que comprar o Online Pass de um game locado).

Sem mencionar que o Online Pass também permite criar um controle sobre esse mercado de usados que ninguém tem muita ideia de quanto é movimentando. Tipo quantas vezes um game é repassado de dono? Se vende tantos Online Pass quanto unidades lacradas? Quais as franquias que os gamers mais descartam como usados e quais ele guarda em sua coleção? O controle das vendas do Online Pass permite levantar tais estatísticas e melhorar o mercado de original. É algo interessante que ainda vai mudar e crescer nos próximos anos.

Por isso sempre se lembre, jogo lacrado e original, se tiver sistema de Online Pass (nem todos os games possuem ainda), ele virá com um código dentro do mesmo. E ao inserir o jogo pela primeira vez no console, o mesmo pedirá tal código (é assim que você sabe se ele tem ou não, apesar de que na caixinha também costuma-se dizer). Comprou um game usado? É bom verificar com o dono se o game possui Online Pass e o que ele bloqueia se você não tiver, e já fique ciente que talvez tenha que desembolsar um pouquinho mais para comprar um Online Pass para seu usado, seja na Live ou na PSN.

Qual foi o problema que eu tive com o Online Pass de Bulletstorm? Ele simplesmente não veio dentro da caixinha! Veio o Online Pass de um outro game, Fight Night Champion. O que fazer? Liguei na Saraiva e já solicitei a troca por outro Bulletstorm na loja. Enquanto faço essa matéria, meu Bulletstorm já está em algum lugar dos Correios sendo devolvido para a Saraiva entre amanhã ou depois. Pesquisei no Google e vi relatos de outras pessoas que compraram Bulletstorm e receberam o mesmo Online Pass errado, e outros que compraram Fight Night Champion que receberam o Online Pass de Bulletstorm. Que bagunça, não? Sabe o que isso significa? Que a Videolar, que é a distribuidora nacional de ambos os games, quando montou os produtos aqui no Brasil, não tinha a menor ideia do que era o Online Pass, e acabou invertendo, colocando o código de Fight Night Champion nas caixinhas de Bulletstorm, achando que era uma propaganda do game, assim como as outras que mostrei nas fotos acima, e vice-versa com Fight Night Champion, que recebeu os Online Pass de Bulletstorm. Isso foi consertado em outras remessas? Espero que sim. Caso contrário, serei obrigado a entrar em contato com a Videolar e notificar ela do erro de fabricação do produto (não vai adiantar ficar trocando na Saraiva, se todo o lote estiver com esse defeito). Será que alguém da Videolar vai me dar ouvidos? Vamos ver. Conto o final dessa história em algumas semanas. Primeiro vou aguardar chegar meu outro Bulletstorm…

Espero não ser obrigado a comprar um Online Pass para um game lacrado… é como eu disse, aqui na República das Bananas, as coisas estão melhorando, mas ainda a conta-gotas.

Obs: Se alguém comprar Fight Night Champion e receber o Online Pass de Bulletstorm e quiser trocar… é só fazer contato. 😉

Obs 2: Sempre que eu adquirir, a partir de agora, algum game que tenha esse cuidado em ter uma versão nacional para a gente aqui das Bananas, pretendo mostrar aqui no blog. Boxart americana a gente acha em qualquer lugar, mas poucos sites mostram como ficaram a tradução das caixinhas por aqui. Quando as mesmas são traduzidas, claro. Então sempre que comprar um game por aqui e ver esse cuidado em traduzir a caixinha, farei uma galeria de fotos!

 

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.