AssistindoLendo

Indicando quadrinhos: Scott Pilgrim!

Level Up to the Comics!

(Por Joaolmm Gon)

Tenho que começar dizendo que Scott Pilgrim é uma série para todos os gostos, tem uma linha de quadrinhos em preto em branco (dividida em 6 partes nos EUA e em 3 por aqui), perai, você não gosta de quadrinhos em preto e branco? No problema! Há também um filme em Live-Action lançado em 2010…putz, ainda com pesadelos do Live-Action de Dragon Ball? Não se preocupe, esse é bem melhor adaptado, mas se mesmo assim você não curte filmes, ainda tem um jogo de video-game para PSN e X-Box Live estilo 8/16-bit, não curte video-games também? Então você terá que abrir uma exceção e entrar de cabeça nesse mundo criado por Bryan Lee O’Malley!

Scott Pilgrim é sobre um garoto de aproximadamente 24 anos(se ler, vai entender o porque do termo “garoto” e não “homem”) de mesmo nome que vive a sua vidinha dividindo uma casa com seu amigo/colega de quarto/conselheiro Wallace (o gay mais engraçado dos quadrinhos), não tem emprego e é baixista de uma banda de garagem, Sex-Bob-OMB, do qual integram seus amigos: Kim Pine (bateria) e Stephen Stills (Guitarra/Vocal), tendo no começo apenas um fã, Neil Nordegraf.As coisas mudam quando ele começa a namorar uma menina mais nova, Knives Chau, no meio disso tudo acaba conhecendo Ramona Flowers, por quem se apaixona, mas que depois acaba descobrindo que se ele quiser namora-lá, terá de derrotar seus 7-Ex Namorados do Mal.

Sim, parece um plot meio non-sense e até duvidoso de cara, mas tudo muda no primeiro capítulo que você lê, o autor tem uma maneira de escrever que faz parecer que uma pessoa que morre e vira moedas depois (como nos games) ou um ser humano que por ter uma dieta livre de laticínios obtém poderes sobre-humanos é a coisa mais normal do mundo.Scott Pilgrim também é ótimo para fãns de mangá pois traz com maestria elementos do mangá para uma leitura ocidental, e obviamente tem várias menções e brincadeiras com a cultura pop em geral, sempre havendo uma piada com um humor irônico sério que te faz rir até (para citar um dos personagens:”O primeiro álbum é, basicamente, melhor que o primeiro álbum” ou “Se a sua vida tivesse uma cara, eu daria um soco nela!”), é surpreendente levando em conta que o autor usou de guia um livro chamado “Até um Macaco Consegue Desenhar Mangá”.

O filme é ótimo, consegue resumir bem os seis volumes, mesmo que seja um pouco diferente, vale muito a pena por conseguir aplicar a dinâmica dos games dentro de um filme Live-Action (e pelas cenas de luta serem melhores que as de Dragon Ball…eu precisava dizer isso), algo com que os Geeks sempre sonharam.Claro que tem pontos negativos, como personagens irritantes e brigas bobas mas dentro do conteúdo de tudo que engloba a série, é quase irrelevante.Scott Pilgrim é a definição do que é um relacionamento, algo complicado e confuso mas que vale a pena lutar por, é o crescimento, uma passagem da vida de adolescente para a de um adulto, uma lição que fica transmitida tanto na HQ quanto no filme e que deve ser vista, é como o cartaz do filme diz: Scott Pilgrim é um épico de épica epicidade.

Ah, e logo mais nos EUA sai a primeira edição de colecionador de Scott Pilgrim que está demais de linda, é uma boa oportunidade pra começar a ler essa saga divertidíssima (ou apenas alugue o filme na locadora mesmo e assiste no fim de semana a noite).

Isso também pode lhe interessar

Rackor

Gamer de fliperamas aos consoles, passando pelo saudoso GB Color e seu Pokémon Yellow. Leitor de mangás, e dou preferência a estes ao invés de animes. Mais recentemente descobri as HQs, e desde então sou fã da trajetória de Geoff Johns em Laterna Verde, entre outros clássicos como Watchmen.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.