AssistindoJapão

Desenhos animados do passado – O que será das futuras gerações?

Relembrando o passado e projetando o futuro.

(Por Rafael Gaara)

Confesso que a ideia de escrever esse texto me veio a mente depois que retiraram a TV Globinho do ar para colocar o programa da Fátima Bernardes. Só para deixar bem claro: não faço ideia de qual é a qualidade do programa da senhora Bonner, por isso não vou opinar sobre o mesmo. Só sei que essa troca gerou uma revolta muito grande na internet.

Muitos podem falar: não tem problema, eu e todas as crianças que éramos espectadores da TV Globinho podemos assistir o Bom dia e Cia ou até mesmo assistir desenhos e animes baixados da internet.
Será?
Voltando um pouco ao meu passado, lembro que acordava bem cedo para assistir desenhos animados desde os meus 4 anos de idade (pelo menos é nessa idade que tenho minhas primeiras lembranças). De segunda a sexta-feira assistia vários desenhos na Globo e alguns no SBT. Por mais que todos falem mal da Globo e ela a cada dia que passa realmente piora, eu cresci assistindo TV Colosso, Spiff e Hércules (quem se lembra desse?), Capitão Planeta, Caverna do Dragão (muito clássico), He-Man, As Tartarugas Ninjas, Aladin, Digimon, Card Captor Sakura, Samurai X, Power Rangers (o primeiro que tinha o Tommy), O Homem Aranha, Medabots, etc.

Eu gostava mais do SBT aos sábados com o seu programa Sábado Animado, foi ali que conheci o Mega Man, Dragon Ball, Fly, Guerreiras Mágicas de Rayearth, Ursinhos Carinhosos, Ursinho Puff (assim mesmo que se chamava na época, depois virou Ursinho Pooh), sem falar em pérolas muito loucas e sem noção com caras fantasiados de árvores, bichos e bananas, como Dudley, o Dragão e Bananas de Pijama. É amigos, sem ter a mínima noção de que Dragon Ball viraria uma febre na Band, eu já ficava louco assistindo no SBT. O quê??!!! Você conheceu Dragon Ball na Globo? Só viu a saga do Majin Boo e Dragon Ball GT? Coooorre para a internet e vai assistir as melhores sagas que são os episódios do Goku criança e o início da fase Z, na batalha contra os Sayajins e contra Freeza.

Pode ser apenas nostalgia minha, mas acredito que as pessoas que foram crianças nos anos 80 e 90 tiveram uma qualidade infinitamente superior de desenhos na TV. O pessoal dos anos 2000 podem me xingar a vontade nos comentários, mas é a verdade. Existem desenhos bacanas hoje em dia, um grande exemplo que quase todo mundo curte é Avatar. Você pode, talvez, citar Naruto e eu vou aceitar, pois não entrarei nos méritos sobre a qualidade de dublagem e adaptação, afinal eu assisti Yu Yu Hakusho com uma dublagem muito infiel ao original e achava aquilo muito foda!

Outro desenho que a molecada dos anos 2000 curte é Ben 10, eu particularmente não gosto, mas diante de tanta coisa medíocre, é algo que os chatos e nostálgicos “velhinhos” dos anos 90 poderiam aceitar. Mais algumas séries atuais de qualidade que podemos mencionar: X-Men Evolution e suas infinitas reprises, Liga da Justiça (muito bom), dizem que Os Vingadores é bom, mas eu nunca assisti.

Até mesmo os pais dos garotos da geração anos 80 e 90 assistiram coisas melhores, podemos citar: Flintstones, Jetsons, Corrida Maluca, Scooby Doo, Os Três Patetas, Speed Racer, Capitão Caverna, Superamigos, A Família Adams, etc. Lógico que alguns desses programas e desenhos passam até hoje, mas eles são de outra época.

No final dos anos 2000, ou seja, entre 2006 e 2010, as emissoras já estavam apostando em programas com atores reais e deixando de lado os desenhos animados. Exemplos desses programas: ICarly, Drake e Josh, Hannah Montana, entre vários outros. Esse tipo de programa sempre existiu, quem não se lembra dos tempos em que passavam Um Maluco no Pedaço, Chaves, Chapolin e Os Simpsons em sequência no SBT? Ou ainda dos tempos de Eu, a patroa e as crianças e hoje em dia, das intermináveis, mas legais, reprises de Todo Mundo Odeia o Chris. Sou a favor desse tipo de comédia com atores reais, inclusive gosto de quase todos citados aqui, só não acho que eles são voltados para o mesmo público que os desenhos da TV Globinho eram, como por exemplo Padrinhos Mágicos e Bob Esponja. O horário em que Hannah Montana sempre foi transmitido na Globo é muito mais interessante para o público alvo desses programas, ou seja adolescentes, no sábado de manhã ou até mesmo como última atração da TV Globinho, apesar de eu particularmente preferir um Dragon Ball ou Yu-Gi-Oh prendendo as crianças até o fim de uma atração matinal.

Voltando novamente ao passado, agora sim, os leitores nascidos no final dos anos 70 e principalmente os filhos dos anos 80 vão enlouquecer. Apenas duas palavrinhas:
Rede Manchete.

É uma emoção muito grande falar dessa época para o pessoal que tem entre 20 e 30 anos, sei que tem pessoas de outras idades que foram marcadas por essa emissora também, mas marcou muito mais a infância dessa faixa etária e isso é totalmente diferente. A Rede Manchete explodiu e teve o seu auge em meados de 1994/5, pelo menos o auge que nos importa: a exibição de programas infantis.

A criançada pirava para ir para casa depois da escola para assistir Cavaleiros do Zodíaco, Yu Yu Hakusho e sua dublagem épica (meu anime favorito ever, por mais que a animação esteja um pouco datada), Shurato, Samurai Warriors, Kamen Rider, Sailor Moon, Cybercops, Jaspion, Jiraya (não aquele do Naruto, obviamente), Sailor Moon (vou castigar você por ter nascido no final dos anos 90 e anos 2000 em nome da Lua!!!) entre outros.

Todos esses animes e tokusatsus em horário nobre! Como alguém vai querer discutir se foi o auge ou não para o público jovem?

Foi uma época de ouro. Claro que em gerações anteriores já tínhamos programas bons como Ultraman e Zillion, mas geralmente não eram transmitidos em grandes blocos como na época da Manchete.

As crianças nascidas e criadas nos anos 80 e 90 ainda puderam ver a TV CRUJ, programa que passava vários desenhos legais como Marsupilami, Timão e Pumba, Doug entre outros clássicos. Não vou me estender muito falando desse programa, pois ele mereceria um post inteiro.

Na Band, tivemos o Band Kids que teve seu auge entre os anos 2000 e 2001 e, na minha opinião, pode ser considerado a Era de Prata dos animes na TV aberta. O programa apresentado por Kira e seu Death Note mostrava uma apresentadora tentando descobrir o nome dos telespectadores e dominar o mundo (ops, piada fail). Falando sério, a apresentadora e sua grade de desenhos que passavam por 4 horas seguidas, conquistou as crianças e adolescentes de todo o Brasil e foi um estrondoso sucesso. Os animes que mais me marcaram nessa época foram: Dragon Ball Z (Goku e Vegeta são reis), Bucky (gostava demais desse anime, o personagem principal era arrogante e foda, diferente de certos emos de hoje em dia) e Tenchi Muyo (primeiro anime de comédia-harém que assisti, inclusive era tão fã que jogava um RPG de qualidade duvidosa no emulador de Super Nintendo). Passavam outros desenhos, mas esses me marcaram muito e me geraram várias recuperações na escola, pois matava aula várias vezes para assisti-los.

 

Mas como tudo que é bom dura pouco, rapidamente deram um jeito de acabar com o programa e voltaram a transmiti-lo sem a mesma qualidade anos mais tarde.

Na Record, no finalzinho dos anos 90 tivemos o estouro de Pokémon. Eu era fanático por aqueles bichos. Comprava todas as revistas Pokémon Club, assistia o anime e como não tinha um Game Boy, mas tinha um Nintendo 64, torrei a paciência do meu pai para me dar o Pokémon Stadium para poder jogar o Pokémon Yellow na TV. Ele me deu o Pokémon Stadium, o Pokémon Yellow, e aquele foi um dos dias mais felizes da minha vida. Certamente perdi uns 200 finais de semana pegando todos Pokémons, zerando e rejogando Pokémon 15 horas por dia. Quem nunca zerou Pokémon Yellow com o Pikachu, Charizard, Squirtle, Bulbasaur, Butterfree (Kingler) e Pidgeot é fraco!

Uma coisa muito legal que o pessoal nascido no final dos anos 90 e início dos anos 2000 tem a disposição é a venda de mangás em uma escala muito maior do que antigamente, além da possibilidade de ler pela internet (não vamos discutir aqui se essa leitura online atrapalha o mercado nacional ou atrapalha os autores, se é pirataria ou não, ok?). Claro que o pessoal dos anos 70, 80 e 90 também aproveitam essa nova realidade da venda de mangás no Brasil, mas o “boom” aconteceu agora e certamente é um mercado que dessa vez veio para ficar, diferentemente da “nossa época” onde tudo era feito de forma avacalhada quando se tratava de mangás.

Naqueles tempos loucos tínhamos várias revistas legais como a Herói, mas os mangás eram escassos e o os fãs eram muito desrespeitados pelas empresas, nem se compara com hoje.

Considerando a internet como principal meio de informação e entretenimento hoje em dia, as crianças poderiam ter uma melhor qualidade no que assistem e leem, mas a verdade é que uma criança tem uma tendência muito maior em assistir televisão do que acessar a grande rede, além de ser um tanto quanto arriscado para garotos e garotas entre 5 e 10 anos acessarem e baixarem qualquer coisa na internet.

A televisão por assinatura ajuda a amenizar a queda brusca de qualidade da TV aberta, mas ainda sim não posso dizer que temos uma TV fechada de qualidade. Diria que 10% tem qualidade, 50% são reprises e 40% é conteúdo ruim ou péssimo em se falando de entretenimento. Um dos maiores exemplos da queda de qualidade da TV por assinatura é o Cartoon Network que em um passado recente transmitia Coragem, o Cão Covarde (um ótimo desenho), Samurai X, Sailor Moon (completo), Corrector Yue (esse foi para trollar e forçar a memória, mas eu assistia mesmo), Freakazoid, O Máscara, etc. Quem se lembra dos tempos de ouro da Locomotion/Animax? Praticamente obriguei minha mãe a assinar o pacote mais caro da TV por assinatura para ter esse canal há vários anos atrás. Vou ter que forçar bastante a memória e me corrijam se estiver errado (estou escrevendo o texto sem fazer muitas consultas para forçar o cérebro e a nostalgia), mas passava nesse canal Evangelion, Saber Marionette J, Bubblegum Crisis: Tokyo 2040 (eu só assisti esse da série) entre vários outros animes não mainstream para a época. Sobre a qualidade de outros nichos na tv por assinatura já seria uma outra discussão, então vamos em frente.

Vamos falar um pouco sobre filmes? Algumas pessoas afirmam que os filmes antigos tinham mais qualidade. Eu discordo completamente, temos filmes excelentes em todas as épocas. Só para citar alguns (e vocês tem o direito de discordar) temos O Poderoso Chefão nos anos 70, Os Mercenários nos anos 80 (sacaram a referência né?), ainda temos O Rei Leão e Jurassic Park nos anos 90 e O Senhor dos Anéis e Batman, O Cavaleiro das Trevas (o filme do Coringa é o único da trilogia que considero realmente um clássico) para exemplificar os anos 2000. Obviamente poderia citar no mínimo 10 exemplos em cada década, mas deu para ilustrar o que penso.

Os longas animados atuais, em geral, me agradam mais do que os antigos, mas temos qualidade nesse sentido em todas as épocas também. Longas como A Bela e a Fera, O Rei Leão, Branca de Neve, Bambi, Procurando Nemo, Toy Story, Wall-E e Shrek são todos de diferentes gerações e notamos ao assisti-los que todos são de excelente qualidade.

Sobre games não tenho muito a dizer, cada época teve suas particularidades e a partir dos anos 80 sempre tivemos grandes jogos. Todas as gerações são bem representadas, apesar de notarmos uma clara perda na criatividade recentemente, mas isso é outro assunto e certamente poderia gerar um outro post.

Sobre músicas só tenho uma coisa a dizer: Michael Jackson > Justin Bieber só para citar uma referência pop de épocas diferentes. Fato! Uma das formas de entretenimento que mais vem perdendo em qualidade ao longo dos anos! Cada dia temos artistas mais genéricos e menos artistas que se destacam por criar algo novo.

Vamos finalizar esse texto enorme então!

Graças a grandes pessoas como Kentaro Miura, Yoshihiro Togashi, Matt Groening, Eiichiro Oda e Roberto Bolanos (mais uma piada fail?) acredito que as futuras gerações estarão a salvo, mas infelizmente a TV aberta caminha cada dia mais para programas ruins (e dá-lhe programas de fofocas, tias conversando fiado e rindo de forma forçada), a valorização da traição e bundas na nossa cara (vide novelas das “nove”, reality shows e programas humorísticos em geral), além dos sangrentos e engraçados programas policiais (fazer piada com o sofrimento do povo mostra onde a TV aberta vai parar no futuro). As antigas gerações viveram em um tempo mais inocente, talvez mais charmoso, não sei, sou suspeito para falar, pois tenho 24 anos e nasci na década de 80, vivendo minha infância na década de 90, no entanto, acredito que existe sim muita qualidade nos tempos atuais, apenas precisamos filtrar com muito mais cuidado o que iremos consumir.

Veremos onde tudo isso vai parar. Deixei muita coisa legal de fora, mas é impossível falarmos de tudo quando se trata de entretenimento, ainda mais misturando o passado, presente e futuro.

E vocês leitores, acreditam que eu e todo o pessoal dos anos 60 a 90 somos nostálgicos ou realmente a qualidade, principalmente da televisão aberta, vem caindo aos longos dos anos? E as crianças de hoje, tem menos qualidade a disposição na TV e outras mídias?

Assistiu algum dos programas e desenhos citados acima? Deixe o seu comentário e vamos bater um papo sobre os velhos e novos tempos do entretenimento!

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Rackor

Gamer de fliperamas aos consoles, passando pelo saudoso GB Color e seu Pokémon Yellow. Leitor de mangás, e dou preferência a estes ao invés de animes. Mais recentemente descobri as HQs, e desde então sou fã da trajetória de Geoff Johns em Laterna Verde, entre outros clássicos como Watchmen.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios