JapãoLendoMiscelânea

Folheando um pouco sobre quadrinhos…

Tem coisas bacanas rolando nas bancas do país, não acha?

Novas coleções, quadrinhos especiais, sagas chegando, raridades sendo relembradas, formatos sendo testados. 2013 tem sido um ano bacana para o mercado nacional de quadrinhos, seja em termos de produção própria ou importando conteúdo de fora.  Separei um momento então para falarmos um pouco de algumas coisas que estão rolando e chegando por aqui. De fato muito dos assuntos talvez merecessem um post próprio, mas devido a minha falta de tempo resolvi compilar tudo rapidinho aqui, só para não ficar sem recomendar tudo de bem que está saindo nas bancas de jornais.

Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel – A coleção começou no final de agosto e já vem dando o que falar por aí. Grandes momentos do mundo Marvel sendo compilados em encadernados super bem trabalhados, com capa dura, papel especial, páginas de extras com arte de capas e textos explicativos. Eu já garanti as duas primeiras edições e posso dizer que é um trabalho primoroso. Algo que jamais poderia imaginar que nosso mercado receberia pelo fato de que tudo aqui a gente nivela por baixo em termos de qualidade.

É verdade sim que o preço é meio salgado, a partir do terceiro volume, cada encadernado vai passar a custar R$ 29,90. Talvez para o adolescente que não trabalha ou não tem renda própria seja uma tremenda sacanagem. Mas será que esse é um produto pra esse tipo de público? Não sei. Acho que pelo acabamento, não é um material apenas de consumo, mas de coleção, então é mais provável que ele seja dedicado a um público mais adulto e com um poder aquisitivo maior. Isso justifica o preço, ainda que ele também afaste boa parte do público habitual desses materiais. Apesar de que, boa parte do que está sendo encadernado, a galera mais jovem certamente já leu quando saiu por aqui nas revistas tradicionais, afinal nada da coleção é inédita para o nosso mercado.

Outra tristeza para muitos talvez seja o fato de que a distribuição da coleção está sendo setorizada, então somente os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraíba estão recebendo as edições. A Editora Salvat promete começar o lançamento nos outros estados em alguns meses. Para tal ela pede que todos fiquem de olho em sua página no Facebook, pois ela irá avisar todo mundo quando a distribuição se iniciar em outros estados. E para saber mais sobre a coleção, vale dar uma espiada nesse link do Planeta Gibi.

Thriller Bark em One Piece Brasil/Panini – Mês passado o mangá de One Piece conseguiu o marco de finalmente terminar de publicar no país a saga de Water 7/Enies Lobby com o lançamento do volume 45. É um marco porque vale lembrar que Water 7 começou aqui no Brasil quando One Piece ainda era publicado pela Conrad há muitos anos atrás!

Tudo bem que todo mundo já deve acompanhar a série pela internet, seja pelo mangá ou animê, talvez uma parcela muito pequena do público de One Piece acompanhe apenas pela publicação nacional, mas eu conheci One Piece assim, via Conrad e só depois é que migrei para a internet. Então dou sim valor ao fato de One Piece estar sendo publicado no Brasil oficialmente.

E o volume 46, que deve ser lançado em outubro, dará inicio ao arco de Thriller Bark, que muitos acham fraco, mas eu particularmente gosto de muitas coisas nessa saga, como o “Nightmare Luffy”, a introdução do Brook a série, a batalha contra Oz (Oars), e até mesmo o climax do Zoro com o Kuma num dos momentos mais épicos de One Piece na minha opinião. É uma saga mais fanfarrona, mas One Piece sem isso não é One Piece na minha opinião, e talvez seja arcos assim que mais sinto saudades na fase atual do mangá.

A partir do volume 46, é tudo uma preparação para os eventos que dividem o mangá, quanto tudo desmorona no final de Saga do arquipélago Sabaody, e depois entramos em Impel Down, a guerra do Barba Branca e no salto cronológico. Tem chão ainda, mas talvez seja a hora de saborear um pouco uma das últimas sagas de One Piece mais descompromissadas, porque depois de Trhiller Bark a coisa vai ficar tensa e mais tensa a cada volume.

One Piece pode ser dividido em várias fases. Você tem a primeira que é antes da entrada na Grand Line. A segunda vai da Grand Line até o final do arco de Alabasta. A terceira vai até a conclusão de Water 7/Enies Lobby. A quarta começa aqui em Thriller Bark e vai até a queda do bando no final de Sabaody. A quinta fase é toda a imensa fase solo do Luffy em busca do Ace e a sexta fase, a atual, é após o salto de 3 anos na história, os arcos no Novo Mundo. Ao menos eu gosto de dividir assim. Então em outubro o mangá nacional entra finalmente na quarta fase do mangá!

Kingdom Hearts continuará sendo publicado no Brasil! – A notícia veio semana passada através da página do Facebook da Abril Jovem. A primeira mini série de Kingdom Hearts foi realmente um sucesso aqui nas Bananas e a Editora Abril bateu o martelo e oficializou os planos para continuar publicando as próximas séries da franquia, que retorna então as bancas em 2014. espera-se então que o próximo arco da série seja relacionado ao KH: Chain of Memories e que ainda em 2014 se iniciei o arco que nos levará para Kingdom Hearts II!

E não há realmente momento melhor para publicar esse material no Brasil, com o recém lançado Kingdom Hearts 1.5 HD Remix no PlayStation 3 e com a produção de Kingdom Hearts 3 confirmada para a próxima geração de consoles, o PlayStation 4 e Xbox One que ainda não tem data de lançamento, mas eu já sonho que a Square consiga lançar o game entre 2015/2016 (mas é só um palpite meu). O fato é que a franquia parece que irá despertar novamente, após permanecer sonolenta por todo a geração atual do PS3/X360.

GRAPHIC MSP (Astronauta: Magnetar, Turma da Mônica: Laços e Chico Bento: Pavor Espaciar) – Está aí uma produção nacional pouca comentada aqui no Portallos. E que injustiça! Tive a oportunidade recentemente de adquirir as edições de luxos da coleção Graphic MSP em capa dura e que edições pessoal! Fiquei de queixo caído com a qualidade da impressão, do papel, do material, juntamente com o estilo artístico de cada um dos responsáveis pelos roteiros e desenhos de cada encadernado. Quem ainda não teve a oportunidade de adquirir essas edições corre atrás porque valem e muito a pena ter na coleção. E olha que nem sou mais fã de Turma da Mônica clássico.

O caso é que a coleção é uma reinvenção dos clássicos da TM, sobre a ótica de desenhistas brasileiros, que conseguiram reinventar a roda nessa coleção, com um novo estilo artístico, mostrando um universo diferente dos gibis infantis, mas sem desrespeitar os elementos originais de cada personagem. É realmente uma coleção visando um publico mais adulto, mas sem deixar de lado as crianças. E mais importante, reforçando e provando que o Brasil possui grandes talentos que merecem uma chance de crescer e aparecer nesse mercado onde boa parte do que está na banca em termos de quadrinhos é importado lá de fora. Onde não damos chances para nossos talentos nacionais. Esse destaque ao talento nacional é um dos maiores positivos dessa coleção.

E se possível, pegue as versões em capa dura! Sei que ela é mais cara, R$ 29,90, mas vale a pena os dez reais a mais. Quer uma dica marota? Procure os encadernados em lojas virtuais, como a Saraiva, onde habitualmente há promoções, onde eles ficam por R$ 24 e ainda podem ser parcelados em 2x sem juros. Eu mesmo consegui cada um desses volumes em capa dura pagando R$ 22 na Saraiva, esperando essas promoções e usando o cartão da loja (que dá mais um descontinho) e frete grátis ainda pra ajudar! Fica então a dica.

E tenho a impressão que o melhor desse selo Graphic MSP ainda está por vir. Em novembro teremos Piteco!! E espero que a coleção não pare somente nestes quatro volumes. Que sejam anunciados logo as edições de 2014 da coleção, incluindo talvez Magnetar 2!

O Mistério dos Signos e Dragon Lords em Capa Dura! – Enquanto isso a Editora Abril também está investindo e analisando a ideia de incluir na linha de quadrinhos Disney o formato capa dura! Não se sabe ainda quando serão lançados ou o preço, mas deve acontecer muito em breve (parece que a Editora apenas aguarda a liberação alfandegária para começar a distribuição).

E devem ser volumões muito maiores em número de páginas do que as edições da coleção da Salvat/Marvel e da Graphic MSP, afinal Mistério dos Signos por si só tem quase 350 páginas de quadrinhos. O encadernado ainda deve trazer páginas extras com textos explicativos e contextuais sobre um dos maiores épicos da produção Disney/Itália.

Tudo bem que o prestígio talvez não seja tão grande quanto o da linha da MSP, que traz conteúdo original e produzido no Brasil, mas nem por isso estes especiais perdem crédito. Tanto Mistério dos Signos quanto Dragon Lords são produções fenomenais, com grandes nomes internacionais envolvidos e com roteiros impecáveis para a época em que forma produzidos. São grandes clássicos mesmo.

E se bem sucedido, a iniciativa abre as portas para um novo formato de publicação que pode ser expandir para novos rumos e diretrizes. É apostar mesmo. Vale lembrar que a Editora Abril também está investindo no talento nacional, já que iniciou esse ano o retorno das produções de histórias inéditas do Zé Carioca e a partir de 2014, a revista do personagem passa a ter 2 HQs inéditas por edição e novos contratados estão chegando para reforçar a equipe de produção. Isso é uma notícia excelente. Não custa sonhar com a ideia de que talvez num futuro, a gente não possa merecer uma Graphic Novel com o Zé Carioca nas mãos de desenhistas com estilos próprios. O próprio Fernando Ventura já bem provando que isso é possível, com suas HQs sendo publicadas atualmente na mensal do Zé.

Fodastica HQ Moby Dick de Paolo Mottura em Tio Patinhas! – Essa dispensa apresentações. Vejas as imagens acima e babe a vontade. Enquanto a Editora Abril não reinventa o estilo artístico de produção de HQs Disney, a Itália vem testando essa possibilidade e Moby Dick é uma das mais recentes produções com essa pegada “Graphic Novel” e chega aqui no Brasil com suas 70 páginas na mensal do Tio Patinhas em outubro!

Só lamento que uma HQ com esse estilo gráfico seja publicada aqui no papel bunda que as revistinhas Disney possuem atualmente. Tudo bem que na Itália ela saiu mutilada na Topolino em duas edições, também em formatinho, mas o papel da Topolino é muito melhor que o nosso. Branquíssimo e que ressalta as cores das histórias. São produções assim que merecem um formato mais luxuoso, tais quais os exemplos mostrados nos outros temas acima. Nada contra publicar também em formatinho em papel bunda contanto que esse não fosse o único formato que ela saísse. Já tivemos recentemente a belíssima Drácula de Bram Stoker na mensal do Pateta e vimos que apesar de belíssima a arte, o papel de publicação de uma HQ assim é realmente broxante.

Guerreiras Mágicas de Rayearth retorna pela JBC! – Essa notícia anda gerando muita polêmica na internet nos sites dedicados a mangás, mas eu particularmente fiquei feliz com o anúncio de que a JBC irá relançar esse clássico das manhãs do SBT no mesmo formato que vimos em Sakura Card Captors. Eu ainda farei uma reflexão em cima do atual momento do mercado de mangá no Brasil, mas só para deixar claro que não sou contra relançar materiais relevantes que estão fora das bancas há anos. Alias não só relançar, mas reimprimir volumes antigos de mangás que ainda estão sendo publicados também não seriam de todo mal. Na Panini mesmo só não estou colecionando Claymore porque não acho as primeiras edições para comprar (por preços justos) e o que dizer do fiasco de Kekkaishi? Enfim, é pauta pra uma reflexão a parte, mas fiquei feliz com a oportunidade de poder adquirir Guerreiras Mágicas nessa nova geração de mangás e formatos especiais. Agora que venha Yu Yu Hakusho em 2014 quem sabe…

Duas dicas rápidas: A origem Morcego Vermelho e a fenomenal Pateta Reporter! – Queria poder dissecar melhor tudo de bacana que vem saindo no universo Disney aqui no blog, mas me falta tempo e o feedback dos leitores quando faço isso é muito pequeno, o que é uma pena. Ainda estudo projetos onde esse mundinho Disney talvez tivesse mais atenção, mas por enquanto, vou continuar insistindo o assunto por aqui sempre que possível.

A primeira dica é que a origem do Morcego Vermelho, alter-ego heroico do Peninha, HQ criada no Brasil em 1973 e que jamais havia sido republicado desde então, está finalmente nas bancas novamente em Disney BIG 22, junto com outras pérolas clássicas do personagem também de 1973 e que jamais foram republicadas. Obras raríssimas e clássicas, finalmente tratadas digitalmente para republicação das revistas de hoje. A ocasião é tão especial que até a capa de BIG foi dedicada ao personagem. Disney Big vem se provando uma das melhores revistas de republicações de todo a linha Disney, sendo que em outubro ela irá quebrar uma regra e trará pela primeira vez uma HQ inédita (da saga da Rainha Regina), maiores explicações aqui no Planeta Gibi.

E o que dizer do especial Pateta Repórter? Talvez a sinopse oficial seja suficiente: “Era uma vez em 1933…
Pateta Repórter é uma série de quadrinhos de sucesso na Europa que chega agora ao Brasil com seu formidável texto e sua arte deslumbrante, capazes de nos transportar lá para trás, à década de 1930. Naqueles tempos, havia basicamente três formas de receber notícias: pelo rádio, por algumas revistas e pelo jornal. Mas somente este último combinava investigação e velocidade. Sim, velocidade, pois saía todos os dias, muitas vezes com edição extra da tarde e da noite. Hoje, em plena era digital e em rede, fica difícil imaginar um tempo em que nem mesmo a televisão era uma realidade nas residências – apesar de já ter sido inventada. Pois é nesse período tão nostálgico que surge, nos Estados Unidos, um repórter investigativo meio… Pateta, empenhado em dar os maiores furos de reportagem, principalmente do submundo do crime. Acompanhe aqui, em 300 páginas e 10 tramas completas, nosso valoroso jornalista em busca de notícias que só podem ser conseguidas por quem está no centro dos acontecimentos e no meio da ação!

Pateta Repórter está nas bancas desde o dia 26 de agosto. Ainda dá tempo de conseguir a sua. No Facebook do Calisota tem um álbum com vários fotos da edição (clique aqui). Na próxima semana deve estar chegando o próximo especial: Superpato Legado. Ambos são imperdíveis em todo caso.

E é isso! Fiquei sem comentar alguma novidade boa que esteja atualmente nas bancas? O que você está colecionando atualmente no mundinho dos quadrinhos? Diga aí nos comentários.

 

Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.