AssistindoJapãoReflexões & Opiniões

Aberturas de animês funcionam em português?

Quando descobri o mundo dos animês, lá no comecinho dos anos 90, ainda na TV aberta, as aberturas eram em português. Yu Yu Hakusho, Cavaleiros dos Zodíacos, Sailor Moon, Pokémon, Dragon Ball, Guerreiras Mágicas de Rayearth e por aí vai. Mas aí o universo dos animês na TV foi diminuindo, quase que morrendo e em determinado momento todo mundo passou a ver animês pela internet, com áudio original mesmo e legendas em português e hoje em dia há que não suporte um animê dublado.

E as aberturas meio que foram por esse caminho. Hoje em dia se um animê é dublado, seja para Home  Video ou TV por assinatura, existe uma boa chance da música tema de abertura não ser adaptada e optar por se manter a original. Afinal o público brasileiro se acostumou com as canções em japonês mesmo. Elas não soam estranhas mais, pelo contrário, quando rola uma adaptação ao nosso idioma é que fica estranho, especialmente se foram encomendas por estes estúdios sem alma que não entende o sentimento de um fã de animê. Até hoje não me esqueço daquele rap horrível que os Estados Unidos criou para One Piece, que pesadelo!

Só que aí veio o You Tube, e surgiu um pessoal cheio de talento, que curte e é fã mesmo de animês, que entendem esse universo e começaram a cantar as músicas, seja no original, seja com adaptações próprias. E o resultado é positivo na minha opinião. Claro que é difícil dizer que são adaptações melhores que as músicas originais, e nem acho que deve ser feito esse tipo de comparação, pois não se trata de ser melhor ou pior acredito, e sim de ser um trabalho musical que faça a gente perceber que dá para adaptar para nossa língua e ainda soar tão maneira quanto é no original.

A ideia de escrever sobre isso veio justamente porque ontem encontrei o canal do RicardoJuniorSings lá no You Tube e lá há muitos vídeos maneiros onde ele canta em parceiras com a galera do meio que também curte animê e o resultado das adaptações são bacanas mesmo. Então resolvi indicar e abordar o tema por aqui. E todos os vídeos colocados aqui na postagem vem de lá.

E é sempre interessante essa geração que está crescendo e mostrando o quanto os animês são importantes para cada um. Prova de que se o trabalho em adaptações for realmente bem feito, os animês podem muito bem ter o mesmo charme que tinham, lá no início dos anos 90, antes do politicamente correto e dos questionamentos desse tipo de entretenimento na TV aberta (o que é uma tremenda bobagem convenhamos).

Eu consigo imaginar uma nova era dos animês por aqui, e também a nível mundial, com o advento de serviços como a Crunchyroll e Netflix, além deles cada vez mais inspirarem produções americanas como o próprio Hora de Aventura ou as novas animações da DC. Talvez demore um pouco mais para acontecer, porque ainda estamos rodeados de muitos dinossauros na indústria do entretenimento, mas em algum momento futuro, as chaves desse universo vai cair nas mãos dessa galera, que é fã e acompanha os mundos dos animês e está muito confortável com isso. No mundo editorial, se for pensar, isso já está acontecendo, pois temos mangás que jamais imaginamos que seriam publicados algum dia no Brasil, ou seja, os dinossauros podem segurar seus parâmetros arcaicos até onde conseguirem, mas eventualmente os jovens vão assumir tudo e vão ditar as regras para a próxima geração. É assim que funciona. E os animês estão voltando, talvez diferentes do que foram um dia, mas esse é um processo normal.

E sinceramente, sem for bem feito, como pode ser encontrado no You Tube, eu não teria problema nenhum com aberturas de animês em português e nem com eles dublados, ainda que hoje em dia, me sinta bem mais confortável de vê-los com áudio original. Só que estas coisas mudam, afinal houve no meu passado quando só tinha a opção de ver eles dublados e isso nunca me incomodou na época. Sendo assim, fica então a indicação do canal do Ricardo e de seus vídeos!

Alias, quem nunca cantou a música tema de Dragon Ball? Clássica!

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios