Dando Nota!JogandoLendo

The Witcher – A Casa de Vidro | Mistério em uma casa amaldiçoada! (Impressões)

Já faz um tempo em que escrevi aqui no site a respeito de uma outra HQ baseado no universo de The Witcher. Os Filhos da Raposa é a segunda edição dessa coleção que no momento só possui dois volumes (uma pena aliás). A Casa de Vidro foi lançado primeiro, porém não é um requisito lê-la antes. Cada conto funciona de forma isolada, sem uma cronologia que requer atenção.

Também não é uma série de quadrinhos que o leitor precise necessariamente conhecer suas influências, seja pelos livros, seja pelo game. É inegável que o design dos personagens, das criaturas e a própria ambientação vem muito por conta dos games da franquia, ainda que esta também me pareça ser bem fiel ao livros acredito. Nunca os li, mas também não vejo reclamações nesse sentindo em torno dos games pelas comunidades que acompanho. Até porque são os games que deram ainda mais fama as histórias originais destes livros escritos na Polônia na década de 90, pelo escritor Andrzej Sapkowski – caso você não saiba.

Bem, então eu nunca li os livros, nunca joguei os dois primeiros games da série e quanto ao terceiro game… ainda estou devendo algumas dezenas de horas para encerrá-lo. E mesmo assim adoro esse universo, os nomes das criaturas, o jeito e a personalidade do Geralt e os mistérios desse mundo, e que estas duas HQs trazem, tal qual o game tem também (mas que se perde em certos momentos em detrimento da ação que precisa existir – minha opinião, claro).

Não faz diferença pra mim, porém é legal saber que A Casa de Vidro é um conto original. Enquanto Os Filhos da Raposa é baseado em conto dentro de um dos livros da saga, isso não parece desmerecer nem um pouco as regras do universo em A Casa de Vidro ou deixar a HQ um tempero mais sem graça. Pelo contrário, tendo agora ambas as Graphic Novels para comparar, acredito que A Casa de Vidro tenha me agradado mais do que Os Filhos da Raposa.

E é difícil contar exatamente do que se trata a história sem que entregar spoilers dos motivos pelo qual ela é tão legal. Vou me esforçar e não entregarei as surpresas para quem ainda não a leu. Mesmo sendo um encadernado que saiu há tempos aqui no Brasil, ele ainda se encontra à venda em livrarias (e em formato digital), então acho que ainda não seria legal entregar spoilers a respeito do conto e suas reviravoltas.

O que dá para dizer é que Geralt, em suas andanças pelo mundo, encontra um velho caçador que tem um problema com sua esposa já morta. Jakob parece ser um cara legal, Geralt ao menos gostou dele logo de cara. Dividiram histórias em uma fogueira a noite. O que em tempos pela qual se passa o mundo de The Witcher é algo significativo eu diria.

Até que Jakob conta sua história, após Geralt perceber a esposa do recém conhecido companheiro de estrada em uma encosta. Nua, porque as mulheres em The Witcher usam pouco ou nenhuma roupa, claro. Inclusive horrorosas bruxas andam nuas nesse universo. Efnim, ambos resolvem pegar a estrada juntos e alguns contratempos acabam fazendo com que fiquem presos em uma floresta, na qual seu epicentro é uma misteriosa casa. Na qual Jakob irá reencontrar Marta, sua já falecida mulher.

A partir daqui não posso mais revelar detalhes da trama. O bacana é que no mundo de The Witcher nem tudo é o que realmente parece ser. Bruxas enganam, maldições são perigosas miragens, pessoas mentem, os mortos mentem e Geralt se encontra em mais uma enrascada na qual apenas sua intuição sempre parece apontar uma direção mais segura.

Nesse sentido A Casa de Vidro e Os Filhos da Raposa tem muito em comum. Nem tudo é o que parece ser e há uma grande mentira na trama que precisa ser revelada antes de Geralt finalmente entender com o quê está lidando. Em Os Filhos da Raposa ele se encontra preso em um pântano, sem conseguir fugir. Aqui, Geralt está preso dentro de uma casa em uma floresta que magicamente não lhe deixa sair dela.

E mesmo com tais singularidades, A Casa de Vidro tem personagens e uma trama ainda melhor que a segunda HQ dessa coleção. Ela é mais macabra, mais sombria. Mais intrigante. Aqui, dando mais tempo ao Geralt em si do que aos demais personagens secundários. Com direito a lutas e alguma mulher pelada caindo aos seus braços porque… bem… esse é um dos “poderes” de Geralt, certo?

Há que se avaliar que o tratamento da Editora Pixel para o encadernado é de luxo. Capa dura, papel especial, impressões de alta qualidade, especialmente porque a HQ usa muito cores escuras e não há uma página sequer daquele tipo de preto desbotado que as vezes alguns impressões aqui no Brasil possuem.

Ao final da aventura há um sketchbook, contendo várias artes da Graphic Novel, esboços e até mesmo ilustrações de artistas convidados, como o Mike Mignolia de Hellboy, que ilustra o que imagino ser sido uma das capas alternativas da HQ lançado originalmente nos Estados Unidos. Os esboços em si me chamaram a atenção, pois eles mostram as muitas fases da preparação da HQ até a sua arte final estar pronta. É um tipo de extra muito bem vindo.

Meu único pesar neste encadernado é não ter vindo uma matéria com o roteirista – Paul Tobin – e desenhista – Joe Querio – sobre o processo de desenvolvimento da Graphic Novel. Certamente seria um complemento muito valioso para o colecionador e fã da obra.  Porém vale alertar que em Os Filhos da Raposa há justamente tal desejada entrevista.

No mais, The Witcher – A Casa de Vidro é um dos lançamentos mais bacanas que já vi a Pixel trazer ao Brasil. Lançado lá fora pela Dark Horse, essa é uma Graphc Novel que certamente todo fã de The Witcher deve ter, isso se já não tiver. Uma pena que não esteja se produzindo mais nenhuma nova história até onde sei. A Casa de Vidro saiu originalmente em 2014, enquanto Os Filhos da Raposa é de 2015. Já foram dois anos. Era de se esperar que mais alguma nova história estivesse em publicação.

Mesmo assim são dois volumes fantásticos, que para quem curte o formato, o tratamento de luxo, precisa ter na estante em meio as demais coleções. É um gênero de fantasia e um universo tão incrível que fica difícil não ser seduzido pela obra, independente de ter jogado os games ou não ter lido os livros. Apesar de que após ler as HQs, certamente a curiosidade por mais desse universo provavelmente irá existir.

Vol. 1 | A Casa de Vidro
Amazon BR / Saraiva / Submarino / Liv. Cultura

Vol. 2 | Os Filhos da Raposa
Amazon BR / Saraiva / Submarino / Liv. Cultura

Edição de luxo perfeita para colecionadores
Excelente trama, prende do início ao fim
Foco em Geralt, porém os secundários possuem grande peso
Arte de Joe Querio personifica com maestria a série
Leitura mais centrada aos leitores mais velhos
Ótimos Extras ao final da edição

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios