Dando Nota!Jogando

Mr. Shifty | O ladrão do teletransporte! (Impressões)

Primeiro as apresentações. Mr. Shifty é um jogo do estilo beat ‘em up (brawler), desenvolvido pelo Team Shifty (este é o primeiro jogo da equipe), que é formada por ex-empregados veteranos da Halfbrick Studios, que somando todas as partes, estiveram por trás de 21 jogos, de GameBoy Advance a Xbox 360.  Incluindo Ben Vale, criador de Colossatron (iPhoneiPadAndroid). O game é totalmente single-player e chegou para as plataformas: Nintendo Switch, Microsoft Windows, macOS, PlayStation 4, Xbox One.

As músicas são compostas por Ack Kinmonth, e nos apresentam o som correto para cada situação que vivenciamos no game, mas não é nada que vai ficar na sua cabeça e que vai fazer você se pegar assobiando as músicas enquanto estiver fazendo coisas do dia a dia.

Mr. Shift, como descrito lá na chamada, é um ladrão que tem o poder do teletransporte de curtas distancias, o que seria o sonho de muita gente, me refiro a parte de ter tal poder e não de ser um ladrão, que fique bem claro. O game está disponível para PC, Switch, PlayStation 4 e Xbox One.

Continuando, o jogo é totalmente em português, pelo menos a versão usada no teste, que foi a do Xbox One. Mas ele não apresenta diálogos em áudio, somente em forma de texto, onde conhecemos Nyx que é uma ajudante e conselheira de Shift, lhe informando sobre a sua missão de roubo e do que está acontecendo ao redor, dando dicas e brincando as vezes.

Como era de se esperar de todo jogo, a missão principal não é nada fácil, já que se trata de recuperar (roubar) a substancia Mega Plutorio que atualmente está sob guarda do maligno Sr. Stone que pretende usa-la para a criação de uma arma super poderosa, e portanto deixou o item guardado na sua Torre Olympus, o local mais seguro do mundo. Sua missão é encontrar o tal item, pegar ele e dar o fora da torre. Tudo isso obviamente inclui lutar contra Sr. Stone todos os seus capangas variados. Prepare-se para encarar muitos inimigos, brutamontes, seguranças armados com várias armas, minas explosivas, raios lasers e armadilhas variadas.

Sobre a jogabilidade

Ela é tranquila e conta com poucas ações diferentes, o que não é uma má ideia se levar em conta como o jogo fica conforme se progride nele. O jogador pode correr e ao apertar o botão A se teletransportar para onde o marcador esteja na tela, uma distância curta de alguns passos. Além disso com outro botão B você pode pegar e arremessar itens que podem ser usados como armas (tridentes, vasos, pedaços de pau, espadas e outras coisas), por fim com o botão X o personagem dá porrada nos inimigos. Tudo fácil de se acostumar e logo o jogador estará fazendo tudo isso instintivamente.

Assim talvez você pensar que o protagonista é quase um imortal, correto? Ledo engano. Você morre com um ataque, seja ele por meio de tiros (que em algumas situações se tornam caóticos) ou por levar golpes de inimigos brutamontes. Além disso explosões, raios lasers e misseis também lhe matam com um único toque.

Você não pode se teletransportar infinitamente, uma barra inferior na tela mostra a quantidade de vezes que pode usar seu poder e vai se recarregando aos poucos. Então não dá pra cruzar a fase num frenesi de teletransporte sem fim. Ficar sem o poder no meio de inimigos é morte na certa. É preciso ter muito cuidado com isso.

Morra até cansar…

A propósito, acostume-se a morrer diversas vezes nas fases, já que ao menor erro você morre e tem muita coisa para tentar lhe matar ao mesmo tempo, conforme já comentei a pouco. O desafio vai se tornando gradativamente mais difícil e escapar de certas situações (a maioria delas na verdade) tem mais haver com você, como jogador, de usar de forma certa e precisamente as habilidades, itens do cenário ou a situação como um todo. Morra, veja seu erro, volte e tente novamente, de outra forma, ou da mesma, caso acredite que vai conseguir nessa segunda, terceira ou quarta tentativa.

A morte vai joga-lo de volta ao início da fase em questão, o que não é uma grande inconveniência pelo tamanho razoável das fases, mas após várias mortes isso deixa você desejando por pontos de salvamento no meio das fases, ao menos algumas delas.

Mas o jogador pode evitar a morte de vez em quando com uma habilidade conveniente: sincronizando bastante porrada nos inimigos um medidor se preenche e torna-se possível desviar de balas em câmera lenta. Só que é possivel morrer do mesmo jeito. A habilidade não deixa Mr. Shift invulnerável, somente deixa o jogo em câmera lenta, os tiros continua no lugar e se tocar neles é morte certa. É uma câmera lenta, mas que pode matar caso não preste atenção.

Saiba o que deve ser feito

Ficar sem saber como avançar pelo estágio é comum, mas como falei, use a sua imaginação para ver o cenário como um todo. Sempre existe uma forma de solucionar o desafio e escapar dos inimigos. Mas já se prepare, tem umas partes com raios laser que são de arrancar os cabelos ou jogar o controle longe, tome cuidado. Controles de videogame são caros, certo?

Antes que você tenha a ideia de pegar as armas de fogo de seus inimigos caídos, saiba que isso não é permitido pelas regras do game. Mr. Shift somente possui a possibilidade para pegar as armas de combate corpo a corpo para usá-las contra seus inimigos. Dentre tantas opções que vão de vassouras, montes de dinheiro, pedaços de estátuas, extintores de incêndio, assentos sanitários e outras coisas. Houve um genuíno momento em que me diverti ao pegar um tridente de uma estátua e jogá-la contra uma fila de inimigos, deixado todos eles espetados na parede. Bom também usar um escudo para espalhar os inimigos pela tela.

E ai, vamos jogar outra vez? Pois é, após terminar o game aparentemente não existe mais nada o que fazer, somente tentar jogar o jogo inteiro sem morrer para pegar uma conquista, o que convenhamos ser quase impossível, ao menos pra mim, devido a quantidades de vezes que morri em algumas fases. Pensar em não morrer nenhuma vez durante toda a campanha soa como uma loucura total.

Considerações finais

Curti jogar Mr. Shift, é como os antigos jogos de beat ‘em up lá dos anos 90, mesmo que ele não funciona no convencional sistema de câmera 2D, utilizando uma visão isométrica para compor a ação. Depois de um tempo se torna uma questão de saber o que fazer e não de sair na porrada com os inimigos, de saber se esconder e atacar de surpresa. Entra um elemento de puzzle em meio ao gênero que é famoso apenas por esmurrar botões. Mr Shifty consegue ser um pouco mais do que isso. É um game de dificuldade escalonada e se você não tiver muita paciência pode acabar falando alguns nomes em voz alta entre uma morte e outra. Jogue, mas sem esperar por algo que vai mudar a sua vida, nas primeiras fases vai ser divertido, depois começa a ficar mais puxado e perto do final vira uma questão de honra conseguir passar das fases. Vale o desafio.

Mecânicas de teletransporte
Desafiador na medida de tentativas e erros
Controles respondem na medida exata
Boa durabilidade para um indie game
História se perde um pouco após certo momento
Nada de armas de fogo, resolva tudo na porrada

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Paulo Roberto L. S.

Gamer desde o antigo Master System 3. Leitor de HQs (Marvel/DC) e de Mangás, como atividades extras me dedico a treinar Pokémon e sair em busca de conquistas e troféus.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.