JogandoRapidinhas

Ficha Indie | The Aquatic Adventure of the Last Human, dos desenvolvedores YCJY

Não me canso de comentar como adoro ver Indie Games lançados há algum tempo no Steam chegando a atual geração de consoles. Não importa se isso leva meses ou, neste caso, anos. É sempre uma porta de entrada para novos jogadores conhecerem um título independente, especialmente devido ao ritmo insano na qual o PC recebe tais jogos. E eis que chegou a vez de The Aquatic Adventure of the Last Human debutar no PlayStation 4 e Xbox One em alguns dias.

O título foi lançado em janeiro de 2016 no Steam e dois anos depois está chegando no próximo dia 19 no Xbox One e no dia no dia 23 no PlayStation 4. Assistindo a alguns trailers e vídeos o jogo logo me lembrou de Song of the Deep, que curiosamente também foi lançado em 2016, porém alguns meses depois de Aquatic Adventure. Não que essa curta janela entre eles queira significar que um copiou algo do outro, e sim que é apenas uma coincidência destas que ocorrem constantemente nesse mercado de jogos eletrônicos.

Gostei de como a direção de arte de The Aquatic Adventure of the Last Human segue um modelo mais de pixelart, o que dá um charme singular a ambientação do jogo, que segue o gênero metroidvania, na qual o jogador precisa explorar grandes áreas interligadas e descobrir segredos para se aprofundar mais ainda em áreas que inicialmente são inacessíveis.

Segundo o release oficial dele, a proposta do título é mesclar momentos de calmaria, onde o jogador apenas aprecia a atmosfera subaquática com momentos de grandes batalhas contra perigosos monstros marinhos. E sim, é um jogo de água, onde o jogador vai passar todo o tempo embaixo d’água. Isso quer dizer uma movimentação mais lenta, menos frenética e é sabido que existem jogadores que não curtem games com fases de água (apesar que isso é algo mais antigo, quando games de plataforma 2D eram o que tinha de melhor nos videogames), o que dizer então de um game que é todo submerso? Pois é, eu dessa turma que não é muito fã de ambientes aquáticos, apesar de que isso me incomoda mais quando o jogo mescla fases em terra e em alguns momentos me joga para baixa d’água, mudando assim sua física.

Também fiquei interessado pela história do game, que se passa em um futuro distópico na qual a humanidade vê todo o planeta viver uma grande bola de gelo, sendo obrigada a passar a viver embaixo d’água, na qual aprendemos a obter energia e comida em tais condições. Até que um grupo de humanos resolve explorar por novos planetas para habitarmos, mas algo dá errado e uma nave retorna milhares de anos depois para a Terra só para descobrir que seu único piloto é o único humano vivo. A humanidade agora está extinta e esse último sobrevivente irá adentrar nas profundezas do oceano para descobrir o que aconteceu e como nossa civilização chegou ao seu fim. Parece muito legal, não? É o tipo de plot que me leva para frente de uma aventura como essa.

Links.

Para saber mais de The Aquatic Adventure of the Last Human pegue seu submarino e vá para as coordenadas do site oficial. Este interessante indie game é um projeto do estúdio sueco chamado Y/CJ/Y, que também tem um site oficial. Atualmente o estúdio já está trabalhando em um novo título chamado Keep Driving, cujo os detalhes ainda são escassos, mas gosto da pixelart que está em sua página oficial. Enquanto isso, The Aquatic Adventure pode ser encontrado lá no Steam custando apenas 19 reais, e nos próximos dias o veremos chegando digitalmente no PlayStation 4 e Xbox One, que está sendo distribuído globalmente pela Digerati. Infelizmente, segundo a descrição no Steam, o game não tem localização em português, mas ficarei de olho na versão de consoles para ver se isso não vai mudar (e volto para comentar aqui). Por fim, para quem quiser seguir os desenvolvedores e as novidades sobre seus jogos, tem os links da redes sociais, no Twitter e Facebook.

Trailer.

Imagens.

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios