ComunicadosJogando

53 países e novas categorias, BIG Festival divulga lista de jogos finalistas

Evento selecionou 54 jogos; Brasil participa nas principais categoria

Já estão definidos os finalistas da premiação do BIG Festival 2018, o maior evento de jogos independentes da América Latina. Com 646 games inscritos de 53 países – 420 só de desenvolvedores brasileiros-, o evento selecionou 54 deles que irão compor as categorias do festival. Os vencedores serão anunciados na Cerimônia de Premiação no dia 28 de junho, no BIG Festival, em São Paulo.

O jogo neozelandês 39 Days to Mars lidera a disputa, concorrendo nas categorias Melhor Arte, Melhor Narrativa, Melhor Som e em Melhor Jogo. Dentre os brasileiros, os destaques ficam para UNSIGHTED e Galaxy of Pen and Paper, ambos finalistas para Melhor Jogo Brasileiro e Melhor Jogo, as principais do evento.

Neste ano o evento conta com 15 categorias, sendo três delas inéditas: Melhor Jogo de Estudante, Melhor Multiplayer e Melhor Jogo Infantil. Elas se juntam a Melhor Jogo, Melhor Jogo Brasileiro, Melhor Jogo da América Latina, Melhor Som, Melhor Arte, Melhor Narrativa, Melhor Gameplay, Inovação, BIG Impact: Categoria Educacional, BIG Impact: Categoria Questões Sociais, Melhor Jogo de Realidade Virtual e Voto Popular, para selecionar as principais produções independentes de 2018.

Ao todo, serão distribuídos R$ 45 mil em prêmios, divididos nas categorias: Melhor Jogo (R$ 10 mil), Melhor Jogo Brasileiro (R$ 10 mil), Melhor Jogo da América Latina (R$ 10 mil), BIG Impact: Categoria Educacional (R$ 5 mil, patrocinado pela Dow Chemicals) e Melhor Jogo VR (R$ 5 mil). Os outros R$ 5 mil irão para o game eleito pelos visitantes do evento na categoria Voto Popular. Só em 2017, o BIG teve mais de 20 mil visitantes. A entrada é gratuita e o público pode testar todos os jogos finalistas.

Além do prêmio em dinheiro, o vencedor do Melhor Jogo Brasileiro irá ganhar divulgação no portal IGN Brasil, no valor de R$ 50.000,00 e uma bolsa internacional do Indie Prize para a Casual Connect Asia 2018. 

Os jogos não finalizados, ou que não foram selecionados como finalistas, também ganham uma mãozinha do BIG. Projetos brasileiros que ainda estão em fase inicial serão apresentados no BIG Starter, vertical do festival onde o desenvolvedor terá a oportunidade de apresentar seu game a uma plateia composta por potenciais investidores, nomes relevantes do game design nacional e internacional, jornalistas e outros formadores de opinião. Outra área de destaque para os jogos brasileiros é o Panorama Brasil, que reunirá os 30 melhores jogos nacionais que não foram selecionados para a premiação, mas são qualificados para serem destacados no espaço para o público conhecer. Desses 30 jogos, 10 vagas estão reservadas para games brasileiros produzidos por estudantes.

Veja abaixo os finalistas e jurados do BIG Festival 2018:

Melhor Jogo
– Dead Cells (Motion Twin), da França
– Frostpunk (11 bit Studios), da Polônia
– 39 Days to Mars (It’s Anecdotal), da Nova Zelândia
– Semblance (Nyamakop), da África do Sul
– Cultist Simulator (Weather Factory), do Reino Unido
– Galaxy of Pen and Paper (Behold Studios), do Brasil
– UNSIGHTED (Studio Pixel Punk), do Brasil Melhor Jogo Brasileiro
– Rock & Rails (Black River Studios)
– UNSIGHTED (Studio Pixel Punk)
– Galaxy of Pen and Paper (Behold Studios)
– No Heroes Here (Mad Mimic Interactive)
– Hexarmonic (6 side studios)
– Alkimya: Memories of The Last Alchemist (Bad Minions)
– Radar Warfare (DreamRoad Productions)
– Roguemance (Lucas Molina)
– Until Dead – Think to Survive (Monomyto Game Studio)
– IN (Epopeia Games)Melhor Jogo da América Latina
– Ship Ahoy! (OKAM Studio), da Argentina
– Rock of Ages 2: Bigger and Boulder (ACE Team), do Chile
– Iron Marines (Ironhide Game Studio), do Uruguai
– The Last Friend (The Stonebot Studio), do El Salvador
– Darkestville Castle (Epic LLama), da Argentina

Melhor Arte
– Dead Cells (Motion Twin), da França
– 39 Days to Mars (It’s Anecdotal), da Nova Zelândia
– Chuchel (Amanita Design), da República Checa
– Semblance (Nyamakop), da África do Sul
– Luna (Funomena LLC), dos Estados Unidos
The Gardens Between (The Voxel Agents), da Austrália
– Haimrik (Below The Game), da Colômbia

Melhor Narrativa
– Path to Mnemosyne (SPHERICAL PIXEL S.L), da Espanha
– 39 Days to Mars (It’s Anecdotal), da Nova Zelândia
– Tacoma (Fullbright), dos Estados Unidos
Where The Water Tastes Like Wine (Dim Bulb Games), dos Estados Unidos
– The Mooseman (Vladimir Beletskiy), da Rússia
– All Walls Must Fall (inbetweengames UG), da Alemanha
– STAY (Appnormals Team), da Espanha

Melhor Gameplay
– Frostpunk (11 bit Studios), da Polônia
– Dead Cells (Motion Twin), da França
– Keyboard Sports – Saving QWERTY (Triband), da Dinamarca
– Semblance (Nyamakop), da África do Sul
– Cultist Simulator (Weather Factory), do Reino Unido
– DYO (Team DYO), da Alemanha
– Slime Rancher (Monomi Park), dos Estados Unidos

Inovação
– Tacoma (Fullbright), dos Estados Unidos
– DYO (Team DYO), da Alemanha
– Haimrik (Below The Game),da Colômbia
– Cultist Simulator (Weather Factory), do Reino Unido
– Motif. (Yeta Game), da Túrquia
– At Sundown (Mild Beast Games), dos Estados Unidos
– FROST (kunabi brother), da Áustria

Melhor Som
– Double Kick Heroes (Headbang Club), da França
– Chuchel (Amanita Design), da República Checa
– Rhythm Doctor (7th Beat Games), da Malásia
– Luna (Funomena LLC), dos Estados Unidos
– 39 Days to Mars (It’s Anecdotal), da Nova Zelândia
– Hexarmonic (6 side studios), do Brasil

BIG Impact: Categoria Educacional
– Rango Cards (Fira Soft), do Brasil
– Marvellous Inc. (Marvellous Soft), do Brasil
– Alfabééto (Spacefrog), do Brasil
– Slice Fractions 2 (Ululab), do Canadá
– Geração Água (Universidade Feevale – LOA – Laboratório de Objetos de Aprendizagem), do Brasil

BIG Impact: Categoria Questões Sociais
– Fofuuú (FOFUUU SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS PARA SAÚDE E EDUCAÇÃO LTDA), do Brasil
– The Mooseman (Vladimir Beletskiy), da Rússia
– Florescer (PugCorn), do Brasil
– HEADLINER (Unbound Creations LLC), dos Estados Unidos
– Lenin – The Lion (Lornyon – João Bueno), do Brasil

Melhor jogo de Estudante
– DYO (Desenvolviido por Team DYO, na Instituição HTW Berlin), da Alemanha
– Muddledash (Desenvolvido por slampunks, na Instituição University of Edinburgh), do Reino Unido
– At Sundown (Desenvolvido por Mild Beast Games, na Instituição University of Southern California), dos Estados Unidos
– Motif. (Desenvolvido por Yeta Game, na Instituição Hacettepe University & Gazi University from Turkey), da Turquia
– Impulsion (Desenvolvido por Driving Force Games, na Instituição Institut de l’Internet et du Multimédia), da França

Melhor Multiplayer
– ARENA GODS (Supertype), dos Estados Unidos
– No Heroes Here (Mad Mimic Interactive), do Brasil
– At Sundown (Mild Beast Games), dos Estados Unidos
– Muddledash (slampunks), do Reino Unido
– Treadnauts (Topstitch Games), dos Estados Unidos

Melhor Jogo Infantil
– Chuchel (Amanita Design), da República Checa
– Alfabééto (Spacefrog), do Brasil
– Luna (Funomena LLC), dos Estados Unidos
– Fofuuú (FOFUUU SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS PARA SAÚDE E EDUCAÇÃO LTDA), do Brasil
– St. Ives (StoryMax), do Brasil

Melhor Jogo de Realidade Virtual
– Luna (Funomena LLC), dos Estados Unidos
– Ship Ahoy! (OKAM Studio), da Argentina
– The Invisible Hours (TEQUILA WORKS), da Espanha
– Primordian (Stonepunk Studios, LLC), dos Estados Unidos
– Rock & Rails (Black River Studios), do Brasil

Especialistas BIG 2018
– Antonio Teoli: Especialista de Som
– Ricardo Troula: Especialista de Arte
– Carlos Eduardo Nogueira: Especialista de Narrativa

Consultoria de Gameplay
– Marcos Venturelli

Jurados Internacionais BIG 2018
– Lauren Freeman: Senior Manager, External Development, Electronic Arts
– Reginaldo Valadares: Head of Studio, Rovio
– John Comes: CTO, tinyBuild
– Luis Wong: Overseas Operations Manager, IndieNova
– Paul Hendrets: Director – Good Shepard Entertainment
– David Wood: Business Development, Bandai Namco Entertainment AmericaSobre

O BIG Festival (Brazil’s Independent Games Festival) acontece desde 2012 e é considerado o mais importante festival de jogos independentes da América Latina. Com a missão de fortalecer o ecossistema de games no Brasil, o evento abrange competição entre jogos nacionais e internacionais com prêmios em dinheiro, exposição ao público dos jogos selecionados, cerimônia de premiação,  palestras e rodadas de negócios. Em 2017, o BIG teve mais de 20 mil visitantes, sendo 3.500 deles em palestras, e mais de 1600 reuniões de negócios. Neste ano o BIG vai expandir a programação de palestras e workshops, incorporando outras áreas que fazem parte do desenvolvimento dos games como música, animação, realidade virtual e aumentada, feira de carreiras, dentre outras verticais de conteúdo já presentes no evento.

Confira as verticais do BIG Festival:

BIG Audio: vertical dedicada a debater a música e suas intersecções com todas as áreas da indústria criativa;
BIG Brands: segmento voltado aos jogos e experiências digitais interativas sob encomenda que fazem parte de estratégia de grandes marcas;
BIG Business Meetings: reuniões de negócios em área exclusiva para empresários (única área paga do evento)
BIG Carreiras: traz informações do mercado e dicas para ajudar iniciantes;
BIG Dev: trilha de palestras orientadas para as disciplinas envolvidas no desenvolvimento de jogos, como arte, programação, game design, usabilidade, produção, entre outros.
BIG Forum: encontro de profissionais da indústria criativa (games, cinema, audiovisual, publicidade, música)
BIG Ideas for Cities: discussão e debates de problemas urbanos por meio dos jogos.
BIG Impact: iniciativa dedicada aos jogos com impacto positivo, que transformam a sociedade;
BIG Latin America: traz os principais desenvolvedores das regiões Argentina, Chile, Uruguai, México, Colômbia, Costa Rica e Paraguai. Cada ano com um foco em um país;
BIG Music Day: parceria com o Dia da Música, maior evento de bandas independentes do Brasil, que fará parte do BIG a partir de 2018, com shows de bandas independentes em diversos locais pela cidade de São Paulo;
BIG Starter: premiação para projetos de jogos ainda não finalizados, com foco na formação de novas empresas para ajudá-las a ganhar potencial de mercado e visibilidade enquanto indústria;
BIG Ventures: vai aproximar investidores públicos e privados do setor de games e da indústria criativa, com um line up dedicado ao empreendedorismo;
BIG VR/AR: exposição de jogos para o público e sessões que discutem a realidade virtual.

O BIG Festival tem o patrocínio máster da Oi, patrocínio gold do BNDES, patrocínio da Dow, da Prodesp – Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo e da Desenvolve SP; apoio do Centro Cultural Oi Futuro; parceria com Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, através do Projeto Brazilian Game Developers e da  ABRAGAMES – Associação Brasileira de Desenvolvedores de Jogos Digitais. A realização é da Bits Productions, Spcine, Centro Cultural São Paulo, Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Economia da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Ministério da Cultura e Ministério das Relações Exteriores.

// Comunicado enviado via assessoria de imprensa da BIG Festival //

Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.