GAMEPLAY | Tentativa e morte para SINNER: Sacrifice for Redemption

SINNER: Sacrifice for Redemption chegou aos consoles (PS4, Switch e Xbox One) no último dia 23 de outubro, e o game vem com uma proposta bem interessante que vale a pena ser mencionada, além de estar demonstrada no vídeo de gameplay que abre a postagem.

O título foi desenvolvido por um estúdio independente chinês, a Dark Star Game Studios, enquanto contra com a distribuição global da Another Indie, empresa localizada em Hong Kong que cuida exatamente da publicação de jogos independentes desenvolvidos na China e Sudoeste Asiático.

Atualmente não há localização dele para nosso português, mas o jogo contra com a tradicional localização em inglês. Não é preciso se preocupar que ele esteja apenas em chinês. Menciono isso porque no Xbox One o game teve um pequeno problema em seu lançamento em quê nos consoles Xbox com os sistemas configurados para o português o game estava abrindo apenas em chinês, e sem ter como mudar isso nas opções do menu principal do título. Se o jogador alterasse sua configuração do console em si para inglês, o jogo seguia esse padrão mudava para o inglês, mas é algo que nem tudo mundo entendeu isso no dia do lançamento. Choveram reclamações na Microsoft Store por conta disso. Os desenvolvedores correram e consertaram isso um dia depois (foi muito rápido). Hoje, se você colocar o jogo para rodar na dashboard em português, o idioma padrão do game automaticamente já fica em inglês.

SINNER: Sacrifice for Redemption também não é um jogo que necessariamente tem longas linhas de diálogos que atrapalham o fato dele não estar localizado em nosso idioma. Claro que é sempre legal quando a localização acontece, entretanto dá para jogar e entender sua proposta e mecânicas sem qualquer conhecimento do idioma norte-americano. Trata-se de um jogo de batalha de chefes, onde o jogador deve perceber pontos fracos e estratégias para se defender e atacar estes oponentes. Não há textos em tela explicando como fazer.

Há uma forte influência de Dark Souls no título. Não é uma cópia ou um plágio, entretanto. É realmente uma inspiração, com base em uma proposta diferente. Em Dark Souls o jogador precisa enfrentar um caminho tortuoso até grandes batalhas de chefes, enquanto coleta almas para ficar mais forte e progredir em um grande mundo aberto. SINNER simplifica muito isso, além de apostar suas fichas na contramão de um sistema de subida de nível. Pelo contrário, aqui o jogador perde atributos e fica mais fraco a cada chefe derrotado.

É como um Mega Man ao contrário. No gameplay gravado em nosso canal do YouTube acabei de deparando com três chefes e cada um tinha um revés para poder entrar na área onde os confrontaria. A ideia é que o jogador pague um sacrifício, que lhe retira alguma vantagem ou atributo. E cada chefe toma algo específico do jogador. Não é como se fosse algo linear e gradual a cada vitória. É preciso pensar o que deve sacrificar em detrimento a outros combates que virão se a vitória for obtida.

Por exemplo, a Morte (em forma de Corvo), o primeiro chefe do vídeo. O sacrifício exibido é uma boa porção da sua vida e vigor. Não é uma boa ideia começar por esse chefe, pensando que depois o jogador terá que enfrentar os demais com exatamente sua saúde e vigor debilitados. Não o derrotei, mas fui bem longe na batalha. Não me soou como um chefe difícil, mas me pareceu errado ser o primeiro a vencer por conta do sacrifício exigido.

Os outros dois chefes do vídeo pedem outro tipo de sacrifício. Um diminuiu meu número de poções (que restauram saúde) e o outro a quantidade de itens mágicos que poderia usar (como a lança ou bombas, que atacam à distância). São sacrifícios melhores do que a saúde e vigor em si. Poderia começar por eles. Porém no vídeo estava apenas testando o jogo pela primeira vez, não esperava conseguir derrotá-los de primeira e nem mesmo após algumas tentativas.

A proposta de SINNER: Sacrifice for Redemption me pareceu exatamente essa: repetir e aprender. Testar todos os chefes, verificar todos os tipos de sacrifícios exigidos e depois partir para uma estratégia e ordem de quais chefes combater. No vídeo não deixa claro, mas depois, lendo as conquistas do jogo, percebi que os chefes possuem fraquezas e pontos fracos. O segundo chefe do vídeo, com uma boca na barriga, tem exatamente esse ponto como sua fraqueza. Provavelmente devo explodir sua boca com as bombas do meu inventário. Não é obrigatório para vencer, mas possivelmente é uma tática para causar dano massivo ou tornar mais fácil atacá-lo de perto.

Não é um game molezinha de se vencer. O desafio faz parte da brincadeira e morrer é parte dos elementos de progressão do jogo. Aprender, decorar, descobrir o melhor caminho até o último chefe.

SINNER: Sacrifice for Redemption também está agendado para chegar ao PC no próximo ano, possivelmente em fevereiro. Enquanto isso, vale também apontar que o título está disponível no catálogo do Xbox Game Pass desde o dia do seu lançamento. Então, quem for assinante do serviço no Xbox One não precisa comprar o game, podendo vivenciar toda sua experiência direto pelo catálogo do serviço. No mais, quem quiser saber mais do jogo, visite o site oficial.

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
More from Thiago Machuca

Banimento Tupiniquim de Bully ganha repercussão internacional…

Tenho que admitir que quando algumas palhaçadas do nosso “Brasilzão” viram noticia,...
Read More