Dando Nota!Jogando

Análise | Mighty Switch Force! Collection

Disponível para PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC

Mighty Switch Force! Collection chegou para os atuais consoles da geração e PC agora no último dia 25 de Julho de 2019, a versão utilizada para a escrita deste review foi a do Xbox One. O título é uma coletânea de jogos desenvolvida e publicada pela WayForward, estúdio que produz há alguns anos os jogos desta série. Se você já jogou algum Mighty Switch Force, saberá o que vem pela frente.

No meu caso já havia jogado o título para o portátil da Nintendo, e foi meio isso que me despertou minha atenção para esta coletânea, por recordar o passado e obviamente pelo valor agregado. Mas é provável que você não conheça, então não se preocupe. É por isso que estou aqui hoje, este é um dos propósitos desta análise.

A coletânea é composta pelos seguintes jogos: Mighty Switch Force!, Mighty Switch Force! Hyper Drive Edition (versão HD do título anterior), Mighty Switch Force! 2 e Mighty Switch Force! Academy. Os 4 games são dos gêneros ação, aventura, plataforma e quebra cabeça, e somente o Mighty Switch Force! Academy possui multiplayer local para até 4 jogadores.

Interessante apontar que atualmente esta coletânea é a única forma dos jogadores conseguirem jogar todos os jogos da franquia. Isso porque a série nasceu no portátil 3DS da Nintendo em 2011, aparecendo depois rapidamente no Wii U (também da Nintendo) e depois rumou para o PC. Ah e Mighty Switch Force! Academy por sua vez saiu somente para os jogadores de PC via Steam. Então, independente de qual seja a sua plataforma principal, esta é a sua chance de conhecer todos os jogos Mighty Switch Force de uma só fez. Fora a sua raridade, já que se for pensar, são jogos que nunca saíram em consoles mais mainstraem, como Xbox e PlayStation.

Um adendo legal de se mencionar: os proprietários do Nintendo Switch podem jogar o multiplayer de Mighty Switch Force! Academy utilizando os Joy-Con independentemente, o que já permite 2 jogadores em qualquer local utilizando o console no modo portátil.

Oficial ao seu dispor

Em ambos os 4 jogos assumimos o controle da oficial Patricia Wagon, que tem uma certa semelhança com o nosso velho conhecido Mega Man, e é uma das responsáveis pela pacificação cibernética. Como tal, ela conta com suas armas Pellet Gun (que atira balas em 3 dos jogos) e com a Firehose que permite o disparo de jatos de água para eliminar chamas de incêndios e neutralizar inimigos (é o destaque do jogo Mighty Switch Force! 2).

Os primeiros jogos contam cada um com 16 incidentes que são as fases dos jogos e o Mighty Switch Force! Academia conta com 24 totalizando assim mais de 70 níveis para exploração, aventura e diversão. Em cada um deles, para concluirmos a fase em si, necessitamos realizar a recaptura/salvamento das Hooligan Sisters, um grupo de perigosas prisioneiras que escaparam e estão causando o caos por Planet Land.

Quando capturamos todas elas (5 por nível) o Gendarmor (um Mecha gigante) vem para buscar Patricia Wagon e a transportar para o próximo desafio. Vale lembrar que o desafio por si torna-se chegar até o local onde elas estão escondidas, já que não existe confronto direto com elas.

Teremos muitas vezes que voar utilizando dispositivos chamados de Launch Blocks (blocos de lançamento) que ao serem materializados (no momento oportuno) com a utilização da sirene (que materializa blocos de um plano para outro do cenário), podem enviar Patricia Wagon ou determinados inimigos para outras áreas, e muitas vezes devemos fazer isso sequencialmente e repetidamente, se errarmos um, teremos que fazer toda a sequência novamente. Esse é um ponto que acaba ficando meio chato caso você não esteja com muito tempo ou de bom humor na hora que resolver jogar.

Outra coisa que devemos cuidar é que os blocos que são trazidos para a frente da tela, e por isso podem matar a personagem ou inimigos que estiverem passando na frente no momento da materialização, algumas vezes usaremos isso para cumprir a tarefa de derrotar inimigos fortificados, que não podem ser derrotados de outra forma, e somente a derrota deles vai abrir portais que liberam o acesso a outras áreas das fases. De forma mais pacífica estes blocos podem ser utilizados muitas vezes somente como plataformas para permitir a escalada da área ou a passagem por locais onde a queda representa a morte da personagem.

Podemos receber danos (vindo de ataque de inimigos, tendo contato com áreas perigosas e etc) por três vezes, após isso teremos que reiniciar o nível do seu começo. Toda vez que sofrerem dano, iremos recomeçar do último ponto de salvamento do game. Mas podermos recuperar vida ao derrotar inimigos e encontrarmos cards com o símbolo de coração dentro (o que normalmente são itens em abundância a ponto de ser difícil precisar reiniciar um level por completo).

Essa fórmula funciona em todo os quatros jogos da série, com o diferencial de que em Mighty Switch Force! 2 há toda uma mudança do layout policial para bombeira ao resgate, com a arma se tornando uma pistola d’água. Mas tirando esse detalhe, é tudo no mesmo esquema. Há os inimigos, os blocos de materialização e as garotas que precisar ser resgatadas. Já em Mighty Switch Force! Academia, o diferencial está no multiplayer, entretanto é a mesma coisa, desafios de plataformas e capturar todas as fugitivas, com um layout de estágio com tela fixa, e os personagens incrivelmente minúsculos na tela.

4 jogos em 1 pacote

Vamos falar um pouco de cada um dos jogos:

Em Mighty Switch Force! e seu remake em HD chamado aqui de Mighty Switch Force! Hyper Drive Edition, neles você vai atacar inimigos enquanto “troca” blocos de primeiro para o segundo plano (e vice-versa) com o uso da sirene presente no capacete utilizado pela protagonista, enquanto busca e captura as delinquentes que escaparam da prisão, aliás os monstros inimigos que estão pelas fases foram soltos por elas para dificultar a sua vida e consequentemente complicar a recaptura delas.

Vale apontar que mesmo sendo ambos os jogos, Hyper Drive Edition tem gráficos todos desenhados à mão, em um belo 2D, enquanto Mighty Switch Force! original utiliza o estilo de gráficos em pixel art. Bacana dizer que em Hyper Drive, após vencer o primeiro estágio, uma opção extra lhe permite jogar com a oficial Patrcia Wagon com a textura em pixel art, enquanto do o resto do game segue o estilo 2D animado. Essa é uma versão com fases extras em relação ao original, e que fez muito sucesso quando saiu originalmente com exclusividade para o Nintendo Wii u.

Já em Mighty Switch Force! 2 temos a troca da arma convencional para a Firehose, já que o mundo está em chamas e esse fato acabou deixando as antigas fugitivas, agora reformadas, e não tão malignas, perdidas em meio ao fogo presente nos ambientes. Teremos que utilizar de muita água para salvar este mundo. A parte de mudar os blocos de plano com o uso da sirene continua presente. Um extra são bebês que devem ser resgatados (um por fase) e que estão em locais de difícil acesso, garantindo um bônus caso sejam encontrados. A oficial Wagon não é muito delicada com os bebês, o que sempre me tira um sorriso quando ela grita que ele está salvo dando lhe um pontapé para fora do estágio.

Já no último game, Mighty Switch Force! Academia, iremos ensinar aos outros jogadores como foi que jogamos os outros games da série, pois aqui a diversão pode ser compartilhada com até 4 jogadores ao mesmo tempo, os cenários lembram uma mistura de Pac-Man com Mario Bros. (o antigão, antes de virar Super Mario Bros.), onde podemos sair em um lado do cenário e aparecer no outro, cair em um buraco no chão e reaparecer no topo da tela. O multiplayer é local e se você não tiver um segundo jogador, ainda poderá aproveitar o jogo sozinho.

Sonzinho que agrada

Aqui a música faz parte da experiência que vamos ter e as trilhas dos quatro jogos foram criadas por Jake Kaufman, todas no mais agradável estilo chiptune. Jake já estava acostumado a fazer chiptune quando encarou estes jogos e suas músicas caíram como uma luva neste caso, não é pra menos, pois ele manda muito bem nessa área.

Entre os vários jogos que ele trabalhou podemos citar os famosos Legend of Kay (PS2), Red Faction: Guerilla (multiplataforma), Retro City Rampage (multiplataforma) e muitos outros. Então o cara sabe o que faz. Sabe aquelas músicas que ficam tocando na sua cabeça e que apesar de serem sempre a mesma coisa você não acha irritante ou acaba por abaixar o som? Não é fácil conseguir esse mérito.

Além disso, os efeitos sonoros também batem exatamente com a proposta dos jogos. Os personagens emitem pequenas falas, os barulhos de tiro, dos blocos ativando e desativando etc. não são irritantes, o que é um alívio vindo de um jogo que tem uma total vibe arcade.

Considerações finais

Para curtir Mighty Switch Force! Collection há que se ter mente que estes jogos são tipicamente curtinho, pensados naqueles jogadores que adoram speedruns (ato de terminar no menor tempo possível a fase e/ou o jogo inteiro). Não é pra menos que cada fase tem justamente essa marcação de tempo para placares de líderes.

Teremos momentos onde a solução do quebra-cabeça não será o grande problema, mas será necessário fazer uma sequência de ações no menor tempo possível e, como mencionei antes, isso pode ficar frustrante com o tempo. Nas versões para Steam, PS4 e Xbox consequentemente o quesito tempo é o que permeia as conquistas/troféus.

Posso dizer que os quebra-cabeças em todos os jogos nunca me pareceram muito complicados. No entanto, com cada etapa concluída, a próxima se baseará nas coisas que já aprendemos, o que vai levar cada área a ser mais difícil que a anterior. Isso traz um equilíbrio ao não deixar o jogo muito fácil depois de algumas fases concluídas, mas certamente pode frustrar àqueles que curtirem o desafio da ação e plataforma do jogo, mas não são fãs de puzzles. Parte da proposta do jogo envolve pensar e descobrir como chegar a todas as garotas a serem coletadas. Não é só ir para frente em boa parte das fases. O jogo explora bastante o conceito de plataformas e senso de verticalidade.

Cabe também um elogio ao sistema de materialização dos blocos, que é muito preciso, congelando a fase no momento em que o jogador aperta o botão para alternar entre blocos visíveis e invisíveis, e adiciona um peso a personagem, fazendo ela cair com exatidão ao acionar a sirene. Esse timing preciso é interessante, mas pode levar um tempo para se acostumar, podendo ativar ele antes de chegar ao bloco e ser puxado para antes de botar os pés no mesmo. Mas no geral é uma ótima mecânica, que funciona muito bem e é grande parte do desafio do jogo: pular e ativar blocos na hora certa. Há um forte elemento de plataforma nos quatros jogos da coletânea.

Já uma coisa que me entristeceu nesta coletânea foi a falta de materiais extras. Nas várias coletâneas de Mega Man, por exemplo, nos acostumamos a ter acesso a artes conceituais, capas dos jogos, acesso às trilhas sonoras ou alguma outra regalia do tempo em que as obras originais foram lançadas. Não há nada disso aqui. Apenas o acesso instantâneo aos jogos. Sinto que se perdeu uma ótima oportunidade por conta disso.

Por fim, acho que dá para entender que Mighty Switch Force! Collection surgiu com uma ideia simples e tem um gameplay simples baseado na plataforma a qual originalmente surgiu (um portátil). Não é um jogo longo, mas o pacote completo o faz ser suficiente em seu conteúdo total. Não acho que funcionaria nos consoles a qual esta coleção chegou se os títulos fosse vendidos individualmente. Vale como pacote, especialmente para aqueles que não conheciam a franquia, graças ao charme e simpatia de seu visual e ágil gameplay. Também penso que é um título divertido para crianças, pela brincadeira com os puzzles e desafios de plataforma.

Galeria

Dando uma nota

Quatro jogos em um pacote pela primeira vez em novas plataformas - 9
Ao todo são mais de 70 níveis, dá um bom valor de replay - 8.5
Mistura muito bem plataforma e puzzle - 8.8
Crescente dificuldade pode frustrar em determinados momentos - 7
Visualmente charmoso e trilha sonora cativante - 7.5
Mecânica de alternar blocos é precisa e oferece bom desafio a jogabilidade - 8.5
Estágios cronometrados, bom para speedrunners - 7

8

Bacana

Mighty Switch Force! Collection é uma coleção remasterizada perfeita para os consoles atuais, traz um sentimento de nostalgia para os fãs antigos e é uma bela porta de entrada para novos futuros fãs desta série. Suas mecânicas sobrevivem ao tempo e seu gameplay é singular o suficiente para chamar a atenção. O pacote tem bastante conteúdo, mesmo que não sejam jogos muito longos. Há desafio em boa medida. Vale a pena experimentar.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Paulo Roberto L. S.

Gamer desde o antigo Master System 3. Leitor de HQs (Marvel/DC) e de Mangás, como atividades extras me dedico a treinar Pokémon e sair em busca de conquistas e troféus.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios