AssistindoSeriados

Papo de Série #3 [Atualizado +]

Papo de Série

Mais uma semana, mais um papo de série, essa semana menor, pois FRINGE e Supernatural não tiveram episódios novos. Não comentarei Flash Forward porque não consegui tempo, irei viajar amanha e só consegui terminar de baixar o episódio agora a pouco, então fica pra semana que vem. Théo fará a estréia dele e comentará algumas séries também. Na continuação do post os principais fatos dos episódios da semana de diversas séries.

Big Bang Theory – 3×05 – “The Creepy Candy Coating Corollary”:

É muito difícil ver um episódio de The Big Bang Theory realmente ruim.

A série vem tendo episódios muito bons e acertaram em cheio ao dar uma mexida nos personagens e nas novas “duplas feitas”. Por exemplo, antigamente víamos somente Raj e Howard junto, agora vemos Raj e Sheldon juntos e sinceramente, isso é muito engraçado.

Os dois são tão diferentes que assustam. Eles são muito engraçados no torneio de Guerreiros Místicos de Ka-ah, a motivação de Sheldon para ter a sua desejada vingança, a cara de Raj quando eles perdem na última rodada por conta do coração mole de Sheldon foi impagável, mas o melhor foi a fúria do colega para cima de Will Wheaton.

Sheldon tem raiva de Will porque quando Sheldon era pequeno viajou 10 horas de ônibus para encontrar o idolo e então Will não apareceu, deixando-o na mão.

Penny e Leonard como um casal e mais Howard foram muito bem na história deles, o pacto que ele e Leonard fizeram foi muito bem bolado, pois com Sheldon dizendo que isso ocorreu mesmo com a sua memória eldática não ficou forçado. Uma das melhores falas do episódios é quando Leonard fala “Ainda não acredito que ela está comigo”, então Raj responde “Ninguém acredita”. O encontro de Howard com a amiga de Penny poderia ser um desastre total, mas o que poderia afastá-los é o que acaba unindo os dois, a mãe super protetora de ambos. Sera o começo de uma relação séria de Howard?

Enfim, episódio muito bom, mantendo a alta dessa nova temporada.

Two and a half men – 7×05 – “For the Sake of the Child”:


Ahhh, o velho Charlie retorna por pelo menos um episódio.

Como a noiva de charlie está viajando, não aparece no episódio, o que nos fez lembrar dos velhos tempos: só Jake, Alan e Charlie. No episódio Jake precisa se preparar para tirar a carteira de motorista e nada melhor do que Alan e Charlie ensiná-lo.

No episódio que se passa Alan e Jake vem brigando muito e as brigas só aumenta conforme o tempo, então Jake passa a ser o mais centrado dos três. Por causa das brigas e imaturidade do pai e do tio, Jake decide que não quer mais voltar pra casa do Charlie, isso vale somente até Judith obrigá-lo a ir para lá para ganhar uma folga.

Episódio muito bom, talvez porque mostra algo que todo mundo passa, momentos constrangedores causados por algum parente bêbado ou então uma briga familiar em frente a alguém importante ou simplesmente por Chelsea não ter dados as caras e o velho Charlie estar livre para voar.

How i met your mother – 5×05 – Duel Citizenship“:

How i Met Yor Mother trouxe essa semana um episódio bem segregado. Barney e Robin de um lado e Marshal, Ted e Lily do outro lado. Em outro estado americano, para ser mais preciso.

Ted e Marshal decidem ir a Chicado comer pela ultima vez em uma pizzaria que vai ser fechada, aquela pizzaria que foi durante o período da faculdade dos dois, um dos destinos favoritos. Com o casamento, Marshal deixa de ser um “eu” para se tornar um “nós” e assim decide levar Lily junto na viagem, o que faz Ted achar totalmente sem graça.

Enquanto na outra parte da história, depois de uma briga Robin tem que mudar de nacionalidade para não ser deportada para o Canadá, então Barney faz um teste para transformar Robin em uma americana, o que rende ótimas piadas preconceituosas, Barney até se esforça para transformá-la em uma típica americana, mas o nacionalismo fala mais alto e Robin, já no fim do episódio, decide ter cidadania dupla, pois não se sente nem mais canadense e nem americana.

Atualização! (Por Thiago)

Enquanto isso… no Brasil… na TV por Assinatura esta semana:

Supernatural – 5×01 – Sympathy for the Devil
Canal Warner

Ra! Supernatural está de volta! O primeiro episódio não foi tão foda assim. Deram uma enrolada legal na ascensão de Lúcifer, apesar de fazer total sentido a idéia de que um ser humano preciso aceitar que tome conta do corpo. Dean aprendendo o truque de sangue da Castiel também foi foda! Agora não achei legal não terem matado o Bob. Meio sem noção isso, até hoje não lembro de um único humano que tenha sido ferido com a faca “mágica” e ter sobrevivido. Bob podia ter morrido para dar um “tcham” à mais para o início do que promete ser a temporada final desse arco iniciado no ano 1 da série. Fora isso, um episódio show. Pena que trocaram a musica de recapitulação da série “Carry On Wayward Son”. Ela é o máximo!!

Ah! O “Jacob” de Lost fazendo o papel de Lúcifer faz TODO o sentido! XD

House – 6×01 – Broken
Canal Universal

Finalmente a refrescada que a série estava precisando. Episódio de duas horas mais do que genial! Não fez falta alguma os personagens fixos do elenco. Hugh Laurie brilha sozinho. Se bem que o elenco escalado para esse especial também foram ótimos. A série já vinha passando por claro desgaste, com episódios clichês, sarcasmos repetidos e situações tediosas demais. Sim, a sexta temporada começa reformulando tudo. Acredito até que não haveria a necessidade de tirar o personagem House do manicomio já no começo da temporada. Essa situação poderia ter durado muito bem mais alguns episódios. Depois da excelente estréia é que a série realmente começa de verdade e os fãs poderão ver se House saiu da mesmisse ou não.

Dollhouse – 1×11 – Briar Rose
Canal FX

Um dos episódios mais bacanas de Dollhouse até aqui. Claro que tiveram muitos criativos e originais, mas esse foi sensacional! A inclusão do ator Alan Tudyk, o Piloto de Firefly (os fãs de Joss Whedon sabem!), como Alpha ficou excelente! O cara é uma comédia, mas também sabe se levar a sério. Achei ótimo o desfecho do episódio, assim como a briga de Boyd com Paul dentro da Dollhouse ficou sensacional! Podem falar o que quiserem da série, mas Joss Whedon sabe trabalhar com os personagens que ele cria. Uma pena que a Fox novamente sacaneou com a estréia dessa série nos EUA e depois disso o publico não conseguiu acompanhar tudo como deveria ter sido acompanhado. Provavelmente a série não passe do segundo ano, mas não faz mal. Está sendo ótimo rever o excelente trabalho de Whedon.

The Vampire Diaries – 1×01 – Pilot
Canal Warner

Na real? A série não tem um pingo sequer de originalidade. Bebe descaradamente do sucesso de Crepúsculo e ainda por cima usa praticamente quase todos os elementos que Joss Whedon já havia usado na série da década de 90, Buffy e Angel. Alias Vampire Diaries, pelo menos nesse piloto, prova que está longe de ter o carisma, sagacidade e simpatia que os personagens e situações da série Buffy tinham. Duvido muito que valha à pena acompanhar. The Vampire Diaries é um festival de clichês e ainda tem alguns efeitos especiais fraquissímos (o que diabos é aquela névoa ridícula?). Piloto fraco, mas a série vem tendo um ibobe bom nos EUA e não deve ser cancelada no primeiro ano. Agora é esperar e ver se a coisa melhora ou não pra frente.

Atualização! (Por Théo)

Dexter – 4×04 – Dex Takes A Holiday

Dexter 04x04 1

Um episódio pra deixar todos boquiabertos! Rita e as crianças viajam e deixam Dexter sozinho em casa, que aproveita o tempo livre para se dedicar a um novo projeto: uma policial que teve a família morta em circunstâncias bem suspeitas. Dexter começa a sua investigação e logo percebe que não será uma caçada fácil, pois a policial Zoey Kruger não gosta nada de ter o seu caso reaberto e ameaça Dexter para que ele deixe de investigá-la. Mas, quanto mais Dexter descobre sobre os assassinatos, mais ele acaba se identificando com a situação de Zoey, que matou o marido e a filha para ter um pouco mais de lilberdade. Ela começa a perseguir Dexter e acaba invadindo a casa onde ele mora com Rita e as crianças. Prevendo as ações dela, Dexter consegue armar uma emboscada e consegue capturá-la. Na tradicional conversa pré-assassinato, ele tem uma epifania e percebe que ele arriscaria tudo a perder sua família. Provando que sim, ele tem sentimentos.

Paralelamente, Lundy e Debra continuam nas investigações para descobrir onde o Trinity Killer irá agir novamente. Em uma lanchonete os dois conseguem encontrar um possível local e após uma revelação de que Lundy ainda está apaixonado Debra sai de lá transtornada. Lundy decide analisar o local onde há 30 anos atrás um homem foi espancado e se depara com o Trinity saindo do prédio. Lógico, ele ainda não o reconhece mas Trinity reconhece o policial e percebe que foi encontrado. Em um movimento arriscado, Trinity esbarra em Lundy que reconhece algo de estranho no homem. Não conseguindo mais conter sua atração, Debra vai até o apartamento de Lundy e os dois transam. No estacionamento, os dois conversam sobre o fato de Debra estar se sentindo culpada por trair Anton quando os dois são baleados! Um homem com luvas rouba a carteira e o relógio de Lundy e os deixam lá para morrerem.

Para mim ficam três possibilidades: Anton louco de ciúmes mata os dois, é mais um caso dos Assassinos de Férias ou é o Trinity Killer que está se livrando das ameaças.

Heroes – 4×06 – Tabula Rasa

NUP_136417_0565

Estou gostando de ver o caminho que a série está tomando. Eles estão desenvolvendo bem os personagens, explicando direitinho em que situação eles se encontram para lá no meio da temporada colocar uma ameaça de verdade. Neste episódio tivemos duas histórias distintas é como vou comentá-las aqui:

Hiro, Emma, Peter e Noah

Hiro realmente está em estado terminal. Seu poder o está levando de encontro a diversos personagens e desta vez ele se encontrou com Peter, que o levou para o hospital. Lá Peter decide ajudá-lo e sai em busca de um poder de cura. Noah, apesar de estar aposentado das atividades da Companhia, ainda é a melhor pessoa a recorrer para localizar alguém com poderes. Nesta parte temos uma informação bem interessante, Noah revela que o sangue da Claire não é tão milagroso assim e uma transfusão do sangue dela em Hiro irá apenas acelerar o processo de crescimento do tumor. Noah consegue localizar um curandeiro mas o problema é que o poder dele está fora de controle. Ele tanto pode dar a vida quanto retirá-la e essa confusão de poderes o fez matar seus pais.

Enquanto isso, Hiro no hospital conhece Emma que está completamente assustada com seus poderes (ela tem o poder da sinestesia, ele pode ver os sons) e pede que Hiro a ajude a “desligar” sua habilidade. Ele então percebe o motivo de ter sido levado ao encontro de Peter: para ajudar Emma a aceitar a sua condição. Após algumas gracinhas por parte de Hiro e alguns discursos que pareciam saídos de livro barato de auto-ajuda, Emma finalmente aceita o seu poder como um dom. Ela então questiona Hiro como ele pode querer ajudar tanto os outros se ele mesmo não pode ser ajudado e ele comenta sobre Charlie (lembram dela da segunda temporada?) e como aprendeu a aceitar o destino da melhor maneira possível. E assim ele é transportado três anos no passado para a lanchonete onde a garota trabalha. Será que ele vai conseguir evitar o assassinato dela?

Sylar/Nathan, Samuel, Edgar e Lydia

Em mais uma ótima atuação de Zachary Quinto, Sylar está começando a ressurgir e Samuel está decidido em tê-lo como parte da família do Circo. Sylar consegue ver as suas memórias e fica chocado com o ser cruel que ele já foi um dia, mas ele sente que ainda há algo sinistro dentro dele. Provando que é um lobo em pele de carneiro, Samuel consegue convencer Sylar de que dentro da família do Circo ele está protegido, mas que membros da família protegem uns aos outros e diz que o policial que o estava perseguindo está ali. Com um discurso manipulado de aceitação e recomeços, Samuel faz com que Sylar decida matar o policial. Mas na hora H ele não consegue. É Edgar quem termina o serviço, apesar de estar com ciúmes do relacionamento entre Sylar e Lydia. Aliás, esse ciúmes ainda vai dar pano pra manga.

Glee – 1×08 – Mash-up

Glee_S01E08_HDTV_XviD-2HD_[VTV]_377~0

Musicalmente, esse foi um episódio fraco. Não houve apresentação do Glee, apenas uns duetos e apresentações solos. Mas nada empolgante. Já o restante do episódio foi bem divertido. O casal mais popular da escola Finn e Quinn estão sem moral alguma mas estão dispostos a tudo para voltar a ser o centro das atenções. E com isso têm início a Guerra de Raspadinha. O casal mais bizarro já visto Ken e Emma decidem fazer um mash-up (unir duas músicas diferentes para criar uma nova) de suas músicas escolhidas para o casamento e pedem ajudam para Will para recriar a música e ajudá-los na coreografia. Aproveitando o tema, Will leva para o Glee o desafio de criar outro mash-up com uma de suas músicas preferidas “Bust A Move”. É a metáfora perfeita para o restante do episódio: tentar unir duas coisas completamente diferentes uma da outra. Após ver o clima de romance entre Emma e Will, Ken decide ir a luta e define um ultimato para os jogadores de futebol que também estão no Glee: eles devem escolher em qual eles irão ficar. Após algumas confusões, todos acabam decidindo pelo Glee e Ken percebe que é inútil fazê-los escolher.

O bacana desse episódio foi ver a interação entre diferentes personagens: Rachel e Puck em um rápido romance, Kurt provando ao Finn o que é ser amigo de verdade e até a louca da Sue conseguiu um rápido namoro que a deixou ainda mais fula da vida.

*Imagem capturada pelo site Glee Brasil.

Isso também pode lhe interessar
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.