AssistindoCinemaLendoPapo Pipoca

Crítica | Homem de Ferro 2 – Eu fui!

Muito bem, acabei de chegar do cinema, peguei a primeira sessão do dia, as 13:20h, e olha, foi tão legal ver muitos  fás usando uma camiseta do Homem de Ferro, como eu, claro!  Muitos curiosos comentando sobre o quanto o filme está sendo falado, alguns até falando que não viram o primeiro filme! Como cheguei um pouco cedo e já havia reservado o ingresso há uma semana, pude ir tranquilamente no Burguer King experimentar o tal do Whopper de Ferro, que por sinal também estava muito concorrido! Homem de Ferro é pop!

Depois, fui logo para a fila de entrada da sala, que estava perigosamente grande, ainda bem que consegui um bom lugar. Por falar nisso, se você ainda não viu o filme e tem alergia a spoilers, passe para o post anterior, sobre o filme do O Poderoso Thor, mas se quiser embarcar novamente nesse maravilhoso mundo de Tony Stark

A primeira coisa interessante é ter a noção de que a parte 2 da saga do Homem de Ferro no cinema dobrou as coisas vistas no primeiro filme. Temos agora dois heróis (Homem de Ferro e Máquina de Combate), duas heroínas (Virginia “Pepper” Potts e Viúva Negra), e dois vilões (Justin Hammer e Chicote Negro).

Homem de Ferro 2 começa dando um panorama geral na situação atual de Stark, mostrando as Indústrias Stark totalmente desvinculadas do ramo bélico, e Tony se distanciando um pouco da direção da empresa, em vista de focar mais na retomada da Stark Expo, uma feira de tecnologia criada por seu pai, Anthony Stark, que visa mostrar e viabilizar tecnologias que melhorem a qualidade de vida da raça humana. Esse discurso é ressaltado por Tony quando chega no evento de lançamento da sua versão moderna da Stark Expo.

A própria confissão de Stark revelando que ele é o Homem de Ferro trouxe uma maior paz mundial. Ninguém seria louco de tentar uma investida que levasse á uma situação de guerra, pois temiam pelo poder do Homem de Ferro. O governo americano quer esse poder, e tenta sem sucesso fazer Tony Stark fornecer sua tecnologia para o exército, sem sucesso.  O senador Stern, principalmente, é ridicularizado por Tony durante a reunião onde foi feita a tentativa de persuasão para que a tecnologia Mark fosse entregue ao governo. Tony quer que o Homem de Ferro sirva ao mundo todo e não fique limitado a uma só pátria. E o herói é um sucesso, todos o adoram mesmo. Tem até brinquedo do Homem de Ferro nas lojas!

Muitos tentam construir sua própria versão do Homem de Ferro, inclusive Justin Hammer, o maior rival de Tony. É Hammer que agora fornece armas para o o governo. Em meio a isso, temos Ivan Vanko, filho do cientista Anton Vanko. Anton trabalhou com o Howard no início do projeto do reator Ark, mas acabou sendo deportado de volta para a Rússia, falecendo pobre e doente logo no início do filme, o que vai motivar a fúria de Ivan, que culpa a família de Stark pela situação de seu pai. Se Howard não tivesse colaborado com a deportação de Vanko, a família dele seria rica como a de Stark.

Ivan, que também é um cientista aplicado que tentou seguir a carreira do pai, porém de maneira rebelde, utiliza o conhecimento de seu pai, a única herança dele, para construir uma arma com a qual pretende matar Tony para aplacar sua sede de vingança e inveja. Um exoesqueleto que usa como poder de fogo a mesma tecnologia de reator Ark que seu pai e o pai de Stark deveriam inicialmente fazê-los ricos, como Ivan desejava que tivesse acontecido. Porém, somente Howard Stark ficou com a fama e fortuna.

E Tony tem um sério problema de saúde, já que o uso de paládio como componente do reator Ark em seu peito está envenenando-o, e sua morte parece cada vez próxima, e então ele decide que Pepper assumirá a presidência das Indústrias Stark, enquanto ele concentra todas as suas forças na Stark Expo, já que ele não consegue reverter a doença, apenas adiar a contaminação. Cada vez que Tony checa sua condição de saúde, seu corpo se deteriora, o plano de Stark agora é tentar fazer o melhor possível para garantir um legado de paz.

Como Pepper agora assumiu a presidência da empresa, Tony decide contratar uma secretária, é aí que surge Natalie Rushman, que passa do setor financeiro para o cargo de nova assistente de Tony. Na verdade, “Natalie Rushman” é uma agente da S.H.I.E.L.D. disfarçada, cujo nome real é Natalia “Natasha” Alianovna Romanova. Stark analisa o currículo dela, e como tudo lhe agradou, ele acabou contratando-a, embora Pepper claramente não tenha apoiado essa iniciativa por ciúmes. Pepper parece estar bem incomodada com a situação, porém sabe que liderar as Indústrias Stark e ficar de olho em Tony seria impossível, e aceita Natalie afinal.

Logo depois, Stark inesperadamente decide correr na tradicional corrida de rua de Mônaco, para a total surpresa de toda a sua equipe, mas ele mal sabe que Ivan comprou informações de que ele estaria nesse evento. Ivan se disfarça como um trabalhador do evento, e circula livremente pelos bastidores da corrida.  Stark parece estar se divertindo enquanto pilota seu bólido. De repente, ignorando os carros que passavam velozmente, e o confiante vilão surge na pista, trajando seu exoesqueleto dotado de poderosos chicotes energéticos,  e lança seu chicote contra um carro, para o espanto de Pepper, Natalie, e Hogan, que pega a maleta de Tony e todos entram na limosine de Tony, avançando em direção ao caos que Ivan provoca. O momento tão esperado pelo vingativo Ivan finalmente chegou, e ataca Tony, que escapa da investida milagrosamente, e revida usando a  Mark V, a armadura portátil que estava disfarçada como maleta, e derrota Ivan relativamente fácil. Ivan parece satisfeito, e tem motivos para isso. Ele fez o homem mais poderoso da Terra sangrar.

O mundo já não se sente seguro, pois surgiu alguém com uma tecnologia capaz de enfrentar o Homem de Ferro, coisa que Stark alegou ao governo só ser possível daqui a no mínimo 10 anos. Stark some dos holofotes da mídia, e o governo se enfurece, quer o traje do Homem de Ferro a qualquer custo, e Jim Rhodes tenta intervir na situação.

Em meio a sua festa de aniversário, Tony bebe muito e coloca em perigo civis, o que leva Rhodes a vestir a armadura Mark II e enfrentar Tony. Depois de um empate técnico, Jim vai embora com a armadura, mas Tony já não o impede mais.

Nick Fury novamente procura Tony, e tenta ajudá-lo, dando-lhe uma caixa que pertencera a Howard. Na caixa, Howard disse à Fury que está a chave do futuro, e Fury acredita que se Stark conseguir resolver o segredo que Howard não conseguiu, possa se curar. Stark descobre que sua secretária na verdade é a Natasha Romanova e é uma agente da S.H.I.E.L.D. Natasha aplica uma injeção que paralisa a contaminação do corpó de Tony, dando-lhe mais tempo de vida.

Justin Hammer elabora um ardiloso plano, tirando Ivan da cadeia e fazendo uma aliança com ele para construírem trajes de combate capazes de enfrentar o Homem de Ferro, mas ele mal sabia que Ivan tem outra coisa em mente. Hammer também recebe do governo a incumbência de melhorar a armadura Mark II, tornando-a mais letal. Uma verdadeira Máquina de Combate.

Enquanto isso, Stark trabalha incansavelmente em seu laboratório, e depois descobre o que é a chave para o futuro que seu pai havia deixado a ele. É um elemento que substitui o paládio, e dessa maneira, Tony desenvolve um novo traje, e faz um novo reator com esse elemento, o que o cura e deixa-o mais forte. Tony descobre que Ivan está vivo ao receber sua ligação, e percebe que o russo está a serviço de Hammer, o que é nada bom…

Finalmente, chega a noite de abertura da Stark Expo, e Hammer havia comprado um stand no evento, e como primeira atração, faz uma revelação bombástica, mostrando unidades de combate robotizadas e a armadura Mark II aprimorada, que agora passa a se chamar Máquina de Combate, pilotada por Rhodes. Stark trajando a armadura nova, a Mark VI, chega para avisar Rhodes que Hammer se aliou com Ivan.

Porém, Ivan nesse momento coloca seu plano em ação, e toma o controle das unidades robóticas e da armadura de Rhodes! Stark passa a ser perseguido pelas armaduras. Pepper e Natasha vão atrás de Hammer e ele revela que isso tudo é obra de Ivan, então Natasha chama Hogan, guarda-costas de Stark, para irem até a sede da Hammer para deterem Ivan. Hammer é preso, mas jura que vai se vingar.

Eles invadem a sede da Hammer, porém não encontram Ivan. Natasha invade o computador da empresa e reinicializa a  Máquina de Combate, deixando Tony e Rhodes livres para detonarem as armaduras robóticas. Parece que tudo acaba bem, quando uma armadura desconhecida pousa no local da batalha, e para a surpesa da dos dois, é Ivan que está no controle dela.

A armadura de Ivan possui um chicote energético, e as armaduras de Tony e Rhodes parecem não dar conta do chicote, que se prende aos dois, um de cada lado. Parece que Ivan iria vencer o combate, mas Tony e Rhodes se unem e lançam um disparo de seus repulsores com força máxima um contra o outro, só que Ivan está no meio e recebe todo o dano! É o fim da mega-armadura de Ivan, mas Tony não esperava que o vilão tivesse colocado detonadores na sua armadura e nas armaduras robóticas, e elas começam a explodir. Tony saí em disparada para salvar Pepper, que está sozinha ao lado de uma armadura robótica destruída, e é claro que Tony salva ela, o que culmina em beijo apaixonado dos dois.

Mais tarde, Tony pede um favorzinho para Fury em troca de ajudar no projeto Vingadores. O favor consiste em que o senador  Stern, que fez de tudo para arrancar a armadura de Tony, seja o cara que entrega as medalhas que Tony e Rhodes recebem do governo por suas atitudes heróicas. Visivelmente irritado, ele coloca as medalhas de honra na dupla de heróis, e o mundo volta a respirar aliviado.

Falando do filme em si, eu gostei bastante do que vi. Sem a necessidade de explicar a origem do herói principal, sobra mais tempo para o desenvolvimento de personagens. Ao contrário de Batman e Superman, a identidade “civil” do Homem de Ferro é mais valorizada, então esse desenvolvimento das relações dele com os demais personagens é muito importante. Sei que tem gente que queria ver mais tempo com ele vestindo com o traje do Homem de Ferro. Mas como Stark mesmo disse, ELE é o Homem de Ferro, a armadura é digamos, um acessório. Tony Stark funciona como Tony Stark, e também como Homem de Ferro, coisa que a maioria dos outros heróis não possuem.

O roteiro é inteligente nesse quesito, apresenta interações sensacionais entre os atores, com dialógos memoráveis entre os personagens, especialmente aqueles em que Stark conversa com Ivan, o Senador Stern e o Fury. Todos os personagens apresentam características distintas de interpretação, uma habilidade ressaltada pelo diretor Jon Fraveau, que também atua no filme como o guarda-costas Happy Hogan. Temos um diretor que atua, e isso faz uma baita diferença. Há um certo ar natural no modo como os personagens conversam,  ás vezes improvisado, como se o roteiro não os prendesse e nem limatasse as atuações, o que muito bom, e certamente isso agrada aos não-iniciados no Universo Marvel, as atitudes não parecem caricatas ou forçadas. Explicando melhor as relações, filme nunca se apressa em mostra os detalhes que levam ao andamento (e entendimento) da história. Robert Downey Jr. encanta como Tony Stark, chega a ser difícil desassociar as duas personas, ele age naturalemnte assim, e sua história de vida dá a ele a bagagem para envergar o papel.

Um detalhe importante e do qual já ouvi críticas sem noção. Natasha e Ivan não são chamados por seus codinomes, Viúva Negra e Chicote Negro, respectivamente, mas o motivo disso é que no cenário atual do universo Marvel do cinema, o uso de codinomes não é generalizado. O próprio nome Homem de Ferro não foi escolhido por Tony mas foi dado pela imprensa, como visto no primeiro filme. Assim como a S.H.I.E.L.D., que só no final dele passou a ser chamada pela sigla e não por seu nome completo “Superintendência Humana de Intervenção, Espionagem, Logística e Dissuasão”. O Chicote Negro do filme é uma fusão entre o Chicote Negro e o Dínamo Escarlate das revistas. O motivo de juntar os dois? Bom, se Ivan fosse só o Dínamo como no original, as lutas seriam mais parecidas com o primeiro filme, o que não é bom, e se fosse só o Chicote Negro, o vilão não teria a mesma empatia, pois a origem do Chicote Negro é meio sem graça. E o Chicote Negro do filme é mais um daqueles vilões cuja tragédia pessoal provoca empatia.

As cenas de combate estão maiores e mais intensas que no filme anterior, é porradaria mesmo, de doer os ouvidos com tantas explosões e metal se chocando. falando em metal, a trilha sonora é marcada pelo gênero, um repertório delicioso, encabeçado pelo AC/DC. A trilha sonora incidental não consegui reparar muito, pois a galera estava fazendo bastante barulho e estava prestando mais atenção nas falas dos personagens, mas me pareceu equilibrada. Os efeitos especiais melhoraram muito, com ótimas cenas de vôo, com destaque para o momento em que Stark mergulha de um avião em direção ao palco onde lançou o projeto da Stark Expo, e as cenas do circuito de Monte Carlo, bem realistas.

O outro grande destaque são as inpúmeras referências ao Universo Marvel do filme. A “participação do escudo do Capitão América no filme é hilária. Nick Fury deixa bem claro que OS Vingadores é um projeto iniciado pelo pai de Tony. Não consego afirmar se a cena em que Stark visita a cadeia onde o Ivan está preso mostra o Thor em uma das celas como é comentado na internet, tenho que rever a cena. Homem de Ferro 2 é um apetitoso prelúdio ao Universo Marvel unificado do cinema, a partir dele todos os demais filmes integram o mesmo mundo, ao mesmo tempo, assim como nos quadrinhos. Só esse detalhe proporciona um largo sorriso aos marvetes. Claro que uma parte do público nem vai notar isso, mas é vital para os fãs.

É melhor do que o primeiro filme? A princípio, os dois se equivalem em diversão, quero ver os dois juntos com mais calma, mas as adições no elenco certamente contam pontos positivos a mais. Para quem é fã, um filme imperdível, e para os não-fãs, é uma diversão garantida. Homem de Ferrro 2 não revoluciona, não quebra paradigmas, não redefine conceitos, apenas mostra que um filme pode ser apenas entretenimento acessível., sem complicar demais e nem querer fazer o espectador pensar dias a fio sobre se ele entendeu o filme. Homem de Ferro 2 é o melhor filme de Super-Heróis do ano até o momento, pois acho que Kick-Ass é realmente a surpresa, e pode desbancar o filme do latinha, embora também seja um herói Marvel; então, no fim, tudo bem., é prata da casa.

As duas horas de filme passaram voando, tão velozes quanto o vingador dourado rasgando os céus, porém, esse filme não será esquecido tão rapidamente. Agora, que venha O Poderoso Thor!

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Mauri Link

Um gamer inveterado desde a primeira geração de consoles, aficcionado por histórias em quadrinhos, nerd de carteirinha, e super-herói nas horas vagas!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.