Jogando

Disgaea 4 anunciado: Novas mecânicas, novo protagonista, com o melhor da série! [PS3]

Já havia comentado por aqui como a série havia me conquistado, apesar de tardiamente, com o port de PSP, e como o sistema do jogo levava a parte estratégica a outro nível. Ainda não iniciei Disgaea 2 por dois motivos: falta de tempo e pelo completo vício que ele proporciona e me faz ficar imerso no mundo do jogo e passar o dia pensado qual habilidades devo incluir nos meus personagens, como passar de level, quais especialistas devo incluir na minhas armas principais, etc, etc, etc…

E depois de um pequeno mistério, semana passada a Nippon Icchi Software havia divulgado o primeiro trailer de Disgaea 4, que está sendo desenvolvido para PlayStation 3 assim como seu antecessor. Curiosamente ela não participou da TGS, e preferiu apresentar seu novo jogo em um hotel perto do evento.  Não seria melhor mostrar em uma feira de games que estava sendo coberta por um monte de jornalistas? Bizarro!

Confesso que nunca joguei outros jogos da série além do primeiro, por isso percebi ótimas mecânicas criadas, ou recicladas para este novo título. O trailer já começa bem, mostrando a artwork clássica da série com um monte de personagens amontoados, adoro estas artworks nesse estilo. Após podemos ver algumas classes com seus visuais levemente repaginados, e o protagonista da série. Achei-o com um design meio “vampiresco” e os olhos vermelhos e os morcegos até ajudam a reforçar essa idéia dentro da minha mente. Mas a primeira coisa que veio à minha cabeça quando vi sua imagem foi o Detetive Trap do Bakuman, falem a verdade eles não lembram muito um ao outro? Para falar a verdade fui mais com a cara do amigo Badass do protagonista. Sua aparência me remeteu a um lobisomem, e até combinaria com o suposto vampiro, não? A garotinha com chapéu de prinny eu achei mais apagada até ver aquele bastão de baseball! E fiquei imaginando se ela era algum tipo de “Prinny Master” ou algo do tipo.

As sequências dos especiais continuam muito boas como sempre, e os combos parecem maiores do que nunca. Uma coisa que me chamou atennção foi a possibilidade de subir na “pilha” de companheiros, e as formas como essa torre humana pode ser utilizada para pegar itens e até interagir com a fase, coisa de gênio.

O CEO da Nippon Ichi, Souhei Niikawa, ainda deu mais detalhes interessantes como a possibilidade de mostrar a todos seus extras no jogo via online, e a possibilidade de atacar jogadores a qualquer momento. Sobre a possibilidade de ter um cara 9999 atacando um jogador de level 55 por exemplo, Niikawa disse que consideram duas possibilidades, a de os jogadores só assistirem o outro jogar ou então aumentar o level mais baixo para igualar as coisas e assim todos poderiam se atacar mutuamente. Sinceramente acho muito boa a idéia de um mundo dentro do jogo dinâmico e vivo, com os jogadores este nível, mas não gosto muito da idéia de nivelar as coisas. Em Pokémon a mesma opção, na minha opinião não é lá justa com jogadores de nível mais baixo, até porque os equipamentos dos jogadores mais experientes vão estar bem melhores, e isto certamente desequilibrará um pouco. Ao meu ver, preciso de mais informações sobre esse sistema de nivelamento para saber se é ou não justo.

A história girará em torno de facções políticas dentro de um governo, uma escolha mais acertada, na minha opinão que o tema escolar do terceiro jogo da série, e que abre um leque fantástico para reviravoltas e boas histórias paralelas. Novas classes não foram confirmadas pois segundo o CEO da empresa, o jogo está em fase de balanceamento, então não há certeza se irão ou não incluir novos elementos quanto a isso.

Quanto à música do game, o compositor afirmou que está trabalhando em algo novo, mais épico, ele até comentou que a música final está com ares de músicas temas finais da Disney, segundo ele próprio. Acredito que podemos esperar coisa boa daí já que no primeiro jogo as trilhas eram bem bacanas, e adequadas a cada cenário, mesmo não sendo tão épicas como a meta para o novo jogo.

O jogo será lançado no japão no dia 24 de fevereiro de 2011 e não foi confirmado se será lançado no ocidente.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Rackor

Gamer de fliperamas aos consoles, passando pelo saudoso GB Color e seu Pokémon Yellow. Leitor de mangás, e dou preferência a estes ao invés de animes. Mais recentemente descobri as HQs, e desde então sou fã da trajetória de Geoff Johns em Laterna Verde, entre outros clássicos como Watchmen.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.