Indicações e Resenhas de LivrosLendo

Gênio do Mal | História inteligente, encorpada e tão bem contada que parece verdade! (Impressões)

Só grandes obras conseguem prender você até o fim sem o uso de fórmulas: aquelas que eu sempre comento que existem em muitos livros infanto-juvenis – usar “microsuspenses”, descrever menos, colocar assim: cada uma descrição, dois momentos de ação e muitas outras que são usadas hoje em dia.

É como se os escritores seguissem roteiros previamente feitos, substituindo apenas algumas peças, com um resultado de sucesso à frente, quase que 100% garantido…

Bom, mas o caso de Gênio do Mal, da autora Catherine Jinks segue a primeira opção. São páginas e páginas de contextualização, descrição de personagens para criar a construção de um mistério interessante, sem falsa piedade, sem falso moralismo. Em um certo momento você está lendo e pensa: “pô, mas não acontece nada!?”. Na verdade, já está acontecendo e você é que não tinha percebido!

O argumento parece clichê: Cadel Piggot nasceu gênio. A história começa a ser contada quando ele tem sete anos e vai até completar quinze. Passa pelo período do colégio até entrar na faculdade (ele entrou na faculdade com quatorze anos!).

Cadel vive com os pais adotivos, bufões imprestáveis e, após invadir computadores do governo, é “recomendado” por autoridades e conselheiros, que ele passe a frequentar um psicólogo. E aí é que a loucura de Catherine Jinks se revela! O livro fica então cheio das tramóias elaboradas por Cadel, com o apoio incondicional do psicólogo Thaddeus Roth, seu novo mentor, contra seus colegas de escola, contra os professores, contra a cidade de Sidney, Austrália, onde se passa a trama., e contra a tudo o que fica na frente dele!

Cadel vai sendo moldado ase tornar mau (ou pior) e usar sua genialidade para isso.

Entre o período da escola até a faculdade, eu vou saltar, para que você mesmo não perca nenhuma surpresa.

Já sobre a faculdade, não há nenhuma surpresa a ser perdida (no que eu vou contar – no livro, são várias!): está descrita na orelha do livro. É um Instituto para moldar a maldade das pessoas e deturpar todo o sistema. Enquanto você acha que seria ensinado “ciência da computação”, na verdade a aula é de “como invadir sistemas”. Ou se você acha que seria o curso normal de  “direito”, saiba que na verdade é ensinado “como burlar as leis – ler nas entrelinhas”).

Os professores são mafiosos e criminosos condenados. Os colegas de curso são pessoas no mínimo desprezíveis – um típico popular imbecil, preocupado com apelidos, gêmeas gostosas loucas, um sujeito preso dentro de um traje especial para que evite que seu fedor exale, um outro cara inteligente, mas totalmente louco, sobre sua constituição genética, uma assustadora figura com um ar de futura assassina em potencial entre outros…

Bom, dando essa pincelada (que não compromete em nada a história) vale voltar para dizer que:o livro é recheado de conversas inteligentes sobre matemática, sobre física, sobre o comportamento humano. Aliás, essas conversas acontecem sempre para ajudar Cadel a desenvolver seus experimentos mas bizarros.

A autora não libera ninguém: se é para matar, ela mata! Cadel começa como um gênio indomável, mas a própria crueldade que o ambienta e o aprendizado de  ter de tomar as rédeas da própria vida vão mostrando que, apesar de gênio, ele é apenas um adolescente.

O Instituo Axis, essa faculdade esquisita é um local que daria mordomia a alguém que mora em um hospício. Ninguém confia em ninguém e nem poderia – seria sinal de fraqueza.

O grande trunfo do livro é prender você justamente por essa total desconfiança do que é mesmo real ou não, de quem está interpretando ou sendo verdadeiro. Até o fim, uma surpresa atrás da outra, mas não aquelas reviravoltas padrão, sabe? Não é só na trama, são nos fatos, das novas revelações, dos novos personagens que são apresentados, um a um, para que você mesmo possa inferir sobre o que acha plausível em se tornar o fim do livro!

Gostei muito: diagramação e edição bem legal do selo Farol, com “letrinhas”, é verdade (senão teria mil páginas de livro!), mas um excelente trabalho.

Foi o primeiro livro que li de um autor australiano (pelo menos que eu lembre) e, apesar do preço salgado, cerca de R$40), vale a pena. A gente gasta dinheiro com tanta besteira, aifnal!

O livro Gênio do Mal compõe o primeiro volume de uma trilogia: Esquadrão de Gênios e A guerra de Gênios, que também serão lançdos pelo selo Farol (editora DCL).

Espero que gostem também!

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Pedro Duarte

Jornalista apaixonado por todas as coisas que existem. Deve ser isso! Não há nada de novo que não demonstre interesse imediato em conhecer: ler, assistir, escutar, experimentar. Tentando viver um pouquinho de tudo por dia e passar a experiência aos nossos leitores!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.