Mangás | Pequenos detalhes importam? Panini vs JBC, contra-capas coloridas e freetalks! (Reflexão)

É uma delícia quando bate aquele dia de tédio, ou de falta de eletricidade, ou de chuva ou até mesmo na fila de algum lugar ou na casa de algum parente e você se encontra com uma pequena pilha de mangás pra colocar em dia. Ando acompanhando tanto mangá em 2010 que admito que estou um pouco enjoado deste segmento. Acabo deixando acumular e devoro volumes aos montes de uma tapada só. Em dezembro espero ter tempo para colocar alguns Mesa de Quadrinhos das séries acima em dia. Por sinal, na foto acabou faltando Buso Renkin e Kekkashi, acabei lembrando só depois de estar editando as fotos no PC e bateu a preguiça de tirar uma nova foto. Mas eu falo de ambos no fim.

Primeiramente quero afirmar com todas as letras de que este não é um post “Editora X é melhor que Editora Y”. Não! Estou apenas mostrando uma curiosidade editoral da Panini e JBC, duas empresas que acho de excelente nível em se tratando dos ótimos títulos em mangás que foram disponibilizados este ano. Sabe o que falta pra ficar perfeito? One Piece e Katekyo Hitman Reborn! Acorda Panini! Acorda JBC!

O caso é que na JBC tem uma coisa que me incomoda, além do fato dos mangás custarem R$ 1 a mais. Eu sei que é pouco, mas eu já perdi as contas das vezes que fui até a banca e para minha surpresa, só tinha 10 reais no bolso. Porcaria! Malditos noventa centavos! Mas não é isso que é objeto de divagação aqui. O que me intriga é o trabalho que a Panini vem fazendo, atualmente (pois pouco tempo atrás não se fazia), de publicar as contra-capas de todos os seus mangás, com uma ilustração ou freetalks coloridos. Enquanto na JBC, fica aquela triste e vazia página em branco atrás da capa. Dá um deprê só de pensar. Não acredita em mim? Ou não entendeu? Não faz mal! Eu tirei fotos para ilustrar o que quero dizer.

Vamos lá! O teste dos mangás! Foram fotografados 09 títulos: Elfen Lied (Panini), Fairy Tail (JBC), D.Gray-Man (Panini), MAR (JBC), 100% Morango (Panini), Rosario + Vampire (JBC), Naruto (Panini), Ranma ½ (JBC), Bleach (Panini). Só lembrando que se você não sabe o que é freetalk, é aquele textinho de poucas palavras, as vezes uma imagenzinha, onde o autor do mangá escreve qualquer besteira para seus leitores. Não tem nada de “Ohhhh”, é meio que uma xavecada do autor, que faz o fã do mangá sentir uma simpatia pelo cara que faz o mangá. É um quadro onde se joga conversa fora, por isso free+talk (conversa livre ou algo assim). Todo mangá tem isso? Aparentemente não, como por exemplo Elfen Lied, o que não impede da Panini fazer um agrado na contra-capa. Já vou falar disso. Vamos as imagens:

100% Morango e Naruto [Panini]: Olha só que legal. Logo do mangá dentro do verso da capa à esquerda e os freetalks à direita. Você já abre o mangá (do lado certo, por favor) e já começa a ler a edição pelo freetalk. Só uma curiosidade, mas Naruto não está neste formato bonitinho desde o lançamento do mangá. Isso começou no volume 40 para ser mais exato. No começo, quando foi lançado, não tinha freetalk, aí depois de sei lá quantas edições, a Panini publicou uma páginas que reunia todos os freetalks perdidos. E aí acumulou mais alguns e fez a mesma coisa. Depois, nas edições mais recentes, o freetalk saia depois do término do mangá, em preto e branco mesmo. Só no volume 40 é que o mangá ganhou esse formato bacana.

Rosario + Vampire e MAR (Marchen Awaken Romance) [JBC]: Só páginas em branco. Que pena! Para ser sincero, eu não consegui descobrir se MAR realmente tem freetalk no original. Não encontrei as capas japonesas desse mangá. Porém Rosario + Vampire, se você conferir as capas neste link, percebe claramente que os volumes não só possuem freetalk, mas também uma ilustração extra que poderia ser usado também na contra-capa (veja o de Elfen Lied para entender melhor). Talvez por ser uma mangá da Jump tenha essa padronização. Não sei, estou só chutando. Lamentável que a JBC esteja suprimindo esse freetalk. Independente disso, ao menos os extras nos finais de ambos os mangás, criado pelos respectivos autores, são mantidos na edição.

Bleach e D.Gray-Man [Panini]: Ambos mangás são bimestrais, alias, ambos não estão tão distantes assim dos volumes originais no Japão. Se a Panini estivesse lançando-os mensalmente isso ser um problema isso. D.Gray-Man tem umas das capas mais caprichadas e todos os volumes mencionados aqui. Tem bordas coloridas, freetalk no começo do volume e no final da edição tem essa páginas meio ilustração, meio quadrinho que acho o máximo. Não me recordo se é desde o começo que o mangá vem saindo desta forma, mas já faz algumas edições que fico maravilhado com as contra-capas deste mangá. Já Bleach é o único mangá da Panini que tem as contra-capas ainda em preto e branco. Me recordo que essa imagenzinha da Rukia e Ichigo e Inoe e Tatsuki já vem sendo colocado a muito tempo, o freetalk é meio novidade, não me lembro quando começou. Inicialmente ele saia igual mencionei no Naruto, juntava um monte e saia tudo de uma vez num volume ao final dos capítulos. Atualmente já sai assim separadinho. Pena que ainda não em cores.

Fairy Tail e Ranma ½ [JBC]: Um dos mangás mais esperado no Brasil, Fairy Tail. Ainda não tive coragem de ler o volume brasileiro, depois da polêmica da tradução que parece que não deu em nada. Assim que tiver um tempinho quero fazer uma matéria completa sobre a qualidade do volume nacional, provavelmente agora seja uma boa esperar o volume 2 que deve estar chegando em algumas semanas. E infelizmente e para minha total tristeza, segundo as capas deste link, Fairy Tail possui freetalks! E nada deles estarem presentes no volume, seja no fim ou em qualquer outro lugar. Que tremenda sacanagem. E Ranma ½ também sem freetalk, alias olhando as capas na Cover-Land, acabo de perceber que as cores das capas japonesas são totalmente diferentes das que a JBC está lançando. Tem freetalk e ainda ilustrações que poderiam ser usadas na contra-capa. Caraca. Veja neste link e clique na capa da edição 14 para se ter uma idéia e depois compare com a imagem que abre este post. Que diferença!

Para terminar, Elfen Lied [Panini], que realmente não possui freetalk. No lugar onde ficam os freetalks nos volumes japoneses, parece que no caso de EL fica uma recapitulação rápida da história. Então a Panini usou essa ilustrações nos volumes do mangá, a sombra do personagem da capa de um lado e um pequeno objeto relacionado a história do outro. Bacana isso, não? Neste caso a editora nem precisaria colocar nada, mas mesmo assim ela capricha um pouco e coloca esse feito para dar um toque à mais.

Se ouver interesse, outro dia eu tiro fotos de Buso Renkin [JBC] e Kekkaishi [Panini], que acabei esquecendo. Mas já adianto que Buso Renkin por ser um mangá Shonen Jump, também possui freetalk no original, com umas ilustrações bem engraçadas e que a JBC está suprimindo dos volumes lançados por aqui. Já Kekkaishi da Panini tem freetalk como os outros mangás da editora mostrados acima, e no fim do mangá, uma ilustração gag muito bacana, quase igual ao de D.Gray-Man, mas que toma só um pedacinho da página. Tudo bem coloridinho e tal. Muito bonito também.

Enfim, é isso pessoal. Não quero divagar demais sobre o assunto. Acho que isso não é motivo para odiar a JBC ou deixar de comprar seus mangás. Mas acho que todo mundo deveria cobrar isso da JBC. É um detalhe que simpatiza o leitor. Dá aquela vontade de manter a coleção, se ter e cuidar com carinho dos volumes, pois você sabe que está sendo feito com esse tipo de cuidado. para entrar em contato com a JBC, basta entrar neste link e enviar a sugestão.

Afinal, e para você? Detalhes assim importam?

Isso também pode lhe interessar

76 Comentários

  1. Hahaah!
    “O teste dos mangás” foi ótimo! Quase que um teste do programa Fantástico!
    Mas, sobre o assunto mesmo: ultimamente tenho comprado poucos mangás, justamente com medo de canclear no meio e eu ficar com aquela quantidade imensa sem fim na minh amão.

    Pricnipalmnte quando sei que a série é grande e/ou quando o autor é maluco, como em Hunter X Hunter…

    Mas, assim, acho que os tais 95 centavos são válidos pela contracapa colorida, free talks etc.Embora 1 real se formos falar de muitos títulos, no fianl, somando um por um chega ao preço de mais um título…

    E a JBC deveria se espelhar nisso.
    Agora, só para apimetnar em geral: eu acho mesmo é que, pelo papel poderia ser mais barato em geral.
    Sei que tem o custo de distribuição, impressão, licenciamento (não necessariamente nessa ordem), mas, é fogo.. Podia ter uma espécie de “mangá justo”, sei lá! XD

    Mas, voltando ao post (senão o povo vai comentar só sobre isso), achei a ideia sensacional – daquele tipo de insight que aparece de vez em quando e que gera uma cosia legal pra expor e conversar – principalmente com a galera aqui do Portallos!

    Massa MR. T, parabéns mesmo!

    1. Sobre isso de mangás descontinuarem… 5 mangás da imagem que abre o post já acabaram Pedro… vc sabe quais? (teste do Pedro! XD)

      Mas é meio raro mangás serem descontinuados… Hunter x Hunter mesmo não descontinuo… mas ficou em hiato… mas entendo o que vc quer dizer. Porém não me arrependo de ter começado a colecionar esse mangá… ele é realmente muito bom.

      Sobre a ideia desse post, eu já estava com ela faz semanas… tava dificil era achar tempo pra tirar as fotos e organizar tudo XD

    2. Pode ficar sossegado, enquanto a Conrad não resolver voltar ao ramo dos mangás estamos seguros no que diz respeito à descontinuação de títulos, se é que me entende.

      Eu fico indignado, como uma editora que tinha praticamente uma mina de ouro nas mãos pôde ser tão irresponsável… tsc, tsc.

  2. Sinceramente, se for pra One Piece ser (re)lançado, estarei mais feliz se for nas mãos da Panini. Eu daria pulos de alegria se tivesse todos os freetalks coloridos, uma ilustração no final e o lindo glossário que ela faz, por R$1,00 a menos do que a JBC.

    Mas concordo que o trabalho da JBC é ótimo! Pelo menos em Hikaru no Go ela mantém todas as conversas descontraídas da autora no entre-capítulos, isso já é um grande avanço.

    Mas mesmo assim me sinto obrigado a dizer, se for olhar pro trabalho da Panini, a JBC está comendo bronha.

    1. Como o chamado “efeito noite cansado” me tira condições de ocmentar direito até amanhã, por ora apenas concordo com o que você disse, amigo.

    2. Ia ser épico ter OnePiece pela Panine, acompanho Naruto e Bleach e não tenho do que reclamar (até o atraso da entraga eu perdôo)

      Se bem que eu tenho pra mim que nenhuma editora BR ainda conseguiu por as mãos em OP por causa de direitos autorais e não por falta de vontade, é muito estranho não ter uma mina dessa em mãos, logo é problema autoral tenho certeza, se deus quiser ainda vamos ter conosco OP

      go go go Panine

    3. Hikaru no Go realmente anda recebendo um bom tratamento; considerando que não tiraram os “Dias de Storyboard” da autora, imagino que se a JBC pegasse One Piece não tiraria a seção SBS…Também, há um questão interessante em Hikaru no Go, principalmente sobre questão de glossários (Panini) vs notas de rodapé (JBC): enquanto em mangás como (que eu acompanho pelas editoras) Kekkaishi, Bleach, Ranma 1/2 e Berserk dá para, de alguma forma, acompanhar a obra sem saber direito a origem/significado de algum termo (portanto, dando pra juntar tudo num glossário no final do mangá), em outros fica(ria) chato ter que procurar no glossário cada vez que um certo termo aparecesse, como em Hikaru no Go e os inúmeros termos técnicos de jogadas possíveis e outros costumes que eu preciso/quero entender na hora, ou em algumas partes de Full Metal Panic! (e Sigma), em que algumas partes começam ficam meio “técnicas” e eu acabo pausando a leitura do mangá pra ir buscar no glossário o termo… (pelo menos neste caso, a Panini colocou, no glossário, a página em que cada termo aparece…), preferindo, portanto, as notas de rodapé de acesso fácil.Bem, é só isso por enquanto que me veio à cabeça.

  3. One Piece e Reborn pela Panini ia ser o máximo, ainda mais com contra capas coloridas, apesar que a Panini ficaria D+, com Naruto,Bleach,OP,Reborn, e a muita gente teria que comprar 2 mangás a mais por mês XD

  4. Sinceramente se OP voltar ao Brasil não importa onde eu esteja eu vou comemorar demais. Reborn também tenho interesse ainda mais agora que o anime chegou ao “final”.
    Se for olhar por esse lado de caprichos mesmo a Panini ganha de lavada, mas a JBC tem trazido também muitos títulos da Jump e com fama garantida, enquanto a Panini investe muito em shoujos sabe se lá de onde (onde que a Panini foi arranjar Otomen, que mangá mais estranho aquele, mas mt bom), mas possui os títulos de peso como Naruto e Bleach que são os animes mais assistidos atualmente.
    A única coisa que eu realmente não gosto na JBC é as traduções muito conservadoras, tirando os -san e kun-, mas agora traduzir o “Aye” do Happy como “É!” realmente foi um tiro na cabeça.
    Mas a JBC tem algo que espero muito, pois depois de RalGrad, Death Note e Hikaru no GO não duvido nada que Bakuman virá pela JBC, e este pra mim é o melhor anime da temporada (apesar de so estar vendo 1/3 deles)

    1. PUTZ, o “Aye” do Happy foi adaptado? Que boooosta! O problema é que toda editora quando contrata um tratudor para estes mangás famosos, esse pessoa deveria OBRIGATORIAMENTE, olhar como os fãs que acompanham o mangá na internet preferem.

      O cara que leu FT ou assistiu o animê (e sabe que tem a versão em animê), deveria saber que o Aye do Happy é intraduzivel… é hilário a onomatopeia (pode se dizer que é uma?)… não tem o que adaptar… é aye.

      Até minha esposa de vez em quando fala “aye” em casa huahuahuhaua de tanto que ela viu o Happy no animê. XD E ela imita perfeitinho! Rá!

      A JBC fez umas porquisses com FT, uma pena mesmo.

        1. tem a falta do freetalk e das contra capas coloridas e bonitinhas como mencionado na matéria e rolou umas paradas na internet quando o volume foi lançado que tinha umas girias sinistras na tradução… não sei quais, pois ainda não li o meu volume, mas tinha aquela coisa da zebra torcer o rabo ou sei lá. XD

          Fairy Tail merecia um tratamento melhor…Happy com seu Aye, freetalk em cores.. tradução mais fiel.. etc… mas isso vou detalhar futuramente…estou no aguardo do volume 02 para ler tudo de uma vez só… quem sabe na segunda edição eles não tenha feito algum conserto.

          1. Bom, o “Aye” eu concordo pq isso não é passível de tradução mesmo.
            Sobre as gírias, isso teria que alguem dar exemplos das tais gírias ruins, pq a maioria dos fãs brazucas são bem chiliquentas com relação a coisas bobas! Como não vou comprar o mangá, não posso falar que esse é mais um caso de extremismo dos fãs daqui! Como ja disse em outras oportunidades, por mim traduzia tudo! nome de golpe, nada de “san” ou “kun”…e por ai vai!

            Claro que o freetalk e paginas coloridas sao sacanagens, mas como é o normal da JBC, o povo deve estar reclamando mesmo é da tradução, e ai,o meu comentario no primeiro parágrafo se aplica!

          2. não é extremismo, as girias ficaram realmente ridiculas. posso citar “você não sabe lhufas”, “o conselho que vá ver quem pintou as zebras que eu não to nem aí”, “falando no diabo olha aí o rabo!” ¬¬ entre outras coisas como o uso do clássico “maninho” e “maninha” da JBC no lugar de nee-san e onee-san, o uso do termo feiticeiro ao invés de mago que estavam na tradução… fairy tail merecia ser lançado pela panini, odeio quando traduzem termos que não tem tradução direta para o português.

            vou continuar comprando mas tendo a chance de ler pela intrnet uma tradução de qualidade sem essas coisas “bobas” quem vai querer gastar dinheiro? e eles ainda cobram mais do que a panini

          3. só uma perguntao que significa Onee-san ou nee-san??se não for uma forma carinhosa de chamar o irmao, que aqui é irmaozinho ou maninhome diga que eu apoio a critica!

          4. Bom, eu não estou muito acostumado com “maninho”, mas a tradução tá fiel, né? Essas palavras dão o sentido de irmão, e tal. Isso pra mim não tem diferença de traduz ou não traduz, a JBC traduz TUDO, e por isso, em várias ela acaba tendo uma adaptação ruim (ou exagerada. Trocaram “Dane-se o conselho” por “O conselho que vá descobrir quem pintou as zebras porque eu não to nem aí”, por favor…). A Panini já deixa todos os golpes e os sufixos intactos, e traduz o resto. Pra mim, essa é a melhor adaptação, mas não chego a dizer que traduzir essas coisinhas menores seja algum defeito.

          5. eu acho que esse tipo de mangá eles tinham que deixar os palavrões.. fazem parte,.. acho ridiculo de trocarem um monte de coisa, “dane-se” oq isso tem de ruim? como se uma criança nao falasse isso, pelo amor de deus né ..

          6. Exceto pela parte em que eu não estou acostumado a ouvir “mano” ou “maninho” ou suas variações aqui onde vivo, e que, portanto, acabo achando isso meio forçado/pouco natural, para mim tanto faz…Às vezes, acho que há bastante aversão a certas expressões/sotaques/jeitos de falar do japonês serem adaptadas para o português (claro, sem exageros, como foi Puck falando no começo de Berserk (putz) ou o caso de Fairy Tail que, como não cheguei a ler pela JBC, tenho que assumir que seja isso tudo mesmo que estão falando)…Ainda imagino o dia em que, finalmente, teremos traduções oficiais de jogos para o português, aqui no Brasil (se o Jogo Justo der certo, o que estou apoiando), e ver quanta gente ficará injuriada quando tentarem traduzir The Legend of Zelda para A Lenda de Zelda…P. S.: Devo concordar em uma coisa: o “aye” de Happy é (ou era, né…) intraduzível.

          7. A questão não é costume!
            Até eu ler mangá nunca tinha ouvido ou lido algo sobre baka, sugoi, onee-san e outras coisas que nem sei escrever! Então era muito mais natural pra mim naquele começo se ao inves de baka, viesse “IDIOTA”!!! mas como continuou, hj eu acostumei e nao me incomoda, porém, todavia, contudo rsrsrs sou brasileiro, nao quero ter uma cultura enfiada guela abaixo pq mulecada acho cool falar palavras em japones ou ingles!
            O golpe do Naruto significa clone de sombras, entao chama disso, pra que ficar dando a luz pra vir escrito kage bushin… o cúmulo é quando reclamam que fica tosco e bobo traduzido, esses caras paladas nao entendem que independente da lingua, isso significa a mesma coisa? A questão é nao passar vergonha perto de quem não gosta de manga? a questão está nisso.
            Eu ia adorar se tudo viesse em portugues, fantasia final,deus da guerra, enfim, viesse com o nosso equivalente, até One Piece! Não sei exatamente a tradução dele, mas creio que o contexto seria algo como, Uma parte, sei la, teria que ver o contexto que o Oda criou isso, mas não ligaria se fosse traduzido! Pois sei que é isso que significa, nao aceitar isso é tampar sol com peneira

          8. É verdade o que o Red disse sobre A Lenda de Zelda, tem gente que acha outra línguas cool. POR OUTRO LADO, às vezes não fica prático, por exemplo: Rasengan. Vai colocar “Espiral Esférica”, e aí fica muito longo/complicado, ou mesmo não soa natural um guri de 13 anos falando um troço desses. O jeito que acharam foi deixar tudo em língua estrangeira mesmo. Olha, eu não estou defendendo nem traduzir tudo nem deixar metade não-traduzido, só boto minha opinião e fico neutro, beleza? o_o

          9. Uh… acho que você me entendeu mal…
            Eu não acho que deveria ser necessariamente mantido o “onee-san”… eu não tenho o costume de ouvir nem “onee-san” nem “maninho” ou seus derivados por aqui. Acaba ficando mais estranho porque a frequência que se diz variações de “onee-san” no original é maior do que ouvir “maninho” numa conversa normal por aqui… no fim, os dois são intercambiáveis simplesmente porque estranho ambos.
            É como tentar conversar conversar com alguém de outro lugar; mesmo falando as mesmas línguas, não se usam as mesmas expressões, então fica esse estranhamento;

            Quanto às traduções… eu sentiria repulsa por uma tradução que não usasse “idiota” no lugar de “baka” ou “que legal”, “que massa” ou seus equivalentes no lugar de “sukeeee-“, digo, “sugoi” (droga, Ruffy! xD);
            Agora, como seria minha tradução ideal? Tudo o que estivesse na língua do autor, seria traduzido; tudo o que ele propositadamente usou em outra língua, será mantido nessa outra língua (claro, em alguns casos, bom senso, né?)…
            No escopo de One Piece… One Piece seria One Piece. Oda necessariamente nomeou o mangá desta maneira lá no Japão, então seria mantido. Assim como Bleach seria… e Ichigo 100% viraria 100% Morango.
            God of War poderia virar Deus da Guerra, mas Final Fantasy acabaria como Final Fantasy…

            Sabe… pensando direito, eu iria querer considerar caso a caso. Mas, quando não sou fazendo a tradução, tanto faz ser mantido as coisas no original ou não, quando se é termo específico da obra.

          10. nee-san e onee-san não são sempre modos carinhosos de chamar um irmão, no vocabulário japonês é comum por exemplo uma crinça chamar um garoto ou garota mais velho de nee-san ou onee-san mesmo que não tenham nenhuma relação familiar. além disso ao menos aqui onde moro ninguém nunca fala “maninho” ou “maninho” então quando leio isso acho um tanto artificial e como o júlio falou um tanto quanto forçado. aqui no brasil creio que essa situação que citei nunca aconteceria então não consigo ficar lendo isso a todo momento no mangá e achar algo natural…

          11. se fairy tail viese pela panini seria perfeito.. full metal alchemist e tusbasa chronicles tinha que vir pela panini também no formanto normal (pra falar a verdade TODOS deveriam vir pela panini.. panini manda muito melhor ) ..

  5. Realmente, os mangás da Panini possuem um acabamento melhor, fora o lance de ser R$1,00 mais barato, pra quem compra muitos mangás durante o mês isso faz uma grande diferença, o único problema pra mim é o atraso nos seus lançamentos, tem título bimestral q as vzs sai trimestral, título mensal q sai mês sim mês não…não sei se isso é ser chato, mas não gosto de uma seção de cartas no mangá, não vejo sentido nisso, eles poderiam ter um site decente para responder e tirar dúvidas dos leitores, a obra em si não é um lugar de trocar idéias, fazer amizade, fazer comentários sobra a edição. Mas independente disso, sempre dou preferência ao título em questão, isso é q faz decidir oq vou comprar.

    1. Só Naruto tem sessão de cartas não? Admito que também nunca leio elas, acho bobinho bobinho… quando lia tinha uns leitores sem noção que perguntavam coisas bobas e tal… tipo quem nunca ouvi falar de Naruto.. pra nós que vivemos e respiramos internet, é algo muito tosco e inutil.

      Mas concordo com vc. A Panini tem um forum só pra Marvel e DC, mesmo com o espaço de mangá lá… não dá… o monopolio são os super herois. Com certeza deveria haver um portal decente para o Planeta Mangá, que é como ela chama esse departamento da editora… o mesmo vale para a JBC… é ridículo a falta de foruns e comunidades oficiais das coisas aqui no Brasil… aí a galera acabo indo em portais de fansub… decobrem que podem abaixar os animes de graça, ler o mangá na faixa… e pronto… quem quer comprar mangá mesmo?

      1. Berserk tbm tem, acredita q eles perderam várias ediçoes só para decidir qual o nome seria da seção de cartas, e ainda publicaram um tópico inteiro do orkut como extras, com aquele linguajar todo de internet, uma parada totalmente zoada, fora q tem gente q manda msg dizendo q ser desenhista, pedindo emprego, q o mangá deveria custar x e não y….só coisa bizarra.

        1. Como qualquer lugar em que todo mundo tenha a liberdade de se expressar, sempre aparecem aqueles “bizarros” e os “nem tanto”… por isso, às vezes, sai até algo interessante (eu acabo lendo a seção de cartas de Berserk boa parte das vezes), um dos extras (ou a comparação lá com Maquiavel ou a matéria sobre o Goetz, o “Mão de Ferro”, alguma dessas) foi sugestão de leitor que eu achei um bom material complementar.

          Como T_Thiago disse, enquanto não tirar material do original pra colocar isso, eu não me importo; apesar de implantar um fórum para seus mangás por parte da editora, também é uma boa ideia;
          Novamente, como T_Thiago disse lá em cima, “pra nós que vivemos e respiramos internet, é algo muito tosco e inutil”, mas, lendo as cartas, dá pra perceber alguns que não têm acesso fácil…

          Agora, eu não sei como é em Naruto (não acompanho pela Panini), mas se eu comparar as cartas publicadas em Berserk com as de Bleach (quando teve), as cartas de Berserk, por assim dizer, têm um nível maior, sendo um tanto mais “agradáveis” de se ler no geral (também, considerando quem é o público-alvo de cada…)

          Enfim, é isso que eu acho.

  6. Pra mim faz toda a diferença, detalhes são o diferencial de uma obra. Como pode esse cuidado todo da Panini de por as contra-capas coloridas e custar 1 real a menos que os da JBC? Alias ja rolou de vir poster nas edições da Panini e não me recordo uma vez se quer, desde 2000, sei lá quando começøu a publicar, enfim, nao me recordo da jbc dar um brinde se quer! Fora que Fullmetal alchemist era quinzenal, depois mensal e agora que ja terminou ele ta quase trimestral, qual o interesse nisso? Não pude ver o final de Brotherhood pq eu quero ler o final no mangá primeiro! sem contar que é uma edição picotada e custa 7 reais, um ABSURDO!
    A JBC se preocupa em lançar o minimo de qualidade necessario para publica-lo e quer o MAXIMO de lucro possivel. Nessa parte a Panini detona
    eu rezo todo dia pra One Piece ir pra Panini!!!!!

  7. Cara a JBC é um editora que eu gosto muito,mais até do que a panini.Mas devo adimitir que o trabalho da Panini é melhor.Algumas páginas de alguns mangás meus já caíram, e todos eram da jbc,mas enfim….se One piece voltar pro Brasil é bem capaz de eu derramar lágrimas dos olhos,pelo amor de Deus parem pra pensar…3 ANOS…quem esperou sabe como é o sofrimento.

  8. Claro que importa!! Po to comprando, quero ver o trabalho do cara!
    Po que sacanagem com Fairy Tail. Não bastasse as traduções, deixaram as páginas coloridas em preto e branco!!! =[
    Vou mandar mensagem, tomara que eles melhorem memo!

    E POR QUE OP e Reborn não veem pra cá? @_@

          1. Não sei porque fazem isso. Mas são poucos os tankos que mantêm as págians coloridas das antologias. Pra falar a verdade, acho que essas páginas só saem coloridas nos volumes se forem algo bem especial (Como o capítulo inteiramente colorido de Bleach, no volume 19 – É algo tão especial que foi a primeira e única vez que vi um capítulo totalmente em cores).

  9. Atualmente acompanho a série Monster Hunter Orange da JBC, e também não possui freetalks, eu mesmo não sabia da existência dessas coisas até ler esse post, lembro que vi algo desse tipo no mangá de Pokémon que acompanho pela internet, que mancada da editora tirar isso dos fãs.

    Eu ouço falar muito bem dos mangás da Panini, parece que eles estão se tornando os líderes do mercado, as HQs deles também não tenho do que reclamar. Atualmente completei a coleção de Wolf’s Rain da mesma, não tem freetalk, mas possui uma imagem colorida na contracapa igual Elfen Lied, achei muito caprichado, até fiquei com vontade de comprar outro título da mesma.

    Eu até gosto da JBC, maioria dos títulos que possuo são dela, só tenho uma certa birra com a JBC de transformar um volume japonês em 3 ou 2 por aqui, aqueles famosos mangás de 5,90 ou 6,90, por causa desse formatinho acabei não comprando Hellsing.

    Enfim parece que a Panini está cada vez mais investindo nas suas revistas, isso indica que as vendas devem estar boas, essa competividade é excelente, porque quem sai ganhando são os leitores, se as coisas continuarem assim talvez supere meu trauma de não colecionar mangás em publicação, por causa do ocorrido com One Piece e a Conrad, me traumatizei por causa do descaso e grana.

  10. Bom, agora que já estou em condições, vou comentar tudo.

    É meio estranho como a Panini faz todo esse trabalho, traz tudo bem bonitinho e ainda mais barato, não? Parece que é assim: A Panini publica três ou quatro mangás famosos (Bleach, Naruto e tal), mais outros nem tão famosos mas legais, e dão toda a atenção, formatação, adicionais e tal merecidos. A JBC, já prefere mandar uma montanha de mangá famoso (Buso Renkin, R+V, FT, Evangelion, e o ainda não lançado Code Geass, pra citar alguns), só que no formato básico. Abre volume, capa, sumário, história, publicidade, acabou. Não rola seção de cartas, as traduções dos (poucos) termos mantidos em japonês é feita na página mesmo, parece até que economizam tinta/folha. E sai mais caro que a Panini.

    Ano que vem, esperemos One Piece e KHR no Brasil, companheiros! (de preferência com a Panini, pelo menos One Piece, os SBS do Oda são bem legais)

  11. Essa briga é boa. A Panini vende seus mangás mais baratos e com uma qualidade melhor, porém seu serviço de distribuição é péssimo.
    Todos os mangás estão atrasados em um mês, basta verificar o checklist que vem em cada edição. Só para ter uma idéia, Wolfs rain volume 2 era para ter sido lançado em setembro. Pasmem, saiu em novembro!

    Gostaria que existisse a editora JBNini, uma editora que lança-se mangás a R$ 9,90, com qualidade editorial de primeira e que chegasse nas bancas no prazo certo.

    1. A distribuição da JBC tb não é flor que se cheire alias…tem muita coisa que não chega aqui na minha cidade… sou obrigado a comprar pela internet… ranma e rosario + vampire por exemplo… enquanto kekkaishi da panini chega… até elfen lied… a unica coisa da panini que não chega por aqui direito é naruto e bleach.. a distribuição da cidade está uns 6 volumes atrasados… tosquessa total.

  12. Eu prefiro a Panini, pois acho que são os detalhes o diferencial, isso sem falar que ela e mais barata. Cade One Piece PANINI??????? Não consigo entender até hoje como nenhuma editora manifestou interesse nesse mangá.

  13. Alem de tudo que falaram a Panini ainda vende TODOS os mangas lacrados, ou seja, vc nao pode comprar quando saiu? entao caso compre depois ele ainda estara em boas condiçoes diferente de um manga que fica exposto a tudo e 6 meses apos o lançamento ja esta detonado, ja vi varias vezes a panini lançar posteres coloridos nas ediçoes, quantos as paginas coloridas lembrem que os originais japoneses tbm naum tem elas isso eh soh nas revistas e algumas exceçoes como o capitulo inteiro de Bleach colorido no volume 19 que ficou muito bem feito, a Panini tem melhorado gradativamente a qualidade do papel usado, peguem seu Naruto ou Bleach 1 e comparem ao atual, alem disso a Panini a uns 4 anos soh lança mangas em formato original enquanto a JBC insiste em lançar alguns nesse formato meio-tanko ultrapassado pelo absurdo de 6,90, a JBC ta comendo poeira a tempos e eu gostaria de ver mais empenho dela para que tenhamos mais qualidade nos mangas

    1. Quais são os NOVOS mangás da JBC que estão sendo vendidos como meio-tankobon? Onde compro, não cheguei a ver nenhum lançamento meio-tanko… Fullmetal Alchemist, que foi lançado lá atrás em formato 1/2, faz algum sentido continuar a ser lançado neste formato (assim como Berserk, pela Panini, lançado faz tempo como 1/2 edição japonesa, e continua sendo vendido assim);

      Mas por que a JBC vende sempre R$ 1,00 mais caro que a Panini no seu formato equivalente, que, comparando, ainda consegue dar um acabamento melhor ao mangá, ainda não consegui entender…

      1. Apos o Fullmetal ainda sairam Onegai Twins, Hellsing e o Futari Ecchi que axo q eh o mais recente entao realmente lançamento nao tem mas eh como falei sempre lança alguns assim, tem o EVA nesse formato mas axo q nesse caso foi manter como a ediçao da Conrad, sobre preço eh a grande questao, como a Panini consegue oferecer algo melhor e mais barato? Axo q eh falta de bom senso da JBC

  14. Black Lagoon (panini) também tem contra capas coloridas.
    Detalhe: O número de páginas normais é 190-200 custando R$9,90, mas o último volume que saiu (volume 9, o último que saiu no japão tbm) veio com 288 páginas (bem mais do que qualquer mangá da JBC, não?), contra capa colorida, capa idêntica à japonesa e custou R$10,90;
    Já dá pra sentir uma diferença no tratamento realizado nas editoras.

  15. O que eu fico mais puto em relação aos mangás da JBC são o jeito que eles vêm.

    Os da Panini vem em plasticos de proteção = OK!

    Os da JBC sem porra nenhuma! Sujeito a poeira e a mals tratos! = Hãn?

  16. Cara seria legal se tipo…
    Sabe esses sites de venda de dvds de animes que vendem os dvds dos episódios que os fansubs legendam(tipo isso)…
    Agora eu falo e se existisse também sites de vendas de mangás impressos dos scans que fazem a tradução…(pensa seria legal também se fosse um precinho camarada)…
    Minhas idéias mirabolantes mas eu sei que isso nunca existiria eu acho?

  17. O do Fairy Tail não ta tão ruim assim peguei o primeiro volume que eu tenho tem um posfacio que não deixa de todo ruim esse vol.do autor falando de como nasceu a idéia de fairy tail.

  18. One Piece voltar a ser lançado sem SBS seria uma desonra.
    Pow Conrad, pq deixaste os mangás de lado??

    Espero que a Panini obtenha os direitos de OP aqui no Brasil.
    Por mim, pode começar do volume 1 (pode até ser em meio tankobon) que eu compro tudo de novo! Outro que eu adoraria ter em casa: Bakuman.

  19. Agora fiquei puto da vida com a JBC!
    Eles tiveram a cara de pau de lançar a edição picotada de Fullmetal MAIS PICOTADA ainda! E o pior que o preço não diminuiu um centavo!!!
    Toda edição de FullMetal possui dois capítulos, era pra ser quatro, mas começou assim vai até o fim, mas agora que está nos últimos capítulos o serviço está ficando porquissimo!
    E pra minha surpresa, chego as bancas e me deparo com uma edição magra, com 70 páginas apenas e nem o agrado de por as primeiras páginas coloridas ela se prontificou! E o pior de tudo é que a merda do preço não foi alterado! Como podem ser tão mesquinhos? Aff ainda bem que Fullmetal é meu único título da JBC, não compro mais nada desse povo! Esses avarentos!!!!!!!!!!!!!!!!
    Se não me engano, Fullmetal termina em capítulo impar, então uma edição ia vir com apenas um capítulo, mas pelo menos repasse isso ao consumidor, seus maleditos

    1. Também me deparei com essa edição “bizarra”de FMA e também não acreditei que era o mesmo preço abusivo de 6,90,bem diferente da Panini que lançou Naruto 43 com 250 páginas e não aumentou nenhum centavo e com uma qualidade bem superior ao da Jbc,por isso torço para que os titulos que eu gosto só saiam pela panini.

      1. PUTZ, havia esquecido esse fato!
        A edição da morte do Itachi saiu com 50 páginas a mais e não custou um centavo a mais!
        A diferença é GRITANTE!

  20. Isso dos 90 centavos é fato. Quantas vezes já tive que ir atrás de uma moeda de 1 real pra completar o que faltava.

    A proteção é outro problema. Esse mês fui em umas 4 bancas atrás de Hikaru no Go e em todas os mangás estavam destruídos. Quero ver o que vai acontecer se eu não achar um decente e a JBC recolher…

    E só por dizer mesmo, acho as capas de Ranma 1/2 da JBC infinitamente melhores que as originais, que são meio poluídas. Já as da JBC ficam bonitas e dão um efeito legal quando ficam juntas. :3

  21. Eu achei o texto bom até, mas um pouco tendencioso para o lado da panini.

    -Panini cobra 9,90 mas nem todos seus mangas são do mesmo tamanho. Pegue Eureka Seven, Fullmetal Panic Sigma, Afro Samurai ou algum outro manga menor da panini. São 9,90 por um manga muito menor que Naruto e Bleach por exemplo. Ou seja, o custoxbeneficio vária de título para título. Alias pela sua foto postada, até o manga em formato normal da panini é ligeiramente menor que o da JBC. Tamanho é uma coisa a ser levada em conta também.

    -A Panini coloca “termos otakus” na tradução. Como sufixos -chan, -kun, e etc. Nem todo leitor é um otaku para ficar querendo esses termos no meio da tradução. Mesmo que eles sejam explicados no Glossário.

    -A Panini não possui um sistema de assinatura como o da JBC, que dá desconto de 10% e frete gratis para todo brasil.

    Mas de fato você tem razão em exigir um pouco mais de detalhamento no trabalho da JBC como glossários, freetalks, menos girias e uma ilustração no verso dos mangas, bem como poderia ter sido citado para Panini parar com essa coisa de mangas de tamanhos diferentes pelo mesmo preço e “traduções otakus”.

  22. Cara!!! Muito legal esta matéria, coleciono Buso Renkin e como Ranma 1/2 tem diferença nas cores das capas, por exemplo o volume 4 no japão é um dourado alaranjado, aqui no brasil é um dourado merda, o volume 5 no japão é vermelho e no brasil é rosa…. Qual é??????

  23. Muita coisa foi dita neste tópico, mas queria também dizer algo. Sobre o acabamento gráfico/impressão, a culpa não é das editoras, mas sim, das gráficas. Isso acontece direto em ambas as editoras, com mais frequência da Panini. Como eles estão meio sem noção de prazo, creio que eles tentam apressar de alguma forma todo o processo de tradução/gráfica/distribuição e isso acaba prejudicando o mangá na maioria das vezes.

    Sobre o manuseio dos mangás, isso é culpa da distribuidora e do jornaleiro, pois já cansei de ver mangás mal expostos nas prateleiras, que não comportam tantos volumes uns ao lado dos outros, deixando-os espremidos e amassados.

    Sobre o ensacamento, isso não melhora muito a conservação, pois já comprei um volume de Gantz que veio rasgado de ponta a ponta (volume 27) e demorei pra achar um outro melhorzinho (o jornaleiro deixou eu abrir todos até ficar satisfeita). Sem contar um volume de D. Gray Man que foi ensacado com a capa dobrada, o que fez com que o jornaleiro abaixasse o preço pra tentar passar o produto pra frente.

    Sobre traduções/adaptações, isso varia muito de editora para editora, então vocês podem se manifestar nos canais que eles disponibilizam dando sua opinião. Não é porque a JBC não mantém seção de cartas que eles não recebem e-mails entre outras coisas palpitando. Eu mesma mando vários quando não gosto de alguma coisa. Os endereços do e-mail e para correspondência estão no próprio mangá.

    Outra coisa: a Panini nunca comunica quando cancela as coisas, se a gente não manda carta perguntando, ninguém se dá ao trabalho de colocar uma nota no site explicando. Aliás, o site da Panini Brasil é todo bagunçado, não tem nada atualizado. Eles poderiam se basear no site da matriz, dá pra achar tudo, incluisive as datas dos lançamentos (mas, pra isso, eles teriam que definir prazo com mais exatidão, estou esperando Otomen #7 há uns três meses).

    E a JBC publica bastante freetalks, tem em Nana, Ten Ten, HxH, Lost Canvas… E os extras estão todos aí. Sobre páginas coloridas, elas são bonitas, concordo, mas mesmo nos encadernados japoneses elas não estão presentes, apenas nas edições que saem em mix. E com cor ou sem cor, é irrelevante, caso vá subir o preço de capa do mangá.

  24. Outras coisas q faltou cometar foi o “Chack List” da Panini q deixa o fã em diacom os lançamentos do mês e o Glossário da Panini tbm, q traz todas especificações e palavras q nem foram citadas.

    Quanto JBC ñ tem Check List e nem tem Glossário, eles poem os significados ali no canto da página, óbviamente só o necessário.

    Em termos de qualidade Panini está acima. Mas ainda tenho esperança no futuro da JBC e atualmente tneho até pensado na NewPop apesar de ser pequena e ter pocos títulos.

  25. A melhor editora no momento não é a JBC nem a Panini, quem está chutando traseiros é a Newpop!

    Quem me iniciou nos mangás foi a JBC, e por muitos anos foi a única editora da qual comprei meus mangás. Sou muito grata a ela pelos títulos que lançou, mas atualmente só compro dela Ranma 1/2 e Hikaru no Go, dois mangás que eu adoro e dos quais não tenho do que reclamar. Acho que essa é uma das poucas vezes que a JBC atrasou um mangá que eu colecionasse, esses dois estão um mês atrasados, mas ela avisou em seu site oficial com antecedência, algo que nunca vejo a Panini fazer.

    Quanto a Panini, só de alguns poucos anos pra cá venho colecionando dela e já está tomando conta da minha prateleira. Lançou títulos que adorei e pelos quais ansiava muito, e agora coleciono dela Welcome to NHK, Claymore e Otomen. São todos bimestrais, o que significa que eu não faço a menor idéia de quando lerei o próximo volume.

    Adoro essa editora de coração por, além de ser mais barata, lançar ótimos títulos, mas o que me tira do sério é o descaso com as datas. Seu checklist vem um mês atrasado e já tive de esperar seis meses por um mangá que deveria ser bimestral. Odeio ficar que nem um abutre nas bancas, procurando por mangás que parecem nunca sair. Não sei qual é o problema de estabelecer uma data certa para o lançamento dos mangás, isso é uma total falta de respeito pelos compradores.

    Quanto a Newpop, admito que há pouquíssimos títulos que tenho e coleciono, mas tenho de dizer que adoro a qualidade e carinho com o qual tratam os poucos mangás. A capa é uma delícia de passar a mão, alguns títulos vem com contra-capas coloridas, as páginas tem detalhes muito sutis e cuidadosos, o papel utilizado não é de jornal, os glossários são hilários e não tornam a leitura cansativa, e ela está adentrando em áreas onde nenhuma das outras editoras teve coragem de tentar em todos esses anos: novels e tirinhas. E qual é o preço de um mangá normal da Newpop? Dez reais.

    Tenho muito respeito por essa editora pois, apesar de precisar se estabilizar no mercado, não lança modinhas (mangás com quase 50 volumes), apenas títulos interessantes, curtos e diferentes. Dela coleciono no momento Hetalia e as Novels de Gravitation, títulos um bocado mais caros, mas que merecem por serem mil vezes mais caras de se fazer e traduzir. Essa editora só precisa lançar mais mangás que sejam reconhecidos aqui no Brasil para decolar, pois sua qualidade já é comprovada.

    O que tenho a reclamar da Newpop? Os mangás chegam na data marcada, isso não posso negar, mas só para ter uma idéia, eu tive de garimpar uma Novel de Gravitation, e a outra estou tentando comprar fora do Estado. Como ela não é uma editora tão conhecida quanto as outras, títulos mais exóticos não são demandados pelas livrarias, bancas, nem mesmo lojas especializadas. Claro que eu poderia comprar online, mas sou das antigas e não confio muito em vendas online.

    Apesar disso, acredito que algum dia a qualidade e diversidade da Newpop será acompanhada por quantidade e ultrapassará as demais editoras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.