JapãoReflexões & Opiniões

Mangás | Pequenos detalhes importam? Panini vs JBC, contra-capas coloridas e freetalks! (Reflexão)

É uma delícia quando bate aquele dia de tédio, ou de falta de eletricidade, ou de chuva ou até mesmo na fila de algum lugar ou na casa de algum parente e você se encontra com uma pequena pilha de mangás pra colocar em dia. Ando acompanhando tanto mangá em 2010 que admito que estou um pouco enjoado deste segmento. Acabo deixando acumular e devoro volumes aos montes de uma tapada só. Em dezembro espero ter tempo para colocar alguns Mesa de Quadrinhos das séries acima em dia. Por sinal, na foto acabou faltando Buso Renkin e Kekkashi, acabei lembrando só depois de estar editando as fotos no PC e bateu a preguiça de tirar uma nova foto. Mas eu falo de ambos no fim.

Primeiramente quero afirmar com todas as letras de que este não é um post “Editora X é melhor que Editora Y”. Não! Estou apenas mostrando uma curiosidade editoral da Panini e JBC, duas empresas que acho de excelente nível em se tratando dos ótimos títulos em mangás que foram disponibilizados este ano. Sabe o que falta pra ficar perfeito? One Piece e Katekyo Hitman Reborn! Acorda Panini! Acorda JBC!

O caso é que na JBC tem uma coisa que me incomoda, além do fato dos mangás custarem R$ 1 a mais. Eu sei que é pouco, mas eu já perdi as contas das vezes que fui até a banca e para minha surpresa, só tinha 10 reais no bolso. Porcaria! Malditos noventa centavos! Mas não é isso que é objeto de divagação aqui. O que me intriga é o trabalho que a Panini vem fazendo, atualmente (pois pouco tempo atrás não se fazia), de publicar as contra-capas de todos os seus mangás, com uma ilustração ou freetalks coloridos. Enquanto na JBC, fica aquela triste e vazia página em branco atrás da capa. Dá um deprê só de pensar. Não acredita em mim? Ou não entendeu? Não faz mal! Eu tirei fotos para ilustrar o que quero dizer.

Vamos lá! O teste dos mangás! Foram fotografados 09 títulos: Elfen Lied (Panini), Fairy Tail (JBC), D.Gray-Man (Panini), MAR (JBC), 100% Morango (Panini), Rosario + Vampire (JBC), Naruto (Panini), Ranma ½ (JBC), Bleach (Panini). Só lembrando que se você não sabe o que é freetalk, é aquele textinho de poucas palavras, as vezes uma imagenzinha, onde o autor do mangá escreve qualquer besteira para seus leitores. Não tem nada de “Ohhhh”, é meio que uma xavecada do autor, que faz o fã do mangá sentir uma simpatia pelo cara que faz o mangá. É um quadro onde se joga conversa fora, por isso free+talk (conversa livre ou algo assim). Todo mangá tem isso? Aparentemente não, como por exemplo Elfen Lied, o que não impede da Panini fazer um agrado na contra-capa. Já vou falar disso. Vamos as imagens:

100% Morango e Naruto [Panini]: Olha só que legal. Logo do mangá dentro do verso da capa à esquerda e os freetalks à direita. Você já abre o mangá (do lado certo, por favor) e já começa a ler a edição pelo freetalk. Só uma curiosidade, mas Naruto não está neste formato bonitinho desde o lançamento do mangá. Isso começou no volume 40 para ser mais exato. No começo, quando foi lançado, não tinha freetalk, aí depois de sei lá quantas edições, a Panini publicou uma páginas que reunia todos os freetalks perdidos. E aí acumulou mais alguns e fez a mesma coisa. Depois, nas edições mais recentes, o freetalk saia depois do término do mangá, em preto e branco mesmo. Só no volume 40 é que o mangá ganhou esse formato bacana.

Rosario + Vampire e MAR (Marchen Awaken Romance) [JBC]: Só páginas em branco. Que pena! Para ser sincero, eu não consegui descobrir se MAR realmente tem freetalk no original. Não encontrei as capas japonesas desse mangá. Porém Rosario + Vampire, se você conferir as capas neste link, percebe claramente que os volumes não só possuem freetalk, mas também uma ilustração extra que poderia ser usado também na contra-capa (veja o de Elfen Lied para entender melhor). Talvez por ser uma mangá da Jump tenha essa padronização. Não sei, estou só chutando. Lamentável que a JBC esteja suprimindo esse freetalk. Independente disso, ao menos os extras nos finais de ambos os mangás, criado pelos respectivos autores, são mantidos na edição.

Bleach e D.Gray-Man [Panini]: Ambos mangás são bimestrais, alias, ambos não estão tão distantes assim dos volumes originais no Japão. Se a Panini estivesse lançando-os mensalmente isso ser um problema isso. D.Gray-Man tem umas das capas mais caprichadas e todos os volumes mencionados aqui. Tem bordas coloridas, freetalk no começo do volume e no final da edição tem essa páginas meio ilustração, meio quadrinho que acho o máximo. Não me recordo se é desde o começo que o mangá vem saindo desta forma, mas já faz algumas edições que fico maravilhado com as contra-capas deste mangá. Já Bleach é o único mangá da Panini que tem as contra-capas ainda em preto e branco. Me recordo que essa imagenzinha da Rukia e Ichigo e Inoe e Tatsuki já vem sendo colocado a muito tempo, o freetalk é meio novidade, não me lembro quando começou. Inicialmente ele saia igual mencionei no Naruto, juntava um monte e saia tudo de uma vez num volume ao final dos capítulos. Atualmente já sai assim separadinho. Pena que ainda não em cores.

Fairy Tail e Ranma ½ [JBC]: Um dos mangás mais esperado no Brasil, Fairy Tail. Ainda não tive coragem de ler o volume brasileiro, depois da polêmica da tradução que parece que não deu em nada. Assim que tiver um tempinho quero fazer uma matéria completa sobre a qualidade do volume nacional, provavelmente agora seja uma boa esperar o volume 2 que deve estar chegando em algumas semanas. E infelizmente e para minha total tristeza, segundo as capas deste link, Fairy Tail possui freetalks! E nada deles estarem presentes no volume, seja no fim ou em qualquer outro lugar. Que tremenda sacanagem. E Ranma ½ também sem freetalk, alias olhando as capas na Cover-Land, acabo de perceber que as cores das capas japonesas são totalmente diferentes das que a JBC está lançando. Tem freetalk e ainda ilustrações que poderiam ser usadas na contra-capa. Caraca. Veja neste link e clique na capa da edição 14 para se ter uma idéia e depois compare com a imagem que abre este post. Que diferença!

Para terminar, Elfen Lied [Panini], que realmente não possui freetalk. No lugar onde ficam os freetalks nos volumes japoneses, parece que no caso de EL fica uma recapitulação rápida da história. Então a Panini usou essa ilustrações nos volumes do mangá, a sombra do personagem da capa de um lado e um pequeno objeto relacionado a história do outro. Bacana isso, não? Neste caso a editora nem precisaria colocar nada, mas mesmo assim ela capricha um pouco e coloca esse feito para dar um toque à mais.

Se ouver interesse, outro dia eu tiro fotos de Buso Renkin [JBC] e Kekkaishi [Panini], que acabei esquecendo. Mas já adianto que Buso Renkin por ser um mangá Shonen Jump, também possui freetalk no original, com umas ilustrações bem engraçadas e que a JBC está suprimindo dos volumes lançados por aqui. Já Kekkaishi da Panini tem freetalk como os outros mangás da editora mostrados acima, e no fim do mangá, uma ilustração gag muito bacana, quase igual ao de D.Gray-Man, mas que toma só um pedacinho da página. Tudo bem coloridinho e tal. Muito bonito também.

Enfim, é isso pessoal. Não quero divagar demais sobre o assunto. Acho que isso não é motivo para odiar a JBC ou deixar de comprar seus mangás. Mas acho que todo mundo deveria cobrar isso da JBC. É um detalhe que simpatiza o leitor. Dá aquela vontade de manter a coleção, se ter e cuidar com carinho dos volumes, pois você sabe que está sendo feito com esse tipo de cuidado. para entrar em contato com a JBC, basta entrar neste link e enviar a sugestão.

Afinal, e para você? Detalhes assim importam?

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.