HQ Disney: Edições de Janeiro/2011! [Capa/Histórias] [Prévia em Imagens]


Bem antes de começar o post deixo meus elogios ao blog A Patranha, que foi o primeiro blog deste mês a colocar toda a seleção de histórias das 4 revistas mensais Disney no Internet. Se não fosse pelo blog eu não estaria divulgando as revistas mensais hoje. Isso porque apesar de ter assinado as mesmas, aparentemente elas extraviaram no meio do caminho. Abri a reclamação no SAC de assinantes da Abril na quinta e agora é esperar o prazo de 5 dias úteis que me deram. Uma pena que já no 2º mês de assinatura algo assim tenha acontecido, queria poder elogiar o sistema e dizer que estas coisas acontecem, porque acontecem, mas esta é a pior desvantagem de ser assinante, não receber a revista antes dela chegar nas bancas e ter que ficar esperando o reenvio. Dei azar. Se esta mesma situação se tornar reincidente nos próximos meses, aí sim vou meter o pau no sistema da Abril. Mas vamos deixar esse papo pro futuro então.

Quanto as edições mensais, tenho ótimas expectativas em relação a algumas das edições. A primeira dela é a do Pato Donald, que está trazendo com quase 15 anos de atraso, a história que deu origem a personagem Oona, a patinha das cavernas que desde os anos 90 aparecece eventualmente nas revistas brasileiras. Bizarro terem começado a publicar histórias com ela, sem terem a consideração de apresentarem sua origem, esse é um dos maiores vacilos da Abril em relação as publicações Disney, é muito comum não respeitarem certas cronologias, que as vezes, é de suma importância. A última história da revista do Donald, do Capitão Trambolhão, parece ser um dos destaques do mês, com um excelente traço barkaniano, mas ainda cheio de detalhes. Donald com certeza deve ser a melhor revista do mês. Ah, nota 100 para a capa dando destaque à Oona.

Já a revista do Tio Patinhas ganhou uma bela capa com arte italiana, mas o conteúdo da revista demonstra claramente que a revista precisa voltar a ter 100 páginas ou que a Editora Abril precisa urgentemente criar uma revista com um bom volume de páginas para publicar por aqui mais histórias produzidas na Itália (Este mês vou cobrar novamente a Abril para uma posição sobre aquela nossa enquete). Enfim, três histórias, duas com Tio Patinhas e uma com o Superpato, este último como não tem sua própria revista (deveria ter, lembram deste link?), acaba pegando carona na revista do muquirana. Outro detalhe da revista é o contraste das histórias, duas de 2010 e uma da década de 70, com decepcionante Jerry Siegel, que apesar de ter dado uma bola dentro em dezembro, ainda não conseguiu provar que suas histórias são atemporais e fazem jus a serem publicadas no Brasil depois de décadas sendo ignoradas.

A última com histórias inéditas é a revista do Mickey, que traz outra história do catálogo do artista Casty. Fiquei interessado nesta história pelo fato do Casty ter apenas roterizado, pois os desenhos ficaram a cargo do excelente Paolo Mottura, o mesmo que fez a história do Pardal Galileu que foi capa e destaque da Tio Patinhas de novembro passado (#544). Nada contra o Casty, mas não o acho um excelente desenhista. Fico incomodado com seu estilo de fazer personagens sem língua. Não que ele seja ruim, mas existem desenhistas italianos que me agradam muito mais, como o próprio Mottura. Interessante também a escolha da história Mickey Crusoé para fechar a revista, já que em geral a Abril tapa o final da revista do Mickey com alguma história bobinha e infantil demais do personagem. Espero que isso signifique alta na qualidade do mix de histórias curtas do personagem em 2011.

Por último, a revista do Zé Carioca que segue com republicações, com as histórias antiguíssimas do Superpateta e outros personagens. A edição de janeiro, apesar da fraquíssima capa, é composta apenas de histórias dos anos 60 e 70. Histórias bem antigas e velhas, sendo resgatadas depois de tanto tempo sem sairem no Brasil. Achei interessante uma em que o Zé participa com o Mickey e o Pateta, pois é raro o encontro destes personagens. Também me interesso pela do Donald e Peninha. E nada de Comando Laser na revista este mês, uma pena, achei que começava agora, mas pelo visto a publicação destas histórias do Mickey e Pateta só começam em fevereiro na revista do papagaio. O jeito é aguardar.

Após o continue, a seleção das histórias das 4 revistas acima, além dos links de cada uma do Inducks (mais uma vez um obrigado A Patranha pela informação). Este mês, lá para a última semana, ainda deve ser lançado Minnie Pocket Love #3, Pura Risada com o Mickey #3 e Clássicos da Literatura Disney #31: A Lenda de Atlântida (com o Indiana Pateta! Show!). Assim que receber as revistinhas do mês, irei atualizar o post com a prévia em scans das histórias.

Pato Donald #2390 [R$ 2,95] [50 págs]

Somente Histórias Inéditas!

  • A Origem da Princesa Oona [12 págs] [1995] [Inducks] – Trama: Stefan Printz-Påhlson, Roteiro: Unn Printz-Påhlson e Desenho: Vicar
  • A Batalha dos Abelhudos [10 págs] [1998] [Inducks] – Roteiro: Noel Van Horn e Desenho: William Van Horn
  • Inverno Quente [10 págs] [2004] [Inducks] – Roteiro e Desenho: William Van Horn
  • A Saga do Capitão Trambolhão [14 págs] [2009] [Inducks] – Roteiro: Geoffrey Blum e Desenho: Carlos Mota

Tio Patinhas n° 546 [R$ 4,95] [80 págs]

Somente Histórias Inéditas!

  • Tio Patinhas e a TV a cabo Extraterrestre [24 págs] [2010] [Inducks] – Roteiro: Alessandro Sisti e Desenho: Paolo Mottura
  • Superpato e o Mistério do Impacto Zero [30 págs] [2010] [Inducks] – Roteiro: Marco Bosco e Desenho: Andrea Freccero
  • A Inversão Cósmica [23 págs] [1973] [Inducks] – Roteiro: Jerry Siegel e Desenho: Giancarlo Gatti

Mickey N° 820 [R$ 2,95] [50 págs]

Somente Histórias Inéditas!

  • No Vale do Pica-pau Gigante [36 págs] [2007] [Inducks] – Roteiro: Casty e Desenho: Paolo Mottura
  • Mickey Crusoé [10 págs] [2002] [Inducks] – Roteiro: Sarah Kinney e Desenho: Xavier Vives Mateu

Zé Carioca N° 2355 [R$ 2,95] [50 páginas]

Só Republicações…

  • Zé Carioca X Alakibu [06 págs] [1978] [Inducks] – Desenho: Carlos Edgard Herrero
  • Superpateta: O Herói dos Superforas [14 págs] [1970] [Inducks] – Desenho: Jack Manning
  • Zé Carioca, MIckey e Pateta em O Tesouro de Lampião [14 págs] [1961] [Inducks] – Desenho: Jorge Kato
  • Donald e Peninha: Experiência Anterior [05 págs] [1974] [Inducks] – Roteiro: Ivan Saidenberg e Desenho: Carlos Edgard Herrero
  • Zé Carioca: Minhocas na Cabeça [06 págs] [1968] [Inducks] – Roteiro e Desenho: Waldyr Igayara de Souza
  • Zé Carioca: Essa Mania de não ter Mania [Gag] [1972] [Inducks] – Desenho: Renato Vinicius Canini

Isso também pode lhe interessar

18 Comentários

  1. A editora Abril deveria voltar a lançar material inédito do Zé carioca pois já temos seu almanaque para republicações,além disso ja cheguei a ver histórias do Zé no Inducks de outros países e que nunca foram publicadas aqui.

    1. O problema com as histórias do Zé de outros países é que elas são bem diferentes das que foram feitas aqui, mostrando um personagem bem diferente do que os publico brasileiro está acostumado (uns até dizem que são péssimas, mas como eu só conheço uma, não posso opinar melhor sobre isso).

  2. Desculpa Thiago, mas achei esse post extremamente desnecessário, afinal, VOCÊ AINDA NÃO LEU AS REVISTAS!!! Acompanho todos os posts de impressões/comentários que vc faz dos gibis, concordo com muita coisa, discordo de algumas, mas dessa vez acho que esse post poderia ter demorado um pouco mais, ser feito depois de sua leitura. Abraços e parabéns pelo trabalho, tendo que aturar chatos como eu.

    1. O objetivo do post é divulgar as revistas sergio, como elas não chegaram pra mim ainda, não posso dizer muito sobre as historias em detalhas, mas é importante passar o checklist e a seleção delas para que os interessados possam saber do conteudo… de nada adiantaria eu fazer este post no final do mes quando elas já estaria saindo das bancas.

      E outra coisa, eu conheço muito do universo Disney, sou colecionador a decadas, não preciso necessariamente ler as revistas para dar a minha opinião quanto ao conteudo e seleção do mix mensal, como o que comentei nest post…. basta evitar falar do enredo… mas sobre os artistas e curiosidades, posso comentar sem precisar ter lido elas efetivamente.

      abraços

      Obs: alias se vc acompanha o blog ira perceber que este tipo de post é muito comum por aqui, além dos proprios posts com as impressões dos enredos das historias, que quando dá tempo, eu faço de forma bem detalhista. então este modelo de post não é surpresa alguma para quem acompanha o blog.

      1. Bem Thiago, vc sabe bem o quanto acompanho seu blog, dei apenas uma dica. Entendi o que vc disse, é que eu tinha a impressão de vc já ter feito antes o post de “apresentação”. Como n tinha feito ainda, esse é o post de apresentação então. Porém, agora que chegaram suas revistas, fico, como fã Disney, esperando ver sua opinião e saber se parece com a minha.

        Abraços

        Em relação ao Siegel, como muitos acho suas histórias fraquíssimas até agora, aquela cena de indicar para o globo terrestre o “procurador de ouro” (janeiro ou dezembro) foi completamente patética.

        Quanto ao Casty, muitos metem o pau mas a maioria das histórias gostei (Falo de enredo, n ligo param desenhos), inclusive ADOREI quandomai.

        1. exato, esse é o primeiro post do mês de apresentação. ele saiu bem atrasado justamente por não ter as revistas e nenhum outro blog pela net ter colocado a relação de historias até A Patranha fazer! 🙂

          Sim, a de Siegel de Dezembro não é perfeita, porém é uma aventura diferente, utilizando apenas do Pardal e o Tio Patinhas e desse diferencial realmente me agradou na historia de dezembro com Atlantida. Claro que certas cenas ou desculpas para o roteiro funcionar, realmente são um dos pontos mais fracos do Siegel.

          Quanto ao Casty, eu tb gostei de algumas das historias dele. Quandomai é otima (não é tudo aquilo que pregam), mas é uma excelente historia cheia de pontos de roteiro modernos (isso é algo positivo). Já as garrafas de Avaloa eu achei fraquinha e boba, infantilizada demais. Mas eu curto o trabalho do casty como roteirista, apenas os desenhos mesmo que não me agradam e numa historia em quadrinhos, isso conta demais.

          1. Pois é, sei que conta bastante a questão dos desenhos, pra mim n importa mas sei que faço parte de uma minoria. Aliás, sou um dos poucos que não tinha notado o “mickey sem lingua” tão reclamado pelos fãs Disney. Legal ver que alguém também gostou muito de Quandomai. Voltando um pouco no tempo, qual sua opinião sobre os mágicos do mickey. Eu achava sensacional, e gostei bastante de Ultra-heróis tb…

          2. Opinião é opinião e temos que respeitar acima de tudo!;)

            Já eu ódiei Os Mágicos de Mickey…que tipo de HQs/série CHATA pra caramba,detestei..agora em relação Ultra-heróis era melhozinhos e ainda mais a série DONALD-DUPLO..acho essa Espetacular!!!:D

            Abraços,a todos,Xandro.

          3. Eu discordo do Xandro no que condiz com Magicos do Mickey, eu achei a série sensacional e bem criativa. Não nego que a forma como ela veio ao Brasil foi bem insatisfatoria, sendo dividida por muitos meses e com um belo atrasado em relação a Italia. A primeira saga inclusive, relacionado ao torneio, é a mais fraquinha, pois esse tipo de historia nem sempre fica bem em quadrinhos (animado seria otimo), porém as sagas seguintes, com a era negra e depois uma avulso, foram bem melhores. O problema com Magicos do Mickey é que este universo merecia ser criado com mais calma, melhor aprofundamento e refinamento e outra coisa, são historias que ficam sensacionais em encadernados especiais. É isso que faltou para promover Magicos do Mickey no Brasil. Mas a série não merecia ter sido abandonada por aqui como foi.

          4. Eu não gosto muito daqueles desenhos italianos muito arredondados, mas acho que os roteiros de tais histórias compensam os desenhos feios (segundo a minha opinião).

  3. Em relação ao Casty também concordo com você,também não sou muito fã dos desenhos dele mas em relação a Jerry Siegel não acho suas histórias tão ruins para terem sido ignoradas todo esse tempo.

  4. Acabei de ler “No Vale do Pica-pau Gigante” na revista do Mickey e sem sombra de dúvida a história flue com muito mais qualidade visual quando não é o Casty quem comanda os desenhos. Que excelente história!

    Mottura mandou muito bem em alguns quadros, principalmente aqueles que revelam os animais dentro da caverna, e o final também é um dos melhores que já vi nesta seleção do Casty. Acho que por muito pouco apenas ela não é melhor que Quandomai, mas é uma belíssima aventura com certeza, e com aquele toque de mistério que só as história do Mickey possuem.

    Me surpreendeu.

  5. Gostei muito da última HQ da revista do Donald, pois ela faz uma paródia/homenagem à carreira de Barks, com seus pontos fracos e fortes! E me surpreendi quando vi que o roteirista da história era ninguém menos que o crítico Geoffrey Blum!! Uma pessoa de que sempre leio uma análise de uma HQ de Barks quando estou relendo os volumes da minha coleção de O Melhor da Disney. Também achei legal ele trabalhar com Carlos Mota, um grande desenhista brasileiro!

  6. Dando o meu pitaco sobre as edições deste mês:

    ZC – Eu gostei, acho que ganhou pela simplicidade. As histórias da ANCOZECA são legais, e aquela GAG (se não me engano é este o nome da história só de uma página) no final talvez seja um indício daquilo que foi comentado em posts passados sobre ter uma dessas em cada fim de edição (o que é muito legal). Mas o que achei bom mesmo foi a história do Lampião. É nessas horas que bate em mim uma vontade de tipo “pow, se eu soubesse desenhar eu iria fazer montes de histórias assim (mesclando personagens Disney, sob a asa do anfitrião Zé Carioca, com a cultura brasileira) e ficar enchendo o saco da Abril pra que eu trabalhasse com eles”. Pelo menos assim ninhuém poderia reclamar que não tem coisa nova do papagaio sendo produzida. Mas como sou um fail na vida pra desenhos, eu vou pra próxima edição…

    PD – Mediana num geral, embora importante pela apresentação da Oona (fail da Abril de só fazer isso uma cacetada de anos depois de ela já ter aparecido outras vezes) e o ápice de tudo foi a história do Carl Barks que encerra a edição. Genial, a revista super vale a pena por causa dela.

    MK – Acho estranho ter apenas duas histórias, enquanto a do ZC tem umas 4 ou 5 ou 6. Mas estranho mesmo é o nome da HQ chamar (Mickey e Pateta) No Vale Do Pica-Pau Gigante e na capa estar o nome O Vale dos Pássaros Gigantes. Só porque existe uma revista do Pica-Pau de uma editora concorrente a Abril não pode colocar o nome do bicho na capa de uma de suas edições? oO Enfim, é uma boa história, embora eu não ache legal ser tão grande assim e quase ocupar toda a edição (se fosse assim, botasse mais páginas pra caberem histórias grandes, como acontece com o TP). Já a segunda história achei fraquinha demais.

    TP – Deu até um baque quando eu terminei de ler a HQ do Superpato (que é DEMAAAAAAIS, demorou muito pra ele ter umarevista só dele) e fui pra seguinte, do Siegel. Não sei, ela, do Siegel, deveria estar no começo ou pelo menos ter deixado a do Superpato pro final, como foi na edição de dezembro (se não me engano, não tenho o gibi em mãos), que é pra fechar com chave de ouro e um total setimento de “quero-mais”, porque é justamente isso o que senti ao ler aquela história.

    Enfim, é isso. Agora, gogogo botar a leitura em dia dos CLD e do Disney Big 7.

    Mas e aí, Thiago, com quantos dias de atraso chegaram as suas edições?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.