Conversa de Mangá: Bleach 431 e 432 – The Soul Pantheism

Bleach: Capítulo 431 e 432 foi disponibilizado dia 15 e 25 de dezembro: “Welcome to our Execution 3” e “The Soul Pantheism“.

Se você não sabe o que é o projeto Conversa de Mangá, clique aqui. Depois do “continue”, a gente conversa mais:

Aviso: Continue apenas se você já leu o capítulo 431 e 432 de Bleach. Atualmente acompanho o mangá pelo site Mangá Stream, e a qualidade da scan é absurdamente fantástica! Basta não ter medo de inglês. Mas, em todo caso, a StrawHat Scans tem a tradução em Português. ;-)

Bleach 431

Welcome to our Execution 3

Ah, nem acredito! O último Conversa de Mangá em atraso! Finalmente após a publicação deste post todos voltam a ficar em dia e prontos para o retorno dos capítulos no Japão. E aí é só nada atrapalhar e o projeto volta a sair sem mais atraso. Bleach acabou sendo o último a ficar em dia não porque os capítulos foram inferiores, apenas deu o azar de ter acabado deixando dois capítulos em atraso, enquanto os outros só tinha um. Mas chega de jogar conversa fora e vamos aos finalmente.

Até pensei em fazer o CdM tudo junto, sem divisão de capítulo, mas  como ambos tem assuntos diferentes a serem tratados, resolvi seguir a velha forma e dividir os mesmo. Welcome to your Execution 3 tem dois quadros que destacaram muito pra mim, nem são importantes e tal, mas eu simplesmente gostei da arte deles. A primeira tela foi essa abaixo, com o Ichigo chegando ao encontro com o Kuugo, é uma paisagem urbana bem diferente do que estou acostumado a ver, então curti a ideia do layout diferenciado, parecendo uma espécie de condomínio/apartamento de baixa renda, só não sei se é isso mesmo que o Kubo quis dar a entender, o Ichigo cita edifício abandonado, mas depois o Kuugo menciona mesmo que eles abriram paredes pro lado e pra cima para o clube ficar gigantão. Enfim, eu gostei, mesmo que não tenha nada demais.

O segundo quadro também não é nada demais, mas acredito eu nunca comentei por aqui que sempre curti a criatividade do Kubo ao colocar os nomes dos capítulos integrado a algum quadro da própria história. Neste capítulo achei genial a forma como ele o fez no cartão que abre o clube do Kuugo. Até por isso escolhi o quadro para fechar essa prosa do capítulo 431. Não são todos os mangás que conseguem integrar o titulo visualmente na história. Os mais famosos como Naruto, One Piece e Katekyo Hitman Reborn, por exemplo, não fazem isso. É um diferencial do autor e nunca havia comentado por aqui.

Quanto a história em si, eu realmente não tenho muito o que comentar. É uma fase nova e tudo parece novidade mesmo. Não consigo adivinhar o rumo das coisas, se o futuro será promissor ou se o Kubo vai escorregar em algum momento e deixar tudo torturoso como foi na saga anterior. Até o momento, se tiver que reclamar de algo, é um pouco da demora do ritmo da narrativo, mas o mangá está assim faz tempo, então não é uma crítica nova. A história deste capítulo mesmo, demora quase tudo, só para que Ichigo fosse para o clube. Mesmo que seja notável algum esforço do autor para colocar outros elementos à trama, nessa espera do acontecimento. Mas as ceninhas do celular, para que o Ichigo faça contato com o Kuugo, qual o sentido delas? Porque tanta frescura, tanta demora e tanta enrolação nestes quadros? É algo do autor do mangá que realmente não entendo porque gastar páginas e quadros com situações assim.

Não curti também o Kuugo ter dito ao Ichigo que a parada com o Isshin foi só para chamar a atenção do personagem. Quer dizer que não vai mais explorar esse mistério da família Jurosaki? Espero que não seja isso, pois queria muito que esta saga se dedicasse um pouco mais a alguns mistérios da história do mangá, do que na criação de mais um bando com ódio da Soul Society e que no final vai tentar invadir/derrubar/dominar novamente o Gotei 13. Torço até que nem envolvam estes personagens agora nesta saga. Mas é esperar e ver quais são os objetivos reais do grupo do Kuugo.

Em relação a Inoe, nada muito importante aqui. A cena sobre o Chad já sabemos pelo capítulo 432, então deixo para falar sobre o mesmo mais abaixo. Gosto do autor estar dando esse destaque a Inoe, deixando mais leve e engraçada, como era no começo do mangá, ainda que numa situação assim, esperava algum tipo de trauma da menina pelo que a mesma passou no Hueco Mundo, mas parece que o Kugo não anda se importando com isso. E pulo pro próximo capítulo!

Bleach 432

The Soul Pantheism

Aqui neste último capítulo lançado há alguns pontos de polêmica muito importantes. Infelizmente desta fez não fui correr atrás dos comentários dos fãs pelo Orkut e comunidades relacionadas a série. As vezes faço isso para me inspirar nos CdMs e para sentir o clima do que rolou pela net. Mas hoje estou meio às cegas por aqui O caso mais problemático neste capítulo 432 é em relação a explicação dada pelo Kuugo sobre as habilidades que os membros do clube possuem. Sei lá, achei meio sem noção, ridículo a tal idéia de que todos os objetos tem almas e que os caras podem “absorver” ou comer tais almas.

Veja bem, eu até entendo a ideia do Kubo sobre o assunto, afinal, dentro do universo da série, os espadachins conversam com suas espadas e cada um tem uma certa representação numa dimensão própria, como sabemos do Zangetsu, a espada do Ichigo. Até não acho tão estranho assim essa idéia de que os objetos tem um certo fluxo de vida e sentem as coisas. Novamente, as espadas usadas na série, assim como os barcos em One Piece do Oda também tem uma certa representação de terem sentimentos, ou seja, almas. Mas nesta caso do Kuugo & cia, achei meio forçado demais a idéia de que todo objeto inanimado tenha algo assim. Sei lá.  Pegue uma caneta, por exemplo, ela tem uma única alma, ou a tinta que tem dentro dela, e o plástico na qual ela é feita possuem almas separadas? E a tampa da caneta? Ok, talvez eu esteja distorcendo toda a ideia do autor, mas sei lá. Não seria mais fácil dizer que todo objeto tem uma energia especial, como uma aura. O meu incomodo é realmente com a palavra “alma”.

Mas deixando de lado a parte técnica da fantasia da história, a ideia dos objetos mudarem de forma eu gostei. Até mesmo o nome, “Fullbring”, achei bacana. Quero ver maiores explicações sobre essa possibilidade de mudar as formas dos objetos na qual se tenha afinidade. No caso do Ichigo, será que o autor planeja dar uma nova espada para ele? Ou a Zangetsu irá mudar para uma nova forma? Ou Ichigo não vai aprender essa nova habilidade? Ainda tem muito o que se falar sobre isso e não dá para saber o que o autor pretende com este novo grupo de personagens. Tem portencial com certeza.

Já em relação ao Chad ter sido chamado para o clube. Não sei o que esperar. O Chad já tem um poder não muito bem explicado. Mas porque recrutar ele e fuzilar o Ishida uns capítulos pra trás? E o Kubo não precisava necessariamente ter dado chá de sumiço no Chad só para colocá-lo no final do capítulo. Ficou estranho a reaparição do personagem assim do nada. Alias espero que todos os personagens ali do Clube tenham algumas armas diferentes, porque se todo mundo tiver um objeto que vire uma espada, vou achar muita papagaiada. Até mesmo o Kuugo, seria legal se a cruz dele pudesse tomar outras formas, não acham? Tudo bem que Bleach é um mangá de espadas, mas tem personagens que luta com outras formas e até bankais que fogem um pouco da regra das espadas.

Enfim, capítulo polemico, com uma certa complexidade se for tentar ficar entendo tudo, é deixar a fantasia rolar e pronto. Aí dá para se divertir. Dentro do contexto do universo da série, até dá para encarar objetos com almas.

Isso também pode lhe interessar

24 Comentários

  1. O 431 eu achei beeeem morno, porém a única coisa que gostaria de ressaltar foi que gostei do negócio do telefone. Deixou um ar mais de “Organização Secreta” e tal, tomand várias medidas bem precisar pra chegar no chefe. Enfim.

    Já o 432, capítulo polêmico, eu gostei. A ideia de almda dos objetos e tal eu não ‘cozinhei’ tanto assim, e instantaneamente lembrei do Ishida, com aquela cruz que concentra energia e principalmente a luva que vira arco, até com a parada de “7 dias e 7 noites” pra justamente como o Kuugo falou, ter a tal ‘afinidade’ ou sei lá como chama.

    O Chad estar ali não foi muita surpresa pra mim, também, personagem principal não ser mostrado no começo e grupo misterioso aparecer ao mesmo tempo = treta. Só quero saber como se explica o poder do Chad. A Inoue tá beleza, os grampos e tal, mas o Chad tira da onde? Dos braços dele? Resta explicar agora. Sobre a próxima arma do Ichigo, Oda permita que não seja uma espada, por favor.

    Ah, e sobre a arma do Kuugo, provavelmente quando ele estava desenvolvendo os poderes tinha começado a ler One Piece e gostou do Mihawk 8D

    1. “Sobre a próxima arma do Ichigo, Oda permita que não seja uma espada, por favor.” Oda? o Deus dos mangas? kkkkkkkkkkkk so ele pra ajudar msm nessas horas. Espero q seja la oq façam com o kurosaki q ele nao volte a ser um shinigami,ele poderia ter uma terceira forma,um humano msm com poderes,ate usando espada msm. Melhor doq voltar a velha forma de shinigami/hollow X.X

  2. “Mas porque recrutar ele e fuzilar o Ishida uns capítulos pra trás?”

    Err não foram eles que pegaram o Ishida.

    Também não fui com a cara desse papo de almas, e o Fullbring lembra muito MÄR/Reborn, achei meio sem noção trazer algo como isso agora, Zanpakutos são tipo a alma da série.
    Quero ver no que vai dar.

  3. talvez o ichigo aprenda a usar esse poder, e fassa um objeto(sei lah), se tranformar na zangetsu, dai sem precisa sai do corpo original assim como os vaizards, e qm sabe ele não volta a usa a mascara. lol

    esse poder fullbring, se parece bastante com o dos quincis talvez tenhan a mesma complexidade. XD

  4. primeiro esse negocio de alma em objetos não é invenção do Tite é crença espirita e quanto ao Chad estiver nessa organização eu acho que ele usa o Fullbring nos próprios braços

  5. As habilidades do grupo, devem ter alguma relação com os preceitos xintoistas no Japão. A idéia de alma em objetos inanimados e que fazem parte da natureza talvez possam ser explicadas pelos preceitos derivados das crenças e das doutrinas xintoistas. Muitos animes utilizam isso. Sola, por exemplo trabalha com essa tematica quase que em toda a história. As vezes isso soa forçado para alguem que nao vive ou participa dessa sociedade. Eu entendo como isso é dificil, mas como o Thiago disse vamus deixar rolar e ver o que da. Bleach ta tentando se acertar. Essa saga esta interessante. Se vai dar certo ae eu ja nao sei.

    1. Isso mesmo, tem a ver com o xintoísmo. Mas acho que o Kubo ou pessoal que traduziu do japonês foi infeliz ao escolher a palavra “alma”. Como o Thiago mencionou, ficava melhor “aura”.

      1. Pois é tradução é algo bem complicado mesmo. O conceito de alma é bem complexo também, realmente nao caiu bem. Porém a idéia nao foi algo totalmente ruim. Apenas posso dizer que faltou um pouco mais de “precisao”.

  6. Bom, assim que começou essa nova saga eu me animei, achei muito interessante a premissa da saga, mas não ando gostando do rumo que a historia está tomando!
    Muitos podem dizer que estou exagerando, que a saga mal começou, tal, porém o que vem sendo mostrado nao me agrada e isso comprometi eu me interessar por bleach.
    Kubo atualmente é o autor mais perseguido, fez por merecer, mas não é legal não termos paciência com ele, quando teriamos com outros autores.
    Então vou tentar ser imparcial, ou no caso parcial com o kubo, pq até One Piece ja deu rumos que eu não gostaria que ocorresse, então não seria justo com o Kubo eu descer a lenha na obra dele nessa saga só pq ele não fez as coisas acontecerem como eu gostaria!

    Quando começou essa saga eu pensei como a maioria, agora ele vai aprofundar na historia do ichigo e sua origem! Com isso em mente, eu nem percebi que comecei a criar mil e uma vertentes para a origem do menino, e isso me empolgava pra caramba! Imaginei eles como uma familia super nobre, herdeiros do Deus da serie! Ou os kurosaki pertencerem a familia responsável pela guarda do Deus, enfim, uma linhagem sanguinea diferenciada!
    Sei que isso ainda possa vir a se tornar realidade, mas, ao ver o aizen 2.0 falar em dar poderes de shinigami pra ele de volta me broxou, e o que mais tirou o tesão é ele não falar do pai do ichigo!
    O viado mostra a foto (ele admitiu que era pra atrair o ichigo mas…)! E ja que mostrou, fala dele kct!
    Fica nessa papaguaida e shinigami, ai o morango começa a dar seus chiliques, alias, o menino chiliquento, ele fica supresa e nervoso umas 300 vezes por capítulo, isso me irrita!
    Kubo é otimo em transmitir a emoção de surpresa nos rostos dos personagens, mas isso deveria ser algo a ser usado em fatos importantes! a cada peido ele faz aquela cara de 2012 o mundo vai acabar e depois ja ta depressivo de novo ou bravinho! Raro ver ele de boa, conversando, rindo, zuando, enfim, sem o complexo de crepusculo, restart, nxzero……
    voltando, não ta ruim os capitulos, só não curti o foco que está sendo dado agora e nem o fato deles serem humanos! Esperava algo mais estiloso!

    Pode ser por causa da narrativa lenta, como o thiago disse, e o Kubo de o destino que anseio mas, me decepciona ele não abordar o Pai do ichigo, o Uruhara! Não sei se espero demais do Kubo, mas a tanto aspecto a se explorar nesses dois, ao invés de focar na meleca do morango e os seu poderes! Bleach é shonen, e tem que haver lutas, mas custa abordar o lado mais politico da coisa? custa explorar os sentimentos dos personagens ao invés de levantarem poeira com suas espadas?

    Falando em espada, curti o aizen 2.0 transmutando a dele, me lembrou fullmetal rsrsrs!
    Ao contrario do thiago eu gostei do lance de tudo ter uma alma! Não levo a palavra alma ao pé da letra do que ela significa aqui no ocidente!
    Não via necessidade na organização do bando do aizen 2.0, que alias, acho que não é dele pois a menina pergunta pra ele se o cara morreu pra nomear ele o chefe, logo tem alguem que está acima do aizen 2.0! Preferiria se o cara fosse sozinho, como um parente do ichigo, da mesma linhagem tal, mas que está escondido(?) no mundo dos humanos como o pai do ichigo!

    Não sei o que falar do chad, ele e o ishida não servem pra nada, pra falar a verdade!
    No ponto que chegou a serie, não imagino eles ficando tão fortes como capitães da soul society, e ao contrario da inuoe, que ta ali pra ser um parzinho romantico com ichigo, ishida e chad pra mim são descartaveis, o que lamento, mas o kubo não soube aproveita-los!
    Podem falar que eles são amigos, mas o ichigo não parece gostar de ninguem, so os usa como desculpa pra lutar, no caso o autor! pq quando é pra desenvolver a amizade, eles não compartilham segredos, nao sabem onde o outro tá, não mantém contato, que porra de amizade é essa? Logo, não vejo sentido nesses dois personagens!!

    nunca escrevi tanto em CdM de bleach rsrsrs, o jeito é dar uma chance pro kubo, até pq ele não tem culpa que eu brisei sobre possiveis acontecimentos que ele não pensa!!

    1. acho somente que você ta apresando um pouco as coisas, Urahara concenteza vai ser abordado, mas primeiro tem que se focar no centro disso tudo a Excution, o que ela realmente quer,porque ela existe, não me surpreenderia o Isshin estar ligada a ela, e o fato dele conhecer o ultimate Getsuga tambem.

      So tenha um pouco mais de paciencia, mesmo que Kuugo tenha dito ter usado o Isshin só pra chamar a atenção de Ichigo, de algum modo Isshin vai tar relacionado a isso. O cara ta sumido desde que Kuugo apareceu ‘-‘

      1. Como eu disse, como eu fiquei bolando altas teorias rsrs, a excution não seria necessária rsrs, mas vamos ver o que o kubo ta criando com isso!

  7. Uma das coisas que mais gosto nos shonens é quando aparecem essas habilidades novas, que possibilitam novos tipos de lutas. Por exemplo, achei fodão quando vi o Soru, Geppou e etc em One Piece…E mais tarde ainda surgiu o Haki. Bleach tava precisando de coisas assim. Imagina só o quão legal é você usar um objeto comprado numa papelaria pra lutar. xD

    E o Thiago chamou atenção pra dois quadros específicos, mas eu vou além: Desde o time skip, Bleach tá com uma arte um pouquinho melhor. Kubo parece empolgado. xD

  8. A alma é algo estranho mesmo, talvez ele tenha se inspirado na propria soul society, todas as construções eram feitas de almas e Ishida ate conseguiu absorver essa particulas espirituais.

    Mas oque curti foi a espada do Kuuga

  9. Bom… todo mundo está viajando com as armas, almas e Ichigo-seiya como sempre. Eu ando desenvolvendo uma tese a um tempo. De que cada saga do Bleach possui um personagem como foco. Pensem comigo: quem foi o foco da saga da invasão a Soul Society? Rukia. Quem foi o foco da saga arrancar até virar a patifaria que todo mundo conhece? Inoue. Quem falta? Chad, Ishida e Renji.

    Eu concordo que o Kubo como redator resposável pelo enredo é um ótimo desenhista de estilos (dizem as más línguas q ele foi um estilista frustrado), de tanta merda q ele faz com a história e os personagens. Mas se a história tiver essa premissa simples e constante, é impossível estragar… e em vários momentos ele deu a entender que o Chad possuia mais potencial do que os outros pela sua proximidade com os Hollows e isso deveria ser explicado um dia!

    Como fã do Chad de carteirinha, eu espero mesmo que ele dê o devido valor a esse personagem e finalmente dê a ele o destaque que ele merece!

    Agora ao grupinho do Kuugo? Só mais um grupinho identico aos Vaizards que tem ressentimentos do passado, treina o Ichigo e é trollado no futuro depois de um flashback gigantesco. SÓ…

    o/

    1. Sempre pensei que cada saga era uma donzela! xD
      E prefiro que isso não se repita!
      Mas tem razão, não tinha pensado antes, com esse lance de super humanos é de esperar que Chad, Ishida e Orihime tenham mais destaque! 8D
      Mas depois de tanta trollagem…

  10. Opa ‘-‘

    Pra começar, gostei muito desse novo estilo de poder, se o cara souber utilizar alguma arma diferente ele pode cria-la, mas como o manga é mais voltado para as espadas, vai ser raro alguem que utilize uma arma diferente, por exemplo o Stark, e o Baragan (pistolas e machado), Foram legais a ideias, mas nem sempre da pra fazer isso num manga de espada, entendo Kubo nesse sentido.

    A ideia de almas em tudo, nem achei tão estranho, se eles são capazes de retirar e comer a alma de qualquer coisa, a palavra que melhor se encaixa é Alma mesmo, aura é algo mais exterior, tipo a presença do objeto, Alma é algo mais interior que representa o Objeto em si.

    Com o Chado eu somente arregalei os olhos para ter certeza que era ele, mas sem surpresa alguma ‘-‘, por falar nisso gostei do visual do garotão ae, mas espero que o poder dele não mude, Braço del Diablo e Braço del Gigante já são bem legais, principalmente o La Muerte, Chado só precisaria ser melhor explorado.

  11. Adicionando: Aquela espada do Kuugo me lembrou a primeira espada do ichigo, a gigante dele, eu gostava das outras formas da espada do ichigo, odiei Kubo te-la limitada a somente uma katana preta, até a faca de cozinha era bem legal 8D

  12. o kuugo me lembra o grimmjow nao sei bem porque…..

    ele deve querer o poder hallow do ichigo nao perder seu poder seria muita canalhice…

  13. E ai povinho muito da horas esse capitulo
    olh ari muito aqui quanod o carinha dando a tese
    da caneta com a tanpinha cedo a alma coisa do tipo
    kkkk, mais Synyster sua tese e boa viu, mais acho que esse poderes ainda tem aver com hollw ~~

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.