Claymore | Teresa do Sorriso Aparente! Apareceu pouco, mas deixou saudade… [Personagens que Nós Amamos]

Sempre tem um personagem que fica sendo “o personagem” de uma história. Os principais geralmente são deixados de lado por um momento, quando o público foca suas atenções somente naquele secundário que é simplesmente sensacional!

E é para isso que imaginei essa coluna, sabe? Homenagear essas personagens que fazem o conceito de uma série, filme, animação e que são totalmente irresistíveis! Por isso, toda semana, espero lembrar de mais um e colocá-lo nessa nossa “galeria”. Claro, evidente, óbvio, que suas sugestões são mega bem vindas! Aliás, são necessárias!

Apresentações feitas, podemos seguir com um pequeno perfil de Teresa do Sorriso Aparente, que apareceu pouco (demais) e já faz parte da galeria pessoal de quem já leu Claymore (pelo menos acho que sim – já que nunca conheci alguém que não gostasse da Clare!).

Ela também pode ser chamada de Teresa do Sorriso Enigmático, para aqueles que são mais fiéis ao mangá… Mas, seja onde for, Teresa é uma personagem encantadora: tão forte e tão tranquila em suas batalhas que beira um pouco a ser uma personagem canastrona – daquele tipo invencível e que salva o dia, sempre com tranquilidade e pouco suor…

Embora tenha aprecio em alguns poucos episódios (ou capítulos/ volumes), a personagem foi um gancho principal na história de Clarymore. Sem Teresa, não existiria a Clare que conhecemos, nem mesmo Priscila (a despertada), as desconfianças quanto à organização entre outras coisas.

Se você não leu Claymore, pare por aqui! E, após o Continue Lendo:  os motivos pelo qual Teresa do Sorriso Aparente deve estar na nossa galeria de personagens que amamos! (e pode conter spoilers).


Primeiro encontro entre Teresa e Clare

Mantendo a tradição dos personagens super poderosos, Teresa era solitária, matava à sangue frio, perfeitamente equilibrada e não sentia medo ou mesmo demonstrava algum sentimento: apenas o sorriso raso, com o qual eliminava qualquer adversário – fosse ele Youma ou outra Claymore (quando necessário)…

Após conhecer Clare, Teresa se transformou aos poucos: com a teimosia daquela garota que não conseguia falar de tão traumatizada que estava, a personagem foi criando afeição, retomando alguns sentimentos humanos e, finalmente, achou um outro rumo na vida além de matar para a organização.

Se você é daqueles que procuram uma garota fofinha ou estranhamente doida e “volumosa” como Ikki Tousen, por exemplo, esqueça! Claymore não foca em “atributos” desse modo, inclusive, o corpo parece nojento o suficiente para um grupo de sanguinários criminosos rejeitar…

Mas, voltando: Teresa foi uma das personagens a criar problema com a organização, eliminando um humano (um só ou vários?), ferindo a principal regra, e desertando de vez, para “criar” aquela adorável e amáel criança. Quando assistimos ou lemos Claymore a primeira vez, é impossível não torcer pela personagem: seja quando ela é caçada pelas outras da Organização ou quando enfrente Youmas…

O final da personagem, eu considero meio chulo: ela desiste de matar (e assim se proteger) a Claymore que seria a razão de viver da então pequena Clare: Priscila. Além disso, passa a confiar em palavras e assim foi enganada por Priscila e, literalmente, perdeu a cabeça.

Mas, perdoando o lenga lenga das lições de moral de sempre (embora ver a cabeça decepada da personagem sendo carregada por uma criança não entre na listas de coisas mais amáveis e comuns), Teresa é uma personagem perfeita – do que jeito que foi escrita, para ser forte, implacável, não só inteligente, mas, sábia também. Os traços dela não são lá apaixonantes, já que não se enquadra exatamente nos modelos de mulher que se considera “bonita”. Contudo, não é disso que estou falando afinal…

Estou falando daquele tipo de personagem que aparece pouco, mas, que marca toda um a história e deixa saudade (mesmo que, com o continuar da série, encontremos outros ainda mais fortes e tão apaixonantes como). E esse é o mérito de Teresa do Sorriso Aparente: a gente aceitaria até fillers para vivenciar um pouco mais de sua história… ou um filme (dedicado a ela, quando ainda tinha o cabelão negro, antes de entrar para a Organização)… Bom, não custa nada desejar, né?

Isso também pode lhe interessar

41 Comentários

  1. No início, era minha personagem favorita em Claymore (tirando a Clare, porque nunca conto os personagens principais). O passado dela com a pequena humana é realmente lindo, mas muito triste também. Não achei chulo seu final… mas… fiquei muito tempo parada assim “what the fuck….” quando perdeu, literalmente, a cabeça. QUE RAIVA DA PRISCILA. Aliás [spoilers pra quem lê os volumes da Panini], quero muito, muito ver a reação do Raki quando se encontrar com a Clare e descobrir quem é a “protegida” dele.

    Mas como eu disse, “era” minha char favorita. Depois do treinamento pós Guerra do Norte, a Miria rouba total a cena. Curto a Helen também, pelo jeitão dela, e a Galatea é MUITO FODA. Nos próximos volumes nacionais, porém, veremos uma parte triste dela. T_T

    Edit: Pô, Pedro, eu acho a Teresa bonita, sim. o.o

    1. Ah não, me expressei mal!
      Eu acho ela bonita sim, só não se encaixa nos padrões que a galera Otaku está acostumada, eu acho!
      O que achou da ideia de relembrarmos personagnes que gostamos assim?
      Mas, voltando, também curti muuuito a Irene e Mirian também estou gostando… A espada veloz e tal, muito legal!

      Eu tô louco para chegar o Volume 12 – prefiro comprar e acompanhar do que er na internet (pelo menos Claymore).

      1. Eu gostei da ideia, mas acho que vai ser difícil tu manter isso sozinho. :think: Não que um post por semana seja demais, mas “Personanges que Amamos” tipo, tem que ser gente que tu conhece, que tu viu em algum mangá/animê/jogo, então deixar a cargo de uma pessoa só limita demais, sabe.

        Tu falou da gente dar sugestões, isso é bacana, mas se eu dou sugestão de um personagem que tu nunca nem ouviu falar, fica ruim de fazer o post, por mais pesquisa que tu faça, porque tu não ama o char, diferente desse post da Teresa.

        Não sei se me entendeu. o.o

        1. Entendi sim, mas dá para ir em frente… Nos meus 24 assisti a muita coisa e li tamém! hehehe. Pelo menos alguns meses, rola…

          Se sugerir algo que não conheçã, é bom que dá para ir atrás e conhecer algo novo (já com o aval de que é bom, no final…)!

          1. talvez para aumentar os meses, que nem a Dakini falou, podia não ser apenas de mangás, animes e jogos, e podia incluir filmes e talvez livros também.. se for assim, vai pegar os gostos de praticamente todos que leem o Portallos ..

    2. Putz, eu achei muito foda o final dela. Pois a Clare fez a Teresa mudar, aê a Priscila safada se aproveitou…E nossa, quando a Priscila decepou os braços dela eu fiquei paralisado e por um tempo não acreditei, foi muito foda :/

  2. “já que não se enquadra exatamente nos modelos de mulher que se considera “bonita”.”
    Tá certo que o Yagi não ajuda nem um pouco no mangá…

    Pra mim não é uma personagem tão marcante pra mim, aliás, não sei se é só por acompanhar o mangá sem nunca ter visto o anime, que as personagens de Claymore nunca me marcaram muito. Pra mim junto com a arte é um dos maiores problemas da obra. Com a guerra do Norte eu até adquiri certa afeição por personagens como Galatea e Miria, mas demorou, na minha opinião até isso acontecer. E Claro sem contar o Raki, e a Clare porque principal e tal.

    1. Eu ahco o traço muuito bom cara. No anime então, tem um tratamento bem interesante de cores e tal… Acho que é peculiar e funcional mesmo, não é belissimo, como um Vagabond, que é mais tradicional…Mas, assim, não vejo problemas não…

      1. Yagi tem problemas de percpectiva claros, mas se comparar o primeiro ao último volume atual do Brasil dá pra sentir a diferença. Isso até acarreta o problema de não simpatizar com os personagens por não terem traços marcantes. E no anime a coisa melhora porque não foi o Yagi que desenhou, o studio adaptou os personagens da concepção dele com uma leve mudança (para melhor) dos traços. Caso semelhante com Elfen Lied.

        1. Pois é. O animê realmente tem um traço muito bom e não sabia que não tinha sido ele,l afinal…
          Mas, a evolução que você mencionou, sem dúvida, é beeem na cara mesmo!
          Como li há algum tempo o primeiro, acho que já estou a ideia dos atuais na cabeça.

          Contudo, no geral, já traços bem piores. Lembra CDZ no início, como era? Aquilo sim era muito ruim…! ehhee

          1. Vixe cara, no mangá mesmo!! E aí não tem idade para ter traço ruim ou não.. porque, de certa forma, a tecnologia não se aplica…

            O mangá era bem rinzinho o traço.
            tem mangás com traço tranquilo, tipo Buda, de Osamu Tesuka, ue é estilo e é velho pra caramba e tal…

            Dá para ver a diferença entre estilo e talento e tal… Acho que o Kurumada deu sorte com a história porque pelo traço acho que não era lá essas coisas…

            E no fim, a his´toria se repetiu mil vezes que estragou. Era Athena quase morrendo, o tempo correndo e superações.
            Para mim, fugindo totalemnte do tópico já hehehe, CDZ tinha que ter terminado nas doze casas ou entao ter se reinventado..!

          2. se é louco, kurumada não desenha nada!
            ele não consegue nem desenhar um gancho
            todo mundo que dava um gancho, ele colocava com o braço reto pra cima!
            tosco, tosco
            o responsável pela animação mandou muito bem e deixou eles estilosos!

      2. Nossa, Pedro, [2] pro que o Rackor falou, o traço do Yagi tinha sérios problemas nos primeiros volumes. Ainda hoje os capítulos não são lá aquela aula de perspectiva, mas melhorou demaaaais em comparação ao início.

        O animê, por outro lado, sempre foi belíssimo.

  3. mano eu amo claymore. amo amo amo amo amo
    é um dos poucos mangás que eu aconhanho a historia é simplismente perfeita, nao tem essa de personagem que nao morre, sempre que alguma faz merda mesmo que seja forte sempre se ferra, esses dias mesmo morreu uma das mais fortes [eu acho aindanoa foi consirmada sua morte] é perfeita a historia recomendo demais!!!

  4. gostei muito da ideia.. e acho que também vcs podiam falar de vilões que marcaram.. pq sempre tem um vilão fodástico que as vezes ganha mais atenção que o protagonista… de repente (se não for muito trabalho), podia falar de um mocinho e um vilão talvez.. não sei, mas gostei da ideia ..

  5. Quando Teresa morreu eu nem me importei, pois, achei que o anime tratava de histórias paralelas das Claymores. Eu só me dei conta que era um flashback depois que Clare reapareceu. Mas também, como é que eu iria advinhar que a Clare tinha cabelos laranja quando criança? 😛

  6. Muito boa a ideia, e excelente escolha pra dar inicio xD
    Teresa é realmente marcante, e o mangá dispensa comentários
    No momento não me vem nada em mente, mas se lembrar de algum personagem semelhante posto aqui ^^

  7. cara, não sei se por ser o filho mais novo, e sempre meu irmão mais velho escolhia ser o principal, eu sempre preferi os secundários!
    Tanto é que o único personagem principal que eu gosto tanto quanto de um secundario é o Luffy!
    Em cavaleiros eu gostava do Shun (sem zueira, eu era uma criança, não via a boiolice dele ahuhuahu)
    em yuyu hakusho eu curtia o hiei
    em dragon ball o kulilin
    em pokemon o bulbasauro auhuhahu
    em one piece o zoro
    em naruto o rock lee
    em bleach o uruhara
    em rurouni kenshin o sanosuke
    e assim por diante, então pra mim esse tipo de matéria vai ser complicado, pq a maioria dos secundarios me agradam ahuahuhua nenhum deles é inesquecivel!
    assim como protagonistas!

    não acompanho claymore, pq nao curto a ideia de mulher batendo em homem, então nao posso afirmar que a escolha foi certa rsrs

    vou dar duas sugestões de coisas extremamente pops
    uma é o rock lee, que quando lutou com o gaara ganhou o eterno respeito de todos, ao ponto de sempre que ele aparece, todos ficam na torcida pra ele lutar

    e o outro é o shanks de one piece, que apesar de aparecer pouquissimo, quando aparece rouba a cena!

    1. O Rock Lee é que deveria ter uma série; não é emo, não fica todo o anime fazendo ninjutsu, sofreu muito para chegar aonde está é engraçado e luta kung-fu (O Boxe do bêbado ele aprendeu com o Jackie Chan).

  8. A Clare estava na organizacao desde criança…

    ela eh mostrada qnd Rafaela lembra um pouco do seu passado…

    e tb tem um omake (achu q eh um omake) em q a Tereza eh mandada para eliminar a N1 anterior pois ela estava perdendo o controle…

    sabe aquele negocio da carta negra…

    mas qnd ela chega no local do encontro ela jah tinha despertado…

    uma nivel N1 ela derrota facilmente e ainda diz que iria aproveitar para usar um pouco de poder ( qnd os olhos delas mudam de cor) para naum esquecer de como usava…

    em outras palavras ela naum precisava mas usou soh pela gra’ca…

    Tereza eh a mais forte que jah existiu e naum tem nenhum abisal ou Priscila que daria conta dela…

    nem aquele mostro fundido das duas irmas…

    ela soh morreu porque baixou a guarda…ela era FODA

  9. é engraçado como o desenhista de Claymore peca as vezes na anatomia ( principalmente no formato da cabeça) ,mas consegue fazer rostos belíssimos.

  10. Olá, peço desculpa, não li o post inteiro. Só queira me ater ao fato que mais achei interessante e dizer com simplicidade o quanto achei pertinente esse título do post como “frase”. Concordo em absoluto com isso! Também achei a Teresa a personagem mais carismática de Claymore, talvez eu possua esta impressão por causa da frieza das outras “moças”, mas ela realemnte mesmo no curto período em que nós é mostrada possui talvez o melhor desenvolvimento de personagem no mangá, você está certissímo @Pedro! A Teresa realmente deixou uma ótima impressão.

    Em relação a Claymore, sinto pelo mangá, acho que anda meio empacado ultimamente. De qualquer forma, é uma ótima obra.

  11. Olá… Gostei do novo tópico!!
    Realmente a personagem mereceu ser lembrada no “personagens que nós amamos”; e queria até comentar alguma coisa, mas vi que os demais comentários já falavam o que eu pensava a respeito; portanto, gostaria de dar algumas sugestões; Ou melhor… uma sugestão:
    Soujirou Seta, o Espada Celestial da Juppongatana (Os dez espadas); braço direito de Makoto Shishio, e treinado pelo mesmo. Aquele que demonstrava somente uma emoção: a felicidade, e estava sempre sorrindo, o que dificultava ao adversário sabver o quê que ele estava pensando ou o seu próximo passo. O passado dele é muito triste e sofrido; sua técnica de luta também é fantástica (a “supressão do espaço” é uma técnica e tanto!); e seus questionamentos durante a luta contra Kenshin Himura também foram interessantes! E aquela frase: “Naquele dia, na chuva.. Eu estava sorrindo, mas na verdade, eu estava chorando…” (acho que era assim) dá uma pena danada dele!! Após a sua derrota, mesmo ele tendo “mudado de lado”, ainda assim, demonstrou gratidão à Shishio; e segundo o autor, na próxima saga que viria, após a “Vingança dos Homens”, (que seria em Hokkaido), ele também estaria inserido!!
    Enfim… acho que falei um monte de besteiras… mas gostaria que fizessem sobre ele…

    1. Excelente sugestão! Bem lembrada mesm, porque eu já havia esquecido! hehe

      Vamos intercalar com personagnes de outras séries animadas, filmes, livros, Hqs e mangás toda semana, variando até mesmo o autor do post!
      Valeu!

  12. teresa pra mim não é tão marcante assim para mim, só serviu para dar origem a clare mesmo ‘-‘

    Quando eu li traduziam seu apelido para Teresa do sorisso abatido.

  13. nussa muito legal isso q vc fez, xD axei muito legal mesmo!! relembrar Teresa do sorriso aparente, é como vc disse “apareceu poco mais deixou saudade” mesmo, apesar de minha personagem preferida ser Clayre, eu tb gosto muito de Teresa. ^^

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.