JogandoMiscelâneaReflexões & Opiniões

Zeta playlist em Gears 3 traz certa nostalgia

De volta as origens: sem stopping power, 4vs4, lancer e gnasher apenas e close combat

Essa semana foi adicionado um novo modo multiplayer no versus de Gears of War 3 chamado Zeta, que consiste em deixar a experiência das partidas versus bem similar ao que era no primeiro Gears of War. Não foi mencionado se essa nova playlist, nomeada de “Zeta”, será permanente ou temporária. Ela entrou no lugar da playlist do Gears Weekend, que sempre é ativado nos finais de semana. Provavelmente amanhã descobriremos o que irá acontecer com o Zeta. Se irá ser um modo que só existirá durante a semana e nos finais de semanas dará lugar ao eventos de fim de semana ou se será algo permanente na lista e aí algum outro modo irá rodar para dar lugar ao Gears Weekend (torço para que seja o modo Alpha a rodar).

Em todo caso vale a pena dar uma olhada nesse Zeta, eu andei jogando nestes últimos dias e admito que andei com bastante nostalgia em relação ao primeiro Gears. É inegável dizer que a franquia mudou bastante desde o primeiro jogo. Para melhor ou para pior? Esse é um debate gigantesco nos fóruns e comunidades de fãs da franquia. O próprio fórum americano oficial discute muito isso. Gears 3 foi ainda mais longe, com armas como Sawed-Off e a Retro Lancer sendo taxadas de “armas apelonas” de jogadores novatos, mapas enormes (em relação aos games anteriores) que prestigiam mais os rifles do que as shotguns e com isso o conceito de close combat se perde um pouco. Sem mencionar a quantidade de novas armas especiais espalhadas nos mapas, enquanto no primeiro Gears os jogadores tinham que se matar para conseguir pegar uma sniper ou uma boomshot em mapas como Gridlock. Muita coisa mudou e não estou dizendo que foi para pior (eu não acho), apesar de admitir que as vezes sinto saudades da simplicidade que era o primeiro Gears.

Pensando nisso (algo que muitos americanos choram no forum da Epic Games) essa semana surgiu o tal Zeta, com as regras e balanceamento do primeiro Gears of War. Nada de Escopeta Serrada ou Retro Lancer. Nada de stoping power, que só foi criado no segundo Gears, que consiste em diminuir a velocidade do jogador que está levando dano. Nada de 10 jogadores, voltamos ao esquema 4 contra 4, o que cria a tendência de deixar o time um próximo do outro (com 5 sempre tem os que acham que são fodões e não precisam de ninguém). E com isso, voltam as partidas de combate a curta distância. Todo mundo corre para pegar uma arma especial, nada de rifles competindo com shotguns, time fica mais próximo e dá cobertura um ao outro, mesmo que com os mapas grandes da versão de Gears 3 quando resta 1 contra 1 fique mais complicado encontrar o último inimigo.

Exige maior habilidade com a Gnasher, exige mais estratégia e observação. As armas nos mapas são quase que essenciais, seja para uso ou para impedir que o time inimigo consiga se apoderar delas. Nas regras e sistema de Gears 3, como os rifles e as shotguns são fortes é muito comum as partidas rolarem sem que ninguém vá atrás de armas especiais e isso é muito bizarro (elas deveriam dar uma vantagem para quem as ussassem, mas nem sempre isso ocorre).

Eu gostei. É interessante, é nostálgico. Se você nunca jogou o primeiro Gears na época em que todo mundo jogava-o, teste o Zeta. Óbviamente não é um modo que será apreciado por muitos, principalmente por quem é novato em Gears e curte o sistema do jogo atual. Vale mais pela nostalgia é claro. Os veteranos é quem mais devem curtir o Zeta.

Os outros modos, regras e sistema de Gears of War 3 continuam nas outras playlists. O Zeta não surgiu para substituir e acabar com o sistema atual, mas apenas para matar a saudades do que era no começo de tudo: Gears of War.

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.