The World God Only Knows!

E se o protagonista não fosse bobão e preferisse o mundo 2D? Uma abordagem diferente!

Eu ainda meio longe dos mangás – digo em termos de começar coisa nova, os semanais/mensais que já acompanho continuei lendo – e em geral isso foi culpa da mesmice. Em geral eu encontrava semelhanças demais nas obras aqui e ali, já era difícil surpreender-me em geral (mesmo ainda me divertindo com a maioria das coisas que venho lendo) com os shonens por aí.

Estava procurando especificamente algo mais Comédia/Romance dentro do shonen mesmo, e aí me deparei com TWGOK. A série é relativamente conhecida, é um dos medalhões atuais da Shonen Sunday, uma revista que li pouco, já que assumidamente leio muito mais Shonen Jump do que qualquer outra coisa.

O mangá tem o pontapé inicial com Keima jogando seus jogos favoritos: Os Dating Sims. Sim, aqueles jogos que muitas vezes parecem chatos, entediantes e até bizarros em alguns casos.  Até o seu ocasional encontro com a demônio Elsie, que faz parte de um esquadrão de captura de espirítos fujões do Inferno, que vem para Terra e se alojam em “buracos” no coração da pessoas, até que possam renascer. Eles só se alojam em corpos femininos já que a forma de renascer é supostamente (supostamente, porque mais pra frente no mangá existem controvérsias) por meio de uma criança que a humana irá gerar.

O buraco no coração pode ser preenchido de várias formas, assim como pode ser causado por inúmeras frustrações emocionais (e não só amorosas). Acidentalmente o nosso protagonista faz um pacto com Elsie e fica atrelado a ela na captura de espirítos, e se caso não o faça terá junto dela, a sua cabeça arrancada.

O bacana do mangá é justamente brincar muitas vezes com conceitos dos Dating Sims (e que se fazem muito presentes nos diversos mangás de romance por aí, principalmente os shonen). Por exemplo, o beijo. Como é um troço enrolado em mangás desse tipo. Acontece ou “sem querer”, ou demora vários capítulos de encontros pra cá, conversas pra lá, pros protagonistas pensarem em fazer isso. Fora que existe sempre o telefone que toca na hora H e coisas do tipo. Keima vai direto ao ponto.

A vida do cara, mesmo que isso seja levado como brincadeira em muitas partes do mangá, está totalmente em jogo. Ele não mede esforços para conquistar rapidamente as garotas, ou melhor como ele as chama “alvo”. O interessante é que o protagonista até chega a ficar preocupado com o problema todo que isso pode dar nos sentimento alheio, mas é tranquilizado pois todas as garotas que ele conquista tem a memória sobre o incidente apagadas, deixando somente o que o protagonista proporcionou em relação aos seus problemas.

Keima age em alguns pontos do mangá quase como um livro de auto-ajuda,realmente procurando entender os problemas que afligem a pessoa que porta o espirito, e trabalha em cima disso para retirá-lo de lá. Algumas poucas vezes o foco não foi nem o interesse amoroso, este foi só uma consequência do que ele fez para a garota superar seus medos/defeitos.

O mangá é bem divertido e até meio massante no começo, apesar da variedade de personalidades e situações manterem o bom nível da história. No decorrer da trama é que o negócio fica mais sério, e começa cada vez mais envolver questões sérias sobre o tal “Novo Inferno”, o que aconteceu com o maléfico antigo, e o que isso pode trazer como danos a Terra.

A partir de agora vou falar spoilers, então continue se você leu o mangá até o último capítulo lançado no Japão.

Com o cerco fechando, a tal Vintage aparecendo, o mangá ganhou novas proporções. O autor, Tamiki Wakaki soube trabalhar bem esse crescimento. Colocou os espíritos fujões crescidos, realmente causando caos, agentes duplos e pessoas envolvidas com magias proibidas, e realmente fortes no caminho do grupo dos heróis.

Eu gostei de ver que o mangá assim como alguns personagens passaram a Keima passa de um caçador de espíritos a um verdadeiro estrategista conquistador. Ele começa a mover suas peças de forma lúcida quando até  os próprios demônios entraram em pânico. O desespero cresce realmente no ponto atual do mangá. Eu pensei que talvez enrolassem mais, porém não foi o que ocorreu. Depois da Kanon ficar a beira da morte e a corrida para encontrar as Deusas começou, eu vejo um Keima mais sério (que quase não consegue jogar agora), e até em raras ocasiões em desespero, deixando seus sentimentos guiarem suas ações. A Vintage também não ficou como organização lenta, que fica esperando o protagonista ir lá acabar com ela. Tratou de deitar uma por uma, e todo trabalho que todos tiveram até agora foi pro ralo. perder a inocência. A Haqua é o exemplo mais categórico disso. Os capítulos que sucedem a sua prisão e tortura, e a fuga com a ajuda da sua (aquela caveirinha é mulher né? aliás um dos personagens mais engraçados, não me esqueço da cena “dela” no passado, falando que devia ter casado antes) mestra são muito bacanas.

Isto levou Keima a tomar medidas drásticas demais. Sem a cobertura do New Hell para apagar a memória das conquistas, Keima foi obrigado a escolher entre a Ayumi e a Chihiro para atacar com todos os seus recursos acumulados.

O Keima fez merda e escolheu errado. É interessante ver como ele está se virando com essa escolhe, e rapidamente trocando o alvo porque está ficando sem tempo. A descoberta daquilo que estava dentro das cavernas foi meio chocante para os personagens. A Chihiro foi envolvida e isso não tem mais volta. O mangá a cada semana vem fechando o cerco, e até a conquista da Deusa que está na Ayumi já não é tão certa por causa da escolha errada.

A Vintage realmente parece bem poderosa se comparada ao pessoal que está do lado do New Hell, mas a Haqua até que impressionou… Aonde foi aliás que ela aprendeu aquilo tudo?

Estou gostando demais desta corrida contra o tempo, deixando até o Keima, que sempre teve controle na maior parte do mangá, salvo algumas vezes, como  na captura da Yui, que foi uma das mais bacanas aliás.

Então pra finalizar: The World God Only Knows parece ao primeiro contato que é mais do mesmo, mas sem sombra de dúvidas é um dos melhores mangás do gênero em publicação,  e por vários motivos. Primeiro que mesmo puxando para o lado clichê soube trabalhar bem com eles e usá-los ao seu favor. Tem um protagonista bem construído que dá vida ao mangá, e que foge bastante ao padrão, assim como o mangá como um todo. Keima ás vezes parece um cara que não é afetado pelos clichês mas sabe de todos eles, e por isso se dá bem. Cresceu, mas sem abandonar suas bases que é o romance. Altamente recomendado.

Isso também pode lhe interessar

52 Comentários

  1. Rackor não sabe como estou feliz ao ver um dos meus mangás favoritos tendo um post sobre ele aqui.

    TWGOK é um ótimo mangá!!! O melhor do gênero “não battle-shounen” (em minha opinião) em atividade no Japão. Uma história que eu não dava nada quando comecei a ler, achei maçante igual vc citou em determinada parte, mais o autor recompensa totalmente seus leitores que aguentaram essa parte mais “chatinha” com esse arco sensacional das “caça as anjos” Sério, só quem lê sabe o que é ter um “clímax” ultimamente em quase todo capítulo que sai semanalmente, fazendo vc até achar outro mangás como One Piece chatos por isso.XDD

    Agora falando sobre o Keima, o protagonista, ele é excelente. E esse subtítulo que vc usou “E se o protagonista não fosse bobão, e preferisse o mundo 2D?” é perfeito, resume bem o jeito de agir do Keima. Não a toa ele é um dos meus personagens preferidos atualmente.

    1. Um dos intuitos com esse texto é fazer mais pessoas conhecerem a série, porque parece que ela ainda é desconhecida, mesmo estando em um ótimo momento com um clímax a cada capítulo como você citou.

      1. TWGOK infelizmente é pouco conhecido mesmo pelo grande público. Até se popularizou um pouco com suas duas últimas séries de tv, mais nada que a fizesse deixar na “boca do povo” como um HOTD fez por exemplo, seja atraindo haters que fizessem a série ser falada mesmo que negativamente(mesmo sendo crítica negativa, ainda é marketing, pelo menos vejo assim) como para atrair muitos adoradores. Tomara que esse post realmente faça as pessoas abrirem os olhos para essa série(até por que sonho com um dia ela sendo publicada aqui no Brasil =D).

  2. TWGOK tá na minha lista de leitura, só li metade (até onde foi avisado dos spoilers =P) do texto e achei interessante a história e vou me apressar pra lê-lo agora. 😀

    Bom Texto. o/

  3. Eu gostei bastante das 2 temporadas de TWGOK (anime), mas ando enrolando faz um tempão pra começar a ler o mangá na esperança dele ser lançado aqui no Brasil (nem curto ler no pc), o post aqui no portallos foi uma boa surpresa, deu até vontade de assistir o anime de novo xD.

  4. O mangá que mais me diverte atualmente, sem sombra de dúvidas, todas as pessoas deveriam ler esse mangá. O cotidiano na escola é retratado de forma sublime na história, e prestem bem atenção rapazes, muitas das “dicas” de conquista do queima podem ser aplicadas na vida real, kkk.

    Só uma coisinha Rackor, vc disse que “Acidentalmente o nosso protagonista faz um pacto com Elsie”… Não é bem acidental, é mais como um desencontro de informações.

    [ ~~ Atenção, spoilers do primeiro capítulo ~~ ] Se é que isso pode ser chamado de spoiler…

    O Keima é viciado em jogos romance, tão viciado que é considerado um Deus no assunto conquista virtual (daí o nome do mangá), porém ele vive praticamente em função do mundo 2D. Ocorre que em razão da fuga dos espíritos do inferno, as diabinhas saem em busca de garotos que possam conquistar o coração das garotas “possuídas” pra fazer com que os espíritos saiam, neste caso, a Elsie vai atrás do “Deus” no assunto. Quando o Keima lê o desafio “conquistar garotas” eles interpreta como sendo um novo jogo, algo no mundo 2D, porém, se trata de algo real, mundo 3D, algo que ele jamais se interessou.

    Aí que surge a grande jogada do mangá, o “Deus” dos jogos de romance, capaz de conquistar qualquer garota no mundo 2D, se vê obrigado (pois não há volta depois de assinado o contrato) a conquistar garotas no mundo 3D, algo que ele detesta pois “o mundo real é cheio de bugs” e nunca havia feito antes. A corrida então começa com Keima colocando em prática todo o conhecimento adquirido em jogos de romance.
    ——————————————————————————————————————————————-

    Sério pessoal, leiam, vcs não vão se arrepender.
    Aqui o scan que lança o mangá em PT: http://www.brazilmanga.com.br/projetos/ativos/the-world-god-onlyknows

    1. Pessoas a maior prova da qualidade de TWGOK, é quando alguém como o Shin, comenta a favor da série. Pois quem conversa com ele, sabe o quão ranzinza ele é para gostar de algo(e se não gosta ainda vira hater xiita).XDDD

          1. Vamos fazer um CDM de TWGOK Rackor o/, embora o sub brasileiro esteja atrasado em uns 6 cap com o japonês, tem os mangás em espanhol que da pra ler tranquilis, pra quem não sabe inglês kk.

          2. Só com Naruto, Shin? Tem certeza? Até sobre pessoas mesmo tu fica reclamando e fica de “nhe-nhe”. XDD

          3. CdM? Bah, nem XD
            Curto muito mais falar assim do que no formato CdM, toda semana desenvolver um texto é bem cansativo, e exaustivo falar basicamente das mesmas coisas. De vez em quando é até bom um texto, mas sempre cansa.

          4. acho que ele quis dizer um lugar pra discutir os acontecimentos.

            na minha opnião, não importa que manga for, não é a hora, ja estamos lotados de cmd’s, 5 post por semana, quando bleach acabar, ai sim pode abrir para outro.

          5. Sim coringa, CDM que digo é esporadicamente (mês em mês) abrir um post pra discutirmos alguns pontos do mangá, a história de TWGOK é bem interessante.

            E quanto a “ideia” de abrir um blog só com CDM, sab que é até uma boa idéia? (embora já exista isso ;x)

    1. Se vc baixa por fansubs, o ANSK tem as duas temporadas disponíveis em seus bots para download.

      Mais se não é só procurar em qualquer site de re-encode que vc baixe animes que deve achar para download. Só deixo o aviso que o anime cobre menos da metade do mangá.

  5. Ótimo texto, Rackor. The World God Only Knows não é só o melhor mangá do gênero atualmente em publicação, como também é o mangá semanal que acompanho que mais me diverte atualmente.

    Keima é um dos personagens mais originais que passaram pelos mangás da Shonen Sunday nos últimos tempos. O que é mais legal em TWGOK é a progressão da história que sempre encerra com baitas cliffhangers todo capítulo. O traço dá uma senhora evolução durante o mangá assim como o roteiro que melhora drasticamente após a aparição da Vintage e Keima ter que encontrar as Deusas. O cara é muito estrategista (Apesar de a única coisa que eu não gostei de ele ter feito foi aquele puta daquele fora totalmente indelicado depois que ele descobriu que a Chihiro não era uma das Deusas, mas foi necessário, se ele não fizesse isso, ele talvez não teria nenhuma chance de traçar uma rota para tentar conquistar a Ayumi).

    Enfim, recomendo a todos que ainda não acompanham o mangá, que corram atrás, pois vale muito a pena.

    PS: Ah, a Kanon é puro amor. <3

      1. Kanon é maneira, mais admito ter uma queda maior por Hakua e Yui(Kanon seria a terceira da minha lista ;D) das garotas que aparecem mais frequentemente na história. Curto também a Ayumi e a Chihiro que nesse último arco acabou tirando a impressão ruim que eu tinha dela.

  6. Esse manga é tudo de bom , pena que o anime parou antes de chegar na parte realmente boa do manga . Sera que alguem pode me responde uma pergunta ? Quem esta traduzindo o manga , eles pararam de traduzir ? Agradeceria se alguem respondesse porque a historia ta muito doa e.e !

    1. A BMscan não parou de traduzir tanto que tá só com 6 ou 7 capítulos atrasados em relação ao Japão. A staff responsável pelo projeto só deve estar ocupada mesmo.

    1. Depende do seu gosto, mais se fosse pra indicar uma obra desconhecida por grande parte do público, excelente ao meu ver e sendo da mesma Shounen Sunday, Shijou Saikyou no Deshi Kenichi seria minha indicação. Mangá onde vemos o protagonista fracote, zé-ninguém virar a custa de muito treinamento mesmo(sério cara, o protagonista passa por cada treinamento insano) se tornar um grande lutador de artes-marciais. Tem lutas maneiras, é engraçado(os mestres do protagonista são bem loucos e te fazem dar várias risadas) e a história progride muito bem. Ele tem mais de 44 volumes e ainda está em publicação, mas é algo que vale a pena dar uma olhada.

  7. Comecei a ler depois de ver o post e já alcancei os scans BR (nem curto ler em ESP, mesmo entendendo bastante, meio que fica chato de ler). Realmente muito bom, me surpreendeu.
    (Aproposito. Hakua+Keima 4ever xD)

  8. Se voce gosto do anime vai se surpreender com o manga ! Na minha opinião o anime acabo quando realmente ia ficar bom com o arco das deusas ! *-*

    1. Não só na sua opinião JV, acho que de todos que acompanham o mangá compartilham da mesma ideia de que o anime acabou onde realmente ia começar a ficar ótimo.

  9. Muito legal o texto, principalmente por eu ser fã de TWGOK já faz tempo e não conhecer muitas pessoas que tbm curtem. A maioria das pessoas que conheço dizem que odeiam o Keima, ou que não gostam do contexto… Bando de bakas.
    Gosto muito do mangá, das conquistas, e de todo o resto.

  10. TWGOK é perfeito…, comecei assistindo a anime, curti MUITO ai comecei a ver o manga(na verdade o primeiro manga que acompanho…Não curto ler mangas… primeiro que curti foi esse…),Ta muito foda esse arco.Fiquei puto no capitulo 181 com a chihiro, tentando fuder com o keima e acabar com tudo.
    HAKUA <3, keima tem que pegar ela ainda. 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.