JogandoMiscelâneaReflexões & Opiniões

A distorção de realidades entre Mario e Luigi…

Houve um tempo em que não fazia diferença se você era RED ou GREEN

Ter todas as glórias ou ser o cara verde, eis a questão?

Tive a idéia para este texto quando encontrei essa ilustração que abre a postagem no site Brawl in the Family. De certa forma acho inspirador como a Nintendo vem criando um universo próprio para o Luigi, assim como uma personalidade própria e original, em que nada lembre o Mario. E pensar que um dia, num distante passado, Luigi era apelidado por muitos jogadores como “Mario Verde”. Hoje em dia não dá mais para chamá-lo assim. Ou dá?

Para quem não entendeu a imagem, ela faz referência aos próximos games dos irmãos encanadores para o Nintendo 3DS. Mario como destaque em New Super Mario Bros. 2 coletando milhares de moedas, com até mesmo power-ups que aumentam a quantidade de moedas nas fases. Um game de fazer inveja ao Tio Patinhas com certeza. Enquanto isso Luigi retorna em Luigi’s Mansion: Dark Moon, onde o pobre coitado precisa investigar não uma, mas várias mansões mal assombradas. Assim enquanto Mario se torna milionário em seu próximo game, Luigi será repetidamente atormentado por assombrações em seu jogo solo.

Essa bipolaridade entre os irmãos vem se tornando cada vez mais comum. Mario sempre se destacou como o herói infalível, o desbravador, e também aquele que tem o coração da princesa Peach. Já o Luigi não tem toda essa pinta de herói. Ele é mesmo meio medroso, mas nunca sem fugir deixando alguém em apuros. Ele treme, mas enfrenta! Não tem diretamente uma pretendente amorosa, ainda que a Daisy faça um par bonitinho com ele em minha opinião. E apesar de ser mais alto que Mario, ele ainda é o irmão mais novo.

Precisaria pesquisar com maior afinco quando é que Luigi deixou de ser um mero “Mario Verde” para se tornar um personagem original. Alguns games antigos já davam essa tendência. O Super Mario Bros. 2 (versão USA) já tinha o Luigi como o irmão mais alto, que pulava em maiores distâncias do que o Mario, considerado nesse game como o personagem que deixava o game um pouco mais fácil para os inexperientes, enquanto os mais corajosos jogavam com o Mario mesmo. Mas pra mim, Luigi só se tornou algo realmente original quando a Nintendo resolveu produzir Luigi’s Mansion para Gamecube.

Alias é curioso que nessa época os irmãos também apresentaram games com universos bem distintos e com aparatos que auxiliaram suas jornadas. Mario protagonizou Super Mario Sunshine (2002), onde ele se aventurou com o F.L.U.D.D., que era uma máquina que armazenava e criava grandes jatos d’água. Já Luigi protagonizou o Luigi’s Mansion (2001), onde o aparato foi o Poltergust 3000, que lembra um aspirador de pó, porém serve para caçar fantasmas. Alias uma curiosidade é que ambos os acessórios usados nestes dois games são invenções de um mesmo personagem: o Professor E. Gadd. E assim enquanto Mario estava numa ilha tropical limpando vilões sujos de tinta, Luigi estava trancando numa mansão, no escuro, sendo atormentado por fantasmas.

Eu acho bacana a idéia de que os irmãos possam protagonizar suas próprias realidades e que elas sejam tão diferentes uma da outra. Pra ser sincero estava aqui viajando, fazendo um exercício criativo, pensando em como fazer a postagem e fiquei pensando como seria legal ver um game side-scrolling com o Luigi nesse universo assombrado do personagem. Um joguinho 2D onde Luigi percorresse apenas mundos amedrontadores, não necessariamente mansões e inimigos como Boos. Poderia ir muito mais além. Mundos de pântanos escuros, castelos abandonados, distorções da realidade, navios amaldiçoados, mundos clássicos do universo Mario com a perspectiva que fossem todas as fases à noite (como desertos e florestas) etc. Com inimigos da flora e fauna noturna do Reino dos Cogumelos, usando até mesmo variações de inimigos clássicos da versão Mario.

(Pow! Possível futura estampa do site de camisas TeeFury, mostrada hoje no Facebook – link)

Não que eu tenha alguma coisa contra o visual colorido do Mario. É verdade que ele também possui suas fases mais sombrias, com castelos, torres, mansões, navios etc. Mas o Luigi parece ser um personagem que poderia ser tão explorado quanto o Mario é em suas dezenas de franquias. Enquanto temos Mario 2D e vários tipos de Mario 3D (modelo de Mario 64, Sunshine e até mesmo Galaxy) o Luigi até o momento está preso na franquia Mansion. Eu gostaria muito de ver a Nintendo explorar mais esse lado sombrio do universo do Reino dos Cogumelos através do olhar do Luigi.

A idéia de ter Luigi como um personagem que, mesmo medroso, vive aventuras mais sombrias é genial. Permite fazer coisas com a franquia Super Mario que talvez jamais funcionassem com o próprio Mario. Acho que dá para atormentar o Mario Verde por mais vezes e diferentes jeitos, não acha?

(Dê play e faça um comentário enquanto entra no clima sombrio das aventuras do Luigi!)

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.