JogandoMiscelâneaReflexões & Opiniões

Gears of War: Judgment e seus novos modos!

Quase 40 minutos de gameplay e um pouco de opinião de fã!

Semana passada foram liberados alguns vídeos interessantes sobre o próximo Gears of War, além do trailer apresentado na VGA 2012 que tão logo postei no blog (assista aqui). Os vídeos dizem a respeito dos novos modos de multiplayer que mexem novamente nas mecânicas das partidas e acrescentam coisas inéditas a franquia. Como um fã(nático) por Gears of War fiquei naquela vontade de mostrar e opinar um pouco aqui sobre os mesmo, ainda que saiba que são poucos leitores que se interessem pela série (deve dar pra contar no dedo…).

O modo Free For All é o modo cada um por si. Parece que existia muita gente na comunidade da série que pedia por um modo assim. O sucesso (lá fora) do modo Brothers to the End em Gears 3 meio que prova isso (esse modo são 5 times de 2 jogadores, e ganha a dupla que matar mais). Então o FFA meio que isenta a obrigação de um parceiro e te coloca sozinho contra outros 9 solitários jogadores.  Eu gosto dessa idéia, mas acho que as partidas deveriam ter mais jogadores. No vídeo há momentos em que realmente não se vê muito movimento no cenário.

Uma coisa que sinto falta no multiplayer de Gears são partidas com grandes times, como há em games como Halo ou Call of Duty. Aquela coisa de times de 8 pessoas, muita zona nos mapas. O próprio mapa mostrado nesse vídeo parece bem grande, com direito a áreas internas, extarnas, escadarias e até mesmo telhados! Não sei porque a Epic Games insiste nesse negócio de apenas 10 jogadores. Esse seria um excelente modo para aumentar um pouco o número de jogadores dentro da partida. Até entendo que nos modos mais clássicos, 5 jogadores em cada time é o máximo que dá, já que Gears é um game de combate próximo e nesse ponto, dependendo do mapa, até mesmo 4 contra 4 (como era no primeiro game da série) deixava as partidas mais equilibradas e menos problemáticas.

Fora o modo o vídeo mostra algumas coisas bem interessantes. Por exemplo, a mecânica de locomover entre os cenários me lembra bastante os FPS (First Player Shotter), no conceito de que agora não há tantos muros invisíveis. O personagem está em áreas elevadas e consegue facilmente descer (claro que isso deveria causar algum dano dependendo da altura). Até mesmo subir em certos blocos agora parece que ficou mais fácil. Os jogos anteriores são mais limitados nesse ponto. Dá para ver várias novas armas, o respaw mais rápido (e até automático), melhor customização de armas para iniciar sempre que se morre e as granadas são selecionadas com apenas um botão (sem precisa selecionar elas no menu de armas como nos games anteriores – o que alias nunca fez muito sentido parando pra pensar). Parece mais divertido esse modo, mas ainda estranho um pouco a ideia de COGs contra COGs e quase ninguém jogando como Locust.

 

Já o modo OverRun ainda não me conquistou totalmente. Acho que estão tentando pegar muito pouco da complexidade de um Team Fortress 2 e aplicar dentro da franquia. Tudo que vi no vídeo abaixo são severas limitações. A ideia é ter uma equipe com 5 jogadores defendendo um ponto do mapa e 5 jogadores atacando. Sendo que quem defende comanda os COGs, com classes como engenheiro, médico, sniper e armeiro, e do lado de quem ataca temos basicamente o modo Beast de Gears 3, como vários Locusts diferentes, com habilidades próprias.

Achei a partida bem desequilibrada, onde o time dos Locust parece muito mais divertido, com muitas opções de monstros para se usar e todos com habilidades bem diferentes. Parece um modo bem apelativo. No lado dos COGs, ainda que cada um dos 4 personagens possuam habilidades próprias parece algo bem limitado, me faz sentir falta de variedade, como outras classes de heróis que possam combater mais efetivamente contra a variedade de bestas do lado dos Locusts.

Outro ponto que me desagradou é o tempo da partida. Pelo que deu a entender ambos os times jogam tanto na defesa quanto no ataque. Então você joga e defende os três pontos, e nisso já foram 10 minutos de vídeo, aí inverte os times, e lá se vão mais 10 minutos. Quem defendeu passa a atacar e quem atacou agora vai defender. Vence o time que conseguir melhor tempo no ataque. 20 minutos parece meio cansativo num modo assim, limitado e sem tantas opções. Eventualmente as defesas vão cair, então a única coisa que o lado da defesa pode fazer é segurar os monstros o maior tempo possível. O modo Horda ainda me parece mais agradável do que esse modo.

Fora que aposto que vai acontecer aquela coisa chatíssima onde um jogador xarope que só gosta de jogar como um determinado lado e quando a partida inverter o cara vai pular fora, largando o time na mão. Não sei, não. Parece um modo que ainda vai precisar ser remodelado num próximo game da franquia. Eu ainda gostaria de ver um modo mata-mata onde podemos jogar com os Locusts com esse jogabilidade do Modo Beast, contra os COGs e suas classes. Tipo um modo Battlefield (Campo de Batalha), com time de 10 jogadores…. isso sim seria foda!

Depois do continue deixei dois vídeos da campanha (um eu já havia mostrado). Quanto a campanha não há muito que criticar. Ela parece tão insana quanto qualquer campanha da série. Lembra muito a intensidade de RAAM’s Shadow, o DLC de Gears 3 que tem uma mini-campanha de arrepiar. Teremos os Locusts em seu melhor e mais feroz momento da cronologia da série!

 

 

 

 

Gears of War Judgment será lançado em 2013, 19 de março! Lembrando que é a história uma espécie de prequel-spin-off, então é uma boa chance pra embarcar na série se você nunca teve tal oportunidade. E no Brasil, se a Microsoft mantiver sua palavra, deverá ser o primeiro Gears of War totalmente dublado para nosso idioma (o que acho ótimo – chance para mais jogadores brasileiros se interessarem pela série)!

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios