AssistindoLendoMiscelânea

The Walking Dead: TV versus HQ!? (Opinião)

O que difere o seriado da história em quadrinhos? Vale a pena saber isso?

Essa é uma matéria para quem curte The Walking Dead. Mas você curte o seriado ou os quadrinhos? Talvez curta ambos. Tem como definir qual é melhor? A seguir dou a minha opinião sobre a série de TV, que curto muito, e de como ela fez a ponte para que eu conhecesse os quadrinhos e passasse a ler os mesmo. Você, que acompanha a série, deve ter medo de ler os quadrinhos e ficar tomando spoiler na cara do que vai rolar na TV? Vale à pena ler a mesma história em duas mídias distintas? Um bate papo sobre um dos maiores sucessos dessa geração. A primeira parte do texto é totalmente livre de spoilers. Porém para aqueles que curtem e querem saber um pouco mais, após a reflexão inicial, uma conversa mais aberta, com os devidos spoilers sobre as diferenças entre os eventos entre seriado e quadrinhos!

Ler ou assistir The Walking Dead?

(Texto Sem Spoiler)

Meu primeiro contato com The Walking Dead foi assistindo a série americana. Na época nem sabia que ela era baseada numa série em quadrinhos. Claro que logo após o sucesso da série da TV, todo mundo acabou tendo conhecimento das origens dessa história de apocalipse zumbi. Mas mesmo tendo adorado o show na TV lá pelo final do ano de 2010 não tive interesse em ler os quadrinhos, até porque a série é muito bem feita em termos de efeitos especiais e dificilmente esse vislumbre que é perceptível na TV estaria tão presente nas HQs (ao menos foi esse o meu pensamento na época – o que em parte estava errado). Outro argumento que usei na época vinha da minha experiência com animês/mangás, onde muitas vezes a versão da telinha é totalmente semelhante ao mangá, só que com cores e movimento (motivo este pelo qual até hoje ainda não comecei a ler o mangá de Fairy Tail, já que curto muito a série animada – que está em vias de acabar, eu sei). Então fiquei com aquela idéia de que se lesse os quadrinhos de TWD acabaria tomando spoilers na cara e isso estragaria a minha ótima experiência com a série televisiva. Mas nem sempre a lógica faz sentido.

Aí veio a segunda temporada na TV e tudo ficou muito chato. Uma temporada inteira no meio do mato, procurando a pequena Sofia, com aquele dramalhão numa fazenda, perdidos no meio do nada. Que porre. Cheguei até mesmo a cogitar se deveria continuar assistindo a série. Nessa época cheguei a cogitar novamente ler os quadrinhos. Será que no papel essa situação da história era tão arrastada e parada? Hoje eu sei que não. Mas acabei desistindo da idéia com a season finale dessa temporada. Achei o fim bem surpreendente. Então aguardei novamente a terceira temporada, a atual em exibição.

Devo admitir que a série recebeu uma bela injeção de ânimo depois que a trama migrou para prisão. Mas ao mesmo tempo em que isso aconteceu, o roteiro ganhou muitos personagens, situações e background além do que o tempo em tela permitiu explicar. Gente demais morrendo, personagens demais surgindo, locações novas e um universo se expandido. Para uma série de TV isso é complicado. Nem tudo se consegue desenvolver. Aí veio uma desculpa razoável para ler os quadrinhos. Ver o que a TV não estava me mostrando, ver as nuances de personagens que queria conhecer melhor. Então após o mid-finale no final do ano passado, aproveitando uma pausa que estava dando a leitura de outras coisas resolvi dar uma espiada nas primeiras edições de The Walking Dead.

A minha intenção inicial seria apenas ler os eventos mostrados nas primeiras temporadas da TV. Ler somente sobre aquilo que já teria assistido na TV e ver o que rolou de diferente ou o que foi suprimido da série televisiva. Qual foi o meu choque ao perceber que a história de TWD nas comics tem direções e situações extremamente diferentes da história que estão contando na TV! Logo percebi que ler os quadrinhos e acompanhar a série na TV não gera um conflito de interesses, que ambas seguem com situações e personagens tão distintos que são mídias que funcionam perfeitamente bem sozinhas e onde uma não estraga a diversão da outra. Queria eu ter essa experiência com mangás e animês de um mesmo autor, já que um mangá acaba diminuindo a experiência de um animê e vice-versa devido à falta de liberdade e adaptação ao migrar a história para outra mídia. Dito isso, essa é uma situação onde tiro meu chapéu para os produtores americanos, que não foram preguiçosos a ponto de colocar a história de TWD na TV usando as comics como um roteiro 100% pronto, censurando apenas as partes hardcore da coisa. É tudo muito diferente, ao mesmo tempo em que todos os pontos chaves eventualmente acabem tendo como base a história original dos quadrinhos.

Enquanto escrevo esta matéria me encontro atualmente na edição #40 dos quadrinhos, que se situa momentos após o parto de Lori e a confusão com o gerador com Dale e Billy. Na série acabei de ver o excelente episódio 3×12 (Clear), com o retorno do personagem Morgan Jones ao universo da série na TV. E apesar das situações e personagens em ambas as mídias estarem totalmente diferentes, coincide um pouco o background das histórias: a preocupação com a retaliação do Governador e como o grupo de Rick irá se preparar contra isso.

Vou continuar lendo os quadrinhos e acelerar para eventos ainda não mostrados na TV? Sim, irei! Até porque mesmo que o background seja semelhante, tem eventos nos quadrinhos que não estão sendo portados com fidelidade para a TV no que condiz com aspectos cronológicos. Ou seja, algo não mostrado nos quadrinhos até aqui, não significa necessariamente que não serão introduzidos posteriormente para a TV. A minha opinião é que vale a pena acompanhar ambos, sem medo de que um estrague o prazer do outro. Surpreendi-me com a adaptação inteligente feito na TV, onde personagens chaves das comics podem morrer prematuramente ou durar mais, e a maturidade e personalidades como de alguns são melhores desenvolvidos.

A série da TV é melhor que a série nos quadrinhos? É uma pergunta difícil. Ambas as mídias tem vantagens e desvantagens no que diz respeito à forma de contar a história. Nos quadrinhos não rola censura, então violência contra humanos é muito mais pesado, incluindo assassinatos infantis. Nos quadrinhos há muito mais crianças, enquanto na série de TV isso não é suprimido por razões óbvias e quem lê as HQs vai entender essa minha afirmação (cena da barbearia na prisão). Porém se os quadrinhos podem pegar mais pesado, na TV a história tem um toque maior de realidade. Ela foca muito no aspecto humano dos personagens, enquanto tem um visual mais crível dentro do esperado. Gosto da versão dos zumbis do show da TV, mas rápidos, mais perspicazes. Acho o máximo às adições feitas na produção televisiva, como personagens como Merle e Darryl, que não existem nas HQs e de como alguns personagens, como o Carl, amadureceram de forma sensata (dentro dos aspectos desse universo). Não acho que necessariamente um tem que ser melhor do que o outro. Até porque como já disse, a história de cada mídia tem situações e trabalhos narrativos extremamente diferentes, tornando difícil escolher qual é melhor.

Há quem diga que o seriado é muito lento, enquanto os quadrinhos têm um dinamismo maior. E discordo desse ponto de vista. Não quero que a série de TV alcance a fase em publicação dos quadrinhos, da mesma forma como não acho que TWD em sua versão comics é tão veloz quanto possa aparecer. O caso é que muitos estão descobrindo os quadrinhos recentemente, então possuem pilhas e mais pilhas de edições para devorar. Mas TWD é uma HQ mensal lá fora e tem situações que perduram por 4 a 5 edições, ou seja, são quatro a cinco meses para que o arco se feche. Já o seriado deve atingir a marca de 35 episódios no final desse terceiro ano, e mesmo assim passou por boa parte dos eventos destas quarenta edições que li. Suprimiu bastante coisa sim, ao mesmo tempo em que acrescentaram outras, mas não sei porque os produtores deveriam ter pressa. É exatamente a pressa que estraga muitos animês por aí, que atingem a obra original e entram em fillers na qual os produtores não sabem o que fazer enquanto o mangá não avançar e trazer novos elementos para serem transportados para a TV. Concordo com quem achou o segundo ano arrastado e fraco, mas acho que os produtores tiveram algumas razões para trabalhar com essa temporada dessa forma, ao mesmo tempo em que ouviram as críticas, tanto que a temporada atual está mais dinâmica.

(Fim da parte sem Spoilers)

Zona de Spoilers! TWD: HQ versus TV!

Feito essa pequena reflexão inicial, quero reservar essa espaço para comentar um pouco sobre as direções e diferenças que existem entre os quadrinhos e o seriado na TV. Claro que como li apenas as 40 edições iniciais, ainda tenho muito que descobrir sobre personagens e mortes e eventos futuros da história nos quadrinhos. Quem puder comentar com isso em mente, sem estragar o que irei ler mais para frente, eu agradeço.

Tem muita coisa diferente nos quadrinhos. Fiquei surpreso com a importância de certos personagens e a longevidade que eles possuem na comics. Pego como exemplo o próprio Dale. Na HQ ele sobrevive após o arco na fazenda, acaba tendo um relacionamento com Andrea e até mesmo perde a perna num ataque zumbi. Ele também é o responsável por colocar um basta no Rick num momento de tensão nesse arco da prisão, a ponto de criar um conselho para tomar decisões no que diz respeito ao grupo. Porém entendo o desfecho que o personagem teve na TV. Isso porque no seriado seria um pouco estranho ver Andrea e Dale juntos como um casal, além do que ao contrário dos quadrinhos eles não precisariam cuidar dos gêmeos de Allen e Donna (personagens que não vão ser trabalhados no seriado de forma semelhante aos quadrinhos). Fora de que na série Hershel tem uma presença muito maior, enquanto nas HQs ele já perdeu tantos filhos que parece meio isolado da trama. Faz sentido que no seriado boa parte desse aspecto do Dale na prisão ter sido transportado ao Hershel, incluindo a idéia de decepar a perna do personagem.

Por sinal o arco do Hershel é também tem elementos diferentes nos quadrinhos, afinal o gancho do sumiço da Sophia não existe na comics, já que até onde li a menina continua viva e meio que namoradinha do Carl. Hershel tem muito mais filhos e filhas e todos começam a morrer um atrás do outro. O próprio ataque do celeiro também se dá por razões diferentes, já que nos quadrinhos nesse ponto da história Shane já está morto. No fim sobram Billy e Maggie, enquanto que na TV são Beth e Maggie. Quer dizer, no arco da prisão até tem mais filhas do Hershel lá, mas elas são mortas por um psicopata na cela da barbearia, com suas cabeças decepadas. Nos quadrinhos eu gosto da idéia da trama de suspense de quem é o assassino escondido entre o grupo, porém entendo porque na TV isso não acontece. O grupo de Rick no seriado nesse momento é muito menor, e meio que seria um pouco chocante demais ver essa cena num formato televisivo. Alias é nessa traminha que Andrea ganha uma cicatriz de Coringa num lado de seu rosto, na série não tem nada disso.

Falando em Andrea eu gosto de como o seriado trabalha com a personagem, que tem mais peso em cena e personalidade do que nas comics (até onde li). Porém admito que a trama dela com a Michonne no seriado e na forma como as coisas não forma bem explicadas entre as duas na TV que me incentivou a olhar os quadrinhos (mal sabia eu que esse plot não existe no original). Atualmente essa fase dela com o Governador é bem mais real do que a primeira aparição do Governador nos quadrinhos. No seriado fica a impressão de que ele vai se tornando mais e mais psicótico, enquanto nos quadrinhos ele já é um FDP desde o momento em que aparece. Foi uma boa saída para a personagem na TV, já que ela não tem Dale e nem os gêmeos para contracenar e apesar de ser uma sniper de mão cheia nos quadrinhos isso acaba não fazendo muita diferença em termos de plot.

Outro personagem que me agrada muito a versão televisiva é o Carl e aí entre a decisão de matar a Sophia no seriado, enquanto que na comics ela está viva e meio que de namorico com o Carl na prisão. Acho Carl e Sophie meio bobocas nos quadrinhos. Não duvido que Carl vá amadurecer nos quadrinhos em algum momento, mas gosto de como a série trabalhou bem com ele e trouxe esse amadurecimento natural. Vejo Carl na TV e não me parece o mesmo personagem. Nem mesmo uma criança ele aparenta mais ser (e ainda bem que atores mirins crescem rápido). O episódio Clear da série, que mostrou Carl e Michonne interagindo juntos ficou muito bacana. E tem esse problema do Carl dos quadrinhos ter matado o Shane, enquanto na série é Rick tem dá o tiro fatal (Carl só finaliza a versão zumbi do Shane). Não gosto da forma como esse desfecho Carl/Rick/Shane acontece na comics. Até porque Carl pouco muda depois de algo tão impactante. Fora que a forma como a série trabalha com a psicose de Shane é muito mais detalhista. Nos quadrinhos Shane parece que surta do nada. Enfim, ser baleado, a morte da Sophia, a loucura de Shane e ainda ter que matar sua própria mãe para não virar zumbi… é desse Carl que acho bacana. Não daquele  boboca que fica brincando na prisão com a Sophia.

Já o Rick também tem algumas diferenças entre suas duas versões. Ambas me agradam, ainda que não entenda direito a decisão do autor de cortar a mão do personagem no arco do Governador. Eu jamais faria isso com o protagonista principal da trama. Tudo bem que ele pode nos quadrinhos se tornando o que Merle é hoje no seriado, mas ainda assim não acho bacana essa deficiência que Rick dos quadrinhos sofreu. Por sinal a versão HQ do Rick é bem mais explosiva, como o momento da surra dele e do Tyreese ou do enforcamento do Thomas. No seriado também tem tais elementos, mas mais pelo trauma da morte da Lori e de tudo que o personagem vem passando. Gosto do Rick malucão da mesma forma do Rick estouradão. Porém acho que nos quadrinhos essas facetas do Rick ainda serão mais exploradas, já que sem querer já tomei spoilers sobre eventos futuros de onde estou lendo e sei o que acontece com a Lori e o bebê (Judith). Eventos diferentes da série, por sinal. Admito que fiquei meio feliz com a decisão dos produtores da série com relação a Judith, mas talvez seja meus novos neurônios de papai falando mais alto.

Que mais posso dizer? Tem o Tyreese, né? Li por aí que ele é um dos personagens favoritos dos fãs dos quadrinhos de TWD e que acabou de entrar no seriado. Ainda é cedo para fazer a ponte entre estes dois universos. Sabemos que a história da filha dele e do namorado babacão não vai rolar na TV. Não sei o que o seriado reserva para o Tyreese então e nem como farão para dar crédito ao personagem, já que acredito que o plot da filha e do namorado tentando se matarem ao mesmo tempo, numa espécie de suicídio bizarro, não deve acontecer. Será que não veremos aquele Tyreese enfurecido e insano? Gosto da cena onde ele acaba sendo trancado dentro da quadra de basquete da prisão infestada de zumbis e todo mundo achando que ele estava morto e na verdade ele é quem exterminou tudo que estava naquela quadra. Porém acho meio babaca o relacionamento dele com a Michonne, meio nada a ver.

E a Carol então? Ela nos quadrinhos consegue ser tão chata quanto a Lori. Muito escrota essa versão da personagem. Tentou se matar porque estava com um relacionamento com o Tyreese e o cara pulou a cerca e deu um trato na Michonne. A personagem nessa cena parece que não dá a mínima pra Sophia. Depois disso fica com papinho e querer se casar com Lori e Rick. Alias os quadrinhos de TWD tem um apelo sexual mais forte do que da série. Gleen e Maggie transam em tudo quanto é lugar. Tem Andrea e Dale, Tyreese e Carol (e depois Michonne). Tem Allen e Donna, Rick e Lori. Tem certas insinuações sexuais da Carol pra cima da Lori. E não, não estou criticando. É uma HQ para adultos, é claro que vai ter isso, mas as vezes fica parecendo um recurso raso para trabalhar com a personalidade de certos personagens (como a própria Carol). Foda mesmo é o momento de estupro do Governador contra a Michonne. Só não é mais chocante do que o revide da Michonne nos quadrinhos. Um dos momentos que cena alguma no seriado da TV vai conseguir superar os quadrinhos. Ela torturou com prazer o Governador, ainda que tenha achado meio galhofa a idéia de que o cara ainda sobreviveu depois de tudo aquilo. Um dos pontos altos de TWD para quem quer ler a versão em quadrinhos com certeza.

Enfim, a grande sacada de The Walking Dead é ser uma história sobre pessoas e não sobre zumbis. Tanto que até onde li, não há qualquer preocupação em explicar como ou de onde veio o apocalipse zumbi. Não se preocupa em dar um panorama do mundo. Talvez isso eventualmente acabe rolando, mas em nenhum momento os quadrinhos dão isso como ponto principal da história.  E isso causa um bom reflexo na série de TV, que pode trabalhar com os personagens de forma diferente dos quadrinhos, enquanto usa o mesmo universo e locais semelhantes ao da versão original. Personagens podem morrer mais cedo, podem durar mais, novos podem ser acrescentados. TWD tem uma flexibilidade bacana em termos de como desenvolver seus roteiros e disso tem uma série que casa tão bem com os quadrinhos, da mesma forma que também combina perfeitamente com a versão televisiva. E isso não é algo fácil de conseguir, ainda mais nessa geração do ‘copiar e colar’.

Clique para ampliar!
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.