Jogando

PlayStation 4: novembro está chegando!


Relembrando as Características Técnicas e as Principais Funções!

A equipe atual do blog está dividida, alguns estão de olho no Xbox One e outros no PlayStation 4. Já abordamos algumas vezes sobre o Xbox One por aqui, mas bem pouco sobre o PS4 (a turma sonysta da equipe é meio calada, não acham?). Então que tal relembrar um pouco alguns dos aspectos do console da Sony que ficamos conhecendo ao longo desse ano? Talvez ainda seja cedo para escolher qual a sua plataforma da próxima geração? É possível, mas isso não impede que uma preferência inicial já exista em cada um de nós! E novembro será apenas o primeiro passo, de muitos, que a próxima geração precisará dar para que todos escolham para onde ir na próxima geração de videogames!

Na conferência de Nova York, para o anúncio do novo console PS4, o primeiro ponto tocado foi a arquitetura do console. A Sony quis enfatizar muitas vezes os conceitos por trás do console e a estreita ligação que existe entre a necessidade de traduzi-las em realidade para o usuário e o tipo de hardware necessário para lidar com eles.

Mark Cerny, que é o engenheiro responsável pelo projeto PS4, teve a tarefa de apresentar as especificações do console e do conceito em torno da plataforma. Aqui com as palavras de Mark Cerny, aprendemos que o console sempre foi um pedaço de hardware, mas que desde o lançamento do PS3 as coisas evoluíram e o console foi criado a partir de um console que era já consolidado no mercado. Desde primeiro playstation ao PS4, muitas foram as mudanças, porém sabe-se que o preço de qualquer lançamento é sempre muito alto. Claro que quem tem um PS3 ou qualquer outro console sempre tem a opção de anunciar online em um site de anúncios e vender o seu velho modelo para comprar um novo.

O empenho do PS4 concentrou-se em uma experiência mais fluída, para que não exista nada entre o jogador e a conectividade, bem como entre o usuário e o conteúdo criativo. O PS4 por ser uma plataforma sob medida, deve basear-se em uma arquitetura comum e bem conhecida e muito parecida com aquela de um supercomputador com processor X86 e uma GPU de alto potencial, e que seja capaz de desenvolver os principais cálculos de física e gráfica. O PS4 possui 8GB de memória unificada e obviamente um disco rígido para salvar todo o conteúdo do usuário. A memória do sistema é capaz de transmitir GDDR 5 176GB por segundo.

Tudo isso vai fazer com que o console seja uma plataforma fácil de ser usada por usuários e e desenvolvedores, em modo a integrar grandes funções com comandos simples. Entre as funções mais futuristas é aquela de ter a possibilidade de definir atualizações também com o console desligado, graças a um chip independente inserido para este fim e a possibilidade de suspender o jogo a qualquer momento, de maneira que o console possa armazenar todos os dados do jogo na memória RAM.

Não somente isso, o PS4 baixa as informações necessárias para iniciar um jogo de modo a continuar o download durante os jogos, mas ele também vai imaginar  a preferência do jogador e o conteúdo para pré baixar e torna-lo disponível quando você decide jogar.

Outra característica fundamental é devido a uma compressão e descompressão de conteúdo de vídeos, que na prática é uma ferramenta para baixar vídeos de jogos logo depois que eles são registrados. O objetivo é torná-lo fácil de compartilhar vídeos, como hoje é fácil compartilhar uma imagem na Web. Certamente com funções tão avançadas e modernas para uma experiência de jogo, é melhor aprofundar esse assunto nos eventos que vão acontecer nessa primeira fase de apresentação do Ps4 . No Brasil, o lançamento já tem data oficial: 29 de novembro desse ano. Porém até o momento a Sony não revelou o preço nacional do console e é por esse motivo que as pré-vendas iniciais dele ainda não se iniciaram no país.

Mas esse mistério em torno do preço nacional não deve durar muito mais tempo. Novembro se aproxima rapidamente! Quanto você acha que irá custar o PS4 no Brasil?

Post Colaborativo com Ana Silva Ferrari

Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.