Jogando

Red Ash está 100% financiado, mas não pelo Kickstarter… hã?

A campanha no Kickstarter de Red Ash termina daqui algumas horas e a arrecadação ficou próxima de 500 mil dólares. Um valor um tanto quanto distante dos 800 mil que a Comcept pediu para conseguir dar andamento ao próximo. Mas sabe da boa? Isso meio que não importa, pois a Comcept surgiu alguns dias atrás dizendo que independente do resultado da campanha de financiamento coletivo, Red Ash está 100% financiada e muito mais além dos que os 800 mil do Kickstarter iria permitir!

Como isso é possível? Aparentemente um estúdio lá da China, chamado FUZE e que ninguém nunca ouviu falar, resolveu dar o dinheiro para a Comcept financiar todo os 5 episódios de The KalKanon Incident, que engloba todas as 4 áreas inicialmente projetadas para começar a franquia de Red Ash, além de possibilitar que o game seja lançado não só para PC como também para Xbox One e PlayStation 4, algo que não iria acontecer caso os 800 mil fosse obtido pela Kickstarter.

Para quem está chegando agora, e não viu a postagem feita aqui no início de julho, Red Ash é a tentativa do Keiji Inafune de ressuscitar outro game baseado nas mecânicas que surgiram no universo do Mega Man, nesta caso Red Ash é um sucessor espiritual de Mega Man Legends.

A verdade é que a campanha de Red Ash no Kickstarter não começou com o pé correto e teve muitas críticas e confusões. A Comcept foi meio infeliz desde o começo, não sendo clara sobre o que ela está pedindo, afinal The KalKanon Incident ainda parece ser o prólogo de uma saga, mas quanto tempo seus episódios irão durar? E com todo o sucesso de Mighty No. 9 e experiência conquistada fazendo um game para tudo quanto é plataforma, iniciar projetar Red Ash para ser inicialmente um game somente para PC era meio desanimador. E para piorar a ideia de criar uma campanha paralela pedindo para financiar um animê do game foi ainda mais esquisito.

E toda essa história termina de um jeito ainda mais estranho, com um estúdio que ninguém conhece – o site da Fuze é inacreditavelmente absurdo – virando publisher do game, e com a campanha do Kickstarter fracassando de uma maneira que eu não imaginaria que ocorreria.

red-ash-stretch-goalsClaro que pra mim, dane-se os detalhes, se todo esse pão e circo serviu para Red Ash sair do papel e realmente for virar um game real num futuro, está ótimo! Afinal todo mundo sabe que a Capcom está cagando e andando para o universo e séries do Mega Man. Vale lembrar que Mega Man Legends 3 iria acontecer e foi cancelado por lá, independente do que aconteceu – saída do Inafune de lá. E se o próprio Inafune quer ser independente e continuar trabalhando em mecânicas que ele usou em Mega Man por tantos anos e colher frutos sobre uma franquia baseada e espelhada em Mega Man, na falta do original, estou achando tudo isso ótimo! Mighty No. 9 sai no próximo mês e como fui um dos apoiadores do game no Kickstarter a minha versão está garantida. Não apoiei o Red Ash somente porque estava aguardando ver se a campanha seria ou não financiada e esperando o momento na qual o game se tornaria multiplataforma. Isso aconteceu, mas como a campanha em si não vingará, não tem porque apoiá-la agora. O jeito vai ser esperar e ver se esse projeto realmente vai acontecer. Mas se acontecer, lá estarei no dia do lançamento ansioso por Red Ash.

E que pena que a Comcept conseguiu toda essa empatia com Red Ash no Kickstarter. Se ela tivesse se preparado melhor, certamente esse game teria sem problema sido financiado ou até mesmo estes novos Stretch Goals pós acordo com a Fuze teriam sido facilmente conquistados. Melhor sorte na próxima vez, não?

 

obs: as belíssimas imagens que abrem a postagem vieram lá do Japão, mais especificamente deste twitter.

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios