JogandoRapidinhas

Coronavírus também tem influência no gaming e e-sports mundial

A epidemia de coronavírus está afetando gamers e fabricantes na China, com consequências visíveis para a indústria de gaming e de e-sports à nível internacional.

A epidemia de coronavírus, o perigoso vírus que está rolando na cidade chinesa de Wuhan e está se espalhando pelo planeta (travado pelos controles que os diversos governos vêm colocando), está abrandando a vida internacional. O primeiro impacto é na vida econômica. Mas não são só as trocas econômicas mais importantes, como automóveis e outros produtos de alta indústria, que são afetadas. Para quem queira se divertir apenas jogando no Betboo Bingo e em outros jogos online semelhantes, é claro que o vírus não será um incomodo. Mas a indústria de gaming atual tem muito mais que os simples jogos de bingo ou cartas online. Veja em seguida os principais efeitos.

Eventos na China: suspensos ou cancelados

O mercado de gaming e e-sports também está sofrendo as consequências. O jogo é remoto mas os grandes eventos esportivos levam os jogadores e o público a se juntar. A prudência leva a que os grandes encontros públicos sejam cancelados, para diminuir as possibilidades de contágios, e os “e-sports” não são exceção.

Os desafios da Liga Overwatch previstos para acontecer na China nos meses de fevereiro e março foram cancelados, com a Blizzard não anunciando novas datas. A Liga Chinesa de League of Legends e a Pacific Championship Series (do Sudeste Asiático) foram também canceladas. Vale acrescentar que Ming “Clearlove” Kai, que estava se estreando como treinador da Edward Gaming, se encontra de quarentena.

Também o World Electronic Sports Games (WESG), previsto para março em Chongqing (a terceira maior cidade da China, depois de Xangai e Pequim), foi cancelado. O WESG, pelo fato de reunir diversas competições (Counter-Strike: Global Offensive, Dota 2, Pro Evolution Soccer 2020 e Starcraft 2), é especialmente importante, levando à suspensão também das classificatórias que lhe dariam acesso, como seria a WESG LATAM, que aconteceria no Rio a 15 de fevereiro.

Nintendo Switch com atrasos

O Oriente é a região do planeta com mais consumidores e “players”. E é também onde está a maioria dos produtores de equipamentos eletrônicos que permitem a todo o planeta Terra jogar videogames a preços acessíveis. A Nintendo já anunciou que as encomendas do modelo “Animal Crossing” do Switch estão suspensas, sem data para voltar. O novo modelo Switch celebra a chegada do jogo “Animal Crossing: New Horizons”, um game de fantasia que é apontado como sendo o oposto do que normalmente se vê nos games: em vez de estresse e da corrida contra o tempo para eliminar vilões ou vencer adversários, aqui trata-se de desacelerar e dar tempo ao tempo, promovendo o crescimento de uma comunidade de animais.

O novo console está sendo produzido na China e a Nintendo não tem forma de contornar a situação no curto prazo. Além do novo Switch, também o acessório Ring Fit Adventure está cada vez mais difícil de encontrar em vários países.

Plague, Inc: a sorte

Mas nem todo o mundo dos videogames está sentindo o coronavírus como uma ameaça. Tem um mito urbano dizendo que os caracteres chineses para a palavra “crise” podem significar “ameaça” e “oportunidade”. Os especialistas dizem que esse mito é incorreto, mas o certo é que para alguns esse vírus está sendo uma grande oportunidade de negócio. É o caso da Ndemic Creations, a desenvolvedora britânica do jogo “Plague, Inc.”

Disponível para mobile, Switch, PS4, Xbox One e PC, o jogo coloca o jogador no papel de vilão, com o objetivo de criar uma doença contagiosa que possa acabar com a população humana do planeta Terra. O poder de sugestão é sempre muito forte, e o fato é que os as vendas e os downloads do game aumentaram imenso nas primeiras semanas de 2020. O site da desenvolvedora chegou a estar em baixo, tal o número de acessos, e a empresa teve mesmo de assumir um papel didático, informando que “Plague, Inc.” é apenas “um jogo” e não tem validade informativa e científica.

post criado em colaboração com Alex.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.