AssistindoPapo Pipoca

Cinema: Arrasta-me Para O Inferno – Eu Fui!

dragmetohell_03

Alerta! Alerta!
Risco de spoiler! Se você é alérgico, não continue!

Sam Raimi presta homenagem a um estilo que ele mesmo ajudou a criar: o terrir.

É complicadíssimo recomendar “Arrasta-me Para O Inferno”, pois o público está acostumado com aquele terror genérico que Hollywood vêm lançando nos últimos tempos. Se não é um remake de um filme oriental com fantasmas femininas pálidas e com longos cabelos negros é um filme totalmente sem emoção e que presta um desserviço ao estilo com cenas de violência gratuita e enredo fraco. Por isso é notável a decisão da Universal em apostar nesse projeto de Sam Raimi, que volta as raízes do estilo que o colocou no mapa do cinema.

Percebemos que estamos diante de algo diferente logo no início da projeção, quando surge a antiga vinheta da Universal Studios e em seguida temos a sequência inicial que termina com uma morte trágica. Tudo isso antes dos créditos principais! O filme não desperdiça tempo e em pouco menos de 20 minutos o roteiro já nos apresenta os personagens principais (Christine Brown, seu namorado Clay Dalton e a terrível Srª. Ganush) e até um embate épico entre a mocinha e a vilã do filme. Aliás, a Srª. Ganush é interpretada de forma brilhante pela veterana Lorna Raver, concedendo uma ferocidade sem igual a personagem que colide com a aparência frágil da mesma. Alison Lohman como a adorável Christine Brown faz seu papel muitíssimo bem e não duvido que ela entre para o hall das Scream Queens do cinema.

Sam Raimi prova que apesar de seu último filme ter sido um fiasco (ou vai me dizer que você gostou de Homem-Aranha 3?) ele ainda tem um jeito especial de contar histórias e de surpreender o espectador. Em certa cena uma mosca entra no quarto de Christine e, de um jeito bem maroto, ‘pousa’ na câmera. Um pouco exagerado? E olha que nem comecei a falar das nojeiras do filme. Toda e qualquer coisa nojenta tem um destino certo: a boca de Cristine. Seja insetos, fluídos corporais ou até um ameaçador lenço possuído. São vários os momentos que cerrei os olhos e soltei um “Aaaaaargh!”. Mas se em seus momentos de terror o filme consegue brilhar, nos momentos de comédia ele é ainda mais divertido. E Raimi consegue fazer isso extrapolando todos os limites. Sério! Como no jantar com os pais de Clayton, onde Cristine tenta disfarçar de todo jeito o seu terror diante do “recheio” do seu bolo. E na hilária cena onde Christine derruba uma bigorna na cabeça da Srª. Ganush. Uma bigorna!

“Arrasta-me Para O Inferno” em nenhum momento tenta se levar a sério e por esse motivo que ele é, sem dúvida alguma, um dos filmes mais divertidos que assisti este ano. Se você procura por um filme de horror sério, passe longe.

Isso também pode lhe interessar

Theo Medeiros

Cinéfilo, gamer, adorador de música e entusiasta tecnológico. Acha que Nescau é melhor que Toddy e que bacon é a oitava maravilha do mundo.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.