Jogando

Nintendo não quis apostar no futuro Project Natal

Ficamos sabendo que o presidente da Nintendo, Satoru Iwata, teve a chance de assinar o contrato daquilo que hoje é conhecido como Project Natal, mas recusou o projeto. O motivo na época, foi simples: custo de produção vs. preço final do produto. Uma fonte que ocupa uma posição estratégica na sede japonesa da Big N foi quem confirmou essa informação. O informante disse que a empresa israelense 3DV Systems mostrou para Iwata e uma cúpula diretora uma demo técnica de sua tecnologia de captura de movimentos ao final de 2007, e a demo impressionou a todos os presentes, inclusive Iwata. Sabíamos que Iwata anteriormente esteve envolvido com propostas de sensores por movimento por câmeras, mas nunca desconfiamos na época que era com a 3DV mesmo.

O presidente, apesar de ter gostado, declinou de incorporar a tecnologia no Wii. Naquele momento, ter um acessório desse custaria muito caro ao consumidor final, o que iria totalmente contra a política de negócio da Nintendo, que privilegia a acessibilidade dos seus produtos. Além disso, a latência durante a jogabilidade apresentada pela 3DV foi outro ponto contra. Realmente, naquele momento, o projeto da 3DV não agregava nada, o console já possui uma tecnologia de captura de movimentos, e ainda por cima os consumidores ainda estavam assimilando o conceito de usar movimentos corporais nos jogos. Adicionar mais uma tecnologia iria confundir e dificultar a fomentação do novo público que a Nintendo buscava.

Um ano depois, finalmente a 3DV encontrava uma parceira, a Microsoft, embora ela tenha confirmado que o Project Natal seria a evolução da tecnologia criada pela 3DV, o que é bem óbvio. Mas a Microsoft sempre subestima seus consumidores, então vamos deixar ela pensando que não sabemos que o Project Natal é fruto da 3DV.

A preocupação de Iwata com o custo final do acessório faz mais sentido quando lembramos do fato que o Project Natal sofreu um “downgrade”, tendo seu chip especializado removido em busca de um melhor preço final, e já ouvimos diversos desenvolvedores comentando sobre a latência nos jogos compatíveis com o Project Natal. Jon Burton, da Traveller’s Tales, uma experiente softhouse, já disse ter encontrado dificuldades com a latência do Project Natal e por isso considera a tecnologia da Sony superior, e essa falha do acessório da Microsoft pode restringir o desenvolvimento de certos tipos de jogos nele.

Até Shigeru Miyamoto disse em entrevistas passadas que a tecnologia de captura de movimentos por câmeras não era nenhuma novidade, e que a Nintendo decidiu por si mesma não focar nesse campo, decidindo focar apenas no Wii Remote. Até agora, isso deu certo. Se no futuro vai acontecer algo como vimos no episódio SNES/PlayStation, ainda é cedo para sabermos. Até agora, nem a Nintendo nem a Microsoft confirmaram que a declaração desse suposto informante é realmente verdadeira, mas é muito provável que tudo seja verdade.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Mauri Link

Um gamer inveterado desde a primeira geração de consoles, aficcionado por histórias em quadrinhos, nerd de carteirinha, e super-herói nas horas vagas!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios