AssistindoJogandoPapo Pipoca

Cinema: Resident Evil 4: Recomeço – Eu Fui!

Resident Evil 4: Recomeço

Cuidado! Risco de spoilers!
Se você é alérgico – ou ainda não viu o filme – se afaste!

Bem vindo de volta Paul. W. S. Anderson, sentimos sua falta!

Já não é novidade para ninguém que a saga Resident Evil nos cinemas há tempos não possui qualquer ligação direta com os jogos. Sim, algumas coisas dos jogos aparecem nos filmes (alguns personagens e inimigos) mas a coisa termina por aí. Portanto acho válido avaliar Resident Evil 4: Recomeço apenas como um filme, deixando de lado toda e qualquer comparação com os jogos, que parecem servir apenas como fonte de inspiração para a produção. Dito isso, já antecipo que RE4: Recomeço é um ótimo passatempo! Filmado totalmente em 3D (e não convertido como muitas das produções atuais) e utilizando a mesma tecnologia de câmeras de Avatar, Paul W. S. Anderson faz um ótimo uso do 3D. Pode esperar muito sangue, tiros e objetos voando em sua direção. Mas, além disso, RE4: Recomeço, apesar dos furos possui uma história divertida (para os padrões da série) e ótimas cenas de ação.

Resident Evil 4: Recomeço

Sobre a história: Alice e seu exército de clones (como visto no final do terceiro filme) estão em busca de vingança contra a corporação Umbrella. A luta as leva até a sede da empresa em Tóquio, no Japão e lá eles conseguem invadir o prédio, mas falham em derrotar o “chefão” da empresa, Wesker. Meses depois, Alice e Claire chegam a Los Angeles e lá descobrem em uma prisão um grupo de sobreviventes. O problema é que o local está infestado por zumbis e eles precisam agir rápido para fugirem do local. Não é uma história que irá ganhar Oscars ou revolucionar o cinema, mas ela faz jus ao seu propósito de divertir o público. Aliás, assim que conhecemos os integrantes do grupo de sobreviventes, sabemos certinho quais personagens irão morrer e até em qual ordem eles irão morrer.

Eu disse ali em cima que os jogos estão servindo mais como fonte de inspiração para os filmes, e é nesse quarto filme que isso fica mais evidente. Temos a estréia de Chris Redfield que aparece em vários jogos da série e também a presença de vários elementos de Resident Evil 5, como: os Majinis, o Executioner Majini (embora no filme ele seja chamado de Axe Man), aquele aparato acoplado ao peito da Jill Valentine e até Wesker e seu barco dão as caras neste quarto filme. Embora muitos desses elementos surjam na tela sem muita explicação é divertido ver como eles foram incorporados no filme. A caracterização do Axe Man merece destaque, ele está igualzinho ao personagem visto no jogo! E embora as circunstâncias em que ele aparece sejam bem diferentes, a luta entre ele e Claire é um dos momentos mais divertidos do filme. Perde apenas para o show de coreografia e efeitos especiais que é a luta de Claire e Chris contra um bombado Wesker. Sério, é uma cena de encher os olhos e o 3D dá um toque especial para toda a sequência.

Resident Evil 4: Recomeço

Partindo para as atuações basta dizer que todos os atores fazem um trabalho bem mediano. Ali Larter e Milla Jovovich são as que possuem mais tempo em tela, mas acabam não fazendo nada demais. Wentworth Miller como Chris Redfield parece ter se juntado ao filme apenas para ter mais um famoso no elenco, mas também o roteiro não contribui para que ele faça alguma coisa de importante com o personagem. Spencer Locke como a K-Mart aparece quieta e sai calada, tendo apenas uma pequena participação no final do filme. Boris Kodjoe como Luther é até simpático, conseguiu me fazer torcer pelo personagem. Já Shawn Roberts como Wesker consegue atingir um outro nível de canastragem, limitando a sua “atuação” a caras de mau e sorrisos maléficos. Uma pena, pois Wesker é um vilão divertido de se ver na tela.

Tendo total consciência do material que tem em mãos, Paul W. S. Anderson usa e abusa da tecnologia 3D, sangue e projéteis voam em direção a platéia! Em certa cena, Alice dá um tiro certeiro na cabeça de um zumbi e o sangue se acumula nos óculos e eu, por instinto, quase tiro os óculos para limpá-lo. Mas além desses truques divertidos, porém baratos, Anderson consegue transpor em várias cenas uma imersão que nem no inovador Avatar eu consegui sentir. Como na cena de abertura do filme nas ruas de Tóquio ou quando Alice sobrevoa os escombros da cidade de Los Angeles.

Resident Evil 4: Recomeço é sem dúvida um dos melhores filmes em 3D já feitos, uma pena que ele não passe disso. Recomendo assistir o filme apenas nesse formato. Em 2D, apenas se for muito fã da série.

Obs: Fique até o final dos créditos para ver uma cena adicional.

Ficha técnica:

Título original: Resident Evil: Afterlife
Diretor: Paul. W. S. Anderson
Roteiro: Paul. W. S. Anderson
Gênero: Ação/Ficção Científica/Suspense
Elenco: Shawn Roberts, Ali Larter, Milla Jovovich, Spencer Locke, Wentworth Miller, Boris Kodjoe.
Estréia nacional: 17/09/2010

Trailer:

Etiquetas

Theo Medeiros

Cinéfilo, gamer, adorador de música e entusiasta tecnológico. Acha que Nescau é melhor que Toddy e que bacon é a oitava maravilha do mundo.

Artigos relacionados

Fechar