Skins USA: Antigas personagens, histórias do passado, muita droga e… Só? Sério? [Season Premiere/1×01]

Skins (USA): Episódio 1 da 1ª temporada foi exibido nos EUA dia 17 de Janeiro de 2011: Tony

Enquanto isso no Brasil: O episódio 1×01 ainda não foi exibido pela MTV (segundo aquilo que pude sondar daqui de fora)!

Aviso: Continue lendo apenas se você já assistiu o episódio 1×01 (“Tony”) de Skins. Haverão spoilers!

Não conhece o Papo de Série? Basta clicar aqui e ficar por dentro do projeto. Depois do “continue”, a gente conversa mais.

1×01: Tony (Pilot)

Vestir a pele dos outros é fácil e cômodo!

Skins, um nome simbólico, um simbolismo sugestivo e comum a qualquer um – a pele que vestimos e não a que despimos na sociedade embora parecemos, às vezes, estar nus. Antes de comentar sobre a versão americana, preciso recomendar a original. Por favor, assistam a original primeiro porque ela não só é a verdadeira, mas a única autenticamente boa. Então, passemos para a nova versão do drama – uma grande falha da MTV, na minha opinião.

Portanto, resumidamente, Skins é uma série televisiva britânica que aborda a vida de um grupo de adolescentes com problemas interessantes e vidas cheias de dramas, incluindo drogas, separações, mortes, sexo, traição e loucura, muita loucura. É extremamente viciante e, apesar da segunda geração ter sido mais fraca, a série sempre agrada. Parece que agora chegou a vez da MTV fazer a sua versão: Skins USA.

Primeiros e últimos pensamentos sobre Skins USA!

Quando a versão americana da excelente série britânica foi anunciada, a reação que tive se manifestou em dois momentos distintos e de forma bastante contraditória. Primeiro, dado que já estava com saudades da série britânica que estava (e ainda está) sem novos episódios, fiquei animado com a notícia mas logo em seguida, bastou refletir um pouco, para concluir que talvez tivesse sido anunciada uma cópia preonta a ser bem mal executada. Bem, até agora posso dizer que no momento final, mesmo antes do episódio piloto terminar, eu estava certo. Afinal, uma cópia é uma cópia. E Skins UK é indescritivelmente melhor! E fica a questão: qual é o plano para Skins USA?

Acredito que não haja nada pior do que reunir uma história já contada que conquistou muita gente, refazê-la quase na íntegra, sem nenhuma alteração, e ainda com atores diferentes para personagens iguais. Há algo pior que isso? Parece que algumas pessoas, pelo menos os produtores, têm fé nessa ideia.

Um sucesso normalmente surpreende, traz novas situações e mostra uma forte ambição, uma posição crítica interessante, renovadora. Skins (USA) não traz nada a não ser uma dose de revolta ao ver uma versão tão pobre de um ótimo piloto. Enfim, Skins (USA) trouxe a mesma história, o mesmo piloto britânico, as mesmas personagens e… atores diferentes. E, para ser sincero, os novos atores não ajudaram nem um pouco.

E onde ficou a originalidade e a criatividade?

Reinventar uma história e conseguir um resultado bem sucedido é difícil, um desafio viável. Reinventar o nome de personagens existentes e trocar a sua aparência numa mesma história é mais difícil, provavelmente uma preguiça imensa. E esse é o ponto de discussão que queria atingir. Cada vez mais, sinto e vejo êxitos do passado retornar para reconquistar audiências e lucros – seria, então, essa a sepultura da criatividade humana?

A pressão na indústria de entrenimento se tem tornado muito maior do que era anos atrás, a preocupação com lucros, com audiências, tem sido um fator crescentemente mais forte. Infelizmente, essa poderá ser a causa de muitos tentarem reciclar sucessos do passado – ir pelo terreno mais seguro, você sabe. O problema é que esse não parece ser o melhor caminho (está mais para destrutivo, para ser sincero) e estou esperando até ver quando a indústria de entretenimento (há excepções, claro) irá notar isso.

Qual destino está guardado para Skins USA?

Portanto, Skins (USA) merecia uma oportunidade para mostrar tudo aquilo que tinha para oferecer. Sejamos justos antes de julgar a produção. Eu vi o primeiro episódio com esperança e curiosidade e quando ele terminou, toda a esperança já tinha evaporado, e a vontade de acompanhar a série tinha quase se transformado em relutância.

Fiquei me perguntando qual seria o motivo de ter dado tão errado… Quer dizer, não pensei exatamente, apenas conclui e apontei: antigas personagens, histórias do passado, muita droga, sexo, e… só? Sério? Absolutamente, Skins é mesmo sobre isso mas também sobre causar impactos fortes na audiência, algo que esqueceram completamente.  Lembrando do episódio piloto… Que déjà vu!

A série americana começa da mesma forma: Tony acordando na sua cama simbólica, Effy chegando em casa escondida e acobertada pelo irmão (na nova versão, não Effy mas sim Eura) e o Sid, isto é, Stanley agora, sendo acordado por Tony. Qual é o objetivo de assistir acontecimentos que você pode prever com certa facilidade? De qualquer forma, eles não se preocuparam muito com isso – a estratégia de previsão facilitada pareceu uma boa aposta para uma série que viria a ser comparada com a fantástica série Skins UK. É melhor nem mais comentar sobre isso.

Antigas personagens “alteradas”: Cadie, Stanley e Eura?

As personagens têm os mesmos nomes (havendo apenas algumas poucas variantes) mas elas não são as mesmas que costumavam ser. A personalidade é uma cópia barata, mas a mudança de atores me fez crer que a MTV nos trouxe Skins: Universo Paralelo (embora essa designação sugira um maior potencial do que a série americana parece ter a oferecer). E adoraria saber os critérios que escolheram para manter o nome da maioria das personagens, mas alterar o nome do Sid, da Effy e da Cassie.

Por falar em Cassie, que decepção foi aquela Cadie sem graça – ela não tinha a mesma loucura da Cassie, não tinha o mesmo fator cativante, não tinha nada que a fizesse especial como a Cassie fora no piloto de Skins UK. Pessoalmente, preferiria que todas personagens tivessem nomes diferentes dos originais – é certo que os novos nunca substituirão as personagens da primeira geração! E esse não deve ser o objetivo – o principal é criar novas e boas personagens. E resumindo os parágrafos todos até agora: péssimo episódio piloto!

Por enquanto manifestei a minha revolta com Skins (USA), a minha real insatisfação com a produção da MTV para uma série baseada em outra que aprecio muito (e acho que com razão). Respeito todas as opiniões, respeito quem gostou, mas para mim foi intragável. Mesmo assim, vou assistir o segundo episódio. Há uma simples explicação: a promessa que existe de que eles apresentarão uma nova história nos próximos episódios.

Ainda resta esperança com uma história nova? Talvez…

Segundo a MTV, o piloto foi o único episódio copiado inteiramente. A partir de agora, assistiremos uma nova história com personagens já conhecidas – assim, alguma coisa muda ao menos, alguma coisa é nova. É, acho que essa seria uma boa estratégia. Talvez eles tenham optado por começar com o mesmo episódio de Skins(UK) para marcar a série e estabelecer uma espécie de ligação – se for o caso, acredito que eu possa perdoar esse início.

Enfim, MTV, se eu quisesse assistir o piloto de Skins, eu assistia o piloto de Skins UK sem dúvida! Tentem dar um toque original e próprio. Afinal, Skins é um título que ficou marcado com a genialidade e a criatividade britânicas. Aliás, foi uma ideia genial nomearem cada episódio com o nome de uma personagem diferente, nos convidando a vestir a pele de cada uma conforme a história se desenvolvia – e sim, estou ainda falando da versão original. Porém, a versão americana manteve esse traço característico

Em poucas palavras…

Concluindo o Papo de Série, Skins (USA) podia ter sido mais ambicioso e independente, e mesmo assim ter mantido o mesmo espírito do Skins UK. Apesar de não ter gostado do primeiro episódio, a série ainda representa uma possibilidade de qualidade para mim. No entanto, jamais trocaria a versão britânica por essa e sugiro que comecem pela original. Ah! E o Maxxie foi substituído por uma líder de torcida lésbica. Não posso esquecer de comentar isso porque essa foi uma das poucas coisas que gostei no piloto – coisas que conseguiram me surpreender em algum grau.

E para quem já conhece Skins, sabe que estou falando de uma série de qualidade elevada, com boas histórias, muito drama e, claro, muito viciante – tudo aquilo que Skins (USA) esqueceu de copiar. Ou mudam a história no próximo episódio, ou certamente não chegarei a assistir o terceiro. Não que isso seja uma ameaça, apenas um fato. Por outro lado, a 5ª geração de Skins UK estreia no dia 27 de Janeiro de 2011 – que contraste de qualidade que prevejo entre a produção da MTV e a da E4.

E o que tenho realmente a dizer sobre este primeiro episódio: Lamento muito.

No próximo episódio (1×02) de Skins USA…



Isso também pode lhe interessar

11 Comentários

  1. Para de ser burro! a série usa é uma adaptação da real do uk. Os próprios produtores da uk estão trabalhando nessa usa. O primeiro cap foi parecido mesmo, justamente pra trazer o clima da primeira de volta nessa fase usa.
    Pesquisar que é bom… rs nada.

    1. Bem, fora os desnecessários insultos, você não disse nada que eu não tenha escrito no post. Deixei claro que a versão USA é uma adaptação, uma variante da UK, só que com uma história que virá a ser diferente.

      O fato deles terem feito um primeiro episódio copiado da UK continua a ser negativo. A ideia de fazer uma adaptação é algo que nunca gostei. Prefiro que inovem mantendo o clima de Skins UK. Já assisti o segundo episódio e acho que melhorou bastante. Desculpe se passei alguma ideia errada no post pela maneira como expûs.

  2. Concordo com vc essa, esse piloto americano deixo muito a desejar, a serie skins uk simplesmente  é contagiante!!Também concordo que deveriam colocar outros nomes nos personagens.A serie britânica foi fantastica com seus personagens unicos e dramas comoventes, sem duvida a melhor serie dos ultimos tempos pra mim pelo menos… 

  3. prefiro muito mais a versão USA, atores mais bonitos (porque vamos concordar os atores da UK são feios), prefiro muito mais ver uma adolescente louca do que uma que toca clarinete, uma lésbica gostosa é melhor que um gay que sapateia, pra mim a melhor é a USA

  4. prefiro muito mais a versão USA, atores mais bonitos (porque vamos concordar os atores da UK são feios), prefiro muito mais ver uma adolescente louca do que uma que toca clarinete, uma lésbica gostosa é melhor que um gay que sapateia, pra mim a melhor é a USA

    1. Respeito a sua opinião, mas Skins UK é, para mim, muito mais interessante. Primeiro por ser original e segundo pelos atores em si e as personagens. Não acho os atores da UK feios. Entendo quando você se refere ao apelo estético mas não vejo a série pela beleza dos atores.

      Uma lésbica também não é melhor nem pior do que um gay que sapateia. O que interessa é o lado dramático da vida do personagem e não a orientação sexual ou o hobby. E por outro lado, a UK tem lésbicas bem melhores na segunda temporada e por isso não faz diferença não ter tido na segunda.

    2. Respeito a sua opinião, mas Skins UK é, para mim, muito mais interessante. Primeiro por ser original e segundo pelos atores em si e as personagens. Não acho os atores da UK feios. Entendo quando você se refere ao apelo estético mas não vejo a série pela beleza dos atores.

      Uma lésbica também não é melhor nem pior do que um gay que sapateia. O que interessa é o lado dramático da vida do personagem e não a orientação sexual ou o hobby. E por outro lado, a UK tem lésbicas bem melhores na segunda temporada e por isso não faz diferença não ter tido na segunda.

  5. ah por favor… comparar cassie com cadie??? eu discordo de vc rapaz, a cadie, tem muito mais estado de espirito do q a cassie, a cópia, como vc expressa, contagia muito mais o expectador no seu drama particular do q a loirinha inglesinha, vindo do país das maravilhas onde parece lamber os pés da michelle

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.