Opinião – Tirinha: Você lê gibi?

Por que os brasileiros odeiam tanto a leitura?

voce le gibi

O Mauri postou a tirinha acima agora pouco no forum da equipe do blog. Eu achei o conceito dela interessante e por isso resolvi trazer pra cá. Ela veio lá do Sushi POP, o blog do Alexandre Nagado. O link original da matéria sobre o problema na leitura no Brasil por lá é este aqui (clique). A partir do link ao lado você consegue ir a outras matérias do Nagado sobre o assunto.

O interessante sobre a abordagem é que o problema da leitura não atinge exclusivamente os quadrinhos, é claro. Os livros também são um problema cultural por aqui. No caso dos quadrinhos tem aquele preconceito social (e irracional) de que são algo infantil, bobo e de cultura inútil. É complicado lutar contra isso. A tirinha retrata bem essa mentalidade nacional.

No caso dos livros, eu tenho uma opinião meio diferente. Pra mim o que estraga as crianças pelo gosto da leitura é o ensino escolar. A escola não sabe lidar com livros e alunos. Lembro que quando estudava odiava ler livros. Só descobri o prazer pela leitura quando a escola parou de me obrigar a ler livros que não despertavam o meu interesse. Um clássico da literatura só é interessante, quando você gosta de ler. Quando ainda está em processo de aprendizagem, ler um clássico é um porre. A escola enfia literatura pela garganta dos alunos, dispõe de prazos apertados para leitura e muitas vezes sabe como tornar algo prazeiroso, extremamente estressante. Ser pressionado a ler algo é o pesadelo de toda criança. Não é a toa que muitas crianças possuem traumas de ler livros enormes. Eu sou um exemplo real dessa cultura. Só fui gostar de ler livros quando passei eu mesmo a escolher o que eu gostaria de ler, sem ninguém me forçando a ler o que não gostava. Mas só estou apontando um problema, não estou dizendo que tenho a solução pra isso.

Como fazer o brasileiro ler mais? Gibis podem ser uma etapa para aprender a gostar de livros? Como fazer a geração mangá, que parece obcecada exclusivamente por este segmento a experimentar outros tipos de leitura? E o pessoal que gosta de livro, como apresentar os quadrinhos a estas pessoas? E o pior caso; e quem não lê nada, como fazer para criar um ambiente que o faça se interessar pela leitura?

No mais, é um debate interessante. Pena que pela internet, talvez atinja apenas pessoas que gostam de ler. Afinal, se você não curte ler, não é uma contradição estar lendo este pequeno post?

Isso também pode lhe interessar

108 Comentários

  1. "Como fazer a geração mangá, que parece obcecada exclusivamente por este segmento a experimentar outros tipos de leitura?" Não posso falar de todo o Brasil, mas ao menos onde moro, a maioria das pessoas que conheço que começam a ler mangás depois passam a se interessar por livros também. E sagas mais 'pops' como Crepúsculo também deve ter feito muitas garotas se interessarem pela leitura…

    1. Existem dois tipos de leitores de mangá, não quis especificar no post para não inflar demais o assunto (e também porque caberia melhor via comentários).

      Existe aquele leitor de mangá que lê mangá, pela web, e também comprando em banca. Este tipo de leitor tem mais acesso a outros tipos de materiais, como livros e até outros generos de comics.

      Mas também existe aquele leitor online, que se recusa a pagar para ler qualquer tipo de coisa. Eu vejo muito assim na web, em foruns e comunidades dedicadas a mangás. Pessoas que tiram sarro e são trolls com qualquer outro tipo de quadrinhos a não ser mangás. Que também não compram, só sabem ler de graça na web. Esse tipo de leitor é bem complicado e temperamental.

      Mangá em certo momento é um vício prejudicial. Eu já vi leitor aqui no blog comentando que não lê nada mais além de mangá, tamanho é a quantidade de títulos que o mesmo acompanha. Me pergunto como alguem assim pode não enjoar? Eu já revezo minha leitura de quadrinhos entre mangás, disney e super heróis. Acho que não consigo ler somente um gênero de comics. Todos tem seus defeitos e beneficios, não existe um melhor que o outro e tem muito fã de mangá que acha os quadrinhos japoneses a obra suprema, que se não for mangá, não presta. Basta ver como o mercado de quadrinhos no Brasil deve que se render ao "estilo mangá" para conseguir ter atenção.

      ——————–

      Quanto aos livros, eu me preocupo as vezes com os livros pops. Você citou Crepúsculo. Quantos fãs dos livros leem outras obras? As vezes os filmes fazem os fãs correrem atrás das obras originais, mas será que depois disso, eles buscam outros generos literários?

      Alguém aqui, por exemplo, já leu Luis Fernando Veríssimo? Seja um livro de crônicas ou romance? É uma leitura muito bacana, mas não consigo fazer uma ponte em um jovem que pegue um Crepusculo ou Harry Potter e chegando a olhar um Veríssimo numa livraria.

      Ok,tudo isso é leitura, o problema é ter um prazer pela metade. Os radicais que só curtem uma única coisa e nada mais. Eu também me preocupo com isso. Até mesmo os brasileiros que gostam de ler, não costumam procurar variedade. Em geral ficam na mesmísse de sempre.

      Quem aqui fã de mangá, por exemplo, que nunca leu Disney e foi dar uma olhada num gibi ou HQ por conta das recomendações que faço no blog?

      (esse assunto da leitura tem tantas vertentes e diretrizes, que fica dificil focar um único argumento ou pensamento, putz. XD)

      1. Eu leio Veríssimo =P Mas é como eu disse, não posso falar por todos, entretanto muitas pessoas que conheço começaram por Crepúsculo e agora lêem de tudo…

    1. "agora HQ’s tá dificil"

      – em que sentido Hugo? de não ter verba pra comprar ou de não ter interesse mesmo em outros segumentos?

      Obs: é mesmo, a personagem da tirinha lembra a Dakini. O_o

      1. Não curto muito as historias /Marvel/DC mesmo,unicas que gostei até hj foram Civil War (que não terminel) e algumas do Batman
        Não sei os sites que tem Scan bom delas e nem faço idéa de onde comprar o Civil War

  2. Meus pais sempre incentivaram a leitura, e, quando li "Deltora Quest" eu entrei de vez no mundo da leitura, claro, depois disso, veio a escola com a literatura chata, mas isso não foi um problema por que a professora sempre dizia: Se você ja está lendo um livro em casa, não precisa escolher um desses. Claro que mais pra frente não vai ser assim, mas isso impediu que eu desgostasse da leitura.

    (PS: A personagem da tirinha parece a Dakini)

  3. "Gibis podem ser uma etapa para aprender a gostar de livros?"
    Por experiência própria, digo que sim. Quando eu era pequeno, mesmo antes de aprender a ler(segundo a minha mãe me conta), eu já pegava gibis da Turma da mônica da minha irmã e ficava inventando minhas próprias histórias baseando-se apenas nas imagens ali ilustradas. Quando cresci tomar gosto pela leitura foi um caminho mais do que natural a partir disso, mais sempre escolhendo livros que considerava interessante para mim e acho que tive sorte nesse ponto na escola já que os professores que peguei deixavam nós mesmos escolhermos o que quiséssemos ler para se poder analisar, nunca nos impondo clássicos literários que normalmente qualquer pessoa mais nova acharia um porre.

    'Como fazer a geração mangá, que parece obcecada exclusivamente por este segmento a experimentar outros tipos de leitura?"
    Achei essa pergunta meio que desnecessária, até parece que é só otaku que não gosta de sair da sua "zona de conforto" para tentar ler outras coisas.

    1. "Achei essa pergunta meio que desnecessária, até parece que é só otaku que não gosta de sair da sua “zona de conforto” para tentar ler outras coisas."

      – será mesmo? se vc olhar a quantidade de comentários que os posts sobre animês e mangás recebem aqui no blog em detrimento dos outros assuntos, talvez pensasse diferente. Isso alias é algo eternamente discutido pela equipe do blog. Tem muitos colaboradores que ficam chateados quando escrevem uma matéria bacana sobre assuntos diversos e a galera do mangá nem chega perto de comentar.

      eu acho sim que os fãs de mangás possuem sim um certo preconceito quanto a explorar mais outras áreas. talvez não preconceito, talvez seja conforto, falta de condições. podem ser várias coisas, mas o fato é que pelo que dá a entender, vendo a rotina deles aqui no blog é que o pessoal de mangá se contenta com essa área e pouco fazem valer a vontade de experimentar outra coisa diferente.

      talvez a pergunta tenha sido desnecessário ou talvez eu tenha feito justamente para levantar tal questão. o certo é que o mercado já percebeu que se puxar certas coisas para a influencia dos mangás, a chamada "geração mangá" tendem a sair da toca e ir conferir um pouco mais do que se trata tal material.

      ação magazine e turma da monica jovem são dois exemplos bem atuais. vai me dizer que estas publicações não tem uma pegada intencional do estilo japones para atrair publico?

      1. "e vc olhar a quantidade de comentários que os posts sobre animês e mangás recebem aqui no blog em detrimento dos outros assuntos, talvez pensasse diferente. Isso alias é algo eternamente discutido pela equipe do blog. Tem muitos colaboradores que ficam chateados quando escrevem uma matéria bacana sobre assuntos diversos e a galera do mangá nem chega perto de comentar."

        Mais a questão que fica é comentar sobre o quê? O fato de não se comentar, não significa que a galera dos animes/mangás não leu o texto ou não se interessou e sim que não há o que se falar sobre algo que não se conhece ou prefere antes experimentar para depois sim ter o que comentar. Se a parte do público otaku do blog comenta mais que a de outras galeras em sua área específica, é por que gostamos de falar sobre esses assuntos que tanto nos atraem. Não podemos fazer nada se gamers, viciados em séries e etc…Não curtem se manifestar em assuntos que são dedicados a eles.

        "ação magazine e turma da monica jovem são dois exemplos bem atuais. vai me dizer que estas publicações não tem uma pegada intencional do estilo japones para atrair publico?" Não discordo. O que chega a ser interessante como a "marca mangá" ganhou tanto peso recentemente no país, sendo que os animês que são os produtos que divulgariam os mangás não emplacam na tv aberta ou a cabo.

        1. "Mais a questão que fica é comentar sobre o quê? O fato de não se comentar, não significa que a galera dos animes/mangás não leu o texto ou não se interessou e sim que não há o que se falar sobre algo que não se conhece ou prefere antes experimentar para depois sim ter o que comentar. Se a parte do público otaku do blog comenta mais que a de outras galeras em sua área específica, é por que gostamos de falar sobre esses assuntos que tanto nos atraem. Não podemos fazer nada se gamers, viciados em séries e etc…Não curtem se manifestar em assuntos que são dedicados a eles."

          – eu discordo um pouco do seu ponto de vista, porque a galera dos mangás exerce um pouco de pressão dentro de qualquer lugar em que participem (inclusive aqui no portallos), fazendo com que outras áreas percam destaque com isso publico. Basta ver que alguns portais nacionais e internacionais grandes que tratam de nerdisses e games muitas vezes ignoram o universo dos mangas. exatamente porque é um publico que sufoca outras áreas. a culpa é que quem se deixa sufocar ou de quem sufoca com sua animosidade acima do normal? acho que um poucos dos dois. os fãs de animes exageram e pressionam, enquanto o outro lado se deixa ser passivo e oprimido. os colaboradores do blog tentam manter um equilibrio, mas não se pode agradar a todos de toda forma.

          e tudo isso gira exatamente no que vc disse: "que não há o que se falar sobre algo que não se conhece" – e porque o pessoal dos mangás e animês conhecem tão pouco sobre outras áreas? por falta de interesse? e aí retorna aquela pergunta que fiz na matéria e vc disse que achou desnecessário… sacou?

          acho que na web existe terriveis e frustantes segregações… grupinhos que não me misturam de forma alguma. o que é uma pena. existe aquela velha conversa que o publico de mangá não consume, apenas abaixo. assim como existe aquela mancha no mercado dos games de que gamer só joga pirata, e não consome original. é um problema tentar criar um espaço que fale de tudo um pouco e algumas áreas pressionem a morte de outra.

          o mesmo vale para mangás, hqs e livros. as pessoas não conseguem consumir de forma equilibrada de tudo um pouco, não pode culpa delas talvez, mas com isso, uma área acaba falindo a outra.

          1. "eu discordo um pouco do seu ponto de vista, porque a galera dos mangás exerce um pouco de pressão dentro de qualquer lugar em que participem (inclusive aqui no portallos)[…]a culpa é que quem se deixa sufocar ou de quem sufoca com sua animosidade acima do normal? acho que um poucos dos dois. os fãs de animes exageram e pressionam, enquanto o outro lado se deixa ser passivo e oprimido."

            Eu não estou aqui pra discutir nem nada, sério mesmo, alias nesses ultimos tempos estou sem imaginação e disposição pra comentar (mas leio boa parte das matérias do blog), ou seja, ANONYMOUS MODE ON (temporariamente). Mas não entendi essa parte do "sufoca" ou "pressionam"…Eu pessoalmente não gosto de me restringir a fazer parte uma uma "turminha", sabe, então não me sinto ofendido nem nada, mas vim aqui perguntar porque gostaria de entender melhor o seu argumento, principalmente a parte do sufoca…Se importaria de falar mais sobre isso, Thiago? ^^

            PS: AH! Não penso que você quis criticar os leitores do blog diretamente, afinal acho que os todos leitores desse blog especificamente são bastante educados, tanto que nem troll tem aqui, certo? Mas de fato tem gente bastante malcriada por aí na internet.

  4. Eu ainda acho q o maior problema no meio de tudo isso ainda é dinheiro, quantas vezes eu já fui em uma livraria/banca, vi um livro bem legal q eu queria comprar e fui olhar o preço… BAM! Mais doq as minhas condições. Só um exemplo recente, passei numa banca pra dar uma olhadinha e vi lá por coincidência o "Alice no país das maravilhas" [estou jogando Alice: Madness Returns (beeeem devagar, 1h por semana só), por isso a coincidência], em formato de bolso ainda mais! Mais quando vi o preço… R$15 e eu só tinha 12… No fim das contas tive q me contentar em levar Mickey Férias mesm. Oq eu quis dizer éq em alguns países o livro não custaria nem R$10 [>(]. Outra: um dos fatores dos EUA e Europa serem a "potência literária" q é hj é pq no século 19/20 os livros eram vendidos a preços irrisórios [cerca de US$1, eram de qualidade baixa mesmo :p], isso estimulou a população a consumir as obras [imaginem comprar Holmes por R$2 numa época onde os livros custavam uns 50?].
    E aki no Brasil mesmo lá pra década de 70 se vendiam muitos gibis de Disney a Tex, por causa do preço baixo.

    Enfim, é algo a se levar em conta não? Será q se os preços fossem + baixos o cenário seria diferente?

    1. Eu concordo em parte com o seu comentário. Só achei meio inválido o exemplo que você deu, onde um livro custava R$ 15 (um preço razoavelmente baixo) e vc tendo R$ 12 não pode comprar e comprou outra coisa. Não seria o caso de ir pra casa, pegar mais R$ 3 reais e voltar no dia seguinte?

      Tirando o exemplo, acho que a ideia de que os livros deveriam custar muito menos do que custam totalmente válida. Algumas obras deveriam sim ter um preço diferenciado, assim como eventos culturais literários deveriam acontecer com maior frequencia e todas as cidades do país. e não apenas em capitais famosas.

      Acho que o valor atrapalha, mas não se pode jogar a culpa apenas nesse ponto. Lanches no MacDonald são caros e vc jamais vê um MacDonald vazio. Cinema, filmes, shows também são custam só algumas moedas. Entretenimento é algo caro, principalmente no Brasil. Eu acho um absurdo pagar 80 reais por um livro, mas no exemplo que vc deu, pagaria sem problema um livro por 15 dilmas. O problema é que sempre existirá alguem que vai achar o preço, independente de qual for, um preço caro.

      E porque a ideia de comprar um livro? Porque o governo não pode promover melhor as bibliotecas municipais? Ou bibliotecas escolares? Por que livros precisam ser comprados e não emprestados? É algo a se pensar. Se houvesse facilidade de acesso e disponibilidade de titulos, com certeza eu frequentaria bibliotecas. Porque livrarias não podem ter um sistema de locação de livros? Sem mencionar na popularização dos tablets que agora trazer livros em formato digital, num preço menor que o impresso. Soluções podem ser criadas nesse ponto.

      Só não concordo com seu argumento de que séculos atrás os livros custavam uma miseria. eram outros tempos, onde não tinha um capitalismo selvagem que existe hoje em dia e nem mesmo inflação. nos anos 90 o pão francês custava entre 0,05 e 0,10 centavos. Hoje em dia nem bala custa isso. A alta do preço não é uma caracteristica exclusiva dos livros.

      Dito isso, acho que preço importa, mas não tanto assim.

  5. Bem abordado a materia do blog
    Eu infelizmente sou do tipo que só lê manga pela net…pq não tenho grana pra ficar comprando…mas tenho uma bela coleção d mangas…gosto d hqs tbm, comecei a gostar qnd comecei a namorar com meu namorado, eu acho somente complicado o modo dos quadrinhos americanos, meio sujo embaralhado…mas eu gosto do estilo e tenho muita vontade d ler 300 (dei d presente pra ele e ate hj não vi Oo) e kick ass XD
    Gosto mutio de ler livros, principalmente os de fantasia..medieval…o pop HP tenho todos, Rowan, a batalha do Apocalipse… alguém ja leu "As aventuras do Caça-Feitiço"? é muito bom e recomendo
    Sempre que da eu tento comprar livros novos, sempre nesses temas, tanto que ja to bolando a minha história

    Mas voltando ao assunto do post…também acho errado o modo como abordam os livros na escola…a minha por exemplo nem tinha biblioteca e qnd pediam pra ler eram akeles livros antigos (Senhora, Dom Casmurro – os dois são bons) acho legal tal, mas a linguagem é cansativa das antigas Oo acho q isso tbm ajuda a não gostar d ler. Deveriam botar outros tipos de livros para serem lidos, ou refazer a escrita deles XD

  6. “Gibis podem ser uma etapa para aprender a gostar de livros?”
    Também posso dizer por experiência própria que SIM, é possível gostar de livros se você já gosta de gibis, Mangás, etc. Minha paixão por leitura começou quando meu pai me apresentou aos gibis que ele colecionava desde criança, depois comecei a ler mangás e começar a ler livros pra valer só esse ano, em tono de 50 títulos. (A maioria dos meus amigos me acham louco).

  7. "Como fazer a geração mangá, que parece obcecada exclusivamente por este segmento a experimentar outros tipos de leitura?"

    Na real o problema não é "como fazer" a pergunta ideal seria "Porquê", "[Porquê] a geração mangá, que parece obcecada exclusivamente por este segmento [não] experimenta outros tipos de leitura?".
    tirando a parte "parece obcecada exclusivamente" eu acredito que me enquadro na situação que você levantou, por isso vou responder do meu ponto de vista.

    1) Gosto de mangás, os acho muito interessantes, muito dinâmicos (ainda que não tenham cores) e muito bem trabalhados, existem vários tipos de histórias, pra todos os gostos.

    2) Não gosto mais de Gibis como gostava na infância, não tem explicação, simplesmente não gosto, não consigo tirar ânimo pra ler Turma da Mônica / Mickey e seus amigos / Histórias de heróis americanos. É tudo sempre muito "bonito", as vezes chega a ser sem graça.

    3) Eu gosto de livros, mas leio geralmente livros que ninguém comenta, fujo das modinhas (crepúsculo/HP/etc), pra livros gosto de histórias mais serenas, mais inteligentes. Gosto de coisas relacionadas a vida de Buda, e seus ensinamentos. Livros que relatam o cotidiano de países que não conheço, histórias que me fazem visitar lugares que não fui (mas existem).

    Resumindo… A pessoa que gosta de mangás não precisa gostar de gibis, e vice versa, é tudo a mesma coisa só que apresentada de forma diferente. Eu gosto de música, mas detesto funk. Gosto de ler mas não curto gibis. Não comento sobre os livros que postam aqui, pq nunca li nenhum, e não vou correr atrás pra ler só pq postaram, a questão do livro é muito pessoal.

    1. 2) a obcessão por mangás não criou certas barreiras que vc não consegue desvencilhar para gostar de outros tipos de comics? Pode parecer presunção minha mas existem muitas HQs de super-heróis, arcos e afins, que dão de 10 a zero em alguns titulos em mangás. Não é o genero que faz uma boa história, é a própria história em si.

      Se ela é muito bem contada, não importa se é em estilo mangá ou disney ou super-heróis. é essa a diferença que geralmente o fã de mangá não consegue perceber.

      O Rackor da equipe do blog é um grande fã de mangás, tanto é que é viciando no ToC da Jump, mas ele comentou várias vezes no forum da equipe como os últimos arcos dos Lanternas Verdes da DC Comics (a noite mais densa) foi uma leitura fenomenal pra ele.

      O Mundo de Tutor que saiu em Mickey esse ano também arrancou elogios de muito leitor de mangá que seguiu a recomendação de conferir a HQ.

      É tudo uma questão de se tudo é ruim, será que vc não escolheu coisas ruins para comparar com mangás? Porque é impossível não existir uma HQ de outro estilo, que vc não diga "ok, essa é boa"

      ———

      Quanto aos livros, achei estranho seu relato. Quer dizer que se alguem te recomendar um livro, só pela recomendação, vc já o descartaria? Muitas vezes alguem escreve sobre um livro, não para se gabar que leu, mas para recomendar, pois achou tão bacana, que outros podem se interessar tambem.

      1. Talvez eu tenha sido um tanto quanto radical, concordo que existem gibis bons, porém não me satisfazem. Não estou desmerecendo o gênero, claro que tem suas parcelas de obras acima da média, assim como existem nos mangás.

        Quando tenho oportunidade de ler gibis, eu leio, não descarto mas não me empolga. Se eu puder escolher, escolho mangá.
        ______
        "Quanto aos livros, achei estranho seu relato. Quer dizer que se alguem te recomendar um livro, só pela recomendação, vc já o descartaria?"
        Sim, meu tempo livre (hoje principalmente) é relativamente curto, e livros tomam tempo (meu ritmo de leitura com livros é diferente do ritmo com mangás e gibis, gosto de refletir e imaginar antes de prosseguir com a leitura), portanto uma simples recomendação não é suficiente para eu ir correndo ler. Eu vejo, leio as críticas, colho opiniões, e só depois de ter certeza que valha a pena eu leio.

        Claro que tem a questão de identificação, se me identifico logo de cara com a história, não tem motivos para esperar.

      1. O sentido "bonito" que coloquei é relativo e genérico de "normal", "apático", "previsível", e etc. Não quer dizer que seja lindo por si, ao estilo ursinhos carinhosos.

        E outra, nunca ouvi falar destas obras que vocês mencionaram (minto, algumas já vi em algum lugar, mas sem muito destaque), portanto, não posso opinar…

        1. Eu sei, foi com esse sentido de "apático" que usei…

          Pra voc}ê ter uma ideia, Batman A Piada Mortal é sobre a loucura, como deixar alguem louco, o que leva alguém a ficar louco. E é do Batman.

          1. No caso então a divulgação de obras assim que é falha. Quem está acostumado a acompanhar histórias em quadrinhos entende muito bem a sistemática de venda, produção, publicação, e etc. Mas pra quem não está inserido neste mundo a minima compreensão é dificultada.

            Fica então a sugestão de post que "explique" como funciona esse mundo de quadrinhos, estas obras que você citou? são volumes únicos? Tem periodicidade regular? Exigem conhecimento de histórias passadas? (no mínimo você precisa saber quem é batman… embora qualquer pessoa saiba, mas poucos conhecem sua história de forma completa, eu mesmo só conheço o que vi em desenhos e filmes, esse conhecimento é suficiente para ler e entender a obra).

          2. @Shin a falha não de divulgação não, a falha é da falta de interesse dos fãs de mangás de buscar materiais além da sua zona de conforto.

            não existe uma formula magica que vc chega numa banca ou num site de download e o faça baixar somente o conteúdo AAA. vc precisa experimentar, pesquisar, tentar se aprofundar em outros temas.

            A Piada Mortal é uma das mais famosas HQs do Batman, como o rackor mencionou e é uma das coisas mais insanas já feita. Dizer que nunca ouviu falar algo sobre ela é como dizer que você nunca ouviu falar sobre Dragon Ball no mundo dos mangás. Porque vc conhece mangá? porque vc corre atrás, não?

            Com outros quadrinhos é a mesma coisa. Basta prestar atenção em sites de quadrinhos, aqui no portallos e em recomendações de quem curte. Pesquisar é importante. Senão vc vai ficar sempre com essa visão de que "só mangá lhe agrada", porque é a única coisa que vc se esforça em gostar.

      1. Tá meio grande mas ta aí:

        Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas-amazonas. Um dia, porém, cansadas das falhas dos seres racionais, algumas delas se voltam contra as antigas raças. E assim nasce a Era Antiga.

        Essa influência e esse temor sobre a humanidade só têm fim quando Primo Branford, o filho de um moleiro, reúne o que são hoje os heróis mais conhecidos do mundo e lidera a histórica e violenta Caçada de Bruxas.

        Primo Branford é hoje o Rei de Arzallum, e por 20 anos saboreia, satisfeito, a Paz. Nos últimos anos, entretanto, coisas estranhas começam a acontecer…

        Uma menina vê a própria avó ser devorada por um lobo marcado com magia negra. Dois irmãos comem estilhaços de vidro como se fossem passas silvestres e bebem água barrenta como se fosse suco, envolvidos pela magia escura de uma antiga bruxa canibal. O navio do mercenário mais sanguinário do mundo, o mesmo que acreditavam já estar morto e esquecido, retorna dos mares com um obscuro e ainda pior sucessor. E duas sociedades criminosas entram em guerra, dando início a uma intriga que irá mexer em profundos e tristes mistérios da família real.

        E mudará o mundo.

        Com diversas referências contemporâneas, que vão de séries como Final Fantasy a contos de fadas sombrios, passando por bandas de rock como Limp Bizkit e Nirvana, o autor constrói, com extrema habilidade, uma narrativa em que romances, guerras, intrigas, fantasias e sonhos juvenis se entrelaçam para construir o final poético desse fantástico quebra-cabeça. Essa obra, que é a estréia do roteirista Raphael Draccon na literatura, combina fantasia, história antiga e aventura na medida certa, de uma maneira revolucionária em relação aos demais livros do gênero.

  8. Pra mim a leitura tem que ser incentivada primeiro pelo pais, na minha infância eu sempre via minha mãe lendo um livro e ela tinha coleções de livros antigos de romance, de drama e de detetive da Agatha Christie e isso sempre me deixava curioso para ler e acabou que tomei gosto da leitura principalmente com livros no estilo da Agatha e fez com que procurasse novos estilos para curtir e agora sou fã dos livros de stephen king (e como queria ter a coleção completa da torre negra)
    concordo que a escola invés de ajudar só desestimula a criança com livros clássicos de seculos passado ate eu que ja gostava de ler achava um porre não só por causa da historia mas principalmente por causa das palavras usadas que eram antigas e que ninguém conhecia e só fazia perder o gosto da leitura
    Outra coisa posso ate ta falando besteira pq não acompanho esses novos autores desses livro da moda mas dificilmente vejo uns desses incentivando a leitura de um livro que não seja dele ou do seu gênero, eles acima de tudo tinha que incentiva com força a leitura de todos os gêneros e não ficar na mesma na mesma frase "leia um livro, livro é bom"

    1. "Pra mim a leitura tem que ser incentivada primeiro pelo pais"

      – concordo 100% com isso. até ia escrever no post principal, mas acabei esquecendo na neuro de não deixar o texto grande demais. Comigo foi meu avô que me incentivou a gostar de quadrinhos, e com isso peguei o gosto da leitura. Acho que a família no geral precisa ler e incentivar a próxima geração pelo gosto da coisa.

      Se a mãe ou o pai repudiam a leitura, as chances dos filhos crescerem tb com esse desgoto é muito grande. é preciso influencia as crianças a gostarem de ler. mas não da forma como a escola faz.

  9. Acho que a facilidade de se ler um manga, é que ele parece trazer mais comodidade, e sua velocidade vide que os mangas semanais tem bem mais leitores que mensais.

    isso leva aos HQS, ou são quinzenais ou mensais, eu mesmo tentei acompanhar,com o reboot, inicialmente deu aquele Wipe, muito bom, mas só inicialmente, acho que pegei muitos dos titulos pra ler, e deixei alguns, e sempre um acabava mencionando outro, e isso ja deixava aquele ar de "af, ja perdi algo da historia", e o longo tempo acabava desanimando, nunca lembrava como tinha terminado a anterior, e ficava refuçando a memoria, as HQ's pra mim, foram boas inicialmente, mas desgastante ao mesmo tempo.

    ja Disney, nunca gostei do estilo, desde criança mesmo.

    Obra literarias, bem li bem pouco, mas o unico estilo que me agradou foi a ficção, seja cientifica, ou qualquer outra, a serie que mais li foi Serlock Holmes (errei), livros da série Vagalume, se não me engano, ja literarios mais classicos como poemas e biografias não me chamam a atenção de modo algum.

    1. e como faz com os mangás mensais? vc não lê coringa? 😛

      não sei, mas eu já não penso assim. fica parecendo que mangá tem a obrigatoriedade de se acompanhar toda semana e não é bem assim. se não fosse pelo conversa de mangá, eu nem leria eles toda semana.

      isso de "perdeu um pedaço" é um estilo que está presente não só nas hqs americanas, mas também nos programas americanos. aquela ideia de contar só o que interessa, os detalhes a gente conta depois. e inclusive há muitos mangás que tambem usam essa logica de narrativa, onde segredos e pontos importantes são revelados só futuramente.

      vc mencinou ficção cientifica… nunca leu mochileiro das galáxias? e poemas e biograficas nem tanto, mas já experimentou cronicas? Comedias da Vida Privada do Luis Fernando Veríssimo é algo fenomenal, na minha opinião. leitura simples, engraçada e uma critica real com a sociedade brasileira e seus habitos.

      1. com ficcção não me ligo somente a cientifica, mas ao conjunto inteiro, medieval, magica, cotidiana, e afins, acho que o termo "fantasia" se encaixaria mais, mas ao mesmo tempo tambem limitaria.

        Cronicas chegei a ler,mas poucas, e nem marquei o nome, não gosto muito desses livros com "criticas e afins" não colocada dentro da propria realidade cotidiana, não sei se me expressei direito, por que acho algo muito na cara, uma critica indireta dentro de um mundo fantasioso pra mim é bem mais interresante, que uma retratada na propria sociedade.

        O misterio dentro do manga e do livro eu gosto, faz pensar, imaginar, e que eu algum momento vai ser explicado, e que vai ter fim,esse é principalmente minha dificuldade em ler livros tambem, as livrarias que frequentei trazem muito aquelas grandes series, dragões do ether, ja citados, rangers, não sou muito fã, e nem tenho cacife pra ler uma sequencia dessas,50R$, por cada livro da coleção, desanima, gosto de livros que começem e terminem nele mesmo.

        ja naquele caso da HQ, me fez parecer que eu realmente perdi, por que aparece no canto "leia Laterna verde #5 pra mais informações, ai meio que desanima, não estou a fim de ler aquela hq, pra saber sobre o vilão, ou por que do acontecido, ou o que aconteceu a tal personagem, se fosse um misterio que seria dito mais pra frente eu ficaria mais animado, mas ali é algo contado fora do "universo que estou lendo".

        1. "ja naquele caso da HQ, me fez parecer que eu realmente perdi, por que aparece no canto “leia Laterna verde #5 pra mais informações, ai meio que desanima, não estou a fim de ler aquela hq, pra saber sobre o vilão, ou por que do acontecido, ou o que aconteceu a tal personagem, se fosse um misterio que seria dito mais pra frente eu ficaria mais animado, mas ali é algo contado fora do “universo que estou lendo”."

          – ora mas isso tem praticamente toda a semana em qualquer mangás que vc acompanha. a unica diferença é que os mangás não colocam quadros lembrando o leitor de quando tal fato ou origem ocorreu. o leitor que tem que se virar para lembrar o que foi mencionado a trocentos capítulos passados para entender o que aconteceu no mais recente. quantas vezes discutimos coisas assim no CdM? diversas vezes.

          eu vejo muito leitor de mangá usando esse argumento e sinceramente acho-o bem falho. as HQs americanas ainda fazem a observação de cortesia, para facilitar o leitor caso ele queira correr atrás do que ele provavelmente nem prestou atenção ou não se lembra. o mangá vc precisa reler e vasculhar até achar o que quer lá do passado.

          e mangá a pessoa tem o costume de ler desde o #1, independente se começou semana passada ou há 10 anos atrás e tem 400 capítulos pra ler… porque não dar a mesma atenção para outras HQs? O bom é que o de super herois, dificilmente vc teria que ler desde o #1, já que elas são finalizadas por arcos. então são histórias separadas uma das outras.

          1. eu tentei, e como disse foi prazeroso, mas ao mesmo tempo massante, mais que os mangas.

            a questão ali é que o acontecimento ocorreu em outra revista, ta é tudo ligado, tudo um universo só, mas não deu, pra mim foi como se eu realmente perdesse algo, e que me destimulo ainda mais, se eu quiser acompanhar uma revista vou ter que ficar pegando varias outras randomicamente pra entender tudo?, foi isso que me desestimulo.

            A li Flashpoint realmente pra me preparar para o reboot, li toda a saga, e mergulhei ali dentro, e ali, pelo que eu me lembre, os acontecimentos estavam relacionados, mas não foi obrigado a ler as outras hq's do universo pra seguir o flash nos acontecimentos, tanto que li primeiro somente os acontecimentos da revista do flash e fui passando pelos outros depois.

            acho o estilo da HQ americana, otimo, mais que os do manga, mas não é o estilo em si, e sim as historia, se a revista tivesse uma linha reta sem interferencia com as outras, mas quanto tivesse explicasse melhor tudo, bem ai acho que eu teria conseguido engatar a leitura.

            Adoro a Vertigem, se não me engano, que traz Hqs com começo meio e fim, e ainda com seu proprio mundo, A espada (the sword) é uma otima hq, li e recomendo pra quem quer.

          2. Coringa, já experimentou alguma HQ Disney, elas possuem começo, meio e fim e no geral são uma leitura descompromissada e divertida. Já chegou a rolar os olhos nas prévias que coloco por aqui. O Humor pode não ser tão escraxado como em alguns mangás, mas muitas delas não são feita para crianças. (a HQ da prévia de ontem, Margarinofobia, retrata um Donald trabalhador, cansado de sua rotina, criança nenhuma entende essa neura da sociedade – é um exemplo de personagens infantis, em temas mais maduros e reais com o que convivemos, com um toque de satira e humor).

          3. bem nunca gostei muito da disney em si, principalmente dos mickey e cia, sei la.

            sendo sincero, sempre pulei essas previas por esse mesmo motivo.

            não gosto muito desse tema, tanto que fujo na leitura o maximo que posso de coisas cotidianas, seja manga estundantil, livro que trate muito o cotidiano, indo para algo futurista ou coloquial, realmente o que me chama a atenção é o fantasioso, o imaginavel, o irreal, o que eu não vejo no meu dia-a-dia, ou no dia-a-dia das cidades mesmo que eu não viva aquilo.

        2. nota: 50R$ ali por que estava no SEBO, a qualidade tava boa, sem manchado nem nada, mas mesmo assim ainda é caro.

          fico imaginando um novinho em folha, deve estar mais de 80 pila.

  10. Quando criança eu lia muito, mas muito mesmo gibis da Turma da Mônica e da Disney. E tomei o gosto por ler livros através de Harry Potter e Senhor dos Anéis. Realmente não foi a escola que me fez ler, obrigando a ler aqueles livros em que a maioria eu acho muito chato. Não adianta, não são o meu estilo nem o de ninguém, sem falar que para uma criança, a linguagem é muito complicada e rebuscada, só afasta o leitor mesmo…

    Nunca deixe de gostar dos quadrinhos da Disney… Acho uma leitura leve relaxante e nostálgica, sem falar inteligente. Curto bastante o Tio Patinhas que é como um Herói para mim pelas aventuras que ele passa… Curiosamente, encontrei o Portallos procurando pelas Aventuras do Super Pato. Aliás, você vai trazer algum post no EXP sobre ele, TMT?

    Semestre passado eu também ainda descobri o prazer de ler as HQ's de heróis da Marvel. Eu conhecia pouco dos personagens, mas lá fui descobrindo mais um pouco do meu lado Nerd… Li Guerra Civil que é uma saga e tanto…

    Ler é um prazer que se adquire, precisa ser estimulado sim, mas não obrigado…

    1. "Curiosamente, encontrei o Portallos procurando pelas Aventuras do Super Pato. Aliás, você vai trazer algum post no EXP sobre ele, TMT?"

      – provavelmente sim. não está na minha lista de prioridades no momento. eu sempre penso nesse material e o quão triste saber que ele ainda não saiu no brasil de forma completa. então é muito provavel que não só o material antigo, mas coisas novas sobre isso venham a pipocar aqui no blog. 🙂

  11. @Douglas: Mas não entendi essa parte do “sufoca” ou “pressionam”…Eu pessoalmente não gosto de me restringir a fazer parte uma uma “turminha”, sabe, então não me sinto ofendido nem nada, mas vim aqui perguntar porque gostaria de entender melhor o seu argumento, principalmente a parte do sufoca…Se importaria de falar mais sobre isso, Thiago? ^^

    – Explico sim. Lembra um pouco antes de reestrearmos o blog novo? Quando o CdM ficou sem ser feito e larguei mão dele por semanas? Então eu recebi (e-mails) e li muitos comentários de leitores raivosos, dizendo que o blog decaiu, que matamos nosso carro chefe, que não entrariam mais. Sabe aquela pressão psicológica que leitor gosta de fazer porque quer que os donos do blog escrevam sobre o que eles querem, e pra ontem?

    Esse tipo de pressão é decepcionate. Sufoca todo mundo da equipe, que não consegue fazer nada diferente, porque o leitor só quer mais do mesmo. Vc fazia uma matéria legal, e sempre tinha um comentáriozinho "e o cdm? não vai rolar?" dentro da matéria. aquela cobrança.

    Temporada de novos animes tambem vem leitores pedir resenhas, querem que o blog fale sobre todas as estreias, que fale sobre tudo. Isso é meio frustante, porque parece que o leitor, ou ao menos o grupo de leitores que só gostam de mangá, não se interessa, não se preocupa, não consegue entender que o Portallos não é um blog de mangás e animês. Conversa de Mangá jamais foi e jamais será um carro chefe do blog.

    E isso acaba frustando todo mundo. leitor que não se dá satisfeito pelo que fazemos e a equipe que quer colocar coisas diferentes no blog, mas quando o faz, percebe que ninguem liga. é uma sufocação de tudo quanto é lado. sufoca a equipe, deixa passivo leitores que outras áreas (vc não vê um leitor gamer invadido um cdm para pedir algo sobre um game, mas vc vê um leitor de mangá invadindo uma matéria de games pedindo um cdm). É esse tipo pressão que faz com que muitos sites e blogs de games e coisas nerds ignorem os mangás e animês. Porque sabem que esse publico, consome tudo que é free via web e não quer saber de mais nada, e quem conseme de forma moderada (como nós da equipe) somos pressionados a consumir da forma que os leitores querem.

    E retornando ao debate sobre leitura, basta vc ver alguns comentários por aqui. Quem lê mangá, não consegue sentir prazer em ler outras coisas, como hqs disney, super herois ou até mesmo livros. E isso é um dos maleficios dessa cultura japonesa gratuita de forma maciça na internet.

    ficou melhor a explicação? 🙂

    Obs: sim, eu não estava querendo insultar ou brigar com os leitores do blog sobre mangás e animes. o que estou contanto é relatos do que discutimos internamente na equipe. não é pra ninguem se ofender, mas é algo que a gente, que faz o blog, ficamos preocupados diariamente. até onde somos restringidos por algumas panelas de leitores que existem por aqui. na teoria não deveriamos ser influenciados assim, mas infelizmente somos.

    1. Hahahahahah Deu para entender sim, e concordo plenamente. Essa cobrança deve ser um tormento, ainda mais TER que fazer uma matéria sobre algo que não se está afim de escrever, é como falado acima em um dos comentários, ter que ler um livro forçado (passei por isso recentemente, foi traumático…). Deve ser complicado para a equipe, de fato.

      Agora com esse novo Portallos, pelo o que vejo, esse cobrança diminuiu, né? O blog está mais flexível e dinâmico, com matérias para todos os gosto. Tá muito legal essa nova fase do Portallos.

      PS: Receber e-mail de cobrança de ser estressante, eu mesmo surtava hahahahaha…Tem muita gente sem noção e, aparentemente, não tem mais o que fazer da vida e vai encher o saco dos outros…Boa sorte pra vocês. xD

  12. @SHiN Para você ter uma ideia como a galera ignora esse tipo de post… Eu JÁ fiz esse post, no antigo Portallos, e foi em outubro depois do reboot da DC…

    E esses que citei todos já acabaram, então não tem periodicidade, e tirando Y The last man (60 edições com 25 pág, ou 6 encadernados com 10, e por aí vai) todas são volumes únicos. As do batman você só precisa saber o basicão, ( de todos os herois é isso basicamente) isso que você encontra em TVs, filmes…

    1. Me interessei bastante no Batman a Piada Mortal, tô pesquisando aqui em compro e quanto é. Vou comprar esse se eu achar. Incrivelmente eu não sabia desse quadrinho, não, hahaha. Valeu pela indicação.

    2. Não me lembro disso, e olha que eu realmente leio a maioria dos pots aqui do blog.

      Claro, o que vc (e o thiago) falaram tem sua parcela de verdade, e inclusivo assumo minha total desinformação em relação ao mundo dos quadrinhos, porém, o que não concordo (e as vezes me revolta) é com a política de que se deve incentivar a leitura de gibis denegrindo a postura de quem gosta de mangás.

      Trocando por miúdos a afirmação de que o público de mangás sufoca o público dos "demais assuntos", só tem o intuito de reverter a situação, onde os demais assuntos, para se tornarem "populares" deverão sufocar os adoradores de mangás.

      1. Isso eu também tenho lá minhas dúvidas… HQS já foi Boom aqui no Brasil, hoje é mangás, por isso que entendo o pessoal fala mais de uma coisa do que outra… Pra mim é algo que vai e vem mesmo. O que não gosto é aquela pessoa "ah HQs é complicado, é X, é Y" sendo que só leu meia dúzia, ou acha que HQ é aquela coisa da era de Prata (Soc Pá TUM, o feijão com arroz).

    3. Pois é, o que não falta em HQ é variedade de formato, linguagem, conteúdo, preço, periodicidade. O que falta é algumas pessoas perderem esse medo bobo de que "não conheço, acho que não vou entender".

      Ora, não fazemos amizades conhecendo pessoas desde o berço. É com o tempo que vamos conhecendo e descobrindo mais. De fato, com o conhecimento de causa, é muito mais fácil ler uma HQ ocidental do que uma nipônica.

      Mas deixando esse papo de lado, acredito mesmo a desmotivação para uma leitura variada é muito mais cultural. Durante muitas décadas o hábito de ler não foi lá muito encorajado pela própria sociedade.

  13. Acredito que o incentivo é a solução para mais da metade dos problemas de leitura da sociedade, pois sem incentivo, dificilmente o indivíduo cria interesse ( existem as exceções, mas são poucos os que tomam gosto pela leitura por conta própria ). A dificuldade está na maneira como esse incentivo vem sendo tratado, geralmente de maneira errada, ou mesmo nem chega a ser estimulado, seja pela escola ou pela própria família da pessoa. Mais importante que forçar a leitura é mostrar o quanto ela pode ser prazerosa e o que você pode aproveitar dela, seja de livros, contos, HQs, mangás, entre outros. Tomei o gosto pela leitura a partir da influência de meus irmãos mais velhos e de professores com a qual eu também mantinha relações de amizade. Hoje eu leio livros de literatura brasileira, best sellers, HQs, gibis, mangás, livros sobre história… e de todos eles consigo tirar proveito de seus conteúdos, além de fazer algo que gosto. E pretendo passar esse mesmo hábito para meus filhos, netos e para quem for possível.

  14. A propósito, dei uma olhada nos links dessa matéria, que o T_thiago postou e achei muito interessante, o projeto de "abandonar" livros, revistas em quadrinhos e outros meios de comunicação do tipo para estimular a leitura em outras pessoas. Admito que não conhecia essa ideia e muito menos havia pensado em algo parecido. Acredito que essa iniciativa também merecia um apoio da mídia para melhor propagar a atitude e causar menos mal entendidos ( para alguns simplesmente não ignorarem o material ou pensarem que é lixo ) entre as pessoas. A mídia tem uma forte influência sobre a sociedade contemporânea, e usá-la de maneira benéfica não custaria nada! 😀

  15. Na boa, não entendo porque mangás e HQs acabaram virando o assunto mais discutido do post. Não que não seja um tipo de leitura, mas não chega nem perto da importância de um livro de verdade.

    Além do mais, o problema não é fazer a garotada gostar de ler gibi, mangá, HQ e similares, mas sim gostar de ler livros – os primeiros atraem naturalmente a atenção dos mais jovens. Porque, falando francamente, essas outras formas de literatura não trazem um benefício maior, sob qualquer ponto de vista, do que um livro.

    Eu acho engraçado como muito amigo meu, leitor de mangá e HQ, diz "gostar de ler" sem nunca ter lido um livro; não que esteja errado, mas esse tipo de pessoa não faz idéia do que é ler um livro de verdade. E mais engraçado ainda é quem passa a vida lendo livros de fantasia/ficção (livros imensos, diga-se de passagem) e acha que adquiriu uma cultura sem igual e sai por ai falando como é um leitor assíduo. E não me entendam errado, eu gosto e já li muito livro desse tipo (antes dos 13 anos eu já tinha uma coleção de mais de 40 livros do gênero).

    Eu sei que é um porre ser obrigado a ler clássicos da literatura durante o colegial (eu, na época, nunca li nenhum que me passaram pra ler), mas é importante entender que esse tipo de livro também tem que ser lido uma hora ou outra, e pelo o que eu li aqui nos comentários parece que forçar essa leitura é a única solução. Todo mundo critica, falando que esse não é o jeito certo de estimular a leitura, mas alguém já tentou ler algum daqueles livros "chatos" sem ser forçado? Não né. Então como proceder? Harry Potter e Senhor dos Anéis todo mundo lê (eu mesmo já li), mas a história acaba por ai, e a pessoa se acomoda, se contenta com o que já leu e o máximo de cultura que adquire é uma ou outra palavra que não conhecia.

    Livros são como filmes, existem os bons e os ruins, os "blockbusters" e os que ninguém nunca lembra. Na minha opinião não tem problema nenhum em alguém só gostar de ler Crepúsculo, mangá ou HQ; isso é normal, é natural, afinal a gente só pode gostar daquilo que conhece. Só é importante lembrar que existe vida após esses gêneros, que nem sempre um blockbuster é a melhor opção e que passar a vida só admirando a "ponta do iceberg" da literatura não traz benefício nenhum, é como passar a vida só assistindo "Shrek" sem nunca conhecer "Diamante de Sangue" (foi só uma analogia…).

    1. "Na boa, não entendo porque mangás e HQs acabaram virando o assunto mais discutido do post. Não que não seja um tipo de leitura, mas não chega nem perto da importância de um livro de verdade."

      Discordo categoricamente deste parágrafo. Alencar os livros numa importancia acima das HQs é exatamente o que está errado na cultura nacional. Uma coisa não é melhor do que a outra. Ambas se complementam.

      Tb discordo sobre forçar a leitura das clássicos. Não entendo a sua lógica de "ter que conhecer". Tem por qual razão? E mesmo que essa imposição custe o gosto do jovem pela leitura? É um preço alto na minha opinião.

      Clássico é clássico. É para quem gosta de literatura, quem tem vontade de conhecer mais, as bases e fundações dessa forma de cultura. Não tem que ser uma obrigação. Assim como muitos gostam de mangás, mas não correm atrás dos primeiros criados, o mesmo para HQs. Até mesmo filmes, nem todos conseguem ver um filme em preto e branco. Só por isso eles não podem gostar de filmes? Clássicos são ótimos para quem gosta de criar bases para aquilo que realmente curte… ninguem deveria ser obrigado a conhecer todos os classicos, independente do segmento cultura: livros, cinema, TV, hqs, mangás, etc.

  16. "Mais importante que forçar a leitura é mostrar o quanto ela pode ser prazerosa e o que você pode aproveitar dela…". Isso é muito bonito no papel mas dificilmente funciona. Não consigo imaginar uma situação na qual algum professor tenta passar essa mensagem para alunos de 15 anos e estes se mostram interessados em ouvir (eu já ficaria feliz se metade da sala estivesse acordada).

    O Brasil não recicla tanta latinha de alumínio por causa da preocupação com o futuro das nossas crianças ou com o meio ambiente… É preciso conhecer a natureza humana, como funciona a cabeça das pessoas, e ai sim pensar numa solução inteligente. Até lá, não acho que seria certo acabar com a obrigatoriedade da leitura durante o colegial (bem ou mal, a imposição pela força, quando bem aplicada, sempre se mostrou um excelente estímulo pra qualquer atividade).

    1. "Isso é muito bonito no papel mas dificilmente funciona. Não consigo imaginar uma situação na qual algum professor tenta passar essa mensagem para alunos de 15 anos e estes se mostram interessados em ouvir (eu já ficaria feliz se metade da sala estivesse acordada)."

      Isso com certeza é verdade. Muitas vezes não funciona devido a varias falhas, como na educação, relações humanas e claro, na maneira de se estimular outras pessoas. Mesmo assim gosto de acreditar que existe a possibilidade de ser diferente, e que se trabalhada de maneira correta, a estimulação a leitura possa mostrar notoriamente seus bons resultados, quanto a trazer as pessoas para um melhor caminho, quando o assunto e ler ( não que eu não tenha conhecimento sobre o que se passa, na sociedade, mas eu gosto de ter minha visão otimista ^_^ ).

      "Até lá, não acho que seria certo acabar com a obrigatoriedade da leitura durante o colegial (bem ou mal, a imposição pela força, quando bem aplicada, sempre se mostrou um excelente estímulo pra qualquer atividade)."

      Não acredito que aconteça assim. Acho que é apenas uma maneira de fazer as coisas continuarem andando. Mas claro, também existem as exceções.

  17. Thiago, na moral, não adianta brigar com isso. Jogar a culpa nos leitores de mangás que pressionam o blog e não se interessam por mais nada não é certo, primeiro porque se eles pressionam é porque vocês se deixam pressionar, e segundo porque, como blogueiro, você deve atender (ou não) aos pedidos dos seus leitores, eles são o cliente – não são eles que devem se adaptar ao blog, mas é uma opção do blog se adaptar a eles. Você não vai conseguir mudar o interesse dos seus leitores (não da maioria deles, e não tão depressa), portanto você tem duas opções – as mesmas que sempre teve, desdo primeiro dia de blog: Ignorar ou se adaptar. Reclamar do cliente não vai ajudar em nada.

    Ps.: Nunca li um mangá na vida, por isso garanto que meu comentário não foi pessoal.

    1. Caio te garanto que a minha intenção não é brigar ou um impor qualquer coisa, apenas refleti uma verdade que rola nos bastidores. Não sei porque deveria omitir este fato. Não espero que os leitores mudem, muito menos só porque teci uma opinião por aqui. As vezes vcs esquecem que aqui nos comentários, eu sou tão leitor quanto vcs. E tb discordo sobre eles serem "clientes" e que devemos atender seus pedidos.

      O blog é dos colaboradores e estes escrevem sobre o que querem. O objetivo não é tem fãs ou milhoes de leitores, não temos pretenção pra isso. Eu não posto tudo que posto esperando mil comentários, eu escrevo porque me sinto bem, recomendo o que gosto, divulgo o que gosto. O Portallos é um blog onde os leitores se adaptam aos nossos assuntos, porque a gente não se adapta ao publico (não mais). Um dos objetivos da reforma completa do blog foi exatamente a queda disso e fazermos um blog como tinhamos nos primeiros anos, com poucos leitores, porém escrevendo apenas sobre o que gostamos.

      Se isso afastar leitores, paciencia, ao menos estamos nos divertindo.

      E meu comentário soou como um puxão de orelha ou sermão. Não o interprete desta forma, estou apenas justificando que minha intenção não é mudar a cabeça de ninguem, apenas de encontrar pessoas que tenha gostos semelhantes.

  18. "Uma coisa não é melhor do que a outra. Ambas se complementam.". Bom, gosto é gosto, e nesse ponto os nossos são bem diferentes. Já li muita HQ, mas não consigo colocá-las na mesma categoria dos livros. Pra mim, são níveis diferentes.

    "Clássico é clássico […] Não tem que ser uma obrigação. Assim como muitos gostam de mangás, mas não correm atrás dos primeiros criados, o mesmo para HQs. Até mesmo filmes, nem todos conseguem ver um filme em preto e branco. Só por isso eles não podem gostar de filmes? […] ninguem deveria ser obrigado a conhecer todos os classicos, independente do segmento cultura: livros, cinema, TV, hqs, mangás, etc.".

    Quando foi que eu disse que as pessoas deveriam ser obrigadas a conhecer todos os clássicos? Eu acho que nós entendemos o mesmo problema de formas diferentes: pra mim, o "problema da leitura" é causado porque poucas pessoas lêem livros de qualidade; pra você, pelo o que eu percebi, o "problema da leitura" é causado porque poucas pessoas lêem – qualquer coisa – e ponto. Se for esse o caso, eu não vejo nenhum problema. Não vejo qual é o problema de alguém passar a vida sem ler Batman ou Mickey. Pra falar a verdade também não vejo qual é o problema de alguém passar a vida sem ler qualquer livro (o problema é só da pessoa, e ela vai passar a vida sem saber o que perdeu), só achei que estávamos discutindo esse último caso. Pra mim, "ler por ler" não é algo essencial pra alguém, não chega nem a ser importante. Como eu disse, entendemos o problema de formas diferente, foi uma falha minha.

    1. não é ler por ler, na verdade eu estava me referindo ao seu argumento ("parece que forçar essa leitura é a única solução") de que se ninguem obrigar a ler classicos, ninguem os leria, então obrigar (durante a vida escolar) seria algo que nada pode ser feito. é disso que eu discordo.

      eu acharia muito mais normal alguem passar a vida toda sem ler dom casmurro do que passar a vida toda sem ler um batman ou mickey. e tirando a complexidade do tema, não acho que dom casmurro é mais ou menos importante do que um batman ou mickey. as influencias e aspirações são bem diferentes para cada tipo de leitura.

    2. Eu considero o formato HQ superior ao livro, porém não o substitui, mas sim completa-o. É o berço da comunicação humana desde a pré-história. Não há nada nos livros que uma HQ não faça, mas os livros não podem fazer o que uma HQ faz.

      Ah não, dizer que um livro é mais importante que uma HQ só por ser um livro não dá também né? E, livro de verdade? Oh well… Esse tipo de pensamento está condenado. Atualmente, um Alan Moore, Grant Morrinson ou Neil Gaiman HOJE são autores mais importantes para a sociedade do que Machado de Assis. Esse por sua vez, continua presente e sempre terá o seu papel importante, porém relegado a uma época.

      Clássicos literários serão eternos, mas nunca maiores que as obras que transpõem com mais acuidade o tempo presente no qual se vive. São retratos de uma época assim como um Ford-T. Hoje temos uma mecânica mais avançada, assim como uma literatura também, toda fomentada nos clássicos, porém não mais dependentes dela.

      1. " Não há nada nos livros que uma HQ não faça, mas os livros não podem fazer o que uma HQ faz.". Okay then. [2]

        Posso dizer uma coisa que os livros fazem e as HQs, pelo visto, não: ensinar a ler e a escrever. E não estou nem falando sobre o uso de "palavras complicadas", só saber redigir um texto decente.

        "…transpõem com mais acuidade o tempo presente no qual se vive.".

        Sério mesmo? E eu achando que o tempo em que se vive é o futuro… Bem 7ª série "feelings", mas ok. Isso pra não falar de erros gramaticais (que são BEM mais comuns). Mas tudo bem, "tamo na net", né?

        "Ah não, dizer que um livro é mais importante que uma HQ só por ser um livro não dá também né?".

        Vocês (você e o Thiago) precisam parar com essa "interpretação seletiva". Quando foi que eu disse que um livro é mais importante do que um HQ só por ser um livro? Existem livros que não acrescentam nada à pessoa (como eu CANSEI de comentar, mas parece que ninguém lembra dessa parte). E nunca disse que nenhuma HQ presta, pelo o contrário, já comentei que eu mesmo leio HQs. Só acho que são coisas de níveis diferentes. Não acho que se completam, pra mim um bom livre é superior a uma boa HQ.

        "E, livro de verdade? Oh well… Esse tipo de pensamento está condenado.".

        Lol, sério mesmo? Condenado? Por quem? Você? Vai me dizer que você nunca leu um livro ruim? Não sei se foi muito complicado de interpretar(achei que não…), mas por "livro de verdade" eu quis dizer "bons livros", e não necessariamente clássicos.

        "Alan Moore, Grant Morrinson ou Neil Gaiman HOJE são autores mais importantes para a sociedade do que Machado de Assis.".

        Concordo plenamente. Quando foi que eu disse o contrário?

        Como eu disse, leiam com mais atenção os meus comentários. Eu não discordo com nada do que foi dito por você ou pelo Thiago. Nosso único ponto de desentendimento são as HQs, mas isso, como eu já disse, é questão de gosto. Eu tenho uma opinião diferente de vocês sobre isso, e ponto.

  19. Leitura é algo que deve ser incentivado desde pequeno e de forma prazerosa… Adoro ler desde que estava na escola e leio por prazer… Tive uma ótima professora e meus pais me incentivavam… Hoje em dia, incentivo minha filha. Leio de tudo: livros, gibis, HQs, mangás…; já estou sem espaço na minha estante… (rsrsrs). Acho que a leitura é uma das formas de ampliação de conhecimento e busco pesquisar sobre diferentes assuntos… Adoro receber dicas e sempre que algo está na moda até leio para ter uma idéia… Admito que li a série Crepúsclo e achei uma chatice só (não posso falar o que penso realmente).
    Concordo que a leitura na escola, muitas vezes isso é feito de forma errada…. Para que meus alunos leiam, eu tenho uma mini-biblioteca na sala com livros e quadrinhos. E na minha mesa, eles sempre veem jornais, revistas, mangás e livros… Eles vêem que eu me divirto lendo, as vezes, realmente chego a rir de algo que acho engraçado… Eles me perguntam sobre histórias e sempre incentivo eles a irem na sala de leitura ou leio algo para despertar o interesse deles…

    Vejo dois problemas sobre a aquisição de livros e quadrinhos aqui no país. Uma é a questão do preço; eles muitas vezes são caros, principalmente os livros nacionais. Admito que já comprei um livro de cem reais (minha mãe reclama muito disso…); mas não são todas pessoas que podem fazer isso e outras por questão de interesse. O segundo problema é o acesso a internet, muita coisa pode ser encontrada ali; isso é bom e ruim ao mesmo tempo. Ás vezes, me decido se vou comprar algo quando eu leio na internet e me interessa. Mas, um bom grupo não pensa dessa forma e acha que tudo tem que encontrar ali de forma gratuita.

    E concordo com o Thiago num ponto a respeito dos mangás… Tem um grupo de leitores, que muitas vezes, só se interessam por esse assunto e não querem ver mais nada. E com isso acabam sendo incovenientes…

    1. "E concordo com o Thiago num ponto a respeito dos mangás… Tem um grupo de leitores, que muitas vezes, só se interessam por esse assunto e não querem ver mais nada. E com isso acabam sendo incovenientes…"

      Eu não gosto de falar isso porque parece que estou atacando que gosta de mangás, mas eu mesmo gosto, porém curto muito outras coisas também. Então quando falo isso é porque gostaria que conhecidos, na qual tenho simpatia, expandissem um pouco certos horizontes.

      Bacana que a Cristhal pense de uma forma parecida. 🙂

  20. Os fãs de mangás, isso foi um tema que eu vi bastante nos comentários, lembrar de tudo que foi citado de uma maneira correta é impossível (principalmente porque eu pulei vários comentários).

    De uma maneira geral eu acho que os fãs de mangás não se interessam por HQ's por acabarem gostando da cultura japonesa (conheço várias pessoas que começaram a fazer japonês por causa desse hobbie) não que isso impeça o interesse deles, aqui no portallos por exemplo tem várias pessoas que gostam de mangás e HQ's, mas a maioria (que eu conheço) migra dos mangás/animes para light novels (praticamente livros) ou visual novels (histórias interativas, "jogos") mas isso é apenas um nicho dentro do mundo otaku brasileiro.

    Acredito que a maioria (os + jovens) entrou nesse "mundo otaku" por modinha dos mangás e etc (Naruto, Bleach, One Piece, Death Note, entre outros) eles não são fãs dos quadrinhos em si, muito menos se interessam pela cultura nerd, são fãs de obras separadas (claro q elas abrem novas possibilidades, mas muita gente prefere continuar com seu episódio/capítulo semanal) se é difícil a pessoa migrar para outros animes (ou até mesmo do anime para o mangá) (particularmente eu sou muito + fã da animação do que do mangá, não que as obras sejam melhores ou algo do tipo, é só que eu gosto de saber sobre os estúdios, diretores, sobre as vendas de dvds/blu-rays) como que essa pessoa vai se interessar por algo de fora? Não estou desmerecendo as HQ's, só estou dizendo que na minha opinião a maioria dos fãs de mangás não são fãs de quadrinhos em geral, então fica bem impossibilitado esse interesse em HQ's.

    Na minha opinião também existe um outro fator, o publico feminino que na maioria se interessa pelo traço do mangá (conheço muitas meninas que vão em aulas de desenho) por mangás de romance e mesmo se gostar de shounen, não vai ser um Toriko, mas sim Ao no Exorcist/D.Gray-Man/Pandora Hearts mangás que elas vão gostar dos personagens masculinos (existem várias fanarts feitas por meninas desses mangás) existem até aquelas + "hardcore" que gostam de shounen-ai/yaoi. Essas fãs na minha opinião nunca vão procurar alguma HQ para ler.

    Claro que existem várias exceções e até outros fatores, tirando a parte que eu falei sobre um nicho (uma minoria) eu tentei falar da maneira + generalizada possível.

    1. Eu não acho difícil migrarem para outros animes. Me parece que apenas uma minoria depois de conhecer Naruto ou Bleach não expande seus interesses pra outras séries.

  21. Pra mim, o detalhe pra pessoa obter o conhecimento é manter a mente aberta, não ter preconceitos, sempre buscar mais além, absorver desde os clássicos aos mais populares de qualquer segmento. Concordo com a opinião do carinha ae mais acima, os clássicos devem ser lidos e isso é inevitável pra quem vai se aprofundando no material q vai lendo, uma hora a pessoa tem q cair dentro deles por simples necessidade, ou parar pelo Harry Potter e Naruto o resto da vida, e isso não é preconceito.
    Quem lê só um tipo de coisa seja só quadrinhos, mangás, ou livros, escuta só rock, ou tudo no msm gênero não aprende nada.
    Quem busca só entretenimento pode desconsiderar isso q escrevi.

    Quem não leu Watchmen ainda não leu nada.

  22. Descupla o inconveniente, mas ia responder o comentário acima. Acabei comentando sobre o post lá também, o causou o meu erro. Foi mal. XDD O comentário original aqui:

    "Muito já foi discutido por aqui então vou tentar não ser repetitivo. Eu gosto de ler, fui incentivado desde sempre por uma tia minha que é professora, e sempre me interessei por livros e afins. Já li alguns dos clássicos como Dom Casmurro, Iracema, Quincas Borba e outros tantos que me fogem a mente agora; alguns desses foram leituras obrigatórias na escola e outros foram porque gostei dos autores e fui buscar outras de suas obras. Então acho que sim, que a leitura deve ser incentivada na escola e isso não precisa ser uma coisa ruim, como está sendo dito. Despertar o interesse do aluno, é isso que deve ser feito. Por causa de livros como estes que fui procurar outros. Já li os pop Harry Potter todo, mas tem muito mais além disso; eu particularmente gosto dos livros do Dan Brown, mas também curto romances e livros de fantasia.

    Mas, partindo para um outro ponto da discussão: a questão de gostar de mangás e SÓ de mangás. Eu gosto de mangás, prefiro ler os já concluídos (os semanais já abandonei há muito tempo) e me incluo nessa parcela que não lê HQ's e gibis, talvez até por gostar de mangás, mas isso não se relaciona diretamente. É mais a questão da zona conforto. Conheço mangás e animes há algum tempo e é difícil procurar coisas novas, se interessar por outras áreas sem que haja o incentivo, a recomendação, e, porque não, "o puxão de orelha". Esse post, pelo menos em mim, serviu como isso, apesar de não tem sido feito com esse propósito, como já foi dito. Não devemos ser obrigados a ler algo, e sim devemos ter vontade de querer ler algo.

    Voltando aos mangás, eu gosto de lê-los, mas não são minha maior preferência. Gosto de mais de animes (como aguns aqui) pela animação em si, pelo modo como os estúdios trabalham em "dar vida" às histórias em preto e branco. Mas antes disso tudo prefiro uma boa história. Foi assim que conheci os mangás e animes, com o anime de Death Note (o que aconteceu com muitos também). Gostei muito da obra, da "simples" ideia de escrever o nome de alguém em um caderno e ela morrer em seguida; a gente não vê histórias assim com facilidade. E foi essa história que me fez buscar mais animes, ler mais mangás, conhecer as modinhas (que não são ruins) e abandoná-las em seguida. O gostar de "um" me fez querer buscar muito mais do meio.

    E sobre o que disse do "puxão de orelha", o post me atingiu, de certa forma. Em inúmeros momentos do post e dos comentários me deu vontade de xingar o Thiago, o Rackor e o Mauri. Nada pessoal, mas o que foi dito realmente me fez pensar no que eu estava fazendo. Até tentei argumentar comigo mesmo, tentando me convencer de que estavam errados (apesar de não haver um lado errado nessa discussão), mas algumas coisas tive que admitir. Por exemplo, a zona de conforto. Já estou acostumado a procurar mangás e animes pra ler/ver; sei onde procurar, que sites me informar e baixar. E isso me falta quanto se trata de HQ's e gibis. É difícil sair da zona de conforto do nada, sem o incentivo. Pelo menos comigo me falta(va) esse incentivo. Já peguei muitas dicas aqui no blog de filmes, animes, mangás, livros, mas Hq's e gibis geralmente costumo pular ou deixar passar. Mas enquanto lia esse post e os comentários, fui procurar sobre "A Piada Mortal", "V de vingança" e "Watchmen" (os dois últimos vi os filmes e curti muito). Quero dizer, dei o primeiro passo. XDDD Não garanto que vá pegar algo de imediato pra ler, até porque só de livros e mangás que tenho pra ler já somam uma quantidade considerável (uns 50 volumes nacionais atrasados e uns 4 livros que não tive tempo de ler), mas o interesse eu tive.

    Curto muito os filmes da Marvel e da DC, mas me falta o interesse de sair procurando o material pra ler. Watchmen eu curto muito; esse vou ver se pego pra ler. Mas é como disse: falta o incentivo, e também a vontade de sair da zona de conforto, coisa que não é fácil.

    É isso. XD Espero ter sido claro com o quis dizer. =D

    PS1: Esse deve ser o meu maior comentario no (e do antigo) blog. XD Ainda queria falar mais, mas acho que já deu pra me expressar.
    PS2: Como eu não acompanho os mangás semanais sei como são inconvenientes os pedidos random de cdm. XDD É díficil mudar isso.
    PS3: E sobre os blogueiros se adequarem aos que os leitores querem acho que isso não tem sentido. A gente curte o Portallos justamente pela maneira como são feitas as postagens, o conteúdo oferecido, a participação dos blogueiros e dos leitores também. Se eu quiser, por exemplo, um conteúdo mais específico de animes, vou e procuro um blog ou site mais direcionado para os assuntos de animes. E imagino o quão frustrante e inconveniente deve ser abrir a caixa de e-mails e ver cobranças de cdms e mensagens de leitores raiovosos, hehehe.
    PS$: Eu mencionei a questão do incentivo várias vezes (apesar de iniciar o meu texto com "vou tentar não ser repetitivo") propositadamente, pra reafirmar a ideia. =D"

  23. Estamos falando de quadrinhos de qualidade que alguns leitores podem nunca terem lido. O que dizer sobre um dos Deuses dos Quadrinhos: Carl Barks?

    http://www.portallos.com.br/2011/12/28/previa-alm

    Quando Bark publicou as HQs do link acima, os pais de muita gente que acompanha esse blog nem haviam nascido ainda. Um das maiores e melhores eras da Disney que continua influenciando novos desenhistas e roteiristas décadas depois de terem sido republicadas.

    HQs que nunca são esquecidas por sinal. Sâo republicadas a cada nova geração, para um novo público ter conhecimendo de uma das maiores mentes dos quadrinhos. Você pode não gostar de Disney, mas não tem como não gostar de Carl Barks.

  24. Sou apaixonado por quadrinhos, leio desde infantis à fummetis. Compro mangás, super-heróis, Disney, europeus, alternativos, nacionais… no entanto, é claro, sou seletivo, não compro tudo, inclusive pq a grana não me permite. Não coleciono super-heróis, mas compro alguma minissérie ou especial, p exemplo. Não coleciono mangás, mas costumo comprar algum one-shot, e por aí vai… desde q de qualidade, não importa a sua origem, se japonês, italiano, brasileiro. O importante são as histórias!!!

  25. Sabe qual é o "problema"? É q os posts foram meio "rasos" sabe?
    Como eu posso explicar… Pense nos posts Disney q o Thiago vive postando, quase ng comenta mas mesmo assim ele insiste no negócio, vai postando + e + até q chega um momento q o pessoal olha só por curiosidade e bum! Acaba gostando. Sinto falta dessa "energia" nos outros posts do blog. Tirando Disney e Mangas, nenhum outro assunto é "superexplorado" pelos redatores.
    Fico imaginando, se aki tivessem prévias de Marvel/DC por exemplo (como tem com disney), com ctz eu ia me interessar um pouco +. Afinal como vou me interessar por algo q não tenho nem ideia de como é?

    PS: e uma coisa q eu gosto muito nos posts disney é o Thiago sempre colocar o link para o inducks. Cara, q foda! Lá tem tudo sobre a hq, vc conhece os artistas q trabalharam nela, conhece outras hqs do mesmo… Enfim, é uma ferramenta mto legal q acaba por estimular a pessoal a conhecer mais material. Não sei se Marvel/DC tem uma ferramenta parecida mas se tiver algum site ou outra coisa parecida… seria uma boa.

    1. Eu tb gostaria de falar mais sobre DC no blog. Marvel eu odeio, acho uma bosta. Tenho raiva de algumas coisas que rolaram quando seguia Marvel e dropei geral e não volto mais. Mas DC eu quero voltar a ler. Estou me programando para 2012 voltar a acompanhar via webcomics mesmo. Não quero coleção fisica, não quero revistas encalhadas em casa. Aí quero falar mais de super-heróis por aqui.

      Mas no geral, vc acha com muita facilidade HQs e recomendações Marvel e DC na web nacional do que dos quadrinhos Disney. Por isso, eu foco bem mais neles, como coleciono, é muito fácil criar prévias e falar deles do que de qualquer outro tipo de quadrinhos. E como ninguem dá atenção a eles, acho a divulgação aqui no blog, uma boa para quem não os conhecem.

  26. Oq eu quis dizer eq se o preço fosse + baixo, eu teria levado até mesmo POR IMPULSO entende? E citei o caso de outros países pq lá o preço é tão baixo q até MENDIGOS (por exemplo) tem o costume de comprar de vez em quando. Eu realmente acho q é possível chamar + leitores "pegando-os pelo bolso".

  27. O problema que vejo é as pessoas acharem que livros são algo de elite ou de intelectuais – o que alguns próprios leitores parecem achar também pelos comentários, considerando-se superiores -, nerds. Todo mundo me trata como se fosse de outro mundo quando me vê com um livro, falando que sou intelectual e estudioso e não sei o que… é só um livro.

    1. Concordo com você. Infelizmente os livros são usados ( e vistos ) por muita gente dessa maneira, o que é injusto, já que este não chega a ser o verdadeiro propósito deles. Mesmo assim isso não muda o fato de que outras pessoas poderiam estar lendo mais livros ou outros meios de leituras mais variadas, e é isso que estamos discutindo aqui.

  28. Discordo totalmente. Qual é a importância de ler Senhora? Saber os hábitos antigos do povo brasileiro vai me ajudar em alguma coisa na vida? Pois se você disse que "esses livros tem que ser lidos de uma hora outra" deve ser porque ele são importantíssimos.

    "Alguém já tentou ler um desses livros chatos sem ser forçado? não né" Eu já tentei. Li e gostei de o Alienista sem ter sido forçado a ler. Senhora ainda não cheguei na época em que sou obrigado a ler, tentei fazer uma primeira leitura mas acabei largando na metade porque estava massante.

    Faltaram argumentos pra você desprezar tanto as HQs e mangás como se fossem besteira enquanto os livros são essenciais. Esse é justamente o senso comum que existe no Brasil e que estamos discutindo.

    1. Pelo amor de Deus, releia o meu comentário, depois releia o que você escreveu e, por fim, leia a minha resposta ao Mauri.

      "Pois se você disse que 'esses livros tem que ser lidos de uma hora outra' deve ser porque ele são importantíssimos.".

      Se eles são importantes você nunca vai saber, né? Eu falei sobre "livros clássicos" porque esses foram "bons livros" de antigamente que sobreviveram até hoje, não quis dizer que todos são interessantes ou "importantíssimos" pras nossas vidas. Só quis dizer que existe mais chance de você achar um bom livro entre os clássicos do que entre os livros atuais, só isso.

      "'Alguém já tentou ler um desses livros chatos sem ser forçado? não né'. Eu já tentei.".

      Então você é a exceção, e deve saber disso. O "problema da leitura" não está nas exceções.

      "Faltaram argumentos pra você desprezar tanto as HQs e mangás como se fossem besteira enquanto os livros são essenciais.".

      Essa é uma opinião minha, não preciso de argumentos pra convencer você disso. É uma opinião pessoal. Vocês, leitores de HQs e mangás, é que tem que aprender a aceitar essa minha opinião. Em todas as respostas sempre tem alguém me condenando por não pensar em HQs e mangás como "um complemento" aos livros, mas é assim que eu penso. Eu não estou tentando convencer vocês do contrário, então não me apedrejem por pensar diferente, até porque esse não é o objetivo do post.

  29. @Caio – Isso pra não falar de erros gramaticais (que são BEM mais comuns). Mas tudo bem, “tamo na net”, né?

    Caio, não querendo brigar contigo, nem nada, mas achei bem estranho esse seu papo de livros tem ortografia impecável e HQ não, alguns comentários acima. Perae… vamos com calma. Pra que serve os livros? Pra aprender ortografia e gramática?

    Achei estranho porque pra mim um bom livro trata da transmissão de uma boa história, de fazer o leitor refletir um conto, fazer pensar sobre os conflitos e criticas que as páginas transmitem. Não abro um livro para aprender a escrever corretamente. Entendo que uma coisa pode puxar a outra, mas elogiar os livros e criticar HQs porque elas não possuem um texto impecável me parece um tanto quanto errado.

    Acho que seja um livro ou uma HQ, o que importa é "o pensar" que a leitura proporciona. O que vier disso é mero lucro, seja escrevendo certo ou errado. É a reflexão que conta, e não o português impecável.

    1. "… mas achei bem estranho esse seu papo de livros tem ortografia impecável e HQ não.".

      Novamente, quando foi que eu disse isso?

      – "Posso dizer uma coisa que os livros fazem e as HQs, pelo visto, não: ensinar a ler e a escrever.".

      Eu disse isso porque o Mauri (que estava defendendo a idéia de que as HQs "podem fazer tudo" o que um livro faz) estava escrevendo textos que pareciam de um aluno da 7ª série – nada contra, mas eu precisava de um exemplo. Não duvido que a ortografia das HQs seja impecável (como eu já disse, também leio HQs).

      "Pra que serve os livros? Pra aprender ortografia e gramática?".

      Não só, mas também.

      "Não abro um livro para aprender a escrever corretamente."

      Ninguém abre um livro pra isso, mas a pessoa acaba aprendendo.

      "…mas elogiar os livros e criticar HQs porque elas não possuem um texto impecável me parece um tanto quanto errado.".

      Quando foi que eu disse isso?? Pelo amor de Deus, Thiago. Depois quando eu critico a interpretação de texto, ninguém entende. Já cansei de comentar corrigindo a "interpretação seletiva" de alguns por aqui, parece que são vocês que fazem questão de discutir.

      "Acho que seja um livro ou uma HQ, o que importa é 'o pensar' que a leitura proporciona. O que vier disso é mero lucro, seja escrevendo certo ou errado. É a reflexão que conta, e não o português impecável.".

      Verdade.

      1. Gostei da exposições de opiniões de ambos os lados, aliás eu sempre costumo debater bastante sobre aquilo que acredito, é bom ver pessoas que fazem o mesmo. Eu adoraria ver mais disso nos posts, com mais pessoas expondo suas idéias e enriquecendo a discussão!

        Dirto isso, HQ FTW!!!! xD

  30. Eu não acho que ninguem está apedrejando ou apelando. Você trouxe o argumento "livros são mais importantes do que HQs" aqui. Muitos, inclusive eu discordam da sua opinião.

    Normal, não? Afinal o espaço não é pra discordar e concordar com opiniões de multiplas pessoas?

    Não é questão de fazer alguem mudar de ideia… e sim de trocar ideias sobre opiniões diversas.

    1. Concordo com você, o problema é que os leitores se interessam mais em "trocar idéias" do que se focar no assunto do post. A maioria dos meus comentários foram de respostas a alguém que não concorda com a minha opinião e "se viu obrigado" a responder. Quando um só lado quer trocar uma idéia não chega a ser bem uma troca, né?

  31. Entendo que seja a sua opinião e não estou te apedrejando, estou apenas mostra a minha opinião assim como você mostrou a sua. Esse é um espaço para discutir, não posso te responder?

    Ninguém é obrigado a dar argumentos, só nunca vou concordar com um texto que vai contra o que eu penso e não apresenta nada pra tentar convencer.

    Você escreveu que HQ nenhum poderia chegar ao nível de um livro de verdade, eu discordo, apenas isso.

  32. Bom, estou meu atrasado nos comentários mas vou postar. 😛

    Leio mangás online e coleciono. Tenho cerca de 300.
    Já HQS, bem tenho algumas e o formato que une diversas histórias me confunde muito. Quando eu era mais novo, comprava Homem-Aranha Ultimate e 616 achando que eram os mesmos apesar de que as histórias não vinham nas mesmas revistas. Não sei bem como explicar, eles reunem Comics de diversos grupos como Avante Vingadores com Novos Vingadores, Vingadores, Jovens Vingadores e acabam deixando muito confuso. Por isso, desde o ano passado passei a baixar (Eu sequer sabia que havia algo já que nunca encontrei nada em comunidades do orkut, onde na época eu procurava). Enfim, hoje tenho mais de 50 gb da Marvel com HQS dos anos 60 até hoje em dia. Se por ventura eu achar uma saga ou uma história muito foda, comprarei um encadernado.

    Minha editora predileta é a Marvel. Estou começando a acompanhar a DC e já acompanhava The Walking Dead antes mesmo de começar a ler outras comics sendo que nem sabia que era da Image. Enfim, meu gosto é por mangás, comics e livros uma vez por ano já que são bem caros e mais demorados. xD

  33. E poxa, várias vezes até umas pessoas próximas a mim disseram que hqs não são como mangás. Como não ?!

    Spider-Man tem mais de 600 edições (Sem Reboot!) e sempre manteve o nível. Comics não são somente lutas otimistas, herói sempre vence e não sei mais o que. As HQS da marvel abordavam drogas e bebidas alcoolicas a heróis e civis o tempo todo. Quem não se lembra do demônio da garrafa vivido pelo Stark ? Ou o período de alcoolismo da Ms Marvel ou Syrin ? Os Heróis tem problemas, muitos deles vão pro fundo do poço, literalmente.

    Até hoje não esqueço a cena do Pym agredindo a Jan. Aquilo foi realmente inesperado mas isso existe aqui não existe ? São problemas de um casal não são ? Comics abordam tudo de bom e ruim. Dos anos 90 pra 2000 havia mais cenas de sexo (claro, somente a iniciativa, não fazendo ou após o "coito" XD). Heróis gays começaram a surgir como Estrela Polar, Wiccano, Hulking, Karma..

    Enfim, pelo o que li na Marvel, é abordado cultura pop e histórica, valores sociais e humanos, economia, política, preconceito, minorias, violência, sexo, relações, frustações, paixões, drogas, álcool, reflexão, religião e não sei mais o quê.

    Bem, isso foi mais um desabafo. Até pra mim mesmo pois eu achava que era somente luta mas julguei o livro pela capa e acabei me surpreendendo.

    Recomendo The Walking Dead, Novos Vingadores, Fugitivos, The Ultimates V1, Watchmen, Sandman, V for Vendetta, Spider-man, Ultimate Spider-man e claro Batman: A piada mortal, a queda do morcego e outras excelentes sagas que não lembro agora. Ah, Guerra Civil da Marvel também. Abraços. 😛

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.