Você já jogou algo da Twisted Pixel Games?

Games com originalidade, bom humor e muita bizarrice

Essa semana voltei a jogar Comic Jumper e voltei a ficar maravilhado com a insanidade que são as produções da Twisted Pixel Games. Tanto que deu vontade de comentar um pouco sobre isso aqui no blog. Pra mim a Twisted é um dos melhores estúdios dessa geração quando se trata de criatividade, bom humor e originalidade.

Ela me lembra muito a Rare em seus anos dourados. Mas a Rare como todos sabem já morreu há alguns anos, e até hoje não entendo como a Microsoft conseguiu destruir o estúdio, mas isso é conversa para um outro dia em um outro momento. O fato é que a Twisted me lembra bastante o jeito da Rare de criar games, sempre tentando algo diferente, mas seguindo contra a maré dos grandes blockbusters.

Se for pensar a Twisted só desenvolveu jogos até hoje com um forte e marcante personagem como protagonista, seguindo aquele conceito já quase extinto de “mascote”. Você não vê muitos games de mascotes nesta geração. Foi o tempo em que os estúdios apostavam em jogos assim. E a Twisted continua provando que se o jogo for bem feito, os mascotes não atrapalham em nada, pelo contrário, o bom humor de personagens como Splosion Man ou Comic Jumper deixam tudo ainda melhor.

Uma coisa que aprecio muito em alguns dos títulos da Twisted é o uso de Live-Action. Veja o vídeo acima para entender melhor. A brincadeira entre o mundo real e o mundo dos videogames é o maior barato. Brutal Legend, da Double Fine, fez a mesma coisa quando foi lançado (adoro a intro do game com o ator Jack Black). Em The Gunstringer a Twisted Pixel voltou a brincar com Live-Action já que o jogo é todo criado como se fosse uma peça teatral, com pessoas reais assistindo. O humor escrachado de jogos assim, com mascotes, combina perfeitamente ao gênero.

Eu tenho tudo que a Twisted lançou desde a sua criação em 2006:  The Maw (2009), ‘Splosion Man (2009), Comic Jumper: The Adventures of Captain Smiley (2010), Ms. Splosion Man (2011) e  The Gunstringer (2011). Todos ótimos, apesar que os meus favoritos são realmente o Splosion Man e Comic Jumper. Torço para que em 2012 o estúdio consiga produzir mais algum novo game, já que o mesmo foi adquirido pela Microsoft em outubro do ano passado, dado o bom retorno de seus jogos ao Xbox 360, e desde então não se teve muitas notícias do que isso afetará diretamente suas próximas produções. Só espero que a Microsoft não estrague a Twisted da mesma forma que ela estragou a Rare.

O mundinho dos games as vezes carece de novos personagens, de novas abordagens e de algumas bizarrices. É bom ver que ainda há pequenos estúdios que pensam isso e que conseguem trazer games com essa abordagem diferente do comum e ordinário.

Claro que há muitos outros pequenos desenvolvedores que também possuem ótimos games nesta geração, a galera do Super Meat Boy (Team Meat) e o pessoal de Castle Crashers (The Behemoth) são dois excelentes exemplos, mas pra mim a Twisted Pixel realmente se sobresai sobre os demais, talvez seja pela quantidade de títulos que ela conseguiu produzir entre 2009 até agora. Não é fácil produzir tanto e continuar mantendo a originalidade e criatividade.

E fica a pergunta… você já jogou algo da Twisted Pixel?

Abaixo uma fase de Splosion Man. Pelo vídeo parece moleza, né? Juro que cheguei a ficar com bolha no dedo de tanto que morri até conseguir passar essa fase. Mas a sensação depois de vence-la é fenomenal.

O começo de The Gunstinger, mostrando o início da peça teatral e a transição de realidade para videogame. Acho original e criativo a forma que a Twisted conseguiu desenvolver este game para o Kinect. Pra mim até agora é um dos melhores títulos do sensor de movimento. Uma forma inteligente de mostrar que os games do Kinect podem ser bem divertidos.

Ainda não pode jogar muito Ms. Splosion Man, mas parece ser tão divertido quanto Splosion. O jogo tem alguns diferenciais em relação ao primeiro, o vídeo abaixo mostra um pouco deles, como as barras de rolagem e os cenários externos, que deixam o jogo com um visual mais bonito.

Por último, The Maw, que tenho comprado numa promo por U$ 5 e só joguei o trial. Não tenho muito o que dizer. É o primeiro jogo do estúdio, é o mais fraquinho, mas ainda quero jogá-lo com maior dedicação para poder falar melhor sobre o mesmo.

Isso também pode lhe interessar

20 Comentários

  1. se não estou errado, sequer ouvi falar dessa produtora.

    e jogos interresantes, para não se dizer extremamente estranhos tambem,

    gostei do Gunstinger, visual bem legal e bonito, e a caveirinha mexicana já ganhou meu apeço logo que apareceu, visual incrivel 8D.

    os outros jogos já não achei tão interresantes, mas parecem ser um bom passatempo.

    1. e sobre a questão de mascotes, realmente anda em falta criar novos personagens assim, a nintendo sempre foi uma otima criadora original e criativa tambem, mas ha tempos não traz algo novo.

      a sega nunca foi boa nesse quesito, e nem a sony, são poucas as produtoras que realmente conseguem criar um personagem equilibrado nesse quesito, bonito, engraçado, e funcional.

        1. Crash Badicoot? O personagem não tem nem 10% da fama e da qualidade que tinha no PSOne. Jak e Daxter é outra dupla que nem apareceu de forma inédita nessa geração com algo digno de ser jogado. Sly Cooper foi tirado do baú com remasterização. Sackboy tinha potencial, mas por alguma razão ele tinha muito mais hype antes do primeiro Little Big Planet sair do que tem agora.

          1. VC leu o comentário do Coringa? Ele disse q a Sony NUNCA fez bons mascostes e eu apenas provei o contrário.
            Parece até q tu fez de propósito…(pra falar mal do ps3 indiretamente) 😛
            [E meu, todo mundo q tem + de 12 conhece o Crash e sente saudades (do PS1)]

            PS: E LBP2 ainda é um dos jogos + jogados do PS3, só não aparece muito nos sites de games pq o pessoal só pensa nos FPSs…

          2. Mas eu concordo com o Coringa em relação a Sony. Ela nunca foi muito boa mesmo em criar mascotes originais. Eles são enfadonhos, clichês, muitas vezes sem carismas e a Sony mal investe neles. Basta ver o que aconteceu com Jak e Daxter nessa geração… esquecido no tempo porque a Naughty Dog ficou ocupada com Uncharted.

            Que adianta todo mundo conhecer Crash se o melhor dele só existiu há duas gerações atrás?

            E eu não falo mal de plataformas e franquias sem razões. Para tudo há argumentos e certas verdades. Mas vc não precisa concordar comigo é claro.

            Quanto a LPB2, não posso dizer muito, mas só sei que a reação na web (ao menos por aqui) é mínima. E eu comprei o LBP do PSP há algum tempo atrás e preciso admitir que apesar de uma premissa original e criativa, o gameplay e a mecanica do jogo deixou muito a desejar pra mim. O Sackboy perde bastante de seu carisma depois que vc coloca as mãos no jogo, ao menos comigo foi assim.

            A Sony nunca soube mesmo trabalhar com mascotes… não que eles sejam descartáveis. Não são, mas eles são facilmente ignorados por sua criadora. Não possuem o investimento e o carinho que a Nintendo dá para seus personagens, por exemplo.

          3. “Mas eu concordo com o Coringa em relação a Sony. Eles são enfadonhos, clichês, muitas vezes sem carismas e a Sony mal investe neles.”
            Tá, sua opinião, podia ter falado antes. 😉

            PS: só um adendo: o fato de a ND não ter feito ZD nesta geração é pq um política dela lá de só se comprometer com uma franquia por vez (oq eu acho bom pra não sobrecarregá-la).

          4. Mas eu disse, vc quem não entendeu. XD – Minha opinião sobre a Sony ou algumas de suas IPs não é segredo nenhum pra quem acompanha o blog.

            Quanto ao fato da Naughty Dog só de comprometer com 1 franquia por vez não acho isso positivo… um bom estúdio (do angulo empresarial de mercado) tem que saber trabalhar com várias franquias, com várias equipes. Bom pra eles porque não perdem qualidade em Uncharted, mal pra todo mundo que é fã de Jak e Daxter. Logisticamente acho péssimo estúdios que só sabem se comprometer com uma produção por vez. Caem na mesmisse, como vemos aí a Naughty Dog esta geração toda apenas com 3 games do Uncharted, sem culhões pra apresentar algo diferente, ou reinventar Jak e Daxter numa geração repleta de novos recursos online. Confortável fazendo apenas mais do mesmo.

          5. desse que voce falou, so reconheço mesmo o Crash, e Zack e Daxter.

            agora pegue a nintendo, ela tem muitos mais personagens memoraveis… Mario, Link, Luigi, Dk’s (donk,dixie,diddy), Fox, entre outros.

            e até seus vilões conseguem ser marcantes, Bowser, Ganon, K. Roll, (puxando só de cabeça já se encontra esses).

    2. Xbox Live Arcade é sinônimo de “bom passatempo”. 😛

      Gameplay rápido e divertido, original e diferente, é mais ou mesmo disse que se trata estes games baratos, vendidos apenas em formato digital. 🙂

      Mas eu adoro o extremamente estranho da Twisted Pixel. o/

  2. Gunstinger joguei um pouco e acabei parando, mas quewro terminar, a fase bonus que tem na Live pra baixar, onde vc joga com pessoas “reais é muito legal.

    Fora isso obviamente os jogos da serie Splosion Man (demorei o tempao pra terminar o primeiro XD) e The Maw, fora outros que agora n lembro o nome heheheh

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.