JapãoLendoMiscelâneaReflexões & Opiniões

Leitor BR de quadrinhos está mais exigente?

Chega de traduções porcas, setorização, papel de jornal e revistas descartáveis?

Há duas guerras editoriais acontecendo no Brasil nesse momento. Uma com a Editora Abril e outra com a Editora JBC. E a grande culpada disso tudo parece ser a Editora Panini, que vem apresentando uma qualidade acima da concorrência com seus títulos. E me pergunto se o leitor de quadrinhos no Brasil está mais exigente ou apenas mais xarope?

A guerra contra a JBC não é de hoje, mas foi acentuada entre ontem e hoje por culpa de um comunicado que alerta que toda a linha de mangás da editora vai passar por um aumento. Agora os títulos da JBC irão custar R$ 11,90 a partir de 1º de junho. Mas não é só por isso que muitos blogs de mangás estão brigando por aí. A rixa com a JBC vem já de longa data, desde que a Panini começou a publicar contra-capas de seus mangás em cores, com direito ao freetalk colorido, com boa tradução e boa impressão nas páginas dos volumes. Isso quando os mangás da Panini custavam R$ 9,90 e eram mais baratos do que a JBC.

Some-se isso a toda a polêmica na qual a JBC trata suas publicações, a péssima reputação que ela ganhou quando resolveu cagar com a tradução de Fairy Tail, na inaptidão de conseguir deixar seus mangás tão bonitos estéticamente quanto a Panini. Quando a Panini veio no começo do ano dizer: “Olha galera, não dá mais. Precisamos aumentar nossos mangás em 1 real, inflação, custos etc. Não conseguimos mais manter esse preço que está por aí faz anos.” ninguém reclamou muito. Afinal, a qualidade dos mangás dela são bacanas, são bonitos, são um tipo de material que dá gosto colecionar. Agora a JBC vem dizer a mesma coisa, vai subir por conta dos custos, que não aumenta desde 2006 e blá blá blá. Porra, mas se vai mexer, por que já não chega e deixa seus mangá no mesmo nível estético que a concorrente que obviamente apresenta um produto MUITO melhor? Foda né. Pra que continuar apresentando um material de qualidade inferior?

Enquanto isso a Panini tá toda feliz, com o retorno de One Piece no país, que vem recebendo um tratamento bacana, e já começa a fazer o mesmo por Dragon Ball. Lá no Facebook já está uma enquete que sugere que em breve poderemos assinar e receber em casa as aventuras do pequeno Son Goku.

Do outro lado da rua ainda tem a Editora Abril, com os quadrinhos Disney brigando por uma fatia do mercado onde Turma da Mônica reina com absoluto poder. E a Abril vem tomando decisões editoriais, em 2012, tão fracas e ultrapassadas quanto a JBC e seus mangás. Em fevereiro desse ano retirou toda a linha Disney da distribuição nacional e colocou na fatídica setorização. Resultado da brincadeira é que três regiões nacionais (Norte, Nordeste e Centro-Oeste) estão até agora esperando chegar para eles as edições de fevereiro da linha. Essencial Disney então nem começou nessas regiões, enquanto aqui no Sul e Sudeste estamos próximos de atingir metade da coleção em banca. E tem gente do Sul reclamando que não acha Essencial em sua cidade. A comunidade Disney, que já é pequena, está espumando pela boca por conta disso.

Soma-se isso dezenas de outros problemas com a linha Disney. Revistas com poucas páginas, material de qualidade saindo lá fora e sendo ignorando por aqui, pacote de assinaturas limitados a 4 títulos da casa sendo que a linha possuiu muito mais que poderia ser distribuido por assinaturas, a política exaustiva de republicações, em especial Barks etc. Enquanto isso Turma da Mônica na Panini custa mais do que Disney, porém vende 5x mais, tem um pacote de assinatura mais completo, uma linha própria e especial para clássicos, e como todo sabemos as produções do Maúricio de Souza vem se destacando cada vez mais. Até mesmo o marketing da Mônica é melhor, com o próprio Maurício interagindo em redes sociais, divulgando material, mostrando prévias de coisas que vem por aí. Na Abril impera o marasmo, sem ninguém para cuidar diretamente da linha Disney, que divide espaço dentro da Abril Jovem com revistas como Recreio. Não há um twitter, não há um facebook, não há um site próprio para a linha. A seriedade na qual a Abril trata a comunidade de leitores é zero.

E a pequena comunidade Disney vem brigando ferozmente, assim como a turma da JBC. O leitor brasileiro está mais exigente sim! Queremos revistas em quadrinhos melhores, queremos facilidade de acesso ao material, queremos revistas que possamos nos orgulhar de colecionar. Estamos vivendo na era digital, onde todo esse material pode ser acessado facilmente na web, de graça, em questão de minutos. Não queremos revistas descartáveis, feitas com papel higiênico usado, com traduções porcas. Não queremos ter dor de cabeça pra ficar caçando revistas em bancas, não queremos ver regiões inteiras do país sendo ignoradas. Setorizar uma revista é como dizer “Pra que vender naquela região? São tudo bando de analfabetos que não sabem ler e não compram mesmo… deixa para jogar o que sobra pra lá.“. É altamente ofensivo a forma como algumas editoras vem tratanto o leitor nacional.

Veja bem, não estou aqui dizendo que a Panini é perfeita. Claro que ela tem seus defeitos e problemas. Toda editora tem. O mercado de quadrinhos no Brasil não é perfeito, os leitores não são perfeitos, o consumo é irregular e ainda pequeno, mas pensar pequeno não ajuda em nada também. A Panini é uma editora de quadrinhos de verdade. Ela tem a linha de super-heróis, que causa muita polêmica também, mas está anos luz em relação ao trabalho que a Abril tinha quando possuia esse material, ela tem uma linha de mangás invejável a nível mundial, na qual o trabalho é o melhor dentro do país (mas ainda não chega aos pés do que é feito lá fora) e ainda tem a linha infantil da Turma da Mônica, que há poucos anos atrás estava meio esquecido na Editora Globo e retornou com uma força inacreditável no mercado de quadrinhos. Houve investimento, houve ousadia, houve marketing agressivo.

A Panini está brigando por um mercado de quadrinhos nacional de melhor qualidade. A concorrência anda comendo poeira da Panini, achando que estamos ainda na crise econômica dos anos 90. ACORDA JBC, ACORDA ABRIL! Chegam de pensamentos e filosofías de mercado jurássicos e ultrapassados.

Você, que lê quadrinhos, que gosta de colecionar e que está insatisfeito com a situação do nosso mercado não abaixe a cabeça não! Reclame, é seu direito. Demonstre a sua insatisfação nos canais oficiais. Para encher o saco da JBC clique aqui e para encher o saco da Abril clique aqui!

 Obs: no lado da JBC eu não posso fazer muito, acho que já tem muito site de cultura nipônica brigando e alertando o leitor, porém do lado da Abril eu posso. O Facebook do Calisota, apesar de estar começando agora, vem abrindo os olhos da comunidade, apresentando o formato das revistas estrangeiras da linha Disney e mostrando tudo que não acontece aqui no Brasil em nossa linha.

 

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.