Lendo

HQ | E se… Loki fosse o soberano de Asgard?

Quando o Deus da Mentira saiu vitorioso

Loki, coitado, passou a vida toda sofrendo. Perdeu o pai quando ainda era bebê e foi levado para ser criado entre o poderoso povo asgardiano. O que seria uma benção para uns, no entanto, se revelou um maldição para Loki: cresceu sempre à sombra do filho legítimo de Odin, Thor, para com quem sempre nutriu uma inveja esmagadora. Já adulto, assumiu-se como vilão e passou a usar de sua grande inteligência para criar artimanhas malignas que pudessem fazê-lo assumir o trono do reino dos deuses. Mas seus esforços foram em vão: por mais que tentasse, o resultado era sempre o fracasso.

Mas uma vez… Uma única vez, o resultado foi diferente.

A graphic novel Loki, de autoria de Robert Rodi e ilustrada por Esad Ribic, teve a ideia de inverter o padrão massificado há anos nos quadrinhos e há pouco tempo nos cinemas (Loki já foi vencido duas vezes na telona). É como se o Cebolinha finalmente conseguisse pegar o coelhinho da Mônica após décadas de “planos infalíveis”. O que ele faria em seguida? No caso de Loki, somos levados a conhecer o vilão pelo seu interior, suas mágoas, as suas motivações. É uma oportunidade rara de conhecer o famoso vilão pelo ponto de vista do próprio. A história foi originalmente publicada bem antes do lançamento dos filmes Thor e Vingadores, mas agora, com seu relançamento em terras tupiniquins, considero o momento ideal para conferi-la, por duas razões.

O preço é a primeira delas. Quando chegou no Brasil pela primeira vez, em 2008, a história de 94 páginas custava mais de quarenta reais e apesar dos elogios,  houve falta de timing por culpa da Panini – como você bem lembra, 2008 foi o ano em que Homem de Ferro chegou às telas, então não sobrou muito espaço na mídia para outros personagens da “Casa das Ideias”. Agora o momento é perfeito. O universo Marvel foi devidamente apresentado ao mundo e os olhos de todos estão sobre o Capitão América e sua turma. Há muitos heróis, mas e vilões? Loki até o momento é o maior deles, e infelizmente o Deus da Mentira não teve tempo para ter sua personalidade aprofundada. E aí entra a segunda razão: para quem tem contato com a Marvel mais pela Sétima do que pela Nona Arte, a HQ é um ótimo ponto de partida para conhecer o chifrudo.

Sabe aquele Thor e aquele Loki novinhos dos filmes? Esqueça. Aqui o desenhista Esad Ribic optou por deixar os personagens mais velhos, uma forma de dizer aos leitores que a história se passa após muito tempo – informação que jamais é passada através de palavras, provando que bons desenhistas fazem muito mais do que apenas que ilustrar roteiros. Outro detalhe que vale menção é que não há cores fortes e nenhuma das 94 páginas de quadrinhos. Até mesmo cores que tradicionalmente chamam mais atenção, como vermelho ou amarelo, aparecem “lavadas”. A justificativa fica para a interpretação de cada um, e eu encarei isso como um sinal de que a turma de de Asgard já estava cansada, sem forças para nada. É meio estranho falar assim, mas leiam que tudo ficará claro! 😉

E como toda HQ que baseada em universos mitológicos que se preze, “Loki” aproveita para expandir os horizontes do mundo que tem como base. Friso aqui novamente: falo como alguém que não conhece todos anos de história que o personagem tem na Marvel. Portanto, para mim foi curioso ver a aparição de um ser feminino super poderoso que queria a alma de Thor, e que aparentava ser tão (ou quem sabe até mais) poderoso que os asgardianos da história.

Então é isso, pessoal. Quer saber mais sobre Loki, ir além de Tom Hiddleston e seus cabelos ensebados? Já sabe onde encontrar!

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Pedro Ivo Maximino

Jornalista em formação. Sou gamer desde os tempos em que passava horas jogando Sonic no velho Master System de um primo. Também sempre gostei de cinema desde aquela época, embora só recentemente tenha me interessado o bastante pelo assunto a ponto de me considerar um cinéfilo. Tomei gosto pela leitura por "culpa" de Harry Potter e hoje leio de tudo. Além do Portallos, escrevo ocasionalmente em meu blog pessoal, o OverLine.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.