AssistindoJapão

Animê | Impressões de Free!

Ou swimming anime para os íntimos.

Free é um anime sobre natação que estreou recentemente e rapidamente arrebatou o interesse do público feminino internet afora. Além do óbvio fator fanservice, o anime é de fato agradável de se acompanhar e lida com algumas questões interessantes, como o que leva amizades a se deteriorarem, como a competitividade pode tirar o prazer que se tinha de uma atividade e como a felicidade pode ser algo muito difícil de se encontrar.

Antes de mais nada, é preciso dizer que Free é um anime de esporte. As cenas de natação são muito bem feitas e realistas, no entanto o protagonista não possui a ambição e empolgação características de personagens principais de outras obras mais populares. Haruka Nanase nada pelo simples prazer de nadar. Ele não quer vencer campeonatos ou ser reconhecido como o melhor nadador do mundo, mas apenas estar na água o máximo de tempo possível. Chega a ser um recurso humorístico a obsessão do mesmo pela água, como quando ele não se importa em invadir a piscina de uma escola ou tenta nadar em um tanque de peixes, mas o fato de ele depender tanto de estar imerso em água para se sentir bem pode esconder algo mais obscuro sobre ele.

Haruka não vive com os pais e não conversa muito com seus amigos. Tendo como único interesse a natação e ao mesmo tempo se negando a fazer uso da mesma profissionalmente (ele só se interessa pelo estilo livre, o que deve ser a razão do título do anime), o rapaz que já foi chamado de gênio na infância agora assiste sua vida passar sem ter objetivo algum em mente. Desapegado das pessoas e do mundo, quase sempre com uma atitude fria e uma expressão indiferente no rosto e tendo uma única atividade que lhe traga prazer, Haruka dá pistas de ter problemas emocionais e psicológicos. No entanto, como eu não conheço a light novel em que Free foi baseado e só assisti dois episódios até agora, não posso afirmar que a obra trilhará esse caminho ou se só será uma descompromissada e divertida estória sobre um clube de natação.

O rival de Haruka é seu amigo de infância Rin Matsuoka. O jovem mudou radicalmente durante o tempo em que foi estudar na Austrália para se tornar um nadador profissional. Antes uma pessoa alegre e amigável, Rin se tornou alguém sério e cheio de raiva. Ele desafia Haruka para uma disputa, desejando provar o quanto era superior devido à educação especial que recebera. Mas mesmo quando vence e comemora, Rin ainda se sente frustrado. Talvez a raiva venha de uma certa inveja que ele sinta de Haruka, talvez seja em decorrência da falta de reação do mesmo ou de um acontecimento do passado (na época em que vivia no Japão ou no tempo que passou na Austrália). Matsuoka tem uma postura de antagonista, mas aparenta ser alguém atormentado e infeliz. Seus esforços para se tornar um exímio atleta não lhe trouxeram a satisfação e o sentimento de auto-realização que ele esperara. A situação dele é tão preocupante que sua irmã mais nova, Gou, entra no clube de natação da escola de Haruka com o objetivo de ajudar seu irmão a voltar a ser como antes, apesar de Rin frequentar outro colégio.

Outros personagens importantes da estória são Makoto Tachibana e Nagisa Hazuki. Makoto é sociável, gentil, responsável e tem a tendência de cuidar dos outros, talvez por ser o irmão mais velho em sua família. Ele tenta animar Haruka e às vezes lhe dá conselhos, tentando ajudá-lo com sua inaptidão social, frequentemente sem sucesso. Nagisa, por sua vez, tem uma personalidade mais infantil e às vezes se faz de ingênuo, mas realmente lamenta que Rin tenha se distanciado do grupo de amigos e vê no clube da natação uma chance de reviver a amizade que os quatro rapazes tinham na infância, quando eram de um mesmo clube e venceram um torneio de natação. O clube anterior deles foi fechado e depois demolido, talvez uma metáfora à amizade que não resistiu à passagem do tempo e às diferenças entre os garotos. É provável que Matsuoka se entenda com Haruka e os outros no fim da estória, e talvez Haruka encontre enfim algo significativo em sua vida além da natação. Free tem os ingredientes para ser uma estória bonita e inspiradora se for bem conduzido. E um pouco de fanservice para as garotas – que ainda não chega perto de se comparar ao fanservice voltado aos rapazes em todos os tipos de mídia – não faz mal a ninguém.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Andreanekacs

Leitora voraz de livros e mangás, facilmente viciável em séries e frequentemente tecendo teorias estranhas sobre a vida, o universo e tudo mais.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios