AssistindoReflexões & Opiniões

Titio Avô é mais um desenho surreal do CN!

A geração dos desenhos estranhos, personagens bizarros e surrealismo absurdo!

Titio avô é a mais nova produção do Cartoon Network, que estreou nos EUA em setembro do ano passado e parece que está fazendo sucesso por lá. Aqui no Brasil o canal promete sua estreia para o dia 03 de fevereiro, mas nesse final de semana, numa maratona de suas produções atuais, fez uma pré-estreia da nova animação. E eu assisti e posso dizer que se você curte os universos fantásticos, personagens bizarros e situações absurdas que podem ser encontradas em produções como Hora de Aventura, Apenas um Show e O Incrível Mundo de Gumball com certeza Titio Avô entra no hall dos desenhos surreais, mas absurdamente bem bolados.

E entenda que essas características bizarras em produções do Cartoon Network não é algo exatamente novo. Basta lembrar das origens dos Cartoons Cartoons, sendo que A Vaca e o Frango é um dos pilares da produção própria do canal e é uma animação incrivelmente absurda. Então não é de hoje que o CN aposta em coisas estranhas e muitas vezes sem qualquer sentido. No final, o que conta é a originalidade na qual os produtores lidam com o bizarro e absurdo desses desenhos, mantendo as piadas e gags visuais como ponto alto dessas produções. E de uma certa forma é uma alívio enorme ver o canal apostando novamente em produções bizarras depois de tantos anos tendo como único carro chefe do canal o insosso Ben 10 e suas muitas de séries derivadas. Por sinal, parece que Ben 10 é realmente um passado remoto do canal, tendo em vista que nem no horário nobre parece ter mais espaço. Ainda está ali no canal, escondido num bloco no período da tarde e em outros buracos da programação.

E não estou dizendo que o Cartoon Network voltou a ser aquele canal lindo dos tempos de Johnny Bravo, O Laboratório de Dexter, As Meninas Superpoderosas, Samurai Jack e muitos outros Cartons Cartoons dos tempos de glória. Pelo contrário. Parece que o CN Brasil anda saturado, necessitando e muito de novas produções originais. Basta ver que atualmente a grade do canal aqui no Brasil parece sobreviver apenas de Hora de Aventura, Apenas um Show, Gumball e o forçado (na minha opinião) MAD. Isso porque o canal não usa todo seu catálogo de clássicos, porque aparentemente estes não possuem apelo suficiente entre as crianças de hoje e nem comercialmente. E por isso esse catálogo de ouro ficou para o Tooncast usar. E muitas produções novas do canal não andam dando certo (como The Looney Tunes Show, Scooby-Doo que novamente ficou sem uma série televisiva, Thundercats, as séries animadas da DC que na minha opinião fazem uma tremenda falta). Fora que as produções que poderiamos chamar de “Cartoons Cartoons” também andam em falta, sendo que as últimas foram Chowder e Flapjack, ambas engraçadas, mas com certos problemas em quão insana e absurdas poderiam ser. E aí entra toda a nova safra de produções, já citadas, e também o novo Titio Avô.

Quando vi as chamadas desse desenho sendo anunciadas no Cartoon Network logo de cara pensei “que coisa mais retardada e sem noção deve estar sendo produzida”, e não pensei isso num bom sentido da coisa. Felizmente parece que me enganei completamente. Vi apenas 1 único episódio de Titio Avô ontem e foi o suficiente para me convencer que irei acompanhar o desenho esporadicamente, assim como já faço com os outros desenhos do canal (Hora, Apenas e Gumball).

E não tem como explicar ou dar sentido ao desenho. Titio Avô é uma “entidade mágica” que vaga por aí ajudando as pessoas e seus conflitos internos. Ele é o “Titio Avô” de todas as pessoas do mundo. Ele vive num trailer que não obedece qualquer tamanho verdadeiramente físico (por fora parece um trailer normal, porém internamente ele tem espaço para quartos, sala e qualquer coisa que o desenho precise.) Seus companheiros são Gus, que é um monstro lagarto claramente inspirado no Godzilla, Steve Pizza que nada mais é do que um pedaço de pizza com bracinhos e perninhas e que pode falar e que usa óculos escuros do tipo “radical” (na hora me lembrei do Cool Spot – lembra dele?). Completa o elenco um tigre “realistico” voador (que se movimenta como uma figurinha recordada de uma revista) e a pochete mágica que pode falar e fica pendurada na pança do Titio Avô. Muito bizarro, né? Mas dentro da absurdidade da produção, tem todo o sentido e é exatamente isso que dá personalidade e graça ao desenho. Não são personagens forçados para serem bizarros e isso sim faz toda a diferença. Pense, por exemplo, como o Benson em Apenas um Show meio que não faz sentido como uma máquina de chicletes que é o chefe de todos ali se encaixa independente do que ele fisicamente seria em nosso mundo real.

E Titio Avô claramente bebe da possibilidade de ser absurdo como Apenas um Show consegue ser. O desenho que poderia ser sobre um pássaro e um guaxinim servido como representação de jovens trabalhando e vivendo a rotina de trabalho num parque qualquer é muito mais do que isso quando em todo o episódio um plot normal se torna surreal e absurdo quando surgem cabeças voadoras gigantes, vilões de antigas máquinas de fliperama ganhando vida, seres interdimensionais que querem alguma coisa absurda ou pequenas competições bobas que toam dimensões absurdas a ponto de causarem o apocalipse no mundo. Apenas um Show é assim, feito como os personagens que são animais ou objetos falantes que representam alguns trejeitos e personas dos seres humanos reais, mas o desenho não é sobre isso, ele realmente se esforça para criar algo incrivelmente absurdo a cada episódio de uma forma cômica e surreal, de tal maneira que isso é algo normal para os personagens (e daí a brincadeira com o nome Apenas um Show ou Regular Show no original). E Titio Avô vai exatamente nessa vibração de que as coisas não precisam mais fazer sentido quando o desenho tem esse universo surreal e absurdo que torna tudo um tanto quanto “normal”.

Não é diferente também de Hora de Aventura que inicialmente era algo sem qualquer tipo de contexto histórico do porque as coisas eram assim tão estranhas e bizarras no desenho, mas com o decorrer das temporadas os criadores puderam dar contexto e background a esse mundo fantástico e surreal. Porém não que isso realmente precisasse acontecer. Claro que Hora de Aventura tem outra vibe, diferente de Apenas um Show. Pois ele trata alguns temas de forma ainda mais sutis e muitas vezes o desenho é até mesmo depressivo, pois nem sempre ele termina com um final feliz. É um desenho realmente inteligente e delicado, que usa um universo absurdo, com criaturas e personagens fantásticos para lidar com temas delicados, como morte, amor, solidão e tristeza. Ainda que muitas vezes ele queira apenas arrancar algumas risadas das crianças e dos adultos que acompanham o show. Só que Hora de Aventura teve tempo e episódios para crescer e amadurecer (algo que Hora de Aventura agora parece que está conseguindo também). Titio Avô por enquanto é apenas absurdamente surreal.

O episódio que assisti ontem trazia o Titio Avô ajudando um garoto a aceitar sua pança. Afinal, panças são legais, não? Bem… não. Mas no desenho elas são. Claro que a mensagem que o desenho passa (e de forma bem sutil e escondida em tantas gags e surrealismo) é que você precisa aceitar a sua aparência, independente de não seguir os estereótipos impostos pela mundo de hoje. Ou seja, não é algo gratuitamente retardado apenas por ser. Tem toda uma brincadeira e uma tiração de sarro com coisas que fazem parte do dia a dia das pessoas, mas no desenho isso só é motivo para Titio Avô mostrar seus poderemos absurdos, insanos e malucos. No episódio em si, ele acaba fazendo uma camisa extra larga pro garoto com uma estampa irada de lobos e um nacho gigante e acaba transportando o menino para dentro do mundo da estampa, sendo obrigado a ir lá salvar o guri pançudo.

Bem, já escrevi demais. Fica a minha recomendação. Titio Avô é uma nova produção do Cartoon Network que vai dentro do que está sendo produzido nessa geração dos desenhos animados absurdos e surreais. Assim de cara, pelo pouco que vi, parece algo engraçado e original. Que sabe se levar na brincadeira e usa o tosco e o absurdo para zuar a si mesmo e com isso ser algo engraçado e simpático. Procure ver!

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.